WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Valec’

VALEC realiza palestras sobre educação ambiental em quatro lotes da Fiol

Dos dias 4 a 7 de junho, a VALEC Engenharia, Construções e Ferrovia S.A. visitou quatro lotes da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) para apresentar aos profissionais que atuam nos canteiros de obras e às comunidades que moram em regiões próximas à ferrovia, o que é a Fiol e a importância da preservação do meio ambiente.

Durante esta semana, a VALEC realizou as apresentações nos municípios baianos de Ilhéus (lote 1), Jequié (lote 2), Aiquara (lote 2), Contendas do Sincorá (lote 3), Caitité (lote 4) e Brumado (lote 4). Mais de 300 pessoas participaram dos encontros, que abordaram aspectos da Fiol como a localização, a estrutura, os objetivos gerais da ferrovia e a importância de se respeitar a faixa de domínio – faixa de terra com 40 metros para cada lado da ferrovia.

Também foram discutidos temas relacionados à educação ambiental, como combate à caça e ao tráfico de animais silvestres, minimização de desmatamentos, importância das passagens de fauna, destinação correta de resíduos, prevenção de queimadas, atividades de salvamento de animais e a prevenção de atropelamentos.

Esta ação da VALEC atende ao Plano Básico Ambiental (PBA), um conjunto de programas com medidas para mitigar e compensar os impactos da FIOL, conforme exigência do Ibama.

Na próxima semana, a VALEC visitará os outros quatro lotes da Fiol para dar continuidade às palestras.

Governo vai fechar suas primeiras estatais: Valec e Ceitec

O governo deve fechar as portas até março das estatais Valec – que cuida de ferrovias e teve ex-diretores envolvidos em desvios em obras – e Ceitec – que produz chip para gado. As duas empresas são dependentes do Tesouro Nacional. Isso significa que elas não geram receitas suficientes para pagar suas despesas de pessoal e custeio. Todos os 1.177 empregados serão demitidos, e os ativos das empresas serão vendidos para pagar dívidas, segundo apurou o Estadão/Broadcast.

A chamada liquidação deve ser aprovada pelo conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), colegiado formado por ministérios e bancos públicos, além da Presidência da República. A reunião que deve sacramentar a decisão será realizada em fevereiro.

MAIS SOBRE O ASSUNTO

Embora tenham entrado nas empresas por meio de concurso público, os empregados serão demitidos, pois, com a liquidação, as atividades das estatais serão encerradas. A opção pela liquidação ocorre porque não há interesse do mercado em comprar essas companhias, o que inviabiliza uma tentativa de privatização.

A intenção do governo Jair Bolsonaro é privatizar as ferrovias, o que retiraria as funções da Valec. Parte de suas funções poderia ser assumida pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). No caso da Ceitec, o governo não tem mais interesse em atuar na área.

A Valec é uma empresa pública vinculada ao extinto Ministério dos Transportes e foi reativada em 2008, durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A estatal atua na construção e exploração da infraestrutura ferroviária, como a Norte-Sul e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). A Valec também detém participações na sociedade da Transnordestina, com a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN).

Desde que voltou a operar, a Valec foi alvo constante de investigações sobre irregularidades em obras e denúncias que chegaram a levar um de seus presidentes à prisão.

A Valec tem hoje um patrimônio líquido positivo de R$ 11,9 bilhões. A empresa consumiu R$ 259 milhões em recursos do Tesouro Nacional em 2017, um grau de dependência de 99% e recebeu R$ 652,1 milhões em Adiantamento para Futuro Aumento de Capital (AFAC). O prejuízo em 2017 foi de R$ 947,4 milhões, ante um resultado negativo de R$ 1,541 bilhão em 2016. A empresa tem 983 empregados, com salário médio é de R$ 9,5 mil mensais.

Ceitec
Também criada em 2008 pelo ex-presidente Lula, a Ceitec é vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). A empresa atua na área de dispositivos microeletrônicos e fabrica chips para identificação e rastreamento de produtos, medicamentos e animais.

A fábrica da Ceitec em Porto Alegre (RS) tem 194 empregados, com salário médio de R$ 8,6 mil. A empresa recebeu subvenção do Tesouro Nacional de R$ 75 milhões em 2017, além e um Adiantamento para Futuro Aumento de Capital (AFAC) de R$ 1,232 milhão. O grau de dependência de recursos do Tesouro é de 94%, e o patrimônio líquido da empresa é de R$ 105 milhões.

Outra empresa que está nos planos de liquidação do governo é a Infraero, estatal responsável pela gestão de 55 aeroportos do país, incluindo Congonhas (SP) e Santos Dumont (RJ). A empresa também é sócia minoritária nos aeroportos privados de Guarulhos (SP), Campinas (SP) e Brasília (DF). Neste caso, porém, é preciso antes vender os aeroportos, para só depois encerrar as atividades da empresa, o que deve demandar mais tempo.

VALEC testa protótipos para evitar morte de animais nas ferrovias

De acordo com os profissionais envolvidos na operação, os quelônios possivelmente entram na ferrovia pelas passagens em nível — travessias destinadas a veículos e pedestres — e, uma vez entre os trilhos, são incapazes de encontrar uma saída. Como consequência, acabam morrendo de sede e de fome.

A primeira alternativa testada consiste em uma espécie de armadilha pitfall, onde os quelônios caem e podem atravessar a ferrovia por baixo dos trilhos. Essa pequena passagem foi montada entre dois dormentes e em nada alterou a estrutura da via férrea. O buraco acabou servindo como uma barreira física, já que, durante os testes, eles evitaram cair na armadilha e refugaram.

A outra medida experimentada foi a colocação de pedaços de trilhos na perpendicular, de modo a impedir a entrada dos quelônios para longe da passagem em nível, permitindo que, ao encontrar a barreira, pudessem recuar e encontrar facilmente a saída. Os resultados observados foram significativos com os animais de maior porte. Os pequenos foram capazes de ultrapassar o pedaço de trilho pelos espaços necessários à circulação dos veículos ferroviários.

 

Segundo o biólogo André Soller, serão promovidas alterações nos protótipos para que novos testes sejam feitos. Ele explicou também que aprisionamento de fauna entre os trilhos não é exclusividade de quelônios ou da FNS, uma vez que o problema foi identificado também com aranhas caranguejeiras. Em outras ferrovias há registros semelhantes, envolvendo, por exemplo, tatus e anfíbios.

FIOL recebe visita técnica

Durante a visita, supervisionaram a construção dos lotes 5F, 5FA, 6F e fizeram uma vistoria das obras da ponte sobre o rio São Francisco. “É um privilégio para a VALEC projetar e construir uma das maiores obras ferroviárias da América Latina” afirmou Tanezini.

Assista como foi a visita no vídeo abaixo:

 

 

 

GRUPO CHINÊS VISITA A VALEC

O encontro foi intermediado pela Apex (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos), que vem trabalhando em conjunto com o programa de Parceria de Investimentos (PPI) para a promoção de oportunidades em infraestrutura e atendimento a investidores estrangeiros.

Participaram da reunião a Diretoria Executiva da VALEC e assessores, bem como os representantes da CREEC BRASIL e da Apex. Handerson Cabral, diretor-presidente da VALEC, informou sobre o status da obra da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL), que ligará o futuro porto de Ilhéus (no litoral baiano) a Figueirópolis (em Tocantins), ponto em que se conectará com a Ferrovia Norte Sul.

“A ferrovia é um modal seguro, mais sustentável e promove ligação do interior do país com os portos, o que aumenta a produtividade, o emprego. É natural que empresas estrangeiras queiram explorar esse potencial”, destacou Cabral ao final do encontro.

Grupo de empresários chineses.

Novo presidente da Valec é nomeado

O Conselho de Administração da Valec, em sua 5ª Reunião Extraordinária de 2018, elegeu, hoje (30/4), Handerson Cabral Ribeiro, como Diretor – Presidente da Valec.

Na Valec, Handerson Cabral Ribeiro já assumiu os cargos de Superintendente de Licitações e Contratos e de Diretor de Administração e Finanças, entre 2014 e 2018. Atuou no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT, entre 2012 e 2014, exercendo a função de Superintendente Regional nos estados de Goiás e Distrito Federal. Entre 2009 e 2012, exerceu as funções de Assessor e Gerente de Projeto, na Secretaria de Gestão dos Programas de Transportes do Ministério dos Transportes, onde foi responsável pela Coordenação do PAC Rodovias nas regiões Sul e Sudeste.

O presidente eleito foi indicado pelo Ministro de Estado dos Transportes, Portos e Aviação Civil, e também foi avaliado pela Comissão de Elegibilidade da Valec, que analisou e opinou pela regularidade dos formulários apresentados e respectivos documentos comprobatórios exigidos pelo art. 22 do Decreto nº 8.945/2016, que regulamenta a Lei nº 13.303/2016.

CONSAD empossa novo Presidente

O Conselho de Administração é composto de seis membros eleitos pela Assembleia Geral e por ela destituíveis a qualquer tempo, sendo três representantes indicados pelo Ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, sendo um o Diretor-Presidente da Valec; um representante indicado pelo Ministro de Estado do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão; um representante dos empregados da Valec; e um representante indicado pelo Ministro de Estado da Fazenda.

Pedro Duarte de Oliveira

 

Pedro Duarte de Oliveira

Graduado em Ciências Jurídicas pela Faculdade de Direito de Maceió – Cesmac, em Desenvolvimento Nacional, pela Escola Superior de Gerra do Rio de Janeiro e pós-graduado em Processo Legislativo e em Relação Executivo-Legislativo, pela Universidade de Brasília. Há 12 anos tem atuado como professor coordenador dos cursos de Licitações e Contratos Administrativos no Instituto Cidadão. Foi Chefe de Gabinete da Presidência da Assembleia Legislativa de Alagoas, entre 1974 e 1978, e Secretário de Assuntos Especiais daquele estado, no período de 1979 a 1981. Iniciou sua atuação, em 1981, como auditor do Tribunal de Contas de Alagoas, e a partir de 1985 foi nomeado Procurador do mesmo tribunal, onde também atuou como Diretor-Geral, de 1999 a 2000, aposentando-se por tempo de serviço em 2001. A partir de 2004 passou a integrar o Instituto Brasileiro de Municipalismo, Cidadania e Gestão como Diretor-Presidente e também atua como jornalista e editor do site Resumo Político.

ILHÉUS JÁ INCLUÍDA NO PLANEJAMENTO MACRO DA VALEC.

A Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A realiza a obra do que será o maior polo de carga da Ferrovia Norte-Sul (FNS). Situado próximo aos municípios de Rio Verde, Santa Helena, Jataí, Edéia e Quirinópolis, o novo pátio intermodal vai atender a produção agrícola do sudoeste do estado de Goiás, onde atualmente está sendo construída a Extensão Sul da FNS.

Com 300 hectares de área e aceso direto a rodovia GO 210, o polo de carga está sendo preparado para embarque de granéis agrícolas (soja, milho, farelo e açúcar), granéis líquidos (combustível), fertilizantes e contêineres.

O pátio vai contar com 94 hectares destinados aos terminais privados e um estacionamento para 800 caminhões. Os produtos embarcados no polo de cargas no sudoeste goiano têm como vocação principal a exportação pelos portos de Santos (SP), Itaqui (MA), e, no futuro, Ilhéus (BA).

http://www.valec.gov.br/noticias/560-valec-constroi-polo-de-carga-no-sudoeste-de-goias

NOTÍCIAS OFICIAIS COLHIDAS NO SITE DA VALEC!

Notícias

Conheça a Norma de Processo Administrativo Sancionatório de Rescisão Contratual Unilateral e de Constituição de Débito do Âmbito da Valec.

Clique aqui para ir para a página de normas.

 

FOTOGRAFIAS DA FERROVIA DE INTEGRAÇÃO OESTE-LESTE – FIOL 2017!

Ferrovia Oeste-Leste (FIOL) – 2017 – Clique e navegue pelo show de fotografias.
Lote 01F (Barra do Rocha) – 2017
Lote 02F (Jequié) – 2017
Lote 02FA (Túnel de Jequié) – 2017
Lote 03F (Tanhaçu) – 2017
Lote 04F (Brumado) – 2017
Lote 05F (Guanambi) – 2017
Lote 05FA (Ponte Rio São Francisco) – 2017
Lote 06F (Santa Maria da Vitória) – 2017
Lote 07F (São Desidério) – 2017

VALEC prepara o lançamento do Plano de Desligamento Voluntário

O plano já foi aprovado e deve ser lançado nos próximos dias.A Valec prepara o lançamento do Plano de Desligamento Voluntário – PDV dos empregados ativos do extinto GEIPOT.O Plano de Desligamento Voluntário para o GEIPOT foi aprovado pelo Conselho de Administração da VALEC e pela Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais – SEST do Ministério do Planejamento. Além de ter sido convalidado pelo Ministérios dos Transportes, Portos e Aviação Civil.

Para conhecimento de todos, segue abaixo uma tabela com as principais características do PDV:

Público Elegível 87 empregados do extinto GEIPOT (100% do quadro)
Desligamento A pedido
Indenização Variável (Incentivo) 15 vezes a remuneração (será considerada para efeito de cálculo da indenização a última remuneração percebida pelo empregado no mês anterior à data do seu desligamento)
Indenização Complementar Não se aplica
Período de desligamento 30 dias a contar da data de divulgação do plano, observando o exercício financeiro

 

A Superintendência de Recursos Humanos – SUREH atualizará os funcionários por e-mail e pelo site da Valec quanto ao cronograma e os próximos passos do processo.

Para futuras comunicações, é indispensável que o empregado atualize seu endereço no cadastro da Superintendência de Recursos Humanos – SUREH, por meio do envio do comprovante de residência, até o dia 08/09/2017, sexta-feira.

O encaminhamento do comprovante deverá ser por carta com nome completo registrado para a Superintendência de Recursos Humanos – SUREH da VALEC, localizado na SAUS, Quadra 01, Bloco G, lotes 3 e 5, Asa Sul, Brasília – DF, CEP 70070-010. Ou por correio eletrônico, com o comprovante de residência digitalizado de maneira legível para pdv.geipot2017@valec.gov.br


(Texto: SUREH e ASCOM)

Valec constrói maior ponte ferroviária da América Latina

Ao atravessar quase todo o estado da Bahia nos seus 1.527 km de extensão, as obras da FIOL (Ferrovia de Integração Oeste-Leste) revelam a complexidade e o cuidado necessário ao desenvolvimento de seus projetos de engenharia.

No desafio maior que é construir um empreendimento de grande porte como esse, está a construção de uma ponte ferroviária que atravessa o leito do Rio São Francisco, entre os municípios baianos de Serra do Ramalho (margem esquerda do rio) e Bom Jesus da Lapa (margem direita).

Trata-se da maior ponte ferroviária da América Latina, com 2,9 km de extensão. O empreendimento, que começou em dezembro de 2014, compreende 82 pilares verticais, sendo o maior deles de 18 metros de altura. A obra também prevê a instalação de 160 vigas horizontais fabricadas em concreto com armadura de aço com 140 toneladas cada uma.

Todo o projeto foi pensado de forma a não intervir no curso natural do Rio São Francisco. Segundo Gondiberto Filho, engenheiro da Valec, esse é o motivo pelo qual não está sendo usada nenhuma técnica de barragem ou ensecadeira (espécie de proteção à prova d’agua). “Um dos maiores desafios é a execução das fundações no leito do Rio São Francisco, pois exige uma grande logística de embarcações de apoio e está submetida às variações de nível d’água do rio”, explicou.

No momento, os trabalhadores concluem as fundações e a instalação dos pilares. Na próxima fase, ocorrerá o lançamento das vigas e a concretagem da laje. O avanço está sendo registrado mês a mês em imagens aéreas que registram o estado da obra [ver vídeo abaixo].

O engenheiro da Valec Luiz Guilherme Pinto é quem grava e edita os vídeos que contam a história de nascimento desta ponte. Os clipes são publicados no site da Valec e também no YouTube, onde Luiz comanda um canal chamado “Vida Engenharia”, em que posta vídeos sobre noções gerais do ofício.

O canal teve 4 milhões de visualizações no ano passado e já conta com 86 mil inscritos em apenas 2 anos no ar. “Eu sempre gostei de fazer vídeos e, depois que comprei um drone, quis mostrar como uma obra acontece, porque quando as pessoas veem uma construção concluída, não têm noção do trabalho que exige levantar uma ponte tão extensa”, afirmou.

A Valec é a proprietária do empreendimento e exerce o papel fiscalizador, tanto na parte técnica quanto na de meio ambiente, segurança do trabalho, desapropriações, aprovação do projeto executivo e tudo que envolve o desenvolvimento da construção como um todo.

Além disso, empresas contratadas prestam serviços especializados de obra e supervisão, incluindo mão de obra e equipamentos. A previsão é que a ponte fique pronta no ano que vem.

Para outros vídeos sobre a ponte, acesse o canal “Vida Engenharia” no Youtube.

anuncie aqui

Carregando...

Tabela do Brasileirão

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
julho 2019
D S T Q Q S S
« jun    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia