WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Solidariedade’

PANDEMIA E QUARENTENA CAUSANDO PROBLEMAS PSICOLÓGICOS

Coitado, tão jovem.

Marinha vai levar 16 mil cestas básicas para a Ilha de Marajó

Marinha vai levar 16 mil cestas básicas para a Ilha de Marajó

Algumas cidades estão entre aquelas com os piores IDHs do país

Foto: Marcelo Camargo/Agencia Brasil

Banhado pelo Oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Tocantins, o arquipélago de Marajó (PA) tem quase 50 mil quilômetros quadrados, uma extensão territorial maior que a Bélgica, por exemplo. São 16 municípios e problemas imensos, como a pobreza, a falta de emprego e renda, gravidez precoce de adolescentes e a exploração sexual infantil.

“É uma localidade onde há carência de tudo. Os moradores vivem sem cidadania. E, por isso, delitos contra a infância e a juventude são comuns. Não há justiça”, diz a paraense Marisa Romão, assessora da Secretaria de Igualdade Racial, com a propriedade de quem conhece bem a região. 

Foi pensando em olhar com mais atenção para a população isolada do arquipélago que o programa Abrace o Marajó foi criado e incorporado ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Nesta sexta-feira (12), o Navio Auxiliar Pará, da Marinha Brasileira, partiu da Base Naval de Val de Cães, em Belém, levando mais de 15 mil cestas básicas para serem distribuídas para famílias que estão cadastradas nos programas sociais do governo (CadÚnico) nas cidadezinhas de Afuá (38 mil habitantes) e Chaves.

As cestas foram montadas em São Paulo, numa parceria do ministério com a rede Carrefour e a Associação Paulista de Atacadistas e Supermercadistas (Apas).

“Marajó não será só uma ilha cercada de água por todos os lados, quando o navio auxiliar chegar até lá, ela será uma ilha cercada de solidariedade por todos os lados”, disse o comandante Robledo de Lemos Costa e Sá, do Grupamento de Patrulha Naval do Norte.

Navio da Esperança

Domingo, quando o velho catamarã – construído em 1982 – chegar até as cidadezinhas, ele será visto como o “Navio da Esperança” para milhares de famílias.

“São pessoas humildes, mas muito amigas. Elas aguardam a chegada do navio, até porque se nessa missão estamos levando cestas básicas, em outras, houve atendimento médico e odontológico dentro do navio. Aqui se faz mamografia, exames e há até farmácia para retirada dos medicamentos prescritos”, disse o comandante do Navio Auxiliar Pará, Ribeiro Costa, que já foi quatro vezes à cidade de Afuá.

Cestas básicas que serão entregues a comunidades do arquipélago de Marajó
Cestas básicas que serão entregues a comunidades do arquipélago de Marajó – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Municípios esquecidos

Para quem mora nos municípios da parte oriental da Ilha de Marajó, mais próxima de Belém, a viagem é, relativamente rápida. Há duas empresas que fazem a operação do terminal hidroviário da capital paraense até a Ilha de Marajó via balsas, em três horas e meia. Para quem tem mais condições, é possível embarcar num catamarã expresso, que faz a mesma viagem em duas horas.
 
Porém, há vários municípios ribeirinhos, mais distantes de Belém, que acabam ficando  mais esquecidos. Estão longe do movimento de turistas e longe dos recursos que essa atividade econômica propicia.

É o caso de Melgaço, cidade de 26 mil habitantes às margens do Rio Tajapuru, que tem o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) entre os mais de 5,6 mil municípios do país. “São oito cidades da Ilha de Marajó que estão entre os 50 piores IDHs do Brasil”, disse Marisa Romão. 

Em outros municípios, como Chaves, de 23 mil habitantes – um vilarejo cercado por uma praia de areia amarela e água doce -, sequer há uma agência lotérica para os moradores sacarem o dinheiro do Bolsa Família ou do auxílio emergencial do governo. 

Visita da primeira-dama

Na segunda-feira (15), a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, e a primeira-dama Michelle Bolsonaro chegarão a Marajó, onde participarão da entrega das cestas básicas em Afuá e na zona rural do Rio São Cosmo. 

Depois, a ministra e a primeira-dama irão até o município de Muaná (40 mil habitantes), onde dois navios – um do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e outro da Caixa Econômica Federal – estarão atracados, participando de ações de pagamento de benefícios sociais à população insular.

 *O repórter viajou a convite do Ministério da Defesa 

Edição: Fábio Massalli

Coronavírus: Human Network do Brasil ajuda o Abrigo de Idosos de Ilhéus com doações

2/5/2020

A Human Network do Brasil, diante do cenário de pandemia do novo coronavírus que também chegou no município de Ilhéus, realizou uma arrecadação junto à amigos da rede e doou alimentos e itens importantes para a prevenção dos 67 idosos do Abrigo São Vicente de Paulo, bem como aos 45 colaboradores da instituição, contra a Covid-19.

No trabalho de solidariedade junto às pessoas de boa vontade, a Human Network do Brasil conseguiu levantar 35 unidades de álcool gel 70%, 14 pacotes de flocos de aveia, 21 caixas de leite líquido, 10 kg de açúcar, 5 pacotes de café e 5 pacotes de creme de milho.

A ajuda chegou em meio a uma campanha de doação que o Abrigo tem realizado semanalmente. As entregas são realizadas na portaria da instituição sem o acesso dos doadores ao interior do estabelecimento para evitar aglomeração de pessoas e contato com os idosos.

“Agradecemos à Human Network do Brasil pela ajuda que foi destinada aos nossos idosos. É muito importante a colaboração da sociedade civil organizada num momento desafiador como esse. Chegou em boa hora esta ajuda. Obrigado a todos que nos auxiliam”, agradeceu o coordenador do Abrigo São Vicente de Paulo, Flávio Soares.

Para a presidente da Human Network do Brasil, Maria Rosa Oliveira “ajudar é algo que faz parte da natureza humana. Se cada um buscar isso dentro de si, verá que podemos edificar o próximo com pequenos gestos”.

Picture


Atenciosamente,
 
Anna Karenina de Oliveira Vieira

CAMPANHA QUARENTENA SOLIDÁRIA

Ajude o Abrigo São Vicente de Paulo na compra do Panetone Solidário de Natal

O Abrigo São Vicente de Paulo, de Ilhéus, neste ano de 2019 lança a 5ª edição do projeto Panetone Solidário. Com apenas doze reais, você pode adquirir um panetone para a sua ceia de natal e ainda ajudar a instituição no custeio do décimo terceiro salário dos funcionários da entidade filantrópica. É uma excelente chance de colocar os espíritos natalino e fraterno em prática.

De acordo com o gestor administrativo do Abrigo São Vicente de Paulo, Flávio Soares, a produção dos panetones será iniciada nesta quinta-feira pela chefe de cozinha voluntária Mariana Bastos da Docê, cuja meta é vender 1500 panetones em dezembro, a partir do dia 16.

“Sem dúvidas, é um gatilho de reciprocidade, de modo que além de ajudar a nossa instituição, a pessoa recebe um mimo para este Natal. Temos uma folha de 38 funcionários mês e em dezembro utilizamos esse recurso para custear o décimo terceiro. Por isso, convido a todas as pessoas de boa vontade, que abracem essa causa conosco para que possamos continuar a oferecer um serviço adequado e dignidade aos idosos”, destaca o gestor Flávio Soares.

Os panetones são tradicionais, cada um possui 400 gramas e o sabor é de frutas cristalizadas, sem nenhum conservante em sua receita. Por isso, a durabilidade é de até sete dias após a fabricação. Para adquirir, basta dirigir-se a partir do dia 16 de dezembro à loja de sapatos CS Club localizada ao lado do Banco do Brasil, e à PET Chic, que fica na Galeria Bandeirantes, ambas no comércio e centro de Ilhéus, e na Zum Casa Decor, na Cidade Nova ao lado da Policlínica.

O projeto, que é um benchmarking de Irmã Dulce, foi trazido para o Abrigo São Vicente de Paulo por meio da iniciativa do parceiro voluntário Marcos Mendonça.

Na equipe dos 38 funcionários da instituição, compõem o quadro de colaboradores enfermeiros, técnicos de enfermagem, cuidadores, portaria, higienização, assistência social, administrativo, lavanderia, refeitório, cozinha e serviços gerais.

Ajude o Abrigo São Vicente de Paulo a ter um Natal tranquilo, com o setor financeiro em ordem. Ajude na compra de um panetone. É só doze reais!

Por Anna K. MTB 4085/BA

UMA BELA CAMPANHA, VAMOS PRESTIGIAR E AJUDAR!

Gacc Sul Bahia abre contagem para Mc Dia Feliz 2019

O McDia Feliz vai acontecer no penúltimo sábado, dia 24 de agosto

Faltam 23 dias para o Mc Dia Feliz 2019 e o Grupo de Apoio à Criança com Câncer – GACC Sul Bahia participa de mais uma edição, que este ano, acontecerá no penúltimo sábado do mês de agosto. O McDia Feliz tem o intuito de despertar a atenção de toda a sociedade e sensibilizá-la para a maior causa de morte por doença entre crianças e adolescentes de zero a 19 anos: o câncer. Esta é 20ª vez em que a Instituição participa da campanha em benefício de crianças e adolescentes em tratamento contra o câncer infantojuvenil. Uma campanha coordenada nacionalmente pelo Instituto Ronald McDonald, e atualmente, é a maior mobilização no Brasil em prol da cura do câncer.

Todos os recursos arrecadados com a venda do Big Mac (exceto a Mc Oferta) nas cidades de Itabuna, Porto Seguro e Vitória da Conquista serão revertidos para o Gacc Sul Bahia. O tíquete antecipado já está sendo vendido no valor de R$17,00 cada, tanto nos pontos de apoio do Grupo (Casa de Apoio – bairro São Judas; Espaço Gacc – Centro), quanto com os voluntários. As camisas desta edição, que foi assinada, pelo designer itabunense, Henrique Ferreira, também já estão disponíveis, por R$25,00 cada. Vale destacar que, quem adquire o tíquete antecipado, não precisa pegar fila nos restaurantes Mc Donald’s, no dia 24 de agosto.

Na edição de 2018 o GACC Sul Bahia arrecadou, com a campanha, o valor de R$ R$94.586,81 (noventa e quatro mil, quinhentos e oitenta e seis reais e oitenta e um centavos) e o recurso foi utilizado na compra de Passagem de Cateter Central de Inserção Periférica (PICC) que leva mais conforto aos pacientes em tratamento, pois, o cateter, uma vez colocado, propicia uma via segura para administração de medicamentos, transfusões sanguíneas e nutrientes, evitando a necessidade de punções venosas repetitivas, que causam grande desconforto aos pacientes.

Em 2019 a intenção é arrecadar o valor de R$120.000,00 (cento e vinte mil reais) que terá como objetivo a aquisição de PICC e a realização do Programa de Diagnóstico Precoce nos municípios vizinhos, afim de que, as crianças e adolescentes tenham uma maior chance de cura.

ELES TAMBÉM ACREDITARAM

Casa Amarela arrecada fraldas para Abrigo São Vicente de Paulo

 

Arrecadação de fraldas geriátricas para o Abrigo São Vicente

 

            Independente de datas comemorativas, a Escola & Brinquedoteca A Casa Amarela incentiva o olhar atencioso ao próximo nas mais variadas relações cotidianas. E, nesta Páscoa, a instituição ilheense resolveu se solidarizar às necessidades do Abrigo São Vicente de Paulo, arrecadando fraldas geriátricas dos tamanhos M e G. A entidade filantrópica centenária é a única que cuida de idosos na cidade, recebendo, inclusive, vítimas de maus tratos e abandono familiar. As doações serão aceitas até a próxima segunda-feira (26) e podem ser deixadas na secretaria da Casa Amarela, em horário comercial.

            Para incentivar as doações entre as famílias dos estudantes, foi montado um painel na entrada da Casa Amarela com o tema da Páscoa e alguns itens já arrecadados. Esta não é a primeira vez que a instituição de ensino se engaja em atos solidários a entidades assistenciais. Na última Páscoa, foram arrecadados chocolates para crianças do Abrigo Renascer. “Acreditamos que a solidariedade, a percepção do outro e a valorização da vida são elementos essenciais para um mundo melhor. Por isso, semeamos diariamente o apreço e o respeito ao ser humano”, afirma a diretora Sandra Catharina Santos.

Doações para Mochila Solidária devem ser feitas até esta sexta

Mochila Solidária, doe…

Com o objetivo de arrecadar materiais escolares novos ou usados para estudantes de baixa renda, a campanha Mochila Solidária aceita doações até esta sexta-feira (09). Idealizada pelo mesmo grupo de voluntários que realizou a Ceia Natalina Solidária, a ação busca arrecadar não só mochilas, mas também pastas, lancheiras, estojos ou materiais de uso geral em boas condições e, preferencialmente, higienizados. O intuito é que tudo seja distribuído até o início das aulas.

A campanha Mochila Solidária não possui qualquer tipo de vínculo político, religioso ou institucional. E, assim como os doadores, os estabelecimentos que se disponibilizaram a funcionar como ponto de coleta colaboram na condição de voluntários. Inclusive, parte dos materiais arrecadados desde 15 de janeiro já foi encaminhada para crianças e adolescentes matriculados em escolas públicas de Ilhéus.

Para se tornar um elo desta corrente do bem, basta se dirigir ao ponto de coleta mais próximo. A Fisk está localizada na Rua General Câmara, número 102, Centro. A Casa Amarela fica na Rua 7, número 114, Jardim Pontal. A Escola Comecinho de Vida é na Rua Tobias Barreto, 91, Cidade Nova. O CAUA funciona na Praça São João Batista, 222, Pontal. A Academia VIP está situada na Avenida Litorânea Norte, Malhado. E o endereço da Cardoso Calçados é Avenida Lótus, 72, bairro Nelson Costa. Interessados podem entrar em contato com Sara Lemos, através do telefone e WhatsApp (73) 98822-1151.

VOLUNTÁRIOS ARRECADAM DOAÇÕES DE MATERIAIS ESCOLARES EM ILHÉUS

 

Banner da campanha.

Faltando pouco mais de um mês para o início das aulas, está aberta a temporada da corrida por materiais escolares nas livrarias e papelarias. Porém, muitos pais e responsáveis não têm condições financeiras para adquirir mochilas, estojos, lancheiras e demais itens básicos para a rotina de um estudante. Pensando nisso, um grupo de voluntários de Ilhéus lançou a campanha Mochila Solidária. Até o dia 09 de fevereiro, os interessados podem doar itens novos ou usados na unidade da Fisk do Centro e na Escola & Brinquedoteca A Casa Amarela, no Jardim Pontal, zona sul da cidade.

O grupo de voluntários que idealizou a campanha Mochila Solidária é o mesmo que organizou a Ceia Natalina para pessoas em situação de rua, no último dia 21 de dezembro. A ideia para arrecadação de materiais escolares surgiu no grupo de WhatsApp, quando uma das integrantes compartilhou a iniciativa realizada em outras cidades, inspirando os demais a aderir à nova missão.

A campanha Mochila Solidária não possui vínculos políticos, religiosos ou institucionais. Todos os itens arrecadados serão destinados a crianças e adolescentes de baixa renda de Ilhéus. Solicita-se que os materiais usados estejam em boas condições e, preferencialmente, higienizados. A intenção é distribuir tudo antes do início das aulas. Para abraçar a causa, basta ir ao ponto de coleta mais próximo. A Fisk está localizada na Rua General Câmara, número 102, Centro. Já a Casa Amarela fica na Rua 7, número 114, Jardim Pontal.

Atualização: Para reforçar esta corrente do bem, basta se dirigir ao ponto de coleta mais próximo. A Fisk está localizada na Rua General Câmara, número 102, Centro. A Casa Amarela fica na Rua 7, número 114, Jardim Pontal. A Escola Comecinho de Vida é na Rua Tobias Barreto, 91, Cidade Nova. O CAUA funciona na Praça São João Batista, 222, Pontal. Já a Academia VIP está situada na Avenida Litorânea Norte, Malhado. Interessados em disponibilizar comércio ou instituição como local de arrecadação podem entrar em contato com Sara Lemos, através do telefone e WhatsApp (73) 98822-1151. 

SANGUE É VIDA, DOE VIDA!

CAUA promove Roda de Conversa sobre Autismo e Déficit Intelectual

I RODA DE CONVERSA SOBRE AUTISMO E DÉFICIT INTELECUTAL

I RODA DE CONVERSA SOBRE AUTISMO E DÉFICIT INTELECTUAL

    

            O Centro de Apoio Universo do Aprender (CAUA), em Ilhéus, vai promover a primeira Roda de Conversa sobre Autismo e Déficit Intelectual. A iniciativa é gratuita e voltada para familiares, responsáveis ou cuidadores de crianças e adolescentes que tenham alguma dessas condições. O encontro será nesta quinta-feira (16), às 19 horas, na sede da instituição, que fica na Praça São João Batista, número 222, bairro Pontal. Estão disponíveis 20 vagas e as reservas podem ser feitas antecipadamente no local ou pelos telefones (73) 3231-2653/ 99100-2063/ 98871-6877.

            A Roda de Conversa será um espaço para troca de experiências entre os participantes, com mediação das profissionais do CAUA. A intenção é que os encontros aconteçam com regularidade, formando um grupo de ajuda mútua. “A terapia de crianças e adolescentes com autismo ou déficit intelectual vai além dos consultórios. Por isso é tão importante um espaço para que as pessoas compartilhem suas vivências e ajudem quem passa por situações semelhantes”, explica a psicopedagoga Cláudia Patrícia.

                

O que é o CAUA

            O Centro de Apoio Universo do Aprender surgiu em dezembro de 2015, oferecendo atendimento a crianças, jovens e adultos com dificuldades de aprendizado, apoio às famílias e suporte pedagógico a instituições de ensino. Com uma equipe multidisciplinar, o CAUA evita o abandono dos acompanhamentos pela dificuldade em passar por diferentes profissionais em locais variados. São disponibilizados serviços em psicopedagogia, psicologia, educação física, nutrição, fisioterapia, fonoaudiologia e arteterapia.

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
julho 2020
D S T Q Q S S
« jun    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia