WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Atualidades’

TSE fez excursão a Paris para ver… votos de papel

COLUNA CH / 19 DE JULHO

19/07/2022 0:00 | Atualizado 18/07/2022 23:30

Sede do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Uma comitiva do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi enviada a Paris a fim de “observar” eleições que curiosamente de utilizam de votos em células de papel. A expedição brasileira ocorreu em abril. E os números dos gastos impressionam: o ministro Sérgio Banhos, que integra o TSE na cota dos advogados, recebeu R$24.526,44 em diárias para o intenso “sacrifício” de acompanhar as eleições francesas entre 19 e 25 de abril.

Sozinho não dá

Banhos levou mais dois assessores na extenuante tarefa de “observar” a eleição com voto de papel, no país presidido por Emmanuel Macron.

Que beleza…

Para sete dias na Cidade Luz, o assessor José Gilberto Scandiucici Filho recebeu R$18.966,32 e Laura Adjuto outros R$19 mil em diárias.

Caras passagens

Incluam-se nessa excursão a Paris os gastos com passagens, estimados em R$10 mil, por conta do pagador e impostos feito de otário.

Papel, só francês

A ironia, no passeio, é que o TSE tem deplorado qualquer discussão sobre impressão dos votos. Questionado, o TSE não se manifestou.

Luiza Helena Trajano. Foto: Divulgação World Economic Forum/Benedikt von Loebell/Arquivo

Magalu perdeu 90% do seu valor em 18 meses

Após o apelo da presidente da empresa, Luiza Trajano, manchetes amigas previam “disparada” no valor das ações da Magazine Luiza. Era só torcida. A empresa já perdeu 90% do valor acumulado na pandemia: em novembro de 2020, ação da Magalu foi cotada a R$27,34, mas, mesmo após o apelo dramático, fechou ontem a R$2,77. O declínio fez lembrar o sincero Luiz Barsi, maior investidor da bolsa: “A Magazine Luiza vai quebrar; não sei quando, mas vai quebrar”, afirmou em junho.

Situação é séria

A dona da Magalu foi às redes sociais pedir para os clientes irem “o mais rápido possível” às suas lojas. “Por favor”, suplicou a bilionária.

Tendência de queda

Na abertura do mercado, a ação da Magalu valia R$2,84. Após Trajano virar um dos assuntos dia, foi a R$3,04, mas fechou abaixo da abertura.

Pendurada na brocha

Se a aversão a Bolsonaro afastou bolsonaristas lojas, petistas tampouco foram solidários. Eles não gostam de ricaços, mesmo aliados.

Poder sem Pudor

Vaias inesquecíveis

No final dos anos 1970, Paulo Maluf chegou acompanhado de Cláudio Lembo, candidato da Arena a senador, a uma festa no ginásio Ibirapuera, em São Paulo. Foram recebidos com uma vaia inesquecível, totalmente dedicada a Maluf. No dia seguinte, ele ligou para o organizador da festa: “Que vaia, hein?”. “Pois é, doutor Paulo, queria pedir desculpas. A gente não esperava…”. “Não se incomode com isso”, cortou Maluf, “esse Lembo não tem mesmo prestígio nenhum. Se eu soubesse que era ruim de povo, não iria com ele”.

Censura extrapola

O ex-vice Hamilton Mourão lamentou o bloqueio de posts sobre ligação PT-PCC, denunciada em delação à Polícia Federal: “lamentavelmente, o STF extrapola seus poderes e se posiciona de forma política”.

Ibaneis na liderança

Pesquisa do instituto Ideia, divulgada ontem no Distrito Federal, aponta a liderança do governador Ibaneis Rocha (MDB), candidato à reeleição. No cenário estimulado, ele soma 29,1 contra 22,2% de José Roberto Arruda.

Redução de preços ameaçada

O ministro Gilmar Mendes criou comissão a fim de buscar um “acordo” sobre redução de ICMS sobre combustíveis. Curioso. Espera-se dos ministros do STF zelo pelo cumprimento das emendas constitucionais e das leis ordinárias que já vigoram. E derrubaram o valor nas bombas.

Isenção no saco

Estende-se a servidores do Supremo e do TSE a exasperação percebida nas decisões e nas declarações políticas de ministros contra o atual presidente da República. Estão todos muito exaltados.

Frase do dia

Somos fundamentais na segurança alimentar mundial

Senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) sobre o recorde nas exportações agrícolas do Brasil

Só um exemplo

No encontro com embaixadores, o presidente Bolsonaro voltou a tratar do caso do hacker que invadiu o sistema do Tribunal Superior Eleitoral e “viveu” por 8 meses sem se detectado nos computadores da Corte.

Cada um com a sua

No mesmo dia em que o presidente reuniu a comunidade internacional para “apresentar ideias sobre o processo eleitoral”, como disse a Secom, o TSE voltou a afirmar que “nenhum” ataque hackeou as urnas.

Falta pouco

O registro das candidaturas pode começar a ser realizado a partir de amanhã (20), mas vão até 15 de agosto. A campanha eleitoral deste ano deve bater recorde com cerca de 33 mil candidatos.

Só conhece a teoria

Ex-família real britânica e atual celebridade-para-toda-obra, o príncipe Harry vai à sede das Nações Unidas, em Nova York, para dar uma lição aos diplomatas sobre “mudança climática” e… pobreza. Cada uma.

Pergunta no timing

Então, é para “ficar em casa” ou ir para as lojas “o mais rápido possível”, como pede Luiza Trajano?

Nova pesquisa reafirma liderança de Zema contra Kalil, em Minas: 45,7% a 27,4%

PARANÁ PESQUISAS

Carlos Viana (PL) está em 3º e Vanessa Portugal Barbosa (PSTU) em 4º

Romeu Zema, governador do Estado de Minas Gerais – Foto: Gil Leonardi.

A liderança de Romeu Zema (Novo) foi reconfirmada pela nova rodada do Instituto Paraná Pesquisas na disputa pelo cargo de governador de Minas Gerais, no próximo mês de outubro.

De acordo com a pesquisa, Zema acumula 45,7% das intenções de voto dos mineiros, contra 27,4% de Alexandre Kalil (PSD). O atual governador Romeu Zema tem o apoio do presidente Jair Bolsonaro e Kalil se aliou ao petista Lula.

O jornalista Carlos Viana (PL) está em terceiro lugar, com 6,4%, seguido de Vanessa Portugal Barbosa (PSTU), que soma 1,8%. Os demais candidatos não chegam a alcançar 1%.

No cenário espontâneo, quando o eleitor declina o nome do candidato em quem pretende votar, a liderança de Zema é materializada com 19,6% das referências, enquanto Kalil tem 9,4%.

O Paraná Pesquisas entrevistou 1.640 eleitores em 80 municípios, entre os dias 9 e 14 de julho,, e registrou o levantamento no TSE sob nº 23600/2022.

Veja a pesquisa para governador de Minas Gerais:

UMA ILHÉUS SURREAL

Mesmo sem uma biblioteca, a Secretária de Educação e séquito, passeiam em São Paulo na Bienal do Livro. (clique aqui)

A ex-biblioteca, hoje abandonada e quase em ruinas.

 

TCM condena Marão, prefeito de Ilhéus

07 Julho 2022

TCM condena Marão, prefeito de Ilhéus

 

O Tribunal de Contas dos Municípios condenou o prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre Souza, e a pregoeira Bruna Vieira Rodrigues. A razão foi o calote dado em contratos firmados em 2018 para a compra de aparelhos de ar-condicionado junto à empresa Ventisol da Amazônia.

O contrato somava R$ 247.725, referente a três lotes vencidos pela empresa no Pregão Presencial nº 11 de 2018. Porém, a prefeitura só comprovou o pagamento de R$ 28.575, espalhados por três anos. O relator Nelson Pellegrino multou os dois em R$ 2 mil e enviou representação ao Ministério Público Estadual, para abertura de ação.

