WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Meio Ambiente’

NATURA NA ALÇA DE MIRA.

A NATURA, do empresário Guilherme Leal, envolvida em traquinagens.

Clique aqui, Isto É Confidencial

NOVO ORDENAMENTO NO ‘GUETO DO ATRASO’.

O ongueiro Rui Rocha, recebeu ordens de seu novo patrão,  para se afastar de pessoas que estão ‘desqualificando’ o debate.

A foto abaixo, explica muito bem este novo ordenamento.

Representatividade 'zero'. Eis os inimigos do desenvolvimento de Ilhéus.

REPORTAGEM BASTANTE INTERESSANTE.

Caros amigos

Os manguezais de Ilhéus passam por uma situação bem delicada, todos os dias constroem-se casas com banheiros afastados denominados “casinhas” (por não terem rede de esgotos) sem a menor higiene. Como não há coleta de lixo, o material descartado pela comunidade é todo jogado no manguezal, juntando, assim, com outros que são trazidos pelos rios de comunidades a montante. O lixo é transportado nas preamares e o que não consegue ser transportado fica acumulado, contribuindo com a degradação do manguezal.

Veja Mais em: IMPACTOS AMBIENTAIS DOS MANGUEZAIS DE ILHÉUS

http://pactoseimpactos.blogspot.com/2010/06/impactos-ambientais-dos-manguezais-de.html


Ed Ferreira

fotos.edferreira@gmail.com
fone:73 8822-1126

CACAU E CHOCOLATE.

Este rapaz, Rui Rocha é um engraçadinho. Sabem qual foi a solução encontrada por ele para o cacau e chocolate.

Plantar cacau em sitios e quintais, e secar as amendoas em folha de zinco.

Ele disse isso, na maior cara de pau, em um seminario promovido por segmentos da Igreja Católica, no auditorio da Justiça Federal em Ilhéus.

Ele não pode ser levado a sério.

AMBIENTALISTAS A SOLDO E POR CONVENIÊNCIA.

Tomo a liberdade de retransmitir o interessante texto abaixo.

Caros amigos,

Peço-lhes licença para uma pequena reflexão.

Outro dia, lendo um blog, chamou-me à atenção uma pergunta feita pelo blogueiro: “onde está o Greenpeace neste acidente da British Petroleum?”. Boa pergunta! Aí me acendeu um bocado de??????????????????? interrogações. Não antes, porém, lembrar-me do processo, quando do leilão de Belo Monte. Tínhamos contra (ou torcendo para dar errado), só que me lembro agora: O Globo, Rede Globo, Folha, Estadão, CBN e seus “analistas políticos” (Merval Pereira e Sonia Hipólito), os “econômicos” (Sardemberg e Mirian Leitão), os “apresentadores” (Heródoto Barbeiro e Adalberto Piotto) o “ecológico” Sergio Abranches, uma multidão de “ONGs” (inclusive estadunidense), uma multidão de ambientalistas/verdes, igrejas, atores hollywoodianos, enfim, uma multidão de gente.

Pois bem, a pergunta é: não só o Greenpeace, mas, onde estão todas essas pessoas? analistas, ambientalistas, verdes, religiosos, atores, neste que já pode ser considerado o maior desastre ecológico do mundo? Todo o golfo poderá ter sua fauna e flora marinha comprometida de forma irreversível. A grande imprensa, pelo menos no Brasil, trata o tema como se fosse uma informação corriqueira. Na época do debate sobre Belo Monte, dava um destaque ao projeto da usina, como se governo estivesse na eminência de cometer um genocídio.

Toda a mídia se refere à British Petroleum como BP, numa clara tentativa de escamotear quem efetivamente é e de onde vem a empresa responsável pela catástrofe. E como se não bastasse, entram no joguete midiático da Casa Branca, anunciando que o presidente Obama “quer saber em quem ele tem dar um chute no traseiro”, como se fosse resolver assim, um acidente que é devastador para a humanidade. Evidentemente trata-se de amenizar o problema, repercutindo-o com “humor”. O tal ecologista da CBN, Sergio Abranches, chega ao cúmulo de puxar o problema para o Brasil, quando insinua: “isso deve alertar aos brasileiros para a exploração e prospecção da Petrobrás no pré-sal”, ou seja, levantando problema onde não tem e relativizando o desastre. Total cinismo.

Não sou adepto da teoria da conspiração, mas quando paramos para refletir as ações e atitudes de determinado segmentos políticos e, sobretudo midiáticos, tem-se claramente o movimento da manobra. Esse caso da British Petroleum, se não houver um mínimo de coerência entre os que se proclamam defensores da natureza, perderam qualquer autoridade para manifestar-se no futuro. O tema está muito barato, para não dizer de graça, tanto para o governo dos EEUU, quanto para a empresa Britânica. Se encerrar assim, será ainda mais trágico e tal conferência para o clima, a realizar-se no (golfo) México, será uma grande farsa recheada de petróleo cru.

Abraço.

Amauri Barros.

DOIS PESOS E DUAS MEDIDAS.

Vazamento no Golfo do México: cadê o Greenpeace?

Rio, 1/jun/10 – “Mais óleo está vazando agora no Golfo do que em qualquer outro momento de nossa história. Este é sem dúvidas o maior desastre ambiental já enfrentado pelos Estados Unidos”, afirmou a desolada conselheira de energia da Casa Branca, Carol Browner, sobre o catastrófico vazamento de petróleo da plataforma Deepwater Horizon, operada pela British Petroleum (BP), no Golfo do México.

Um mês e meio após a explosão da plataforma, que causou a morte de 11 trabalhadores, cerca de 12 mil barris de petróleo jorram diariamente no oceano.

Em tal quadro, se avolumam as críticas, dentro e fora dos EUA, contra a atuação da BP e do próprio governo estadunidense. Dentre essas vozes, contudo, não se ouve uma das mais estridentes em casos parecidos: a do Greenpeace.

Por exemplo, em janeiro de 2000 houve um acidente com o oleoduto da Refinaria Duque de Caxias (Reduc) que ocasionou um lamentável vazamento de 1,2 milhão de litros de óleo na baía de Guanabara. Ato contínuo, o Greenpeace desencadeou uma intensa campanha internacional contra a Petrobras que chegou, mesmo, a afetar os papéis da estatal em Wall Street. Entre outras medidas, o Greenpeace e caterva exigiam a “remoção da Reduc daquela região” e o Ministério Público chegou ao extremo de anunciar a intenção de interditar o refinaria, alheio ao fato dela ser responsável, na época, pela produção de 80% dos lubrificantes e 100% do querosene de aviação consumidos no País, além de abastecer 700 mil residências com gás natural.

Uma das interpretações para essa postura infame de dois pesos e duas medidas da ONG é o “pedigree” das empresas envolvidas: de um lado, uma estatal de país em desenvolvimento; do outro, uma jóia da Coroa Britânica, uma das ex-Sete Irmãs que formataram a geopolítica do petróleo desde os primórdios da sua exploração. Outras interpretações nos remetem diretamente ao advento do próprio ambientalismo que se entrelaça com poderosas personalidades do Establishment britânico, onde a BP sempre ocupou posição de destaque. Seja como for, a pergunta que persiste na lambança da BP no Golfo do México é: cadê o Greenpeace?

Notas:

[1]Vazamento já é o pior desastre ambiental dos EUA, CarbonoBrasil, 31/05/2010

NEGÓCIOS INTERROMPIDOS.

Sempre afirmei e ontem foi confirmado, que não existe nada de meio ambiente nesta pendenga contra o Complexo Intermodal.

De fato o que existe, é que o litoral norte de Ilhéus, apesar de belo, era, e é uma área economicamente improdutiva, e que espertalhões estavam comprando terras ao preço da bacia das almas, e revendendo no exterior e a grandes empresários, para que fizessem dali o seu quintal, a sua área de lazer e de suas negociatas.

O Complexo Intermodal veio para reverter esta situação, transformar a área em produtiva e acabar com a Disneylândia tupiniquim.

Quando alguém toca no ponto nevrálgico da questão, como na postagem mais abaixo, ‘CLIENTES dos AMBIENTALISTAS’, aparecem os comentários ameaçadores, claro que não libero, mas os arquivo para no futuro, quem sabe?

Perguntas que não querem calar:

Aquele avião que caiu no mar cheio de gringos?

Vocês não acham que o assunto morreu rápido demais?

Um dos gringos era marginal internacional, procurado pela Interpol, está nos noticiários, e na Internet.

A tão falada mala, que um deles não se desgrudava, até o carregador para colocar no avião foi impedido. O que continha? Dolares, libras ou descongestionante nasal?

Tem gente com rabo de palha, e diz que este blog difama.

DEPUTADO, VAI PODER PLANTAR MACONHA TAMBÉM?

Reportagem – Luiz Claudio Pinheiro
Edição – Ralph Machado

Projeto libera uso de trilhas e prática esportiva em áreas privadas

Elton Bonfim

Dep. Gabeira, ambientalista do PV.

Tramita na Câmara o Projeto de Lei 7014/10, do deputado Fernando Gabeira (PV-RJ), que regula o trânsito por propriedades privadas para acesso a sítios naturais públicos. A proposta estabelece qúblico.ue é direito do cidadão o livre trânsito, em áreas particulares, por caminhos e trilhas que conduzam a locais de grande beleza e interesse para a visitação pública.

Segundo o deputado, entidades de montanhistas colaboraram na elaboração do projeto, após constatarem a proibição de acesso a cumes de montanhas no Estado do Rio de Janeiro. “É evidente que o problema demanda urgente regulamentação”, disse Gabeira.

Arbitragem
O projeto assegura a participação dos proprietários e de associações de esportistas na definição dos caminhos, que terá de ser feita por órgão ambiental – a quem caberá, ainda, arbitrar eventuais conflitos. A proposta também cria regras para respeito aos ecossistemas e para a prática de atividades esportivas em unidades de conservação federais, estaduais e municipais.

Gabeira afirma que a prática de andar em trilhas tem valor cultural e esportivo e pode contribuir para estimular o desenvolvimento sustentável. Ele argumenta que a apropriação privada de áreas naturais acaba impedindo o acesso a sítios naturais de interesse público.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, será examinado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Íntegra da proposta:


Senhor SARRAFO:

Como ficam os terrenos dos CLIENTES dos AMBIENTALISTAS no norte de Ilhéus.

São dezenas de quilometros de praias, sem que o pobre e nativo tenha acesso às calientes águas salgadas.

Bolão das Bicicletas

A POPULAÇÃO ACORDOU TARDE DEMAIS.

http://www.youtube.com/watch?v=0l36c0eQSQA

jorgepnogueira — 20 de agosto de 2007 — REVOLTA POPULAR PELA CRIAÇÃO DA RESEX EM CANAVIEIRAS NA BAHIA. O POVO SAIU AS RUAS PARA PROTESTAR, CONTRA A TRAIÇÃO AO SEU PROGRESSO E DESENVOLVIMENTO, DENUNCIANDO O PROCESSO FRAUDULENTO DE SUA CRIAÇÃO.

SEMANA DO MEIO AMBIENTE EM ILHÉUS.

Bamin realiza ações de Preservação e conscientização durante Semana do Meio Ambiente em Ilhéus

A comunidade local e empregados da empresa participam de atividades gratuitas, lúdicas e sócio-educativas.

A Semana do Meio Ambiente, em Ilhéus, está com uma vasta programação preparada pela Bahia Mineração (Bamin), especialmente para a comunidade local e os empregados da empresa. Até o dia 2 de junho, quarta-feira, um estande ecológico funcionará na Praça da Prefeitura, em frente à Câmara de Vereadores, das 8h às 18h. Nesse espaço, os visitantes poderão: trocar garrafas PET por mudas de plantas nativas da região, participar da preparação de sementes da vida; conhecer um pouco mais sobre a empresa e seus projetos sócio-ambientais, além de conferir a exposição de artesanato com materiais recicláveis, frutas desidratadas e doces em compota, em calda e geléias dos grupos produtivos do Projeto Transformar.

Dia do Meio Ambiente – As atividades não param por aí. No Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de junho, a partir das 10h da manhã, os empregados da Bamin, a comunidade ilheense e as famílias que integram os projetos sociais da empresa participarão, gratuitamente, de diversas ações na Lagoa Encantada, de cunho lúdico e sócio – educativo. Entre elas: uma grande ação de Plantio de Mudas; o Mutirão de Limpeza da Lagoa; a Oficina de Artesanato com material reciclável; Trilhas Ecológicas com coleta de lixo, que será trocado por brindes; colocação de lixeiras decorativas, dentre outras.

Educação ambiental – Através de recreação sócio-educativa e brincadeiras, as crianças também serão sensibilizadas para a formação da cidadania ambiental. Como parte da programação do Dia do Meio Ambiente na Lagoa Encantada está prevista uma mini gincana com o tema ambiental, pinturas em cartazes de plantas e animais, escultura de bolas em forma de animais, confecção de brinquedos com garrafas PET, além de animação com dança e música que falem do meio ambiente. Toda a programação foi montada pela Bamin depois de conversas com as lideranças da Lagoa Encantada e com o conhecimento da Secretaria de Meio Ambiente do município e do estado.

contador free


Webtiva.com // webdesign da Bahia

julho 2022
D S T Q Q S S
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia