WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Publicações’

Por que gente esperta usa telefone burro?

Por  em 

telburro Onde quer que vá, todo mundo está colado em seu “smartphone”. Em aeroportos, restaurantes ou na rua, as pessoas estão quase permanentemente coladas nestes dispositivos, obcecadas com a ideia de que não podem existir sem estarem conectadas ao mundo cibernético. Assim, enviam textos e tuítes, e-mail e Google, ‘seguem’ e ‘curtem’ no esforço de estar constantemente online. Isso se tornou parte da existência “normal” no mundo pós-moderno atual.

No entanto, nem todos estão conectados. Um número crescente de dissidentes dos smartphones está vendendo seu passe para o mundo digital. Estão comprando telefones burros que só fazem aquilo que os telefones costumavam: receber e fazer chamadas. Estes rebeldes não são ex-jogadores eletrônicos pós-modernos ou pessoas tecnologicamente inaptas. São pessoas inteligentes que usam telefones ‘burros’. E vêem sua decisão de desligar como uma experiência libertadora que lhes permite viver suas vidas livres da mediação de dispositivos eletrônicos.

Os telefones burros constituem um segmento pequeno mas robusto do mercado de telefonia. Ao comprarem um telefone barato de 30 dólares, seus proprietários poderão juntar-se ao um por cento que constitui este grupo de elite. Na realidade, muitos ‘refuseniks’, que rejeiam os smartphones são profissionais, alguns até moram no Vale do Silício, onde ajudam a projetar os dispositivos e aplicativos dos famigerados smartphones. Assim, muitos executivos podem mais facilmente responder e encomendar um simples Jitterbug flip-telefone, respondendo a um anúncio no The Wall Street Journal. :: LEIA MAIS »

“Eles são todos “republicanos”

Por Mario Sabinomariosabino


Em fevereiro de 2005, pouco antes da eclosão do mensalão, publiquei na Veja um artigo sobre uma palavra que começara a frequentar o discurso político brasileiro: “republicano”.


Passada mais de uma década, e muitos escândalos depois, concluí que o artigo permanece atual, ao mostrar não só como os nossos homens públicos empilham palavras vazias em nossos ouvidos, mas como a empulhação lulista era bem maior do que se imaginava.  Dois meses antes, Lula havia lançado o “Pacto de Estado em favor de um Judiciário mais Rápido e Republicano”. Pois é.

Eis o que escrevi, com ligeiras modificações:

Uma palavra imiscuiu-se nos discursos dos próceres petistas, em sua forma adjetivada: “republicano”. Salvo engano, o primeiro a empregá-la foi o professor Luizinho, líder do governo na Câmara. Ele disse que uma operação da Polícia Federal colocou em risco o processo republicano. O presidente Lula não perdeu a deixa e, numa reunião ministerial realizada dias depois, afirmou: “Herdamos uma máquina administrativa ineficiente, desprovida, em boa parte, do sentido republicano, sem vocação para realizar políticas em proveito da maioria”. No mesmo mês de dezembro, Lula lançou o “Pacto de Estado em favor de um Judiciário mais Rápido e Republicano”. A porta estava aberta para que os petistas usassem o termo com a prodigalidade com que os coronéis nordestinos andam distribuindo cartões do Bolsa-Família. Um dos que mais reincidem é o ministro da Educação, Tarso Genro, aquele que posou ao lado do ditador cubano (e republicano) Fidel Castro. Genro disse que a política de cotas nas universidades era “republicana, inclusiva, democrática”.

:: LEIA MAIS »

Você já errou ao fazer a coisa certa no momento errado?

Por Mario Sabinomariosabino

Outro dia me perguntaram qual havia sido o grande erro que eu havia cometido na vida.Embatuquei. Foram tantos. Pedi para que o sujeito delimitasse o campo: familiar, amoroso, intelectual ou profissional? Ele respondeu “profissional”.

Não tive dúvida: o meu maior erro foi tentar sair do jornalismo, desobedecendo à máxima de Sêneca, o pensador romano, segundo a qual, para sermos felizes, devemos “estabelecer antecipadamente o que buscamos atingir e, depois, examinar por onde podemos chegar lá mais rapidamente, desde que seja pelo caminho certo”. Eu havia me desviado do caminho que havia traçado para mim e me dera mal.

O meu interlocutor não se satisfez com Sêneca e pediu para que eu fosse pontual: qual havia sido o grande erro que eu havia cometido no jornalismo.

Pensei em quase todas as bobagens que escrevi (difícil lembrar de todas, quando se tem 32 anos de profissão), mas nenhuma me pareceu forte o suficiente para saciar a súbita vontade de penitenciar-me. Passados longos cinco minutos, afirmei que o meu grande erro profissional havia sido ter feito a coisa certa no momento errado.

Em 1998, quando assumi o cargo de editor-executivo de Artes e Espetáculos da revista Veja, fui incumbido pelo então diretor de redação de dar uma espanada na poeira que se depositara na editoria. Uma das minhas providências foi criar a seção “Veja Recomenda”, para cobrir mais extensamente o mercado cultural. Além disso, decidi tornar a lista de livros mais vendidos rigorosa e semanal. Havia anos, a lista era elaborada de qualquer jeito por um funcionário da produção da revista, a partir dos relatórios enviados pelas livrarias, e era publicada apenas quando sobrava espaço nas páginas da editoria, sem periodicidade definida.

:: LEIA MAIS »

ANIVERSÁRIO DA IGREJA BATISTA LINDINÓPOLIS.

WhatsApp Image 2016-08-02 at 19.03.05

WhatsApp Image 2016-08-02 at 19.06.12

NOTÓRIOS E FAMIGERADOS.

boaimprensa

agudas

Um colega narrou-me como verídico o fato que resumo a seguir.

         O provimento de cátedra na Faculdade de Medicina exigiu do professor Chinaglia a elaboração de uma tese sobre assunto da sua especialidade. Incluiu nela citações de um cientista de fama internacional, atribuindo-lhe o qualificativo famigerado. Este adjetivo constava no Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa, predecessor do Aurélio, como significando famoso, dotado de fama, notável, célebre; mas não mencionava o sentido pejorativo – mal afamado, infame – apesar de ser esta a acepção mais usada na linguagem corrente, talvez a única conhecida pela maioria das pessoas.

A inclusão do adjetivo na tese era uma “casca de banana” proposital, e coube a um dos examinadores, catedrático baiano, protestar enfaticamente contra essa referência pejorativa ao tão renomado cientista. Em sua defesa, Chinaglia declarou-se surpreso com a censura do examinador, em seguida leu todo o verbete no dicionário, que tivera o cuidado de levar consigo. Conquistou a cátedra, mas o troco veio no banquete em sua homenagem. O loquaz professor baiano encerrou sua saudação com estas palavras:

         — … E quando eu chegar à Bahia, vou dizer aos meus amigos que tive a grande honra de examinar e aprovar o famigerado professor Chinaglia.

         Por ter dado azo a esse episódio, e principalmente aos comentários que circularam rapidamente, o dicionarista Aurélio julgou conveniente defender-se na edição atualizada, embora sem reconhecer a falha. Se tiver tempo e curiosidade, procure o verbete famigerado e veja a forma habilidosa como ele o fez.

:: LEIA MAIS »

ATAS DAS CONVENÇÕES PARA ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2016.

 

ATA DA CONVENÇÃO MUNICIPAL PARA DELIBERAÇÃO SOBRE COLIGAÇÕES, ESCOLHA DOS CANDIDATOS DO PARTIDO PROGRESSISTA-PP ÀS ELEIÇÕES DE 2016 E DEMAIS DELIBERAÇÕES SOBRE A PARTICIPAÇÃO DO PARTIDO NO PLEITO REFERIDO, NO MUNICÍPIO DE ILHÉUS-BAHIA.Aos cinco dias do mês de agosto do ano de 2016, às nove horas, no Clube Social de Ilhéus, no endereço Avenida Bahia, s/n, Cidade Nova, instalou-se a Convenção do Partido Progressista – PP, convocada conforme edital devidamente publicado, em consonância com as disposições estatutárias, sob a presidência de John Sousa Ribeiro. Abertosa convenção, o Presidente convidou Raimundo Borges da Silvapara secretariar os trabalhos e registrou as presenças de filiados e convencionais que, à proporção em que chegavam, assinavam a lista de presença. Após discussões sobre questões gerais relativas às eleições majoritária e proporcional, o secretárioatestou a existência de número de convencionais suficientes para deliberar, conforme constatado na lista de presença, certificando a existência, em terceira chamada, de quorum estatutário para deliberação sobre a pauta da convenção, cujo edital de convocação continha a seguinte Ordem do Dia: a)Deliberação sobre coligação partidária para eleição majoritária e proporcional, discussão, aprovação e nome da coligação; b)escolha do Candidato a Prefeito e Vice-Prefeito; c) escolha dos candidatos a Vereador;d) sorteio dos respectivos números para Candidatos a Vereador; e) outros assuntos de interesse partidário e eleitoral.Passou-se, então, à discussão dos itens propostos para a Ordem do Dia,sobre a possibilidade de coligação na chapa majoritáriaa ser formada com os partidos a seguir nominados:Partido Progressista-PP, Partido Trabalhista Nacional-PTN, Solidariedade-SD, Partido Republicano da Ordem Social-PROS, Partido Republicano Brasileiro-PRB, Partido da Social Democracia Brasileira-PSDB, Partido Comunista do Brasil-PCdoB, Partido Verde-PV e Partido da República-PR, onde o candidato a Prefeito será doPP, e o Vice-Prefeito do PCdoB, sendo eles, respectivamente, Carlos Machado de Andrade Filho e Rodrigo Cardoso dos Santos. :: LEIA MAIS »

NOTA PÚBLICA SEINTRA

FACEBOOK COMEÇA A DESPENCAR ! ===>>> 11-06-2014

Entenda por que o alcance e a credibilidade do Facebook estão despencando

Broken heart

Você já deve ter percebido que, ao publicar qualquer conteúdo na fan page de uma marca no Facebook, o alcance orgânico não é mais o de antigamente. Entenda por alcance orgânico a audiência conquistada espontaneamente, sem investimento financeiro. O que acontece é que, agora, para conseguir visibilidade minimamente razoável, é preciso pagar para impulsionar as publicações.

O Facebook passou vários anos convencendo empresas de que acumular curtidas e fãs eram o melhor caminho para um marketing online eficaz. Marcas e agências que acreditaram nele agora se sentem enganadas, como se tivessem caído numa cilada ? o que não deixa de ser verdade. O alcance orgânico despencou, como mostra o gráfico abaixo.

Alcance orgânico do Facebook

Na semana passada, o Facebook usou seu blog para tentar justificar a queda. Em síntese, foram duas as explicações:

  1. O volume de conteúdo publicado pelos usuários cresceu muito. Hoje, se não houvesse filtro, um usuário seria bombardeado por 1.500 publicações cada vez que acessasse a sua conta.
  2. Nesse cenário, a plataforma social é obrigada a filtrar o conteúdo por meio de algoritmos, exibindo apenas cerca de 300 dessas 1.500 atualizações.

Brian Boland, líder do programa de anúncios do Facebook, é quem assina o post. Vamos transportar para o mundo físico a explicação dele.

Imagine que você todos os dias passa numa calçada em que sempre há três ou quatro moças entregando panfletos comerciais. É provável que elas consigam entregar a você os seus flyers — ou que, no mínimo, você perceba a presença de cada uma delas. O tempo passa e, quando você se dá conta, em vez de três ou quatro moças, há 500 panfleteiras agora na mesma calçada. É natural que poucas recebam a sua atenção. Aliás, bem que alguém poderia criar uma forma de posicionar melhor aquelas que tenham ofertas potencialmente mais interessantes para você. Seria ótimo, não? :: LEIA MAIS »

PP de Ilhéus realiza convenção nesta sexta-feira para homologar candidatura de Cacá a prefeito

PP lança Cacá candidato a prefeito de Ilhéus.

PP lança Cacá candidato a prefeito de Ilhéus.

O diretório do Partido Progressista (PP) em Ilhéus realiza, na próxima sexta-feira, dia 5, a partir das 9 horas, no Clube Social, a convenção que vai homologar as candidaturas para prefeito, vice-prefeito e a vereadores do município, além dos partidos aliados. O partido confirmará a indicação do vice-prefeito Carlos Machado (Cacá) para disputar o cargo de prefeito nas eleições deste ano.

O nome do vice-prefeito foi previamente lançado durante ato realizado pelo partido no último dia 16 de julho, na Associação Desportiva 19 de Março, com a presença do vice-governador da Bahia, João Leão, presidente estadual do PP, e dos deputados federais Roberto Britto e Mário Negromonte Jr., Márcio Marinho, do PRB, Davidson Magalhães (PCdoB), e o deputado estadual, Eduardo Salles (PP), entre outras lideranças políticas.

A indicação de Cacá para concorrer ao cargo do prefeito se consolidou após o anúncio feito pelo prefeito Jabes Ribeiro, que tinha o direito de disputar a reeleição, de que não se candidataria nas eleições deste ano em virtude de tratamento de saúde. O nome do candidato a vice-prefeito ou vice-prefeita na chapa do PP deve ser anunciado até o dia da convenção. 

31/07/16 15:45:39 NÃO HÁ MOTIVOS PARA PRENDER LULA (Hélio Bicudo)

Lula de saco cheio.

Lula de saco cheio.

“Prender Lula só porque lavou dinheiro ocultando duas propriedades?

Só porque ganhou imóveis e reformas de empreiteiras às quais tinha favorecido?

Só porque recebeu propina fingindo que fez palestras que nunca deu?

Só porque fez o BNDES emprestar 8 bilhões para Odebrecht fazer obras sem concorrência em países bolivarianos?

Só porque comandou uma organização criminosa que quebrou a Petrobrás?

Só porque contratou sondas superfaturadas da Schahim para receber comissões e dinheiro sujo para a campanha?

Só porque mandou acobertar o assassinato do prefeito Celso Daniel pagando com dinheiro da comissão das sondas?

Só porque fez a Petrobras fornecer nafta à Braskem abaixo do valor de mercado por vários anos, causando prejuízo superior a 5 bilhões segundo o TCU?

Só porque saqueou os palácios ao ir embora, levando não só presentes de Estado como até a prataria da casa?

Só porque escolheu e elegeu uma presidente incompetente, despreparada, desequilibrada e burra, propositadamente, esperando com isso sucedê-la 4 anos depois?

:: LEIA MAIS »

anuncie aqui

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia


dezembro 2016
D S T Q Q S S
« nov    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

anuncie aqui



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia