WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Porto Sul’

DANDO NOME AOS BOIS NO COMPLEXO LOGÍSTICO PORTO SUL

Desde o início da formatação do Complexo Logístico, que viria a ser denominado popularmente PORTO SUL.

Duas instituições (ONGs) se posicionaram frontalmente conta o Projeto. A Ação Ilhéus, depois transformada (sic) em Instituto Nossa Ilhéus, comandada pela sua Presidenta Maria do Socorro Mendonça, e a Floresta Viva, pelo seu presidente Ruy Rocha.

Hoje eles fazem parte do Condema, e junto com alguns rotundos integrantes, não fazem mais abertas oposições ao empreendimento.

Aproveitando da aparente trégua, o staff da Prefeitura de Ilhéus, fazendo ‘cara de paisagem’, tenta pongar no empreendimento, que nem de perto ou de longe, passa pela esfera municipal.

Passeata Vem Porto Sul será realizada nesta sexta-feira

 

ILHÉUS FAZ PARTE DOS PORTOS DO ARCO NORTE.

https://portogente.com.br/noticias/dia-a-dia/108887-o-futuro-portuario-com-o-arco-norte?utm_campaign=16092019&utm_medium=email&utm_source=RD+Station

 

A ÁGUIA NÃO VOA EM BANDOS. ===>>> 25/05/2019

Curioso em saber o comportamento do Prefeito de Ilhéus, Mário Alexandre, com a desenvoltura de elementos perniciosos ao desenvolvimento do município no sentido macro?

Elementos que perambulam próximos ao seu governo, eminentemente contrários ao Porto Sul, até patrocinando pajelanças e homiziados no Condema.

 

A POPULAÇÃO DE ILHÉUS JÁ DISSE ‘SIM’ AO PORTO SUL!

Mega passeata em 06/12/2013

Projeto da Bamin viabiliza Fiol e Porto Sul

Eduardo Ledsham, presidente da Bamin (Foto: Divulgação)

 Entrevista: Eduardo Ledsham

Se a implantação da Bamin-Bahia Mineração fosse comparado a uma viagem, estaríamos naquele momento em que, ainda na estrada, já se vislumbra o destino final. A mina da empresa, em Caetité, está pronta. O Porto Sul, em Ilhéus, por onde serão escoadas 20 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, já possui todas as suas licenças. E o primeiro trecho da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que vai ligar os dois pontos, está 80% concluída. O presidente da Bamin, Eduardo Ledsham, já projeta até o primeiro embarque, em agosto de 2023.

Quem é

Eduardo Ledsham   esteve à frente do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), ligado ao Ministério de Minas e Energia, de agosto de 2016 a agosto de 2017. Entre 2012 a 2015 esteve como CEO da B&A Mineração. Foi também Diretor Global de Exploração e Desenvolvimento de Projetos Minerais e Diretor Global de Energia, Fertilizantes, Exploração, Desenvolvimento e Implantação de Projetos na Vale, onde atuou por 26 anos. É formado em Geologia pela  Universidade Federal de Minas Gerais.

Qual é a situação do projeto da Bamin em Caetité?

A Bamin investiu nos últimos nove anos e alcançou um projeto que está pronto para ser  implementado. Nós temos todas as licenças necessárias para a operação, tanto da mina, quanto do Porto Sul. O nosso caminho crítico sempre foi esperar a Fiol (Ferrovia de Integração Oeste-Leste), que já está se tornando uma realidade. O governo federal espera colocar em leilão no primeiro semestre de 2020.  Nossa expectativa é realizar o primeiro embarque em agosto de 2023.

A produção comercial da Bamin é suficiente para viabilizar esses dois projetos de infraestrutura? :: LEIA MAIS »

PORTO SUL NA WIKIPÉDIA

Porto Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Saltar para a navegaçãoSaltar para a pesquisa

Current event marker.png
Este artigo ou seção é sobre uma construção futura.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis.
Tower crane colorize.png
Porto Sul
Localização
País  Brasil
Localização IlhéusBahia
Detalhes
Inauguração 2019 (previsão)
Proprietário Governo do Estado da Bahia
Tipo de porto Offshore (instalações marítimas como quebra-mar, bacia de evolução, ponte de acesso marítimo)
onshore (instalações terrestres como o retroporto e terminais de carga)[1]
Área 18 600 000 [1][2]

Porto Sul, também referido como Complexo Logístico Intermodal Porto Sul ou Complexo Portuário e de Serviços Porto Sul, é um projeto de porto brasileiro a ser construído no distrito de Aritaguá do município de Ilhéus, estado da Bahia.[3][4][5][6]

O projeto prevê que sua área de influência também envolverá um aeroporto internacional, uma ferrovia, um centro industrial, uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE), novos acessos rodoviários e o Gasoduto Sudeste-Nordeste (Gasene).[4][5][7]

A construção do porto demandará recursos de 5,6 bilhões de reais. Destes, 3,6 bilhões serão recursos privados investidos na Zona de Apoio Logístico (ZAL), que será controlada pelo Governo do Estado da Bahia. Os outros 2 bilhões de reais serão destinados ao Terminal de Uso Privativo (TUP) da Bahia Mineração (Bamin),[8] subsidiária brasileira da empresa cazaquistanesa sediada em Luxemburgo Eurasian Natural Resources Corporation (ENRC) que é a principal interessada na construção do porto para a exportação do minério de ferro retirado de suas minas no município de Caetité, Bahia.

O projeto prevê a movimentação de 60 milhões de toneladas de cargas em 10 anos, chegando a 100-120 milhões em 25 anos. Caso essas previsões se confirmem o Porto Sul poderia assumir o posto de terceiro maior porto do Brasil.[1][9][10][11][12]

O Porto Sul é o maior empreendimento portuário do Nordeste do Brasil e um dos mais importantes projetos logísticos do Brasil, com sua área de influência abrangendo os estados da Bahia, Minas GeraisGoiásTocantins e Mato Grosso.[1][12][13]

O porto tem sido muito criticado por inúmeros ambientalistas devido aos impactos ambientais negativos que causará, especialmente à mata atlântica.[14][15]

História[editar | editar código-fonte] :: LEIA MAIS »

EM ILHÉUS, A VILA JUERANA ESTÁ EM FESTA.

Notícias chegadas da localidade, dão conta que extensa área já esta disponível para o Parque de Operações do Porto Sul.

Equipamentos pesados já chegaram e outros estão chegando. A construção da ponte do Porto Sul, prestes a iniciar.

Isso é emprego e geração de renda, de verdade.

A turma do GUETO DO ATRASO, que sempre foi e é contra o empreendimento, e que faz ‘piseiro’ no entorno da Governança Municipal. Vê agora, suas narrativas irem por água abaixo.

Festa em cima da verdade.

ESTRATÉGIA ILHÉUS SUSTENTÁVEL – ASSIM TRABALHAM CONTRA O PORTO SUL. =====>>> 15-07-2013

Estratégia Ilhéus Sustentável 31 de agosto de 2010

Rede de ONGs.

Rede de ONGs.

Socorro, Didie, Josie, Marcia, Paulo Lago, Paulo Emilio

Relatório: José Carlos Pegorin –

Grupo de estrangeiros visitando Ilhéus, Incluir reportagens da reporter ECO 2008 2009 2010

Grupo de expansão – Comunicação e Mobilização  ação organização de eventos

Grupo de captação de recursos e projetos

Grupo de estudos técnicos: ambiental, econômicos, tecnologias, jurídico. Feira evento divulgação da sustentabilidade, desenvolvimento  e as ameaças. Recursos e projetos para  as associações

Idéias, sugestões e reflexões para a reunião e para nossa mobilização e orientação: Visão, foco, ação. O que queremos. O foco- onde concentrar a energia. Prioridades. Check List. Comer pelas beiradas e pedaços

Comunicação

Disciplina

Estudar e implantar ações que retardem as decisões sobre o PS como está posto:  Trazer a comunicação sobre a situação jurídica e administrativa do PS. O que nós podemos mais fazer?

Elaborar propostas de desenvolvimento sustentável

Ver nas propostas do Governo o que pode ser utilizado e as adequações necessárias

Requalificar o que já existe e dar dinamismo

Implantar ações positivas de conscientização, informações estudos, bases de dados para fundamentar estudos novos e confrontar os estudos apresentados

Comunicação-

Trazer eventos e empreendimentos para sustentabilidade e desenvolvimento.

Pessoal e instituições que precisamos:

Reunião de 10 de agosto de 2010.

CIEE

Jorge, Paulo Lago, Rui Rocha, Didier, Thilio, Paulo Emilio (Bolog Gusmão), Marcia, Socorro, Ricardo (Rotary), Joselita, Emilio, Jorge Chiapeti, Marcelo Araujo, Citron

Quais são as obras que estão planejadas e outras não planejadas ainda que precisamos para aumentar a empregabilidade da população em geral desde a menor escolaridade até escolaridades maiores:

Sebrae- câmara da costa do cacau- tem 5 anos- Seabrae-  cadeia produtiva. Claudiana.

Trabalhar alunos das escolas.

 Estratégia de comunicação e recursos necessários

  1. Minutar carta das entidades locias para posicionamento sobre a AAE (avaliação ambiental estratégica) da SEIBA.

  2. Trabalho de concepção de desenvolvimento Regional . Arapiau – recursos para evento e projeto de desenvolvimento local (endógeno). Qual seria o roteiro¿. Prazos¿ Sabado passado teve encontro com YPE, dodade de discussão com a turma de mestrado. Plano de desenvolvimento IOS-Itacaré. Tem diagnóstico.

  3. Avaliação sobre o movimento. Onde estamos e nosso pensamento sobre isso.

  4. Marcelo- não sou contra o Porto Sul. Não reconhece a capacidade do governo em implantar as situações de contorno. Não é a favor de como o projeto foi encaminhado. Projeto Orla não discutiu o PS. Onde seria o melhor local. Salvador não tem mais condição de suportar projetos dete tipo. Inicio de atividades na APA. Ambiental plano de manejo da Lagoa Encantada. Estudos para área de Conservação. Já era a favor do PS e deveria ser trabalhada as condicionantes.

  5. Rui –  Licença Previa(LP) foi concedida a despeito do parecer dos tecnicos do Ibama. O MPF contestou a LP. A FNS está a 25 anos na pauta e inconclusa. O PS foi uma estratégia de garantir o projeto da BAMIN.  Grãos, Alcool, Insumos agricolas. O Aeroporto tem baixa condição implantação (copa 2014). Porto publico. A ponte do PS não tem condição de receber outros terminais- corais e de baixo profundidade 8m. Tilio a ponte BAMIN não tem condições de uso para mais de um projeto. Tentativa de absorver o projeto da Bamin na Bahia- mineriodutoà ferrovia. Porto of shore – alto risco na Bahia, corrente com sedimentos muito alto. Investimentos de 1 a 1,5BI 

  6. Socorro- campanha eleitoral, Ibama…, Site da Valec não tem prazo para construção da Ponte sobre o Rio São Francisco.

  7. Aline – Ype escandalizada com a apresentação da COPPE. Vai se juntar ao MPF.

  8. Ricardo: alternativas ao projeto da Bamin.

  9.  Jorge:  Ha apenas 2 projetos o da Ferrovia – FIOL e o Porto Privado – Bamin. O resto é ingrediente para justificar estes dois.

  10. Chiapeti : Nosso espaço tem sido utilizado de maneira corporativa. PS existe por que existe $ para exportação de comodities. Muio dificil e desigual.

  11. Como retardar e esperar a proxima onda e neste meio criarmos o nosso modelo. Trazer a sociedade para discutir. Associações, Universidade, Sociedade, Jovens …

  12. Que projetos estariam disponiveis em escala para o local.

  13.  Marcia:  Mesa redonda com turismo – Cult Coop cultura de cooperação.

  14. Rui: Arapiau- Guilherme Leal – vice de Marina, reformular o pais. Identificou SP Metropole, SulBA e alto do Rio Negro. Precisa de convergencia da SC. Apoia estudos na região. Inst. Paulo Vanzolini. Chico Teixeira e Hamilton. Prole – empresa de comunicação. Precisamos sistematizar o projeto alternativo. Quais são os investimentos necessarios. Onde ttem recursos, qual o retorno

  15. Cobrar o ZPE e porto pesqueiro.

  16. Onde estão localizadas as entidades aqui representadas.

  17. O Grupo deve estar ancorado na Rede Sul Bahia Sustentável.

  18. Minutar a resposta ao AAE  para dia 12

  19. Projeto de educação ambiental para as redes de educação: Estadual, Municipal e Privada

  20. Evento grande em novembro ou dezembro.

  21. Plano estratégico do Grupo

  22. Improviso oxente

  23. Não falar sobre o oponente, sobre a Bamin. Não somos apenas contra, temos a nossa proposta.

  24. Reunião e grupos de trabalho.

  25. Paulo Emilio: Envolver as comunidades e se colocar ao lado, mas com outras propostas viáveis.Fortalecer pessoas que não tenham dependencia politica.  Detalhar com Paulo Emílio educação comunitária e associativa

 

Obras de construção do Porto Sul começam no segundo semestre

Bamin e chineses irão investir cerca de R$ 2,5 bilhões no empreendimento

As obras do Porto Sul, no distrito de Aritaguá, em  Ilhéus, finalmente vão sair do papel. A Bahia Mineração (Bamin) e um consórcio formado por empresas da China irão iniciar a construção do empreendimento no segundo semestre deste ano, num investimento da ordem de R$ 2,5 bilhões. O serviço de implantação do porto vai gerar inicialmente 500 empregos,  mas,  no pico de obras,  esse número saltará para até 2.500.  Quando entrar em operação, daqui a quatro anos, serão entre 600 e 700 postos de trabalho diretos e centenas de outros indiretos.

“Queremos empregar o maior número possível de trabalhadores locais”, diz Alberto Vieira, diretor de implantação do Projeto Pedra de Ferro da Bamin. Segundo ele, inicialmente, serão construídos uma ponte sobre o Rio Almada e acessos às rodovias BA-001 e BA-262.  Na sequência, virão a ponte de acesso aos píeres, quebra-mar, retroporto, terminal, dentre outras estruturas.  “Por parte da Bamin já está  tudo pronto para o início das obras. Já contratamos as empresas de engenharia. Aguardamos agora as desapropriações. Precisamos de terra livre para iniciar o projeto”, assinalou Vieira.

Ontem pela manhã,  em solenidade realizada na Governadoria,  o  governador Rui Costa e representantes da Bahia Mineração assinaram o termo de unificação dos terminais do porto e a constituição da Sociedade de Propósito Específico (SPE) para a construção do empreendimento. Na prática, o termo permite o início do processo de desapropriações. Contempla ainda uma mudança no projeto original: inicialmente, o porto teria dois terminais – um de uso público e outro de uso privado. Agora, terá um.

De acordo com o governo, a  unificação dos terminais foi adotada como forma de assegurar o aumento da eficiência operacional do Porto Sul, a partir do uso compartilhado das estruturas marítimas e terrestres do equipamento pelo estado e  pela Bamin. Foi uma forma também de reduzir os  custos. “O projeto do Porto Sul foi concebido, inicialmente, com dois terminais, mas por causa de todos os problemas econômicos que o Brasil passou e passa, por conta dessa crise, nós resolvemos adotar a estratégia de unificá-los e, com isso, buscar acelerar a sua construção”, destacou Rui.

A obra do Porto Sul é considerada fundamental para a exportação do  minério proveniente da mina Pedra de Ferro, localizada no município de Caetité, a 636 kKm de Salvador. Mas ele só não basta. A viabilidade do projeto da Bamin depende ainda da conclusão  da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol).  Para ser viável economicamente,  Pedra de Ferro foi estruturado da seguinte forma:  extração e  beneficiamento do minério em Caetité, transporte da carga pela Fiol até Ilhéus e o escoamento pelo Porto Sul.  Com tudo pronto, serão exportadas, por ano, 18,8 milhões de toneladas de minério de ferro  para o mercado chinês.

“Tenho repetido diversas vezes que esse projeto só fica de pé com os três ativos juntos: o porto, a ferrovia e a mineração”,  enfatizou o governador. Alberto Vieira, da Bamin,  reforça: “Um negócio  dessa dimensão [Porto Sul] não se sustenta sem carga.  Precisamos que a Fiol seja concluída. É muito importante para a Bamin e para os investidores chineses que o processo de concessão da Fiol seja concluído ainda em 2019”.

Uma das estrelas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC),  a  Ferrovia Oeste Leste deveria ter sido concluída em 2014.  A obra – que já consumiu recursos da ordem de R$ 3,4 bilhões – está parada  há mais de três anos.  O histórico de execução do projeto inclui problemas crônicos: falta de dinheiro, paralisações dos serviços em vários trechos, abandono de canteiros pelas empreiteiras contratadas, greve de operários   e problemas com licenciamento ambiental. Apesar de tudo isso,  o projeto tem 75% de execução.

A boa notícia é que o Ministério da Infraestrutura  pretende realizar ainda este ano o leilão de concessão da ferrovia à iniciativa privada. O projeto completo vai de Ilhéus a Figueirópolis, no estado do Tocantins, num traçado de 1.527 km, mas atualmente apenas o trecho entre Ilhéus e Caetité, com 537 km, está qualificado para ser licitado.  A Bamin e  seus sócios chineses irão  participar da disputa.

“A mina e a ferrovia dependem do porto, e o porto vai ser o conforto para que o governo federal efetive o leilão da ferrovia, que é a espinha dorsal do projeto”, diz o diretor financeiro da Bamin, Alexandre Aigner. “A ferrovia é um indutor de desenvolvimento. Com  a Fiol e o Porto Sul, iremos viabilizar uma série de outros projetos em Ilhéus, Itabuna, Brumado, Caetité e na região do São Francisco”, completou o governador

OLHA O PORTO SUL AÍ GENTE…

A Fiol já está dentro do município de Ilhéus, gerando empregos em Banco Central e na vizinha Uruçuca.

Embora os empreendimentos tenham sofrido ataques perniciosos de ambientalistas de oportunidades, o Porto Sul está chegando.

FOTOS E COMENTÁRIOS DA 1ª AUDIÊNCIA PÚBLICA DO PORTO SUL. (querem mais palhaçadas?) ====>>> 11-03-2013

Acusação de ‘CORRUPÇÃO’ no empreendimento Porto Sul.

Mary Berbert mostrando aos ‘cariocas’ do Greenpeace, onde fica Ilhéus no mapa.

Que preciso fazer para aparecer?

Vá por ali, grite e esbraveje como se fosse a dona da verdade.

He Woman, eu tenho a força!

Vixe meu Deus, esses caras vão me botar de novo numa fria?

A verdadeira face de Rui Rocha, ensinando a um dos moleques importados de Feira de Santana.

Um dos ‘cariocas’ sorriu, o outro acusou o golpe.

Os ‘cariocas’ do Greenpeace, recebendo uma aula do professor virtual, dessa vez ao vivo.

O professor virtual também dá aulas para velhotes.

LEMBRAM DESTA CAMPANHA?

Então, o gueto do atraso está dentro do Governo Municipal, direta ou indiretamente.

Com direito até as famosas Audiências Públicas.

Paciência…

anuncie aqui

Carregando...

Tabela do Brasileirão

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia