WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa



DIÁRIO OFICIAL – EDIÇÃO 91 DE 28 DE ABRIL DE 2020

Prefeitura de Ilhéus

Registros

Registros encontrados: 1321

  • Edição Nº 91

    28/Abril/2020

    Diário Oficial

    Data: 28/04/2020Hora: 20:40

    Portaria 142/2020 do Município de Ilhéus/BA: Designa Gestores, Fiscais de Contratos, e Fiscais de Contratos Substitutos no âmbito da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social dá outras providências

    Ata de Registro de Preços do Pregão Eletrônico n. 028/2019 do Município de Ilhéus/BA

    Decisão nos autos do Processo Administrativo n. 001281/2019 – Pregão Eletrônico n. 029/2019 do Município de Ilhéus/BA

    Tamanho: 2.358MB

    Visualizar arquivo

BEM OU MAL, VALDERICO DEIXOU UM LEGADO PARA O PEQUENO COMERCIANTE DE ILHÉUS.

Shopping Popular de Ilhéus

TESTE PARA COVID-19 EM CHECK

Como um paciente, entubado na UTI, só no 4º teste para covid-19 é positivado?

Esse lamentável episodio, depois de trazer agonia e aflição aos inúmeros amigos e parentes do internado, veio a confirmação da covid-19.

O Ministério da Saúde, os Ministério Públicos, Estadual e Federal, a Comissão de Saúde  da Câmara de Vereadores de Ilhéus, a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, precisam investigar e dar uma resposta à população. 

O que não pode é pairarem dúvidas na testagem do novo Coronavírus, o Covid-19. 

Imagem ilustrativa colhida no Google.

 

DIÁRIO OFICIAL – EDIÇÃO 90 DE 27 DE ABRIL DE 2020

Registros

Registros encontrados: 1320

  • Edição Nº 90

    27/Abril/2020

    Diário Oficial

    Data: 27/04/2020Hora: 19:42

    Decreto(s) s/n tornando sem efeito nomeação(ões) de servidor público do Município de Ilhéus/BA

    Decreto(s) s/n  de nomeação(ões) de servidor(es) público(s) do Município de Ilhéus/BA

    Ratificação, Adjudicação e Homologação do Processo de Dispensa n. 004/2020 do Fundo Municipal de Saúde de Ilhéus/BA

    Ratificação, Adjudicação e Homologação do Processo de Dispensa n. 005/2020 do Fundo Municipal de Saúde de Ilhéus/BA

    Tamanho: 2.168MB

    Visualizar arquivo

VALDERICO NÃO TERIA CORAGEM DE FAZER TANTAS BESTEIRAS.

Anjo ‘Vardé’. Um anjo injustiçado.

‘O PREFEITO MANDOU DESCER A RIPA’ – VEJAM O VÍDEO.

Anvisa aprova testes rápidos para covid-19 em farmácias

Medida visa diminuir aglomeração de pessoas em hospitais

Farmácias continuam funcionando em São Paulo no período de quarentena

A diretoria da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou hoje (28) a aplicação de testes rápidos para a detecção do novo coronavírus (covid-19) em farmácias. Com a decisão, a realização deixará de ser feita apenas em ambiente hospitalar e clínicas das redes públicas e privadas.

“O aumento [dos testes] será uma estratégia útil para diminuir a aglomeração de indivíduos [em hospitais] e também reduzir a procura dos serviços médicos em estabelecimento das redes públicas”, disse o diretor presidente substituto da Anvisa, Antonio Barra Torres.

As farmácias não serão obrigadas a disponibilizar o teste. O estabelecimento que optar pelo procedimento deverá ter profissional qualificado para realizar do exame.

A realização dos exames não servirá para a contagem de casos do coronavírus no país. Em seu voto, Barra Torres, que foi o relator do processo, destacou ainda que o teste não terá efeito de confirmação do diagnóstico para o coronavírus, uma vez que há a possibilidade de o teste apontar o chamado “falso negativo”, quando o paciente é testado ainda nos primeiros dias de sintomas.

“Os testes imunocromatográficos não possuem eficácia confirmatória, são auxiliares. Os testes com resultados negativos não excluem a possibilidade de infecção e os positivos não devem ser usados como evidência absoluta de infecção, devendo ser realizados outros exames laboratoriais confirmatórios”, disse.

A liberação dos testes rápidos em farmácias enfrentava resistências, devido a questões sanitárias e ligadas também à eficácia dos exames. Ao comentar a aprovação da realização dos testes em farmácias, Barra Torres lembrou que esses testes vêm sendo feitos por determinação de alguns governos locais.

A liberação desses testes será temporária e deve permanecer no período de emergência de saúde pública nacional decretado pelo Ministério da Saúde em 4 de fevereiro deste ano.

Edição: Valéria Aguiar

Casos de chikungunya aumentam 540% na Bahia

BAHIA| Salvador

Currículo do novo ministro da Justiça se destaca pelo combate à corrupção

Sob sua gestão, AGU recuperou R$7,5 bilhões em acordos de leniência com empresas corruptoras

Natural de Santos (SP), de perfil técnico e com vasto conhecimento acadêmico, o novo ministro da Justiça, André Luiz de Almeida, tem 47 anos, é advogado da União desde 2000 e Advogado-Geral da União (AGU) desde janeiro de 2019.

No comando da AGU, foi responsável por alterar o entendimento da instituição para defender, no Supremo Tribunal Federal, a constitucionalidade da prisão a partir de condenação em segunda instância. O posicionamento foi defendido em uma das dez sustentações orais que realizou na Suprema Corte ao longo deste período.

Foi também sob sua gestão que a AGU assegurou, em 2019, a recuperação de R$7,5 bilhões para os cofres públicos por meio de acordos de leniência com empresas envolvidas em irregularidades.

Notícias Relacionadas

Entre 2016 e 2018, Mendonça já havia coordenado equipes de negociação de acordos de leniência atuando como assessor especial na Controladoria-Geral da União (CGU).

O futuro ministro da Justiça também criou equipes regionais especializadas em combater a corrupção (o valor cobrado pela AGU em ações de improbidade cresceu quase seis vezes em 2019) e forças-tarefas para atuar em leilões de infraestrutura (o que garantiu investimentos da ordem de R$ 233 bilhões), defender judicialmente as mudanças nas regras de aposentadoria e processar desmatadores da Amazônia (a quantia cobrada dos infratores já supera R$ 1,3 bilhão).

O combate à corrupção sempre foi a principal área de atuação da carreira do Advogado-Geral da União. Foi Corregedor-Geral e Diretor do Departamento de Patrimônio e Probidade da AGU.

É doutor e mestre em Direito pela Universidade de Salamanca, na Espanha, onde apresentou teses sobre recuperação de ativos desviados pela corrupção que receberam o Prêmio Extraordinário da instituição de ensino.

É, também, pós-graduado em Direito Público pela Universidade de Brasília (UnB). A graduação em Direito foi na Faculdade de Direito de Bauru (SP). Entre 2015 e 2016, foi pesquisador e professor visitante na Universidade de Stetson, nos Estados Unidos.

Atualmente, o futuro ministro é professor do programa de Doutorado em Estado de Direito e Governança Global da Universidade de Salamanca, dos programas de Doutorado e Mestrado da Faculdade de Direito de Bauru, do curso de Direito da Faculdade Presbiteriana Mackenzie em Brasília e do LL.M em Direito: Compliance, da Fundação Getúlio Vargas.

MP denuncia Paulo Skaf, o ‘Kibe’ da lista da Obrebrecht, e Duda Mendonça por corrupção

Presidente da Fiesp ganhou apelidos de ‘Kibe’ e ‘Tabule’, na lista da Odebrecht

O presidente da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp), Pau Skaf, o publicitário Duda Mendonça e o o empresário Marcelo Odebrecht foram denunciados pela força-tarefa do Ministério Público de São Paulo e pela Procuradoria Regional Eleitoral pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e de caixa 2 em mais de R$5 milhões.

O presidente da Fiesp concorreu ao governo de São  Paulo em 2014, e cintou com Duda Mendonça como marqueteiro. Outras seis pessoas são acusadas de terem concorrido para a concretização dos delitos, incluindo Paulo Luciano Rossi, irmão do deputado Baleia Rossi.

Os promotores destacaram que inquérito da Polícia Federal de Brasília e de São Paulo demonstrou que, entre 21 de agosto e 30 de outubro de 2014, houve diversos pagamentos realizados em hotéis de São Paulo a representantes de “Kibe” e “Tabule”, codinomes utilizados pelo Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht para identificar Skaf como um dos beneficiários dos financiamentos irregulares de campanha com recursos drenados de diversas obras públicas por meio de esquema de corrupção, entre 2006 e 2015.

Notícias Relacionadas
No total, a campanha de Skaf foi “irrigada” com mais de R$5 milhões, que bancaram a atuação de Duda. Nada disso foi declarado na prestação de contas do então candidato do PMDB, o que fere o artigo 350 do Código Eleitoral.

Segundo a denúncia, o financiamento ilegal foi acertado em uma reunião no Palácio do Jaburu, no dia 28 de maio daquele ano, com a cúpula do PMDB. No encontro em Brasília participaram Marcelo Odebrecht, presidente naquela oportunidade do grupo que leva o sobrenome de sua família, o então vice-presidente da República, Michel Temer, e Eliseu Padilha (estes dois últimos investigados em outro inquérito).

O publicitário confirmou ter recebido os valores do Grupo Odebrecht como parte do pagamento por serviços prestados à campanha de Skaf ao governo de São Paulo em 2014.

Com a utilização de senhas para o reconhecimento mútuo entre os emissários da Odebrecht e de Duda, foram realizados pagamentos em dinheiro vivo os hotéis Booubon Convention, Palace Flat Moema, Quality Moema, Transamérica Moema e Mercure Times Square.

Todas essas operações estão documentas por troca de e-mails ou mensagens via Skype.

A denúncia apresentada pelos promotores está inserida no contexto de oito ações penais ajuizadas perante a 13ª Vara da Justiça Federal, em Curitiba, contra agentes públicos e privados, especialmente executivos e ex-executivos da Odebrecht, pela prática de organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção passiva e ativa, dentre outros.

Todas essas ações, por sua vez, têm origem nos 77 acordos de colaboração premiada firmados por executivos e funcionários da empresa com a Procuradoria-Geral da República e homologados pelo Supremo Tribunal Federal.

“Os relatos e provas de corroboração reunidos revelaram centenas de atos ilícitos praticados em favor de empresas do Grupo Odebrecht, incluindo o pagamento de forma dissimulada de vantagens indevidas a agentes públicos e financiamento de campanhas eleitorais, em um sofisticado esquema de lavagem de capitais”.

As investigações se iniciaram em 2017, contudo, em razão das discussões que se travaram no STF quanto à delimitação do foro especial e a prevalência da Justiça Eleitoral para o julgamento dos crimes eleitoral e conexos, somente se encerraram em 2020.

NINGUÉM DEVE IGNORAR OU DESCONHECER A CIÊNCIA

Walmir Rosário*

O Coronavírus, na sua versão Covid-19, deixou nu uma grande parte de quem acreditávamos que faziam ou conheciam a ciência. E essa constatação não foi visível apenas aqui no Brasil, mas em várias partes do mundo. Além de quase total desconhecimento do vírus – o que seria normal –, não conheciam os protocolos e medicamentos em uso no Brasil há dezenas de anos.

Nesses tempos em que prevalecem as especialidades e os exames complexos, os médicos perderam o entusiamo com a clínica médica, aquela que está presente nas áreas mais remotas, onde faltam equipamentos e medicamentos, mas sobram conhecimento sobre o homem e seu corpo. E a aplicação da cloroquina foi um dos exemplos. Embora desconhecido nos grandes centros, faz parte do dia a dia da medicina na Amazônia.

E a ideologização da cloroquina e sua discussão foi uma das melhores coisas que aconteceu nesta pandemia por demostrar que existe vida inteligente fora do eixo Rio-São Paulo-Brasília. Para uns importavam mais os cadáveres expostos nas manchetes da mídia, não importando se a causa mortis seria o vírus ou não; para outros, valeria a pena alternativas de cura, mesmo não tendo o respaldo de 100% das pesquisas científicas.

O mais decepcionante foi o efeito manada da esquerda em eleger como sagrada as informações dos camaradas da Organização Mundial da Saúde (OMS), hoje responsabilizada pela pandemia. Isolamento vertical X horizontal passou a ser a grande questão, chegando ao ponto que camaradas e companheiros já nem mais se importam com isso e prometem prender qualquer cidadão de bem desobediente das suas ordens.

Em Ilhéus, o prefeito sequer tomou conhecimento da pandemia em sua cidade – apesar de médico – por achar que o problema seria de responsabilidade dos secretários que terceirizaram a prefeitura. Também não ouviu os demais segmentos da sociedade, que sugeriam medidas mínimas mais eficientes e eficazes, como a distribuição de máscaras para a população, acompanhada de uma campanha educativa.

Mas nada disso sensibilizou Marão – que prometeu cuidar das pessoas e não cumpriu –, até o recrudescimento da infecção, atingindo, inclusive os profissionais da medicina do combalido e recém-inaugurado Hospital Costa do Cacau. O hospital, que conseguiu superar as constantes greves não soube ultrapassar a barreira do vírus.

Nos dias atuais, por incrível que pareça, enquanto a pandemia dá uma trégua em quase todo o Brasil, avança a passos largos em Ilhéus, a ponto do prefeito clamar ao secretário estadual da saúde ações enérgicas, a exemplo de toque de recolher e prisão para os infratores. Na minha ótica, melhor teria sido não ter se omitido no início e tomar os cuidados previstos no protocolo como fizeram outros prefeitos.

Ilhéus é só um exemplo de como a saúde é relegada ao descaso pelas administrações públicas, mesmo nas cidades em que têm como prefeitos profissionais da medicina. Se Ilhéus tem o Hospital Costa do Cacau, não custa lembrar que se trata de um equipamento para servir a uma grande região, e que para funcionar, o Governo do Estado fechou o antigo Hospital Luiz Viana Filho, apesar das promessas de torná-lo um hospital de especialidade. Promessas vãs.

Em cada um dos municípios baianos (acredito que em todo o Brasil) prefeitos e governador privilegiam o uso de ambulância do que a implantação de especialidades médicas. Preferem transportar os pacientes para tratamento em outros centros, não sem antes faturar o atendimento(?) feito em sua cidade. Basta gastar uns litros de gasolina e estarão livres do estorvo.

Ambulância nessas cidades são tratadas como um bem de alta relevância política, com direito a fotos na entrega pelo governo do estado e desfile com sirenes ligadas e show pirotécnico pelas ruas da cidade. O de Canavieiras, por exemplo, não leva nem motorista e ele mesmo vem dirigindo a ambulância, fazendo selfies a cada parada na estrada e muita algazarra quando chega a cidade.

E esse comportamento se tornou um padrão dos serviços médicos prestados nos médios e pequenos municípios, com enormes filas desde a madrugada na tentativa de uma simples consulta. Acredito que já se transformou em um protocolo, mesmo informal, pois os últimos das intermináveis filas recebem apenas um carão do(a) atendente, recomendando que chegue mais cedo para ganhar uma ficha.

Parece gozação – mas é a mais pura verdade –, mas é muito comum nessas cidades, incluindo nessa lista Canavieiras, que os pacientes, quando perguntado pelos mais conceituados médicos da cidade, respondem, sem pestanejar: “Aqui eu só confio no Dr. Ambulância”. Agora, pergunto eu: quem pratica uma medicina dessa qualidade está pronto para fazer saúde?

Pelo que ficou evidenciado nesta pandemia, o governador desobedece duplamente a Constituição Federal que diz ser a saúde um direito de todos e dever do Estado; e quando estabelece sanções no direito de ir e vir, deturpando, além de nosso maior Diploma Legal, o Código de Direito Penal, visto de forma caolha, mas proposital. E ainda teimamos em dizer que nos encontramos em uma democracia…

*Radialista, jornalista e advogado.

TEMPO DE ALEGRIA, QUE BOM!

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
maio 2020
D S T Q Q S S
« abr    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia