WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Política’

A grata surpresa da vice de Neto, o voo solo dos deputados do PT e o conto do vigário de Rui aos prefeitos

5 AUG 2022

Alô, Alô Bahia.

Grata surpresa
Anunciada ontem como pré-candidata a vice-governadora na chapa de ACM Neto (União Brasil), a empresária Ana Coelho (Republicanos) impressionou positivamente em sua apresentação oficial. Entre aliados do ex-prefeito de Salvador, o nome dela foi considerado uma “grata surpresa” e já causou impacto em sua primeira manifestação como postulante por sua segurança e preparo. Dizem eles que Ana demonstrou fala simples, direta e sem muita formalidade, além de passar uma imagem de simpatia e carisma. Para eles, ela não só agrega como vai contribuir muito para a chapa.
 
Reações positivas
A boa receptividade a Ana Coelho não ficou apenas no meio político. No setor empresarial, a reação também foi positiva e diversos players do meio fizeram manifestações favoráveis ao nome dela para compor a chapa de ACM Neto. Ela é considerada uma grande liderança empresarial do estado e uma pessoa conectada ao tempo atual.
 
O dia D
A chapa de ACM Neto vai ser oficializada durante convenção hoje no Centro de Convenções em evento político que vai reunir deputados, prefeitos, candidatos e lideranças de todo o estado, que se mobilizam para participar do ato. A expectativa das lideranças políticas que acompanham o ex-prefeito de Salvador é de que seja um dos maiores eventos políticos da história da Bahia. Além de Ana na vice, a chapa terá ainda o deputado federal Cacá Leão (PP) como candidato ao Senado.
 
De olho nos recordes
O detalhe é que a chapa de Neto pode fazer história duplamente caso saia vitoriosa das eleições de outubro. Ana pode ser a primeira vice-governadora eleita na Bahia e Cacá Leão o senador mais jovem do estado.
 
Voo solo
Pelo menos quatro dos 13 deputados estaduais do PT devem ficar pelo caminho na corrida da reeleição. A estimativa é de uma avaliação interna dos próprios petistas, que listam, entre outras coisas, pelo menos duas razões para a possível retração: a primeira é que a federação partidária com PV e PCdoB inevitavelmente redesenha a partilha de redutos e conta final dos votos; e a segunda gira em torno da falta de perspectiva no crescimento de Jerônimo Rodrigues. O novo cenário impôs mudanças de rumo nas estratégias de campanha de vários parlamentares, que passam a trabalhar em voo solo e se descolam da majoritária para se apresentar apenas como postulante “do time de Lula”.
 
Saí pra lá!
Embora o governador Rui Costa goste de se vangloriar sobre sua popularidade, deputados do grupo aliado ao PT não parecem fazer questão de ter o petista em suas campanhas. Em seus materiais de campanha que estão rodando no interior, parlamentares limaram a imagem de Rui e usam apenas fotos do ex-presidente Lula, considerado por eles o verdadeiro puxador de votos. Agora, se a relação com a base está nesse nível, imaginem o que virá para o governador após as eleições?
 
O disseminador de fake news
Na convenção do PT, repercutiu mal e ficou provado por A mais B que, de tanto falar de fake news, o governador Rui Costa (PT) está ficando famoso como disseminador de notícias falsas. Em discurso, dedicou boa parte dele para atacar ACM Neto (UB) e falar de um episódio em que o ex-prefeito teria tomado o microfone de uma liderança de Itarantim, baseado em vídeo montado que circulou nas redes sociais. Mas o fato é que Neto ajudou a trocar o microfone com defeito. No fim de semana, Du Almeida, liderança de citada, esclareceu os fatos, desmoralizou Rui e provou a farsa do governador que não se atentou com a verdade e espalha mentira. Pegou mal, governador.

O centro das atenções

Ainda sobre a convenção do PT, o senador Angelo Coronel (PSD) foi um dos principais personagens. Crítico ferrenho da condução política de Rui, não deixou barato: tratou logo de ressaltar no seu discurso o péssimo tratamento sofrido por prefeitos e deputados na mão do governador. Pediu a Jerônimo que mirasse em Jaques Wagner (PT) e tratasse melhor esses agentes políticos no futuro. Rui estava longe, no fundo do palco. Aos mais próximos, depois do evento, Coronel confidenciou: “pelo visto gostaram, senti os abraços mais apertados de prefeitos e deputados no final”. Quem não deve ter gostado foi Rui.
 
Quem cala consente
E sabe o que é mais curioso? O silêncio ensurdecedor de integrantes da base petista sobre as declarações de Coronel. Integrantes da base dizem que as falas do senador representam o sentimento majoritário da base de que o tratamento dado às lideranças, seja de deputados ou prefeitos, sempre foi ruim e que ninguém se sentiu confortável em rebater.
 
O protagonista
Rui Costa tem roubado o protagonismo do seu pupilo e se porta nos eventos de campanha como se candidato fosse. Na coletiva pós-convenção, chegou a tomar o microfone da mão de Jerônimo para responder a pergunta da notícia veiculada em grandes portais de repercussão nacional. E o pior: não deixou Jerônimo voltar para responder ao questionamento. O nervosismo está grande.
 
Recursos só na imaginação
O governador Rui Costa segue assinando convênios como se não houvesse amanhã. Entre promessas e embaraços administrativos, Rui já movimentou – pelo menos no imaginário dos prefeitos – algo em torno de R$ 2 bilhões. O problema é que as obras não saem do papel e pelo visto a manobra teve apenas apelo eleitoral. De janeiro a 1º de julho, Rui empenhou R$ 1,8 bilhão, mas depois recuou e cancelou R$ 600 milhões dos atos conveniados. E agora, de julho para cá, já firmou novos convênios que somam R$ 107 milhões. Como a legislação não permite a transferência de recursos aos municípios durante a janela de três meses que antecede as eleições, os valores ficam apenas no campo da imaginação.
 
Depois da queda o coice
Setores ligados ao PT no estado tiveram duas derrotas na Justiça Eleitoral nesta semana em função das pesquisas com indícios de irregularidades do instituto AltasIntel. Primeiro, o instituto foi multado em R$ 53 mil pela Justiça Eleitoral em função do levantamento anterior, divulgado em meados de julho e já suspenso pelo TRE. Depois, a própria Corte Eleitoral proibiu a divulgação de nova pesquisa, prevista para hoje.

Foto: Valter Pontes.

Bolsonaro lidera intenção de votos para presidente em São Paulo: 40,1 a 36,2%

PARANÁ PESQUISAS

Bolsonaro registrou leve alta e Lula discreta queda em relação há um mês

Lula e Jair Bolsonaro. Fotos: Flickr/PR/Instituto Lula

Levantamento realizado pelo Instituto Paraná Pesquisas mostra que o presidente Jair Bolsonaro (PL) mantém a preferência da maior parte dos eleitores de São Paulo para continua no caro, com discreto aumento em relação à pesquisa anterior, de um mês atrás.

De acordo com a pesquisa no cenário estimulado, quando os nomes dos candidatos são apresentados ao eleitor, Bolsonaro soma 40,1% das intenções de voto do eleitorado paulista contra 36,2% de Lula (PT).

No levantamento anterior, o atual presidente da República tinha 39,7% contra 36,4% do petista, evidenciando leve subida de Bolsonaro e leve queda do petista.

Ciro Gomes (PDT) se mantém em terceiro lugar, com 7,1%, que corresponde a 0,6 ponto a menos que há um mês, enquanto Simone Tebet (MDB) manteve o mesmo desempenho: 1,7%.

Todos os demais candidatos a presidente da República não chegaram a atingir 1%, mas 7,5% dos paulista afirmam que votarão Branco ou Nulo e 4,9% ainda estão indecisos.

O Paraná Pesquisas entrevistou 1.880 eleitores pessoalmente em 75 municípios entre os dias 25 e 28 de julho, e a pesquisa foi registrada no TSE sob o nº BR-03035/2022.

Veja os números para presidente da República entre paulistas:

Lideranças se reúnem com Cacá Colchões e Eduardo Salles

                                                           

     

O pré-candidato a deputado federal, Cacá Colchões, reuniu lideranças e apoiadores na tarde deste sábado (30) no auditório do Hotel Barravento.

No encontro,  foi possível dialogar com os apoiadores  e alinhar ideias para o pleito deste ano. Durante o evento,  Cacá reafirmou o compromisso com o deputado estadual, Eduardo Salles.

Para Salles, candidato a reeleição, a presença de todos em um evento realizado sábado à tarde demonstra a força política de Cacá e o desejo do povo ilheense em ter um deputado da região na Câmara dos Deputados.

Cacá, por sua vez, fez questão de lembrar da importância de ter um representante na Câmara e apresentou a viabilidade de sua eleição.  A expectativa é que o candidato seja eleito graças ao efeito cascata de um “puxador de votos”. O mesmo  que ocorreu com a eleição de  Raymundo Veloso em 2006.

PL oficializa Jair Bolsonaro como candidato à reeleição

General Braga Netto foi formalizado como vice na chapa do partido

Publicado em 24/07/2022 – 15:55 Por Vladimir Platonow – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

O presidente Jair Bolsonaro fala durante a convenção nacional do Partido Liberal (PL), no estádio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro. (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Ouça a matéria:

O PL oficializou neste domingo (24) a candidatura do presidente Jair Bolsonaro à reeleição no pleito de outubro. Também foi formalizada a participação do general Braga Netto como candidato a vice-presidente na chapa que concorrerá a uma vaga no Planalto neste ano. A votação foi por unanimidade.

Durante convenção partidária no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, Bolsonaro lembrou dificuldades registradas em três anos e meio de governo. “Tivemos que enfrentar uma pandemia, uma guerra que não acabou ainda, uma seca como há muito não se via. Buscamos medidas para minorar o sofrimento do nosso povo. Alguns falam que eu não tenho olhado pelos mais pobres. Em 2020, quando falaram para todos ficarem em casa, eu disse para combatermos o vírus, mas sem destruir a nossa economia. Os informais foram obrigados a ficar em casa, para morrerem de fome”.

“Todo dia, quando me levanto, eu tenho uma rotina. Dobro meus joelhos e rezo um Pai Nosso. Peço que o povo brasileiro nunca experimente as dores do comunismo. Peço força para resistir e coragem para decidir. Por vezes, tento entender como cheguei até aqui. Neste país, quando acreditamos, os nossos sonhos tornam-se realidade”, disse Bolsonaro.

Entre os convidados presentes, além de várias lideranças e pré-candidatos a diversos cargos, estão o governador do Rio de Janeiro, Claudio Castro, e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Somente Bolsonaro e a primeira-dama Michelle Bolsonaro discursaram. A convenção começou com uma pregação religiosa e com o Hino Nacional. Bolsonaro iniciou sua fala passando a palavra à primeira-dama, que agradeceu o apoio e as orações de todos. “A reeleição não é por um projeto de governo, é um propósito de libertação”, disse.

Perfil

Jair Messias Bolsonaro é militar reformado, capitão do Exército. É o 38º presidente do Brasil desde 1º de janeiro de 2019. Foi deputado federal pelo Rio de Janeiro entre 1991 e 2018. Nasceu em 1955, no município de Glicério, no interior do estado de São Paulo, mas morou em várias cidades paulistas. Formou-se na Academia Militar das Agulhas Negras em 1977. Posteriormente, serviu nos grupos de artilharia de campanha e paraquedismo do Exército. É pai de cinco filhos.

Walter Souza Braga Netto nasceu em Belo Horizonte em 1957. Militar da reserva, alcançou o posto de general de Exército. Entre fevereiro de 2018 e janeiro de 2019, chefiou a intervenção federal no Rio de Janeiro. Foi comandante Militar do Leste até fevereiro de 2019, quando assumiu a chefia do Estado-Maior do Exército. Em fevereiro de 2020, assumiu o cargo de ministro-chefe da Casa Civil. Em março de 2021, foi nomeado Ministro da Defesa.

Edição: Paula Laboissière

Pesquisas mostram Lula 8,6% à frente de Bolsonaro

COLUNA CH/10 DE JULHO

10/07/2022 0:00 | Atualizado 09/07/2022 18:13

Ex-presidente Lula (PT) lidera com pequena queda de 41,8% para 41,1%, semelhante à do presidente Bolsonaro (PL), que variou de 33,1% a 32,5%. Fotos: Flickr
A média ponderada, compilada pela Potencia Inteligência, com base nas pesquisas realizadas na semana passada nos Estados mostra um cenário da disputa pelo Planalto consolidado com o ex-presidente Lula (PT) na liderança das intenções de voto, com pequena queda de 41,8% para 41,1%. Perda semelhante foi observada no desempenho eleitoral do presidente Jair Bolsonaro (PL), que variou de 33,1% para 32,5%.

Bem longeCiro Gomes subiu de 7,1% para 7,5%, Simone Tebet caiu de 2,1% para 1,8% e todos os demais pré-candidatos subiram de 4,3% para 4,5%.

Votos em disputa

Surpresa da semana foi com o aumento no número de brancos e nulos, que subiu de 5,1% para 6,5%. Indecisos caíram de 6,6% para 6,1%.

Universo analisado

A média da Potencial Inteligência, elaborada pelo estatístico Zeca Martins, considera mais de 37 mil entrevistas em mil municípios.

Dois de fora

A média ponderada leva em conta pesquisas realizadas em todas as unidades da federação, com exceção de Rondônia e Amapá.

Bancada contra PEC lembra ‘Justo Veríssimo’

As manchetes celebraram “vitória da oposição” na decisão do deputado Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, de adiar para terça (12) a votação da PEC dos benefícios sociais. Os que vociferam contra a proposta mal percebem terem assumido as feições do “deputado Justo Veríssimo”, personagem de Chico Anysio que tinha “horror a pobres”, maiores afetados pelo adiamento. Afinal, serão mais de 20 milhões de famílias recebendo Auxílio Brasil de R$600, o triplo do Bolsa Família.

Quorum elevado

Arthur Lira adiou a votação da PEC por considerar que os 427 deputados presentes não lhe davam segurança de aprovação. Mas era quorum alto.

Pobre na mão

Caso tivesse sido aprovado na última quinta (7), o aumento do Auxílio Brasil de R$400 para R$600, por exemplo, poderia ser pago este mês.

Quase unanimidade

Como no Senado, que aprovou a PEC por 73×1, também na Câmara a aprovação de acachapante, incluindo os votos dos “Justos Veríssimos”.

Poder sem Pudor

Planos para visita íntima

Certa vez, durante almoço no falecido Piantella, em Brasília, o dono do restaurante, Marco Aurélio, não parava de lamentar a condenação de um cliente ilustre, José Dirceu, no processo do mensalão, e a confirmação pelo próprio ex-ministro de que seria obrigado a cumprir quase dois anos de prisão em regime fechado. A todo momento, o chef Marco Aurélio olhava para Dirceu e lamentava: “Zé, eu não aguento ficar dois anos sem você…” Ouvindo as lamúrias ao lado do jornalista Pedro Rogério Moreira, o ex-senador Heráclito Fortes (DEM-PI) gozador incorrigível, interveio: “Zé, vamos fazer o seguinte: quando você tiver direito a visita íntima, convoque o nosso Marco Aurélio!” E todos caíram na gargalhada. Inclusive Marco Aurélio, que, aliás, é espada.

Pela regra…

O senador Marcos do Val disse que foi “tratado como líder” por Rodrigo Pacheco para indicar emendas de relator. Líderes de PSB, PCdoB, Psol e demais puxadinhos do PT também levaram R$50 milhões cada?

Jogo bruto

A revelação de que houve distribuição farta de emendas mostra o vale-tudo para eleger Rodrigo Pacheco. E explica a subserviência do presidente do Senado a Davi Alcolumbre, atual presidente da CCJ.

Caroço no angu

A recusa de Marcos Valério em ir à Câmara explicar relações entre PT e PCC foi vista por Carlos Sampaio (PSDB-SP) como motivo para criar a CPI. “Só reforça a necessidade de aprofundarmos as investigações”.

Candidato cantador

Viralizou o vídeo em que o pré-candidato a governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), empolgado com as pesquisas, acabou se juntando a um cantador para abrir a voz, em dueto.

Frase do dia

E os resultados seguem aparecendo

Ministro Adolfo Sachsida (Minas e Energia) sobre as revisões para cima do PIB brasileiro

O que explica?

A queda nacional dos combustíveis após serem considerados itens essenciais e, por isso, com ICMS limitado, revelou que governadores tinham o poder de combater a disparada do preço nas mãos.

Caminho (longo) esburacado

A cerca de um mês do início oficial da campanha eleitoral, partidos ainda têm de definir candidatos, além de repartir o bolão do fundo eleitoral. E as “fichas” – e contas – precisam ser julgadas pela Justiça Eleitoral.

Não é fake, mas…

Pesquisa Gallup, nos EUA, aponta que a confiança no noticiário de TV e nos jornais está no menor nível da série histórica, realizada desde 1993: respectivamente 49% e 43% confiam “muito pouco” nessas instituições.

Maracaju

Completa 90 anos neste domingo (10) a fundação do “Estado de Maracaju”, nome dado ao Mato Grosso do Sul durante a Revolução Constitucionalista de 1932, contra o governo federal de Getúlio Vargas.

Pergunta no seminário

Por que não existe encontro na Venezuela para autoridade brasileira debater a democracia?

ACMNeto decide apoio a Bolsonaro na Bahia.

O devaneio de Rui, a ligação bomba, o golpe dos convênios e as decepções do PT

https://aloalobahia.com/aloalopolitica/o-devaneio-de-rui-a-ligacao-bomba-o-golpe-dos-convenios-e-as-decepcoes-do-pt

Alô, Iemanjá
Uma figura expoente do governo do estado curtia um tranquilo passeio de lancha pela Baía de Todos os Santos quando teve a calmaria interrompida por uma ligação telefônica. O conteúdo da conversa alertava para uma possível investigação que estava prestes a estourar e provocou agitação tamanha que o iPhone foi parar no fundo do mar. A apreensão do episódio foi lembrada esta semana no jantar de dois interlocutores governistas, segundo os quais a situação ainda causa arrepios. Apesar da gravidade, um deles chegou a brincar que uma eventual interceptação telefônica da PF só ouviria agora as palavras de Iemanjá.

Pelo poderes de Grayskull
Durante uma reunião com aliados políticos nesta semana, o governador Rui Costa teria encarnado o famoso personagem dos desenhos animados dos anos 80, He-man.  Irritado com a demasiada importância que os presentes davam ao apoio de Lula, Rui desabafou: “Vocês tão pensando que Lula vai decidir a eleição na Bahia. Quem vai decidir aqui sou eu”. E finalizou parafraseando He-man: “Eu tenho a força, eu tenho a caneta”.

O decreto gambiarra de Rui
Depois de muita relutância, o governador Rui Costa decidiu adequar o ICMS cobrado na Bahia sobre os combustíveis à nova legislação recém-aprovada pelo Congresso Nacional. O problema é que decreto assinado pelo governador veio com uma gambiarra inusitada: só tem valor “caso não sobrevenha eventual modificação em decisão pelo Supremo Tribunal Federal”, onde o petista trava um embate para não baratear a gasolina para os baianos.

O golpe dos convênios
Por falar em gambiarra, prefeitos que chegaram a assinar convênios com o governo do estado estão agora a ver navios. Rui cancelou centenas de atos, mas encorajou gestores a tocarem as obras adiante, pois em outubro, depois da eleição, o governo pagaria o valor restante. “Rui Costa está induzindo os prefeitos a cometerem fraude eleitoral. Ele quer os prefeitos na cadeia?”, destacou o líder da bancada de oposição na Assembleia, deputado estadual Sandro Regis.

Cai quem quer
Mas ao que parece nem os mais inexperientes seguirão os conselhos do governador. Na última terça, Rui se reuniu com 30 prefeitos na Governadoria para tratar dos convênios. Lá pelas tantas um prefeito mais jovem questionou: “E se Jerônimo não ganhar”. “Não existe essa hipótese”, retrucou o líder petista. Os presentes se entreolharam sem acreditar no que estavam ouvindo e um cochichou: “Será que ele acredita mesmo no que está dizendo”.

Cancelamento de bilhões
No total, de acordo com levantamento ao qual a coluna teve acesso, já são pelo menos R$ 1,7 bilhão em convênios cancelados. A notícia já começou a correr e tem deixado prefeitos irados com o governador.

Decepção I
As pesquisas eleitorais sobre a Bahia divulgadas nesta semana foram consideradas um verdadeiro banho de água fria para o governador Rui Costa (PT), de acordo com fontes com trânsito no Palácio de Ondina. Elas contaram que o petista vinha comentando com pessoas próximas que esperava um crescimento de Jerônimo pelo menos acima dos 20%, já que tem rodado a Bahia em agendas do governo e de pré-campanha. Contudo, o pré-candidato petista empacou e o pior: com uma rejeição altíssima, a maior entre os postulantes ao governo.

Rejeição recorde
A avaliação na base governista é que muito pior que o não crescimento nas intenções de voto é a alta rejeição de Jerônimo. Para eles, o cenário apresentado pelos levantamentos é que, à medida que Jerônimo vai sendo conhecido pelo eleitorado do estado, vai também crescendo a rejeição ao ex-secretário da Educação.

Decepção II
Se o grupo governista já não andava muito animado para as eleições deste ano, a situação piorou com a vinda do ex-presidente Lula (PT) à Bahia, no 2 de Julho. Entre aliados do PT no estado, desde os mais à esquerda até os demais, é unânime a posição de que o ex-presidente não deu a Jerônimo Rodrigues (PT) um apoio mais enérgico, o que era esperado pelas lideranças petistas. No discurso do evento na Fonte Nova, Lula só citou o nome do ex-secretário da Educação três vezes.

Vermelho de vergonha
Em uma das citações feitas por Lula, Jerônimo protagonizou uma situação no mínimo constrangedora. Quando o ex-presidente citou, en passant, o nome dele, o ex-secretário da Educação foi para frente do palco, agarrado a uma bandeira do Brasil, mas Lula logo mudou de assunto e continuou seu discurso. O embaraço foi geral.

Mudança de planos
O resultado disso é que, nesta semana, deputados governistas que buscam à reeleição já começam a repensar suas estratégias de marketing para a campanha. Conforme apurou a coluna junto a parlamentares, um grupo de pelo menos nove deputados, entre estaduais e federais, já pediu para suas equipes retirarem imagens de Jerônimo dos materiais de campanha. Para eles, no atual cenário, a vinculação ao ex-secretário mais atrapalha que ajuda.

Sem aulas
Já é sabido que educação nunca foi uma prioridade do governador Rui Costa, mas um caso ocorrido em Matina é o cúmulo. Por lá, dizem fontes locais, a prefeitura suspendeu as aulas ontem para que os ônibus escolares fossem utilizados para transportar pessoas da zona rural para um evento com a presença do governador. O caso tem rodado o interior e provocado uma enxurrada de críticas.

Foto: Reprodução/redes sociais.

 NOTAS RECENTES

Bolsonaro permanece na frente em São Paulo com 39,7%, contra 36,4% de Lula

PARANÁ PESQUISAS

Atual presidente tinha 39,1% na pesquisa de maio e o petista somava 35%

Presidente Jair Bolsonaro (PL) e ex-presidente Lula (PT) polarizam a disputa.

Levantamento realizado pelo instituto Paraná Pesquisas em São Paulo reafirma a liderança de Jair Bolsonaro (PL) no Estado, nas intenç~es de voto para presidente da República.

De acordo com a pesquisa, Bolsonaro soma 39,7% das intenções de voto dos paulistas,, contra 36,4% do principal adversário, Lula (PT), enquanto Ciro Gomes (PDT) conserva o terceiro lugar, com 7,7%.

Os demais candidatos a presidente têm desempenho sofrível, segundo o Paraná Pesquisas. Em quarto lugar, Simone Tebet (MDB) tem apenas 1,7%, Pablo Marçal (Pros) soma 0,8%, André Janones (Avente) e Vera Lúcia (PCB) empatam em 0,7%.

Seguem-se os nomes de Felipe D+Ávila (Novo), com 0,4%, Eymael (DC) 0,3%, Sofia Manzano 0,2%, Luciano Bivar 0,1%. Leonardo Péricles não pontuou.

O Instituto Paraná Pesquisas entrevistou pessoalmente 1.820 eleitores de 77 municípios, entre os dias 27 e 30 de julho e registrou a pesquisa sob nº BR-03362/2022, para eventuais conferências e auditorias.

Veja os números para presidente no Estado de São Paulo:

Aqui, o comparativo com pesquisas anteriores:

Eleições 2022: restrições para agentes públicos começam a valer hoje

Medidas estão previstas na Lei das Eleições

Publicado em 02/07/2022 – 09:34 Por André Richter – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Foto: Abdias Pinheiro/SECOM/TSE

Ouça a matéria:

Restrições para servidores públicos e pré-candidatos às eleições de outubro passam a valer a partir de hoje (2), três meses antes do primeiro turno. 