Mário Aelxandre pode responder por improbidade administrativa, não só pelo calote, como pelos juros e multas que o atraso nos pagamentos vai gerar. Para Pellegrino, está provado que o Município não pagou a maior parte do contrato, mesmo tendo recebido todos os aparelhos no prazo acertado.

O procurador Danilo Diamantino, do Ministério Público de Contas, também se pronunciou a favor da condenação de Marão, com aplicação de multa e a devolução de todos os valores de juros e multas, com recursos próprios e atualização monetária até a data da condenação. Ainda cabe recurso.

Empresas reduzem embalagens e qualidade para repassar custos

Alerta é de economista do Instituto de Defesa do Consumidor

Publicado em 26/06/2022 – 13:40 Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil – São Paulo

(Arquivo/Reuters/Sergio Moraes/Direitos Reservados)

Audiodescrição:

Cada vez mais empresas estão recorrendo à redução do tamanho das embalagens e à mudança na composição dos produtos para repassar o aumento de custos ao consumidor final, observa o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec).

Segundo a coordenadora do Programa de Serviços Financeiros da organização não governamental, Ione Amorim, no passado casos do tipo já eram registrados, no entanto, a alta da inflação no Brasil nos últimos dois anos têm levado a cada vez mais empresas, de diversos setores, a adotar esse tipo de prática. “Hoje, a forma como isso vem sendo feita ganhou uma dimensão muito maior”, enfatizou.

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acumulava, em maio, taxa de 11,73% em 12 meses. De maio de 2020 a maio deste ano, a inflação medida pelo índice chega a 20,27%.

Reduflação

O amplo uso da redução de embalagens e diminuição das quantidades normalmente vendidas levou ao uso do termo reduflação para se referir à prática. A quantidade ou qualidade de produto é menor, mas o preço não é reduzido ou não é reduzido na mesma proporção da diminuição da embalagem. Assim, a empresa tenta evitar o desgaste do aumento direto de preços.

Ione lembra que uma portaria da Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor regulamenta alterações no tamanho e quantidade de produtos vendidos nas embalagens, definindo que as mudanças devem ser informadas em destaque nos rótulos por 180 dias.

Porém, segundo a economista, as empresas têm usado estratégias que apostam na desatenção do consumidor. “Para driblar o cumprimento dessa portaria, as empresas estão lançando embalagens paralelas”, denuncia.

Ou seja, o mesmo produto é vendido em duas embalagens muito parecidas, mas, em uma delas, com menos quantidade do que o original. “Embalagens de azeite que, tradicionalmente, são engarrafados em vidros de 500 ml [mililitros], hoje você já vê alguns de 400 ml. Então, tem que ficar atento na hora de pegar a embalagem, porque elas são muito parecidas”, alerta.

Para ajudar os consumidores a compararem os preços, a economista recomenda consultar o preço por unidade de medida: litro, quilo ou metro. “O Código de Defesa do Consumidor, no artigo 6º, exige que o preço por unidade de medida quilo, litro ou metro seja colocado nas prateleiras para que o consumidor consiga fazer a relação entre as diversas embalagens do produto que é oferecida”, explica.

Ione alerta que há empresas que estão mudando a composição dos produtos. De acordo com a economista, a medida vem sendo adotada por diversos fabricantes que reduzem o percentual de matérias-primas, trocando por compostos ultraprocessados. Segundo Ione, alterações do tipo já foram feitas por marcas de suco, que deixam de ter o percentual mínimo de fruta para virar néctar, chocolate, que reduzem a quantidade necessária de cacau, e de leite condensado, que deixam de ter leite na composição. “Esse produto, além de ter alteração na sua composição, também passa por essa redução de custo, porque o produto foi piorado e manteve o preço”, destaca a economista.

Edição: Fernando Fraga

Após 16 anos de PSB no poder, pobreza em Pernambuco é o dobro da média nacional

VERGONHA NACIONAL

São 44% dos pernambucanos na pobreza; a média nacional é 23,2%

Ao final de 16 anos da dinastia de políticos do Partido Socialista Brasileiro (PSB), iniciada pelo falecido ex-governador Eduardo Campos e mantida até hoje com Paulo Câmara, o Estado de Pernambuco registra o maior percentual da população na pobreza de todos os tempos.

O ano de 2021 fechou com 44% dos pernambucanos na pobreza, totalizando 4,2 milhões de pessoas.

O percentual pernambucano de 44% da população na pobreza corresponde ao dobro da situação nacional. de 22,3%, de acordo com levantamento do Instituto Mobilidade e Desenvolvimento Social (IMDS), divulgado nesta fim de semana.

Governador Paulo Câmara (PSB): ele não sabe o que faz.

É a primeira vez que esse percentual ficou acima de 40% em Pernambuco, na série histórica. O recorde anterior foi de 38,2%, em 2012.

Em termos nacionais, segundo o IMDS, 47,3 milhões de brasileiros terminaram o ano passado na pobreza, o que corresponde a 22,3% da população, sendo o maior percentual em dez anos, levando-se em conta a renda das famílias, o número equivale.

No Nordeste, 5,5 milhões caíram na pobreza somente no ano passado, diz o IMDS, os nordestinos em situação de pobreza saltou para 22,8 milhões – cerca de 40% da população da região.

Pernambuco tinha a reputação de oferecer ao País quadros políticos de elevado nível, mas essa “fábrica de talentos” parece ter fechado as portas com a morte de Eduardo Campos. Aproveitando-se de sua memória, um bando de políticos inexpressivos, que jamais seriam eleitos pelos próprios méritos, se revezam no poder do governo estadual e da prefeitura municipal.

Da direita à esquerda, a capital Recife elegeu prefeitos que figuravam em todas as listas dos melhores do País, de Joaquim Francisco a João Paulo, passando por Jarbas Vasconcelos e vários outros. Desde que o PSB se apossou da prefeitura recifense, como ocorreu no governo estadual, a mediocridade e os escândalos de corrupção se estabeleceram.

Segunda ponte entre Brasil e Paraguai tem 84% da obra concluída

Presidentes dos dois países visitaram construção em Foz do Iguaçu

Publicado em 03/06/2022 – 17:49 Por Pedro Rafael Vilela – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Obras da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, em Foz do Iguaçu (PR). (TV Brasil)

A segunda ponte entre Brasil e Paraguai, a Ponte da Integração, está com 84% da obra concluída e deverá ser inaugurada nos próximos meses. Nesta sexta-feira (3), os presidentes dos dois países, Jair Bolsonaro e Mário Abdo Benítez, participaram de uma cerimônia de visita ao empreendimento, em Foz do Iguaçu (PR).

A ponte está sendo construída desde 2019, em uma parceria entre a Itaipu Binacional, comandada por Brasil e Paraguai, e o governo do estado do Paraná. Todo o investimento, cerca de R$ 320 milhões, está sendo bancado pela empresa de energia, e a obra está sendo executada pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR). Ela ligará Foz do Iguaçu à paraguaia Presidente Franco, terá 760 metros de comprimento e um vão livre de 470 metros, o maior da América Latina. Serão duas pistas simples com 3,6 metros de largura, acostamento de três metros e calçada de 1,7 metro nas laterais.

Brasil e Paraguai já são ligados pela Ponte da Amizade, entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, inaugurada em 1965. Ela segue sendo é o principal corredor logístico entre Brasil e Paraguai, mas há anos está sobrecarregada. Além da circulação de pessoas entre Foz e Cidade del Este, a ponte concentra o trânsito de caminhões. Com a nova ligação, a Ponte da Amizade ficará exclusiva para veículos leves e ônibus de turismo, enquanto a Ponte da Integração receberá o transporte de carga. Ao final da obra, ela será administrada pelo governo do Paraná.

“Essa obra tem 80% de avanço e falta 100 metros para unir de novo em outra obra que gera integração entre nossos povos”, festejou o presidente paraguaio, Mário Abdo Benítez. Ele lembrou ainda da construção de uma terceira ponte ligando os dois países, desta vez entre Carmelo Peralta, no Paraguai, e Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul. Essa obra também tem parte de sua execução financiada pela Itaipu Binacional.

Em sua fala, o presidente Jair Bolsonaro destacou o papel da Itaipu na realização de diversas obras. “Mais do que uma geradora de energia renovável, é uma empresa que toca obras”, disse. Ele exemplificou o financiamento da extensão da pista do Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu, em grande parte bancado também por Itaipu, e que promete ampliar a oferta de voos internacionais com destino à região.

Agenda

Mais cedo, ainda no Paraná, o presidente Jair Bolsonaro visitou um trecho da BR-487, a Estrada Boiadeira, em Umuarama, que passa por uma obra de restauração, implantação e pavimentação, com investimentos de R$ 232,8 milhões.

O presidente retorna à capital federal no início da noite.

Edição: Fernando Fraga

Serviços presenciais puxam crescimento da economia no 1º trimestre

PIB registrou crescimento de 1% no período 

Publicado em 02/06/2022 – 10:47 Por Vitor Abdala – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

Rio de Janeiro – Salão de beleza na Tijuca funciona em reabertura antecipada do comércio de rua pela Prefeitura, com flexibilização das medidas de isolamento social pela pandemia do novo coronavírus (covid-19). (Fernando Frazão/Agência Brasil)

O crescimento de 1% no setor de serviços foi o principal responsável pelo avanço da economia do país, na passagem do último trimestre de 2021 para o primeiro deste ano. O Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, teve crescimento de 1% no período.

De acordo com dados divulgados hoje (2) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), um dos destaques foi o segmento de outros serviços, que inclui trabalhos presenciais prestados às famílias, como alojamento e alimentação, e que cresceu 2,2%.

Outro destaque entre os serviços foi o grupo transporte, armazenagem e correio, que cresceu 2,1%. Já o comércio avançou 1,6%.

Segundo o IBGE, o crescimento tem relação com a flexibilização das medidas de isolamento adotadas devido à pandemia de covid-19. “O avanço se deu basicamente pelo aumento da demanda por serviços, principalmente os presenciais voltados para as famílias”, disse a pesquisadora do IBGE Rebeca Palis.

Ela destaca que serviços relacionados a viagens também cresceram. “O transporte aéreo de passageiros cresceu bastante. Nos serviços também têm alojamento e alimentação. Além da flexibilização, cresceu a própria demanda da população. Diminuiu o receio do consumo desses serviços”.

O PIB brasileiro está 1,6% acima do quarto trimestre de 2019, ou seja, último trimestre antes da pandemia. Apesar disso, ainda se encontra 1,7% abaixo do patamar recorde da economia brasileira no primeiro trimestre de 2014.

“A gente mais do que superou a retração que houve com a pandemia, mas ainda não recuperou o patamar pré-crise de 2015/2016”, afirmou Rebeca.

A indústria, por sua vez, manteve certa estabilidade, ao variar apenas 0,1%. Alguns segmentos apresentaram alta, como eletricidade e gás, água, esgoto e gestão de resíduos (6,6%) e indústria da transformação (1,4%). A indústria da transformação, no entanto, freou o desempenho do setor industrial, com queda de 3,4%.

A agropecuária, por outro lado, teve resultado negativo, ao cair 0,9%. Segundo o IBGE, a queda foi influenciada principalmente pela estiagem no Sul do país, que provocou perdas na estimativa de produção da soja, maior lavoura brasileira.

Despesas

Quanto às despesas, o crescimento foi puxado por dois componentes: o consumo das famílias, que avançou 0,7%, e as exportações, que subiram 5% no primeiro trimestre.

A formação bruta de capital fixo, que mede os investimentos, teve queda de 3,5% no período, relacionada à diminuição na produção e importação de bens de capital.

Edição: Graça Adjuto

ILHÉUS A BEIRA DO CAOS!

Nada funciona.

Se no centro da cidade está assim, imaginem os bairros e distritos?

Paciência…

OS ALQUIMISTAS ESTÃO CHEGANDO

contador free


Webtiva.com // webdesign da Bahia

agosto 2022
D S T Q Q S S
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia