Dê a sua opinião:

GANHANDO NA MEGA-SENA ACUMULADA, VOCÊ INVESTIRIA EM ILHÉUS? NO QUÊ?

Resultados

Loading ... Loading ...

Archive for the ‘Publicações’ Category

Do lobisomem à lenda urbana da gerentona.

05 de abril de 2014 | 2h 07rolf-kuntz-testeira

ROLF KUNTZ – O Estado de S.Paulo

Lobisomens, vampiros, assombrações e mulas sem cabeça podem ter apavorado muita gente durante séculos, mas a nenhuma dessas figuras foi atribuído um desastre econômico. Nem mesmo a personagem histórica de Vlad III, príncipe da Valáquia, também conhecido como conde Drácula, o Empalador, foi associada ao descalabro fiscal, à estagnação produtiva, a um surto inflacionário ou à demolição de alguma empresa estatal. Ao contrário: era respeitado pela devoção à sua terra, pela coragem e pela severidade na punição dos crimes cometidos por seus, digamos, companheiros. Muito natural, portanto, ver o mundo mais uma vez curvar-se diante do Brasil, primeira economia, e das grandes, submetida a demolição por uma personagem lendária, a administradora Dilma Rousseff, às vezes descrita como gerentona.

O criador dessa lenda pode ter sido um gozador, mas a piada foi levada a sério por uma porção de incautos e até espalhada como verdade por muitos meios de comunicação. Os fatos claramente negaram o mito nos últimos três anos e três meses. Ainda continuam negando, a cada nova revelação sobre as consequências da política econômica – as perdas da Eletrobrás e da Petrobrás, por exemplo, e os estragos no Tesouro. O espetáculo poderia até ser engraçado, mas tem custado bilhões e ninguém sabe quanto ainda poderá custar.  Read the rest of this entry »

Arma (nada) secreta

Aecio Neves. Foto: Dida Sampaio / AE

Aecio Neves. Foto: Dida Sampaio / AE

 Merval Pereira, O Globo

Meu comentário para o Globo a Mais de ontem foi sobre a estratégia do candidato tucano para enfrentar a ameaça da candidatura Lula, tida pelo senso comum como imbatível. Comentei que ao tratar abertamente da possibilidade de o ex-presidente Lula vir a disputar a Presidência da República já este ano, em lugar de Dilma, o senador Aécio Neves atacou dois problemas de uma vez só: ao mesmo tempo em que enfraquece sua provável adversária direta, que continua sendo a candidata natural do PT mesmo com as dificuldades de seu governo, trata de esconjurar o fantasma da candidatura Lula, vista pelos petistas como a bomba atômica que o PT tem para acabar com a guerra em caso de necessidade.

Dizer que não importa se o candidato será Lula ou Dilma, e sim derrotar o modelo de governo que representam, significa que a candidatura do PSDB terá seu foco em um projeto de governo, e não na mera disputa política que confronta petistas e tucanos desde 1994.

Deste modo, derrotar o mito em que Lula se transformou na eleição presidencial seria uma consequência do convencimento do eleitorado de que o tempo do PT já se esgotou. Read the rest of this entry »

MAIS OPINIÕES SOBRE O DESATINADO GOVERNO FEDERAL

Mesmo sem manifestações, aprovação do governo despenca e palacianos entram em pânico.

02/04/2014 | Escrito por 

dilma_rousseff_420

Luz vermelha – É grande a preocupação no Palácio do Planalto em relação à queda da aprovação do governo da presidente Dilma Rousseff. Pesquisas qualitativas encomendadas pelos palacianos têm mostrado uma tendência de queda na popularidade da petista, que enfrenta uma grave crise institucional, resultado da forma totalitária do PT de governar e que começa a transformar o País em uma versão agigantada da combalida e truculenta Venezuela.

A situação preocupa não apenas o staff presidencial, mas os marqueteiros envolvidos na campanha de Dilma pela reeleição. A aprovação do governo da petista está com alguns míseros e magros pontos acima de 30%, mesma situação da época das manifestações de junho e julho do ano passado. Acontece que no momento atual a preocupação é maior, pois não há, pelo menos por enquanto, qualquer manifestação mais ruidosa contra o governo. Ou seja, o governo Dilma caiu em desgraça junto à opinião pública.

Na opinião dos especialistas em eleições, Dilma precisaria ter um índice de aprovação do seu governo acima de 40% para desfrutar de certa tranquilidade em relação à campanha eleitoral. Reverter esse quadro não é tarefa fácil e os brasileiros devem se preparar porque o suado dinheiro de cada um será torrado para incensar um desgoverno que é responsável por colocar a pá de cal sobre o processo de dilapidação da economia do País.

No momento, o calcanhar de Aquiles do projeto político de Dilma Rousseff é o caso da aquisição, pela Petrobras, da refinaria texana de Pasadena, que deixou um prejuízo ao País de mais de US$ 1 bilhão. Outro importante ingrediente que tem colaborado de forma destacada para manter Dilma no ralo da opinião pública é a crescente crise econômica. A inflação vem corroendo os salários, obrigando os cidadãos a sacrifícios e mudanças de hábitos de consumos.

O cenário deve piorar muito para o lado do governo, pois economistas e o próprio Banco Central já trabalham com a projeção de que durante o último mês de campanha o IPCA estará em patamar acima do teto de 6,5% do programa de metas de inflação. Conforme estabeleceu o governo, a meta de inflação, que deve ser perseguida pelo BC, é de 4,5% ao ano, mas tem se mantido sempre próxima do teto. A aprovação do governo despenca na medida em que cresce a inflação real, aquela enfrentada diariamente pelos brasileiros. Quem lida com o cotidiano sabe que a inflação real já deixou para trás a órbita de 20% ao ano. E não custa lembrar que quando o assunto é o mais temido fantasma da economia, o céu é o limite.

 

Vergonha – CEI da ‘cinquentinha’ da Câmara de Ilhéus, não será aberta.

Elias Reis

Elias Reis

Em primeira mão informamos que a Câmara Municipal de Ilhéus não pensa em criar a Comissão Especial de Inquérito (CEI) para apurar possível corrupção envolvendo cinco vereadores, todos da base governista do prefeito Jabes Ribeiro. A denúncia foi feita na última 3ª feira, 25, pelo ex-prefeito Newton Lima, afirmando categoricamente que lhe foi pedido R$ 50 mil para cada vereador, em troca da aprovação de suas contas. O intermediário foi o inexperiente vereador James Kosta (PMN).

A Câmara foi provocada, pois a denúncia do ex-prefeito é o bastante para que o presidente Josevaldo Machado abra a comissão processante. A CEI simplesmente não será aberta em função de um esquema montado de corporativismo e blindagem entre partedos parlamentarespara com os acusados. UMA VERGONHA. RIDICULA SITUAÇÃO DESTE PODER QUE TAMBÉM TEM A SUA BANDA PODRE.

Até agora nenhum vereador teve coragem de se manifestar e iniciar a coleta de assinaturas para protocolar o requerimento de abertura da CEI. E deveria, pois, se todos os envolvidos se dizem inocentes, que se crie a CEI para ratificar essa tal inocência.

O objetivo em se formar a CEI é apurar se realmente ocorreu de fato esse ato de corrupção ou não, que, aliás, o próprio vereador Valmir de Inema é testemunha chave. E, o denunciante Newton Lima foi claro: “O vereador Valmir de Inema ouviu e viu a proposta indecorosa do vereador James Kosta”.

E a sociedade mais uma vez vai ter que engolir essa sujeira promovida por alguns do legislativo, que há tempo perdera toda vergonha na cara e toda a credibilidade. Há tempo a Câmara de Ilhéus deixou de ser um poder independente, séria e compromissada com os anseios da sociedade. NÃO QUEREMOS CRÊ QUE A OMISSÃO DO PRESIDENTE TENHA O CRIVO DO EXECUTIVO.

A Câmara de Ilhéus, hoje, pouco produz e proposições que se arrastam desde 2013; excesso de diárias; gastos demasiados; não eventualmente faltas injustificadas de parlamentares e dias abonados; falta de quórum é uma constante; ataques entre todos com palavrões e xingamentos é normalíssimo; uma comissão de ética que é uma farsa; câmara sem administrador (apesar de nomeado chefe de controle, né?); câmara sem site, sem ouvidoria (na prática, né?); assessoria de imprensa sem condições de trabalho; Sem falar na inobservância da Lei nº 12.232 – É a única Câmara do Brasil que foge da licitação de publicidade (só na teoria, né?).Ou o presidente dá um norte ou essa câmara continuará na lama. A DESGRACEIRA AINDA É QUE EXISTE TRAMITANDO UMA EMENDA PROPONDO REELEIÇÃO DO PRESIDENTE DA CÂMARA, EM ILHÉUS. Como diz Rabat: “Vá matar o diabo”.

Vamos aguardar se pelos menos aparece um macho que tenha coragem de impor a moralidade deste circo (como bem comparou a câmara de Ilhéus, o vereador ex-cria da Deputada Ângela Sousa), em apresentar um requerimento pedindo a apuração das denuncias. Pois, Newton Lima não é doido, não se medica com Gardenal e nem fuma maconha para delirar com acusações infundadas. Deve ter provas materiais. Se criando a comissão processante o denunciante apresentará a tal gravação. Se assim não agir, o ex-prefeito não passaria de um moleque e deverá responder judicialmente.

Enfim, aguardemos os próximos dias, pois, caso a direção deste circo fique em silêncio e omissa, com certeza o Ministério Público Estadual será provocado por terceiros, para as devidas providências. Na representação também deverá ser pedido quebra de sigilo bancário e telefônico de todos os citados e O afastamento imediato de James Kosta da Comissão Permanente de Finanças.

Elias Reis é editor do www.jornaldoradialista.com.br

CHUMBO GROSSO SEM MEIAS PALAVRAS !

Uso político do desmonte na Petrobras

NePTuno.

NePTuno.

 
Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.net
Por Otacílio M. Guimarães

Deputado Vicentinho: Li e reli até decorar uma notícia pescada na internet e divulgada pelo O Estado de São Paulo sob o título “Cúpula do PT aponta uso eleitoral de denúncias sobre a Petrobrás”, acusando o PSDB de tal crime. O texto da notícia inclui algumas considerações suas a respeito que, dada a sapiência nelas contidas, não me contive e vou comentar. Afirma a reportagem que você orientou o diretório da sua quadrilha a fazer uma “defesa enfática” da Petrobrás e da gestão da presidanta Dilma Rousseff. Bravos, Vicentinho, os comparsas têm mais é que se ajudar defendendo uns aos outros de suas falcatruas. Isto chama-se fidelidade, qualidade que não deve ser negada nem aos piores bandidos. Afinal, uma quadrilha unida jamais será vencida.

Você declarou, segundo a notícia: “Essas informações sobre a compra da refinaria do Texas são antigas e aparecem justamente num período eleitoral. A defesa da Petrobrás tem que ser um compromisso do povo brasileiro. Ela não pode receber pancada toda hora. Não é patriótico”.

É claro que a informação sobre essa maracutaia é antiga, pois a revista Veja a denunciou logo depois que a negociata foi concretizada. Ocorre que o seu presidente à época, Luís Inácio Lula da Silva, que se notabilizou por defender corruptos, não se preocupou em mandar apurar o crime, que era sua obrigação. Ao invés disso, como sempre fez, tratou de abafá-lo.

Afirmar que a defesa da Petrobras tem que ser um “um compromisso do povo brasileiro” é subestimar demais a inteligência de todos os brasileiros que têm a capacidade de pensar, raciocinar e deduzir, que são muitos, posso lhe garantir. Qual o cidadão ou cidadã em perfeito juízo vai defender uma empresa estatal aparelhada por corruptos sangue-sugas, dirigida por uma mulher de notória incompetência que vende aos consumidores de seus produtos os derivados mais caros do planeta, embora abaixo do valor que pagou para ajudar o governo a manter a inflação sob controle já que este não possui inteligência e competência suficientes para resolver o problema da maneira correta? Não se combate a inflação, que é provocada pelo governo, diga-se, quebrando uma empresa como a Petrobras.   Read the rest of this entry »

Bolsa Família pode deixar de ser trunfo eleitoral de Dilma, diz especialista.

Marcos Coimbra, presidente do Instituto Vox Populi, avalia que nova classe C não se identifica mais com programa, o que reduz impacto eleitoral

Elizabeth Lopes

São Paulo – Uma das grandes vitrines do PT nas campanhas eleitorais que elegeram Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff para a Presidência da República, o Programa Bolsa Família, poderá deixar de ser um patrimônio político nas eleições gerais deste ano e se tornar um problema a ser administrado pelos petistas. A análise é do presidente do Instituto Vox Populi, Marcos Coimbra, em entrevista exclusiva ao Broadcast Político, com base em recentes pesquisas qualitativas realizadas por seu instituto.

Veja também:
link Bolsa Família tem ‘boom’ em São Paulo, mas índice de cobertura ainda é baixo
link Para pesquisadora, preconceito contra Bolsa Família é fruto da cultura do desprezo

O levantamentos detectaram um desgaste e o crescente aumento das críticas dos setores emergentes da classe média com relação a este programa do governo federal. “O Bolsa Família envelheceu, não pode mais ser usado como o grande carro-chefe das campanhas petistas. E as críticas não são apenas da classe média conservadora, mas estão vindo especialmente da chamada nova classe C, justamente aquela que ascendeu na gestão do PT”, destaca Coimbra.

Segundo ele, os cidadãos da chamada nova classe C, que congrega um contingente estimado em 40 milhões de pessoas – um número não muito distante do total de 47,6 milhões de votos que Dilma teve no primeiro turno das eleições gerais de 2010 -, têm demonstrado em suas críticas ao Bolsa Família que não estão mais identificados com este tipo de benefício, que se tornou um símbolo do que eles não são mais, pois ascenderam socialmente com seus próprios méritos e agora não querem mais compactuar com os que ainda se escoram nas benesses governamentais. “Esses cidadãos alegam que pagam seus impostos, enquanto outros recebem as benesses do governo, por isso não querem mais ser identificados com os que ainda dependem do programa para sobreviver”, explicou o presidente do Vox Populi. Read the rest of this entry »

EX-PETISTA INFORMA: 2014 VAI DAR MERDA.

Carlos Vereza

Carlos Vereza

CARLOS VEREZA DIZ O QUE SENTE:

Não é necessário ser profeta para revelar antecipadamente o que será o ano eleitoral de 2014. 

Ou existe alguém com tamanha ingenuidade para acreditar que o “fascismo galopante” que aparelhou o estado brasileiro vá, pacificamente, entregar a um outro presidente que não seja do esquema lulista os cargos, as benesses, os fundos de pensão, o nepotismo, enfim, a mais deslavada corrupção jamais vista no Brasil?

Lula já declarou, que (sic) “2014 vai pegar fogo!”. Entenda-se, por mais esta delicadeza gramatical, golpes abaixo da cintura: dossiês falsos, PCC “em rebelião”, MST convulsionando o país… que a lei de Godwin me perdoe – mas assistiremos em versão tupiniquim, a Kristallnacht, A Noite dos Cristais que marcou em 1938 o trágico início do nazismo na Alemanha.

E os “judeus” serão todos os democratas, os meios de comunicação não cooptados (verificar mais uma tentativa de cercear a liberdade de expressão no país: em texto aprovado pelo diretório nacional do PT, é proposto o controle público dos meios de comunicação e mecanismos de sanção à imprensa). Tudo isso para a perpetuação no poder de um partido que traiu um discurso de ética e moralidade ao longo de mais de 25 anos e, gradativamente, impõe ao país um assustador viés autoritário. Não se surpreendam: Há todo um lobby nacional e internacional visando a manutenção de Lula no poder.

Prêmios, como por exemplo, o Chatham House, em Londres, que contou com “patrocínios” de estatais como Petrobras, BNDS e Banco do Brasil, sem, até agora, uma explicação convincente por parte dos “patrocinadores”; matérias em revistas estrangeiras, enaltecendo o “mantenedor da estabilidade na América Latina”. Ou seja: a montagem virtual de um grande estadista…

Na verdade, Lula é o Übermensch dos especuladores que lucram como “nunca na história deste país”.

Sendo assim, quem, em perfeito juízo, pode supor que este ególatra passará, democraticamente, a faixa presidencial para, por exemplo, José Serra , ou mesmo Aécio Neves?

Pelo que já vimos de “inaugurações” de obras que sequer foram iniciadas, de desrespeito às leis eleitorais, do boicote às CPIs como a da Petrobras, do MST e tantos outros “deslizes”, temos o suficiente para imaginar o que será a “disputa” eleitoral em 2014.

E tem mais: o PT está comprando, com o nosso dinheiro, políticos, intelectuais, juízes, militares, o povo humilde com bolsa esmola e formando milícias com o MST, PCC, Sindicatos, ONGS, traficantes e outros, que recebem milhões e milhões de reais, para apoiar o PT e as falcatruas do Governo Dilma.

Não podemos nem pensar em colocar novamente como Presidente do Brasil uma mulherTERRORISTA, que passou a vida assaltando bancos, matando pessoas inocentes, arrombando casas, roubando e matando. Só uma pessoa internada num manicômio seria capaz de votar numa BANDIDA para presidente de um País. 

Confiram.
Carlos Vereza
Ator e ex-petista

O desafio de ser jornalista.

Experiência ou conhecimento. O que conta em uma Redação?

por Caliana MesquitaCaliana

 

As vésperas do inicio das atividades mais dramáticas no que diz respeito a rotina jornalística no Brasil, os profissionais da comunicação e os veículos que os hospedam em suas redações devem uma autoavaliação ao povo brasileiro, antes de saírem as ruas em busca de noticias que preencham suas programações. Sabendo que a comunicação no Brasil de hoje esta repleta de ruídos, compostos tanto por uma mídia alternativa de grande difusão social, como as conhecidas Redes Sociais, quanto por amadores da comunicação que com uma maquina fotográfica e uma webcam conseguem ser mais imediatistas que muita afiliada de TV espalhada pelo país. 

 

Se o Brasil que irá sediar o Mundial de futebol fosse o de anos atrás os dribles, as faltas, a cerimonia de abertura e as comemorações pelo grande evento seriam as manchetes, os destaques nos noticiários na Copa do Mundo de 2014. Se o Brasil que irá escolher o novo presidente, governador, senadores e deputados fosse o mesmo de 2010, os números nas urnas, os votos dos candidatos e as apurações “boca de urna” preencheriam as pautas da imprensa nacional e então a comunicação áudio/visual entre as redes e afiliadas viveriam um momento de paz.  Read the rest of this entry »

Ler, ver e crer.

Pesquisa mostra o predomínio da televisão, o potencial da internet e a alta confiança em jornais.suzana_singer-230x310-v2

A julgar pelo que se discute na imprensa -explosão da internet, derrocada dos impressos, perda de audiência da televisão aberta-, os brasileiros já entraram de vez no jornalismo 2.0. Não é bem assim.

Uma pesquisa bastante abrangente sobre hábitos de mídia (18 mil entrevistas em 848 municípios), feita pelo governo federal, mostra que o domínio da televisão ainda beira o absoluto. O seu amigo radical, professor universitário que lê em francês e não tem televisão, é a exceção da exceção -97% dos brasileiros assistem à TV, 65% fazem isso todo santo dia, numa média diária de três horas e meia.

Na supremacia da TV aberta, a Globo, como era de esperar, lidera com uma vantagem folgada. À pergunta espontânea “A qual telejornal você assiste?” 45% disseram ser o “Jornal Nacional”, 16% citaram o “Jornal da Record” e 8%, o “Cidade Alerta”, também da Record.

É uma elite que se delicia com as perversidades de “Game of Thrones” e com os jardins de “Downton Abbey”: a TV paga está em um terço dos lares (31%), especialmente nos mais ricos e nos localizados nas grandes cidades. É menos do que a porcentagem dos que, no extremo oposto, dependem de uma antena parabólica para ver seus programas favoritos na TV aberta (37%).

O rádio, sempre esquecido nos debates sobre os rumos da mídia tradicional, continua firme e forte. Segundo a pesquisa, 60% dos brasileiros ouvem rádio, 21% todos os dias, em média, por três horas.

A maioria dos brasileiros nunca acessa a internet (53%), mas o potencial de crescimento da rede é evidente quando se olha para os mais jovens. Entre os que estão na faixa de 16 a 25 anos 48% navegam pela web todos os dias. Além da idade, o determinante para estar on-line é escolaridade, renda e viver em cidade grande. Dos entrevistados que estudaram até a quarta série apenas 8% acessam a rede uma vez por semana; no alto da pirâmide, entre os que terminaram a universidade, esse número salta para 87%.

Aquele seu outro amigo radical, o advogado trabalhista que acha ridículo contar a vida no Facebook, é também ponto fora da curva. Dos internautas 67% estão na rede social de Mark Zuckerberg e 31% dizem que se informam por ela.

Os jornais impressos são lidos por um quarto da população adulta, especialmente pela parcela de alta escolaridade. Mas o leitor assíduo, que, como você, segue a Folha de domingo a domingo, é tão raro quanto os seus amigos esquisitos que viram as costas para a Globo e para as redes sociais: apenas 6% leem jornal todo dia.

A força do impresso não está na abrangência, mas na confiabilidade. Enquanto 53% dos entrevistados confiam (sempre ou muitas vezes) nas notícias dos jornais, só 28% dizem a mesma coisa em relação aos sites e 22% sobre blogs.

Pode ser que o jornal esteja se tornando alimento para animais em risco de extinção, mas o fundamental é não perder o voto de confiança do leitor. A luta pela sobrevivência consiste em garantir um espaço relevante na internet, onde está a audiência do futuro, mantendo o prestígio da marca do impresso.

Três anos de descrédito.

  • O que resta, hoje, é o retrato da Dilma real: uma presidente sem liderança, sempre em busca e à mercê de seu patrono, o ex-presidente Lula.

ANTONIO IMBASSAHYantonio_imbassahy_cobra_enfatico_plenario_foto-elton_bomfim_ag_camara1

Publicado:

A fechar o terceiro ano deste governo petista, restaram apenas marcas de uma gastança sem limites com seus 39 ministérios e 13 empresas criadas para acomodar companheiros, de um relaxamento com a corrupção presente ao redor da “comandante”, do afrouxamento no controle da inflação, da queda de competitividade do Brasil perante o mercado mundial.

O Brasil pós-Dilma paga o preço do descrédito geral nas promessas e acordos feitos, da deseducação, que nos coloca entre os países mais atrasados do mundo, da falta de infraestrutura, da ausência de uma política nacional de segurança pública, dos serviços públicos precários e ineficientes, apesar de os brasileiros estarem pagando impostos como nunca.

Esses três anos de administração caótica foram suficientes para que caísse por terra, definitivamente, a imagem marqueteira que nos foi vendida na eleição passada, da gestora competente, a mãe do PAC, rigorosa no combate aos corruptos, capacitada para solucionar os mais complexos problemas do país. Era tudo um engodo. Um personagem de ficção.

O que resta, hoje, é o retrato da Dilma real: uma presidente sem liderança, sempre em busca e à mercê de seu patrono, o ex-presidente Lula, e a balbuciar diante das câmaras os textos do seu guru-marqueteiro. Tão intolerante a ponto de praticamente agredir os que a cobram pelas promessas não cumpridas ou que têm opiniões diferentes das delas. Dia desses, chamou a oposição de cara de pau. Falta-lhe equilíbrio.

Uma presidente que posou de faxineira, mas que terminou por guardar o próprio lixo sob os tapetes do Planalto, por conveniências e ambições de poder. Uma presidente incapaz de fazer com que a sua mastodôntica máquina administrativa, montada a conluios, mexa-se e faça acontecer. O exemplo maior são as obras do tal PAC, que empacou, transformando o país num cemitério de obras.

Por fim, ela se mostra uma pessoa de penoso diálogo com o Congresso Nacional, com o Judiciário e também com os empresários, parceiros nos caminhos históricos que levam ao desenvolvimento da nação.

Hoje, sabemos bem, temos uma presidente-candidata, sem projetos para o país, mas com a ideia fixa na reeleição, olhos e pés no palanque. “Podemos fazer o diabo na hora da eleição”, confessou a presidente.

É bom lembrar: Dilma é uma criatura forjada à semelhança de seu criador, o sempre presente Lula. Ao lançá-la candidata, Lula sabia exatamente que Dilma era incapaz de liderar as transformações que o país necessita. Mesmo assim, se aproveitou da confiança dos brasileiros.

Não, Dilma não é a líder que o Brasil precisa para entrar de verdade num novo tempo. Perdeu a credibilidade, mostrou que não possui estatura para gerir a construção de um país moderno. Há uma certeza: o país quer mudar. E isso já foi detectado até pelas pesquisas — segundo o Datafolha, 66% das pessoas querem mudança. E terão mudanças. Não vai adiantar mais a velha estratégia de oferecer ao país uma personagem de ficção, construída pela propaganda.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/opiniao/tres-anos-de-descredito-11738448#ixzz2uzvFsKoi 

Socialismo é Barbarie.

Artigo no Alerta Total – www.alertatotal.netpondecentro

Por Luiz Felipe Pondé

A esquerda está em pânico porque estava acostumada a dominar o debate público. 

Se eu pregar que todos que discordam de mim devem morrer ou ficarem trancados em casa com medo, eu sou um genocida que usa o nome da política como desculpa para genocídio. No século 20, a maioria dos assassinos em massa fez isso.

O Brasil, sim, precisa de política. Não se resolve o drama que estamos vivendo com polícia apenas. Mas me desespera ver que estamos na pré-história discutindo ideias do “século passado”. Tem gente que ainda relaciona “socialismo e liberdade”, como se a experiência histórica não provasse o contrário. Parece papo das assembleias da PUC do passado, manipuladoras e autoritárias, como sempre.

O ditador socialista Maduro está espancando gente contra o socialismo nas ruas da Venezuela. Ele pode? Alguns setores do pensamento político brasileiro são mesmo atrasados, e querem que pensemos que a esquerda representa a liberdade. Mentira.

A maioria de nós, pelo menos quem é responsável pelo seu sustento e da sua família, não concorda com o socialismo autoritário que a “nova” esquerda atual quer impor ao país. A esquerda é totalitária. Quer nos convencer que não, mas mente. Basta ver como reage ao encontrar gente inteligente que não tem medo dela.  Read the rest of this entry »

‘A confiança dos empresários no governo acabou’ diz sócio da Natura Cosméticos.

 

LEITURA - POLÍTICA

http://1.bp.blogspot.com/_PS9jlij3HpI/TFCIEhmgtDI/AAAAAAAAX_0/vhhEZBeJAVM/s400/pedro.jpeg

Pedro Passos (Foto), é um dos principais representantes da indústria brasileira. Além de ser um dos fundadores e sócios da fabricante de cosméticos Natura, ele é presidente do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi), organização que reúne alguns dos maiores industriais do País.

Passos atribui os resultados ruins da indústria de 2013, divulgados na semana passada, ao que chamou de “ambiente econômico prejudicado”. Para o empresário, “falta direção” na economia e há insegurança no meio empresarial. “O clima de confiança do empresariado não existe, acabou”, disse Passos, na entrevista a seguir.

O que explica os dados ruins da produção industrial em 2013, especialmente em dezembro?

Foi uma surpresa negativa, a queda foi muito maior do que se previa. Uma primeira análise mostra um desempenho setorial disperso, com retração nos setores de consumo. Mas tivemos desempenho melhor de alguns setores, inclusive dos ligados ao comércio exterior. Setores de transporte, calçados e madeira, apesar da fragilidade, exportaram mais, principalmente para a Argentina. Apesar de um resultado global muito ruim, há uma perspectiva positiva.

Como o setor empresarial reage a esse resultado?

O ambiente econômico está muito prejudicado no País. A taxa de investimento é muito baixa, o clima de confiança não existe, acabou. Falta direção. Não está claro para onde estamos indo, quais são os grandes compromissos. Isso cria instabilidade. O resultado de dezembro é um problema que vem se acumulando há muito tempo. E esse cenário não nos dá muita esperança porque a gente já entra em 2014 com ritmo lento. E ainda sujeitos à volatilidade da economia internacional. Esse cenário volátil repercute com a falta de definição interna. As dificuldades que temos em saber qual é o caminho, qual é a aposta (do País), criam um ambiente de muita insegurança no meio empresarial.

Como assim?

Existe necessidade de uma nova definição de modelo econômico. O cenário muda e o País precisa se adaptar. É importante retomar uma agenda que o Iedi coloca há algum tempo, de busca de produtividade.

CEPLAC- SUSPENSE NO AR…SERÁ QUE QUEREM DESTRUÍ-LA?

Se liga, messiê…

Quem avisa amigo é: sob chancela de vossa entidade suíça, o curral da fan fest pode motivar os protestos.

Xico Sá

Xico Sá

Amigo torcedor, amigo secador, sinto em incomodá-lo, em plena folia do sábado de Carnaval, com essa lenga-lenga tipo David Copperfield de ressaca. É que escrevi aquela singela cartinha endereçada ao messiê Jérôme, cutucando, essencialmente, a insistência com as fan fests, também conhecidas lá na minha terra como festa dos torcedores.

O secretário-geral da Fifa respondeu. Esta Folha, por apreço e consideração ao direito de resposta, publicou a íntegra, na seção de artigos. Tudo em perfeito clima de embate democrático e cordialidade.

Concordo plenamente com a frase emblemática do messiê: “Gostaria de lembrá-lo que ninguém forçou o Brasil a sediar a Copa do Mundo de 2014. O Brasil se candidatou e, ao se informar sobre os requisitos, as autoridades prontamente concordaram e assinaram compromissos”.

Falo disso, de outro jeito, não de outro jeitinho, e até de forma mais venenosa, nas minhas mal traçadas. O governo brasileiro, em um momento de deslumbramento e no papel de país da moda –assim se passaram sete anos– assinou o contrato sem ler ou desconsiderando as letrinhas menores que os detalhes tão pequenos de nós dois da canção de Roberto Carlos –nosso cantor mais popular, caro Jérôme.

Embora sob desconfiança do que poderia ocorrer, messiê, tirei o corvo Edgar da sala –minha agourenta ave de estimação– e torci para que a sede fosse aqui. Como a maioria absoluta dos brasileiros, é óbvio.

O que se passou de lá para cá, Jérôme, não está no gibi. Nem no gibi do tio Patinhas. Nem no gibi do Zé Carioca. Talvez no gibi dos irmãos Metralhas. É espantoso para um velho repórter, caso deste hoje cronista, que cobriu as tenebrosas transações das empreiteiras brasileiras com o poder público por muito décadas. É espantoso para o leigo, é espantoso para o mais devoto dos Pachecos que acreditou que nada seria tocado com dinheiro público.

Como não questionar, messiê? Como adotar o padrão fofo, em vez do padrão Fifa, e agasalhar cordeiramente, incluindo o podre trocadilho. Não rola. E repare que não sou da turma do #nãovaitercopa. A bagaceira toda já foi feita. Agora sou do bloco “Vai ter Copa e Protesto”. Mais do que legítimo, não acha?

Daí que volto ao caso da fan fest. Mire-se no Carnaval, messiê Jérôme, aqui se faz uma festa do nada, a cada esquina. Não carece a Fifa na jogada. Quem avisa amigo é: sob chancela de vossa entidade, nada simpática no momento aos brasileiros, o curral da fan fest pode, em vez de unir os sem-ingresso, motivar aquela bafafá de protesto.

Messiê, repito, até a ONU, diante das mudanças de cenários geopolíticos, renegocia contratos. De festa na rua, messiê, a gente entende mais do que vossa entidade suíça. Repare hoje na tevê “O Galo da Madrugada”, lá do Recife. Se liga, messiê, como dizem aqui os manos.

Páginas: Anteriores 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... 114 115 116 Próximas
DÊ A SUA OPINIÃO.

GANHANDO NA MEGA-SENA ACUMULADA, VOCÊ INVESTIRIA EM ILHÉUS? NO QUÊ?

Resultados

Loading ... Loading ...
Arquivos
Agenda
abril 2014
D S T Q Q S S
« mar    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930