As medidas estão previstas na Lei nº 9.504/1997, conhecida como Lei das Eleições, e objetivam manter o equilíbrio entre os candidatos.

Políticos estão proibidos de autorizar a veiculação de publicidade estatal sobre os atos de governo, realização de obras, campanhas de órgãos públicos federais, estaduais e municipais, exceto no caso de grave e urgente necessidade pública. Nesse caso, a veiculação deverá ser autorizada pela Justiça Eleitoral.

Eles também não podem fazer pronunciamento oficial em cadeia de rádio de televisão, salvo em casos de questões urgentes e relevantes, cuja autorização também dependerá de autorização da Justiça Eleitoral.

A participação em inaugurações de obras públicas também está vedada, além da contratação de shows artísticos com dinheiro público.

Durante o período eleitoral, funcionários públicos não podem ser contratados, demitidos ou transferidos até a posse dos eleitos.

No entanto, estão liberadas a exoneração e a nomeação de cargos em comissão e funções de confiança, além das nomeações de aprovados em concursos públicos homologados até 2 de julho de 2022.

Em julho, o calendário eleitoral também prevê outras datas importantes para o pleito.

De 20 de julho até 5 de agosto, os partidos deverão realizar suas convenções para escolher oficialmente os candidatos que vão disputar as eleições.

A partir do dia 20, candidatos, partidos políticos, coligações e federações terão direito à solicitação de direito de resposta por afirmações consideradas caluniosas, difamatórias ou sabidamente inverídicas que forem publicadas por veículos de comunicação social.

O primeiro turno será realizado no dia 2 de outubro, quando os eleitores vão às urnas para eleger o presidente da República, governadores, senadores, deputados federais, estaduais e distritais. Eventual segundo turno  para a disputa presidencial e aos governos estaduais será em 30 de outubro.

Edição: Maria Claudia

Após 16 anos de PSB no poder, pobreza em Pernambuco é o dobro da média nacional

VERGONHA NACIONAL

São 44% dos pernambucanos na pobreza; a média nacional é 23,2%

Ao final de 16 anos da dinastia de políticos do Partido Socialista Brasileiro (PSB), iniciada pelo falecido ex-governador Eduardo Campos e mantida até hoje com Paulo Câmara, o Estado de Pernambuco registra o maior percentual da população na pobreza de todos os tempos.

O ano de 2021 fechou com 44% dos pernambucanos na pobreza, totalizando 4,2 milhões de pessoas.

O percentual pernambucano de 44% da população na pobreza corresponde ao dobro da situação nacional. de 22,3%, de acordo com levantamento do Instituto Mobilidade e Desenvolvimento Social (IMDS), divulgado nesta fim de semana.

Governador Paulo Câmara (PSB): ele não sabe o que faz.

É a primeira vez que esse percentual ficou acima de 40% em Pernambuco, na série histórica. O recorde anterior foi de 38,2%, em 2012.

Em termos nacionais, segundo o IMDS, 47,3 milhões de brasileiros terminaram o ano passado na pobreza, o que corresponde a 22,3% da população, sendo o maior percentual em dez anos, levando-se em conta a renda das famílias, o número equivale.

No Nordeste, 5,5 milhões caíram na pobreza somente no ano passado, diz o IMDS, os nordestinos em situação de pobreza saltou para 22,8 milhões – cerca de 40% da população da região.

Pernambuco tinha a reputação de oferecer ao País quadros políticos de elevado nível, mas essa “fábrica de talentos” parece ter fechado as portas com a morte de Eduardo Campos. Aproveitando-se de sua memória, um bando de políticos inexpressivos, que jamais seriam eleitos pelos próprios méritos, se revezam no poder do governo estadual e da prefeitura municipal.

Da direita à esquerda, a capital Recife elegeu prefeitos que figuravam em todas as listas dos melhores do País, de Joaquim Francisco a João Paulo, passando por Jarbas Vasconcelos e vários outros. Desde que o PSB se apossou da prefeitura recifense, como ocorreu no governo estadual, a mediocridade e os escândalos de corrupção se estabeleceram.

contador free


Webtiva.com // webdesign da Bahia

agosto 2022
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia