WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa



O GALÃ DA NOVA PONTE ILHÉUS-PONTAL

Está parecendo que o Prefeito Mário Alexandre lança a pré-candidatura do 55, ou estou enganado?

O Governador Rui Costa sabe dessa presepada, feita com obra do Governo do Estado?

O Prefeito espertinho…

DIÁRIO OFICIAL – EDIÇÃO 98 DE 11 DE MAIO DE 2020

Registros

Registros encontrados: 1331

  • dição Nº 98

    11/Maio/2020

    Diário Oficial

    Data: 11/05/2020Hora: 20:50

    Decreto(s) s/n de exoneração(ões)/nomeação(ões) de servidor(es) público(s) do Município de Ilhéus/BA

    Portaria(s) s/n de exoneração(ões) e designação(ões) de função gratificada a servidor(es) público(s) do Município de Ilhéus/BA

    Extrato ao 4º Termo aditivo ao Contrato n° 042/2019 – Dispensa de Licitação n° 006/2019 do Município de Ilhéus/BA

    Notificação n. 01/2020: A EMPRESA BAIANA DE ÁGUAS E SANEAMENTO

    Notificação n. 02/2020: A EMPRESA BAIANA DE ÁGUAS E SANEAMENTO

    Notificação n. 03/2020: A EMPRESA BAIANA DE ÁGUAS E SANEAMENTO

    Notificação n. 04/2020: A EMPRESA BAIANA DE ÁGUAS E SANEAMENTO

    Notificação n. 05/2020: A EMPRESA BAIANA DE ÁGUAS E SANEAMENTO

    Ratificação, Adjudicação e Homologação da dispensa de licitação n. 024/2020 do Fundo de Saúde do Município de Ilhéus/BA

    Ratificação, Adjudicação e Homologação da dispensa de licitação n. 026/2020 do Fundo de Saúde do Município de Ilhéus/BA

    Tamanho: 4.372MB

    Visualizar arquivo

Aposta na queda de Bolsonaro vira pó, após depoimento de Valeixo na PF

Ex-diretor desmentiu Moro e disse que em nenhum momento houve interferência do presidente

Após seis horas de depoimento do ex-diretor-geral da Polícia Federal, foi reduzida a pó a aposta de parte do Congresso e de parte da imprensa brasileira na queda do atual governo. Em depoimento, o delegado Maurício Valeixo desmentiu o ex-ministro Sérgio Moro ao garantir que “em nenhum momento” houve interferência ou tentativas de interferência do presidente Jair Bolsonaro na corporação que dirigiu até abril. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Valeixo contou à PF que ficou sabendo da demissão em telefonema de Bolsonaro e não pelo Diário Oficial, como diz Moro.

Valeixo desfez a fantasia de que o governo inventou sua demissão “a pedido”. Ele contou haver concordado com essa forma de exoneração.

Notícias Relacionadas

Maurício Valeixo disse também que Bolsonaro “nunca tratou diretamente com ele sobre troca de superintendentes”.

Amigos de Valeixo estão preocupados: por não haver confirmado os “crimes” de Bolsonaro, sofrerá ampla campanha de desqualificação.

ILUDIDO É PIOR DO QUE DOIDO.

Li a frase em algum lugar, achei-a pertinente e atual.

Muita gente iludida com o manancial de partidos políticos no Brasil.

Parece que a lição da eleição de 2018 não foi aprendida. O eleitor não está nem aí para eles.

Se houver eleições municipais, outra lição será dada.

E finalmente em 2022, com certeza, uma nova configuração partidária surgirá.

É o que se desenha politicamente, pois o eleitor está votando nos candidatos…

NAS COMEMORAÇÕES JUSTAS DE UMA VITÓRIA ELEITORAL

Quando eleito Prefeito de Ilhéus, o vitorioso Mario Alexandre, externava para todos os presentes, os seus desejos no mandato ora conquistado:

Só desejava um mandato;

Desejava reeleger sua mãe, a Deputada Estadual Ângela Souza;

E realizar uma boa gestão, para marcar a sua passagem no Executivo ilheense.

Parece que vai ficar só no desejo…

Imagem ilustrativa colhida no Google.

Bolsonaro governa com ‘entulho’ dos tempos de PT, FHC e até de Geisel

Sem quadros qualificados, gestão foi mantendo os que ocupavam os cargos em várias áreas

Apesar da “guerra” à esquerda, o governo de Jair Bolsonaro mantém em postos importantes, de segundo e terceiro escalões, figuras nomeadas nos governos do PT de Dilma e até de Lula, além dos que se fingem de mortos em seus cargos desde o governo de FHC e até Michel Temer. Regina Duarte revelou esta semana que encontrou na sua secretaria de Cultura assessores ocupando os mesmos cargos desde Ernesto Geisel. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Há um levantamento da Secretaria de Governo indicando dezenas de cargos nas mãos de partidos de oposição, como o PT, PDT e PSDB.

Na hora de fechar acordo envolvendo cargos no governo Bolsonaro, o “centrão” vai descobrir que já ocupa muitos deles e nem sabia.

Notícias Relacionadas

Líderes admitem que vários dos egressos dos governos de Dilma, Lula e Temer colaboram com o atual governo, mas muitos o sabotam.

O problema é que o governo assumiu sem quadros qualificados para tocar a gestão e foi mantendo os que ocupavam cargos de confiança.

Brasil de muitos rios e pouca política hidroviária

O primeiro canal artificial para a navegação fluvial conhecido é o Grande Canal da China construído no século VI. Na Europa o canal “Naviglio Grande ligou Milão ao Mar Adriático no século XI e na Alemanha o canal de Stecknitz em 1398.

Apesar de o Brasil, por suas dimensões territoriais, ser “uma Europa” encaixada na América do Sul e também o país com maior disponibilidade de água doce da região, com seus vários sistemas fluviais ou bacias hidrográficas, não utiliza todo o potencial de rios e lagos para o transporte de carga. Ainda que as rodovias tenham possibilitado acesso e mobilidade a todo o território nacional, faltam políticas competentes à navegação interior.

Imagem do Jornal da USP

Artigo | Sílvio dos Santos
As cidades e seus rios: pelo resgate da riqueza fluvial

O engenheiro e professor Sílvio dos Santos, em As cidades e seus rios: pelo resgate da riqueza fluvial, um artigo robusto, objetivo e com estética, aborda a importância das cidades terem seus rios como aliados importantes para o abastecimento. Assim, produtos são distribuídos e pessoas são transportadas como fator de desenvolvimento econômico e social. É o que propõe o projeto do Hidroanel Metropolitano de São Paulo, uma rede de vias navegáveis composta pelos rios Tietê e Pinheiros, represas Billings e Taiaçupeba, além de um canal artificial ligando essas represas, totalizando 170km de hidrovias urbanas.

Da Redação
Hidrovias do Brasil registra crescimento

Diferente do que ocorre na Europa, e em outros países também comparáveis a sua extensão, como Estados Unidos, Rússia e China, o Brasil não utiliza todo o potencial de seus sistemas fluviais para aumentar a sua capacidade de transporte e baratear o custo final do produto. O sistema fluvial brasileiro explorado hoje para transportar carga tem extensão aproximada de 22 mil quilômetros, dos quais 80% estão na região Amazônica.

Editorial 
Ação e gestão para ter hidrovias no Brasil

O Sistema Nacional de Viação (SNV), constituído pela infraestrutura física e operacional dos vários modos de transportes, já propôs ao Congresso Nacional uma ampliação da rede fluvial nacional para atingir cerca de 62 mil quilômetros com potencial de exploração comercial. Como é fácil perceber, não é por falta de proposta viável. Ante esse impasse, cabe à Universidade o elevado papel de oferecer a visão necessária e um caminho para a sociedade.

Leia também 
Hidrovias para fluir o comércio do Brasil

Compete ao Ministério da Infraestrutura implantar as políticas de transporte. Não faltam planos nem rios para implementar um sistema fluvial compatível com a extensão do território e a necessidade do Brasil. Está posto o debate para esclarecer o que dificulta a construção de hidrovias, tão cruciais na geração de trabalho.

Autópsias de Bergamo: O problema principal não era o coronavírus

Di Cesare Sacchetti

A verdade sobre o que realmente aconteceu em Bergamo no mês passado começa a emergir. O Dr. Giampaolo Palma, cardiologista com muitos anos de experiência e atualmente operando em um centro especializado em doenças cardiovasculares em Salerno, explicou cuidadosamente quais seriam as verdadeiras causas de morte para pacientes positivos da Covid.

A anomalia de mortes registradas na área de Bergamo não teria sido a conseqüência direta de uma pneumonia intersticial, mas o resultado de microtrombose venosa.

Depois de realizar várias autópsias em 50 cadáveres no hospital Papa Giovanni XXIII em Bergamo e outras 20 realizadas no Sacco em Milão, a comunidade médico-científica parece ter chegado a essa conclusão que muda completamente a narrativa que foi feita até agora.

Basicamente, os pacientes que morreram após uma infecção pelo Covid-19, excluindo outras doenças graves, sofreram as consequências dos primeiros diagnósticos errados.

O coronavírus não ataca os pulmões primeiro, mas afeta principalmente os vasos sanguíneos, impedindo o fluxo regular de sangue.

Seria, portanto, uma doença inflamatória vascular sistêmica.

É o próprio Dr. Palma quem explica como o vírus ataca o corpo de uma pessoa.

“Senhores, o Covid-19 danifica primeiramente os vasos, o sistema cardiovascular e, só então, atinge os pulmões! É a microtrombose venosa, não a pneumonia que determina a fatalidade!”

Se, portanto, o Covid afeta principalmente os vasos e o sistema circulatório, a dedução natural a seguir é que, substancialmente, é praticamente inútil ventilar artificialmente o paciente, se não até mesmo prejudicial, uma vez que os pulmões não recebem sangue suficiente.

“Se você ventila um pulmão onde o sangue não chega, é inútil! De fato, 9 em cada 10 pacientes morrem.”

Respiradores artificiais pioraram as coisas

O ponto da ventilação artificial é simplesmente fundamental. Toda a emergência foi provocada a princípio pelo fato de não haver vagas suficientes nas unidades de terapia intensiva em que os respiradores eram usados em pacientes com sintomas de Covid.

A ordem para ficar em casa emitida por todo o sistema nacional de saúde e pelo governo PD-M5S resultou substancialmente dessa suposição para evitar outras novas infecções e o consequente congestionamento da terapia intensiva.

Mas os respiradores artificiais não teriam resolvido o problema, pelo contrário, o teriam agravado.

As confirmações a esse respeito também vêm dos Estados Unidos.

Cameron Kyle-Sidell, médico do Maimonides Medical Center em Nova York, relata que o uso de respiradores artificiais levaria a uma deterioração da condição dos pacientes de Covid, resultando em sua conseqüente morte em 80% dos casos.

O motivo se deve ao fato de a pressão ventilatória nos pulmões de um paciente, que não apresenta pneumonia intersticial, cansaria o sistema respiratório e levaria a seu agravamento rápido.

O Dr. Kyle-Sidell chega a conclusões semelhantes às do Dr. Palma quando define o Covid-19 não como “pneumonia, mas como algum tipo de doença induzida por vírus”.

Mas a inflamação, como mencionado anteriormente, não ataca os pulmões, mas os vasos sanguíneos e é a partir deles que devemos começar para um diagnóstico correto, como explica o cardiologista.“Porque a inflamação, de acordo com o texto da escola, induz trombose através de um mecanismo fisiopatológico complexo, mas conhecido. Então? O que a literatura científica, especialmente a chinesa, dizia até meados de março, era que anti-inflamatórios não deveriam ser usados. Agora, na Itália, são usados anti-inflamatórios e antibióticos (como nas gripes) e o número de pacientes internados diminui.”

Os tromboembólios são, portanto, causados por inflamações que podem ser tratadas com medicamentos bastante baratos.

Acima de tudo, o ponto fundamental é que as internações hospitalares nesse caso são praticamente inúteis, se não contraproducentes, porque tiram camas de pacientes que mais precisariam de assistência hospitalar.

É o caso de pessoas que morreram de ataque cardíaco, cuja mortalidade praticamente triplicou desde que a emergência da Covid foi declarada.

Mas a conclusão mais chocante elaborada pelo Dr. Palma é esta.

“Porque o principal problema não é o vírus, mas a reação imune que destrói as células onde o vírus entra. De fato, em todas as repartições de Covid, os pacientes com artrite reumatóide nunca entraram e isso ocorre porque estão em terapia com cortisona”. O verdadeiro perigo, portanto, não viria da Covid, mas da inflamação do sistema imunológico que leva à destruição das células. O que o Dr. Palma alega parece já ter sido endossado por outros médicos que chegaram às mesmas conclusões.

A emergência do coronavírus serviu para estabelecer uma ditadura

Mas então, neste ponto, se o problema de toda essa emergência foi o diagnóstico e a terapia incorretos, a periculosidade do vírus basicamente desapareceu.Toda a mídia e o governo, com suas diversas e caras forças-tarefa, associaram imediatamente a causa das mortes ao coronavírus, sem nem mesmo saber o que realmente havia acontecido.

A esse respeito, pense na cena sombria dos caminhões militares em Bergamo que levaram os corpos de pessoas extintas para longe.

Foi transmitida a idéia de que os corpos dessas pessoas eram afetados por uma espécie de peste e que era necessário cremá-los o mais rápido possível. Mas a cremação limpa os vestígios e impede a autópsia, que esclarece as causas da morte.

Entre outras coisas, começaram a circular fotos falsas, mostrando uma fileira de caixões em uma sala que na verdade eram os caixões de migrantes que morreram em Lampedusa anos antes.

Tudo isso leva a dizer que em Bergamo havia uma vasta operação de terrorismo psicológico que tinha um objetivo: provocar um estado de completo choque e pânico na população.

Essas condições revelaram-se fundamentais para instaurar um clima de medo geral, de modo a motivar o estado policial em que a Itália se encontra. Se o Covid puder ser tratado em casa com medicamentos de custo muito baixo, fica claro que a emergência ao estado da arte não há.

Mantê-lo vivo é o pretexto para continuar a comprimir inaceitavelmente as liberdades pessoais dos cidadãos.

Da mesma forma, o mantra que se sairá da crise por meio de uma vacina é evidência da completa má-fé do governo e das grandes potências supranacionais que dirigem esse executivo fantasma.

A cura já foi encontrada. A imunização contra um vírus mutante seria completamente desnecessária e potencialmente prejudicial.

Outro aspecto relativo a Bergamo é precisamente o das vacinas.

Um estudo científico do Pentágono relatou que as vacinas aumentam o risco de infecção por coronavírus em 36%.

Se você for ver o número de vacinas realizadas na área de Bergamo, verá que houve uma imunização maciça desde novembro do ano passado contra influenza e meningococo.

Alguns meses depois, o coronavírus chegou e a máquina de terror começou.

Mas essa máquina evidentemente não tinha objetivo de proteger a saúde dos cidadãos.

Esta máquina queria alimentar a emergência para lançar a população italiana em um estado de caos.

Agora a verdade está emergindo e quem quer que a justiça seja feita às pessoas que morreram em Bergamo deve invocar a intervenção do judiciário.

Por negligência ou vontade política, é preciso entender o porquê e quem provocou essas mortes.

Essas mortes foram os meios do regime para suspender a Constituição.

Esses mortos merecem justiça e os italianos têm o direito de saber se pessoas foram mortas intencionalmente para estabelecer um estado policial na Itália.

Este blog é apoiado por doações de leitores. Se você também deseja ajudar a liberar informações, clique abaixo.

=> https://www.paypal.me/CesareSacchetti

Fonte: La cruna dell’ago – Il blog di Cesare Sacchetti

Previsões catastróficas sobre o coronavírus no Brasil não se confirmaram

Propagação da doença no país seguiram padrão próximo aos melhores cenários

A “Atualização Covid-19 nº15/2020” da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), de 22 de março, previa três cenários para o Brasil: o pior seguia países como Irã e Itália, com 8,6 mil mortes em 215 mil casos até 5 de abril. Mas só em 6 de maio o Brasil chegou a 8,5 mil mortes. Se em março fosse mantido o ritmo de França e Alemanha, seriam 2,8 mil mortes em 70 mil casos há um mês, mas o Brasil ficou abaixo até disso. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A realidade é que em 5 de abril eram 486 óbitos em 11 mil casos, muito abaixo até das expectativas medianas, sem mencionar as catastróficas.

Se o Brasil tivesse se comportado como o Japão, seriam 154 mortos em 8 mil casos até o dia 5 de abril, o mais próximo do caso brasileiro.

Notícias Relacionadas

O Brasil tinha em 22 de março 1.546 casos que já atingiam os 27 estados, além de 25 óbitos, apontava o relatório de inteligência.

A pior expectativa para o Distrito Federal era de 1.300 casos ainda em março. Só chegou a esse número em maio, com 30 óbitos.

MARÃO, VEREADORES E A SUTRAM, VÃO PREJUDICAR MOTOTAXISTAS E MOTOBOYS. ===>>> 18/03/2020

  • 02/Dezembro/2019

    Diário Oficial

    Data: 02/12/2019Hora: 22:14

    Lei n. 4048 do Município de Ilhéus/BA: Revoga o inciso V, do artigo 12, da Lei nº 3.744, de 17 de setembro de 2015, e dá outras providências

    Lei n. 4049 do Município de Ilhéus/BA: Institui e regulamenta o serviço de transporte individual de passageiros por motocicleta, denominado Mototáxi, no Município de Ilhéus

    Lei n. 4050 do Município de Ilhéus/BA: Dispõe sobre a regulamentação da prestação do Serviço de Transporte Individual Privado de Passageiros Baseado em Tecnologia de Comunicação em Rede no município de Ilhéus e dá outras providências

    Portaria n. 468/2019 do Município de Ilhéus/BA: Constitui Comissão Avaliadora do processo seletivo simplificado da Secretaria de Saúde – SESAU

    Boletim Informativo n. 004/2019 – COMISSÃO DE ANALISE DE DEFESA PRÉVIA

    Ratificação, Homologação e Adjudicação – Inexigibilidade de licitação n. 041/2019 do Município de Ilhéus/BA

    Tamanho: 2.575MB

    Visualizar arquivo

ILHÉUS GOVERNADA POR CONTROLE REMOTO!

Beirando a pusilanimidade.

 

Governo publica MP que abre crédito para empresas de turismo

Ao todo, serão disponibilizados R$ 5 bilhões via Fungetur 

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, durante coletiva de imprensa no Palácio do Planalto

No Dia Nacional do Turismo, celebrado nesta sexta-feira (8), o governo federal publicou a Medida Provisória 963, que abre crédito extraordinário de R$ 5 bilhões destinado a empresas do setor. A iniciativa já havia sido antecipada pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, no final do mês passado.

Ao todo, foram disponibilizados R$ 5 bilhões em créditos emergenciais para empresas do setor, incluindo os micro e pequenos negócios. Os recursos vão reforçar o caixa do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) com abertura de novas linhas de empréstimo. A maior parte desses recursos (80%) será reservada para micro, pequenas e médias empresas. O restante (20%) será oferecido às grandes empresas do setor.

De acordo com o ministério, o dinheiro atenderá os prestadores de serviços turísticos cadastrados no Cadastur (sistema de cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor de turismo) que conta, atualmente, com mais de 103 mil inscritos. 

Poderão ter acesso ao crédito empresas das seguintes áreas: acampamento turístico, agências de turismo, meios de hospedagem, parques temáticos, transportadora turística, casas de espetáculos e equipamentos de animação turística, centro de convenções, empreendimento de apoio ao turismo náutico ou à pesca desportiva, empreendimento de entretenimento e lazer e parques aquáticos, locadora de veículos, organizador de eventos, prestador de serviços de infraestrutura de apoio a eventos, prestador especializado em segmentos turísticos, além de restaurantes, cafeterias e bares.

“Esse recurso é de livre utilização pela empresa, pode ser utilizado para capital de giro para compra de equipamentos ou para reforma. Uma vez acessado, é de livre circulação”, disse o ministro durante coletiva no Palácio do Planalto, para detalhar a MP. 

“As taxas praticadas pelo Fungetur vão ser abaixo de 1% [ao mês]. Isso nunca teve na história do turismo. Queremos melhorar ainda mais isso na próxima semana, com a Caixa, assemelhar a um dos créditos mais baratos que tem no mercado, por exemplo, que é o crédito imobiliário”, acrescentou Marcelo Álvaro Antonio. Segundo ele, o período de carência para o pagamento desses empréstimos poderá ser de até 12 meses.   

Micros e pequenos empresários poderão dispor de até R$ 1 milhão. Empresários de médio porte poderão contar com até R$ 3 milhões e os de grande porte poderão dispor de até R$ 30 milhões. A pasta também destacou que 17 bancos e instituições financeiras credenciadas junto ao Fungetur vão operacionalizar os empréstimos, mas a maior parte das linhas de crédito serão disponibilizadas pela Caixa Econômica Federal.

Guias de turismo

O ministro também anunciou que, na próxima semana, a pasta deve lançar uma linha de crédito específica voltado para pessoa física. A ideia é atender a cerca de 20 mil guias de turismo em todo o país. 

A pasta ainda anunciou a adoção de medidas para facilitar a retomada das operações do setor, a partir do fim do isolamento social. Entre as iniciativa, o ministro destacou a criação de um selo de biossegurança, que poderá ser utilizado por estabelecimentos turísticos de todo o país. “Esse selo via credenciar alguns segmentos do turismo para que os turistas saibam que existe uma responsabilidade de higiene, de prevenção ao covid-19”, explicou. O selo foi desenvolvido a partir de protocolos elaborados pelo ministério em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária 

Edição: Denise Griesinger

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
maio 2020
D S T Q Q S S
« abr    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia