Trata-se de uma “violação estatutária” ou… um “engano monumental”?

Clique aqui e responda.