Levantamento realizado por uma equipe de pesquisadores da Universidade Estadual de Santa Cruz faz uma “radiografia” da estrutura turística do município

 A equipe de pesquisadores que realiza o Inventário Turístico e a Análise da Sustentabilidade Local de Ilhéus iniciou nesta semana o trabalho de pesquisa na zona sul do município. Hotéis, pousadas, restaurantes e outros serviços relevantes para o turismo estão sendo avaliados para se elaborar um diagnóstico preciso do setor e apontar caminhos para fortalecer a atividade e ampliar seu retorno social.

O Inventário Turístico começou a ser realizado no centro de Ilhéus, seguiu para a zona norte e agora chega ao sul do município, onde se destacam as praias à margem da BA-001, a estância hidromineral de Olivença e o histórico distrito de Rio do Engenho. “Toda a estrutura existente nessa região, inclusive a que se relaciona aos serviços públicos e às vias de acesso, farão parte do inventário, que também será um instrumento fundamental para nortear ações e melhorias a cargo do poder público”, explica o professor Gustavo da Cruz, um dos coordenadores da pesquisa.

A partir desta semana, os pesquisadores farão visitas a Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPN), como a Mãe da Mata, nas terras do antigo engenho de Sant’Anna. No século XVII, a área pertenceu a Mem de Sá, o terceiro governador-geral do Brasil, o que lhe confere grande valor histórico, além das riquezas naturais. “Esse mapeamento servirá para que nosso turismo entre em uma nova fase, mais organizada e com possibilidade de melhor aproveitar seu potencial”, afirma o secretário de Turismo de Ilhéus, Paulo Moreira.

O professor Gustavo da Cruz destaca a boa receptividade que a equipe de pesquisadores vem tendo na cidade. Segundo ele, “a maioria dos empresários do setor entende que o caminho para melhorar o desempenho do turismo exige informações corretas e precisas, ou seja, antes de tudo é necessário que Ilhéus se conheça, saiba o que tem e o que precisa fazer para melhorar”.

Gerente de pousada no litoral norte de Ilhéus, Márcia Olinda Borja diz que está há dez anos no setor e lamenta que, nesse período, o turismo na cidade não tenha progredido. “É necessário um planejamento para que Ilhéus tenha movimento na alta e na baixa estação, o que hoje não existe”, afirma. Para ela, o fundamental é que, a partir do inventário, sejam adotadas as medidas adequadas a melhorar o desempenho do setor.

O Inventário Turístico é fruto de uma parceria entre a Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc) e a Bahia Mineração (Bamin). O levantamento segue padrão do Ministério do Turismo e qualifica o município para captar recursos e tornar-se apto a atender à demanda turística de grandes eventos, a exemplo da Copa do Mundo e das Olimpíadas, que serão realizados no Brasil em 2014 e 2016.