WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Meio Ambiente’

O ABANDONO DA RAPOSO SERRA DO SOL.

O abandono da Raposa Serra do Sol

Posted: 06 May 2013 11:42 AM PDT

 

MSIa-informa-2

Símbolo da influência do aparato indigenista no Brasil, a Terra Indígena Raposa Serra do Sol proporciona, igualmente, uma evidência cabal de que, na orientação da política indígena brasileira, o processo de vedação de vastas áreas do território nacional às atividades econômicas e a submissão política do Estado nacional a tal estratégia contam bem mais que o bem-estar das comunidades indígenas. Esta constatação foi feita na semana passada, por uma delegação de membros do Congresso Nacional, que visitou a área.

Quatro anos após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir pela demarcação contínua da reserva indígena, no nordeste de Roraima, com a consequente remoção dos produtores rurais (principalmente, arrozeiros), o quadro socioeconômico da área se apresenta como deplorável. Cabeças de gado morrem de sede, as estradas estão em péssimo estado de conservação e diversas pontes estão comprometidas, dificultando sobremaneira a circulação na área, inclusive, o transporte escolar.

Esse é o cenário encontrado pela missão oficial da Câmara dos Deputados, que visitou Roraima entre os dias 14 e 16 de abril, para verificar a situação dos habitantes do território indígena. O grupo foi integrado, entre outros, pelos deputados Paulo César Quartiero (DEM-RR), Márcio Junqueira (DEM-RR), Jerônimo Goergen (PP-RS) e Raul Lima (PSD-RR), além de membros de entidades representativas de produtores rurais e indígenas e jornalistas de diversos veículos de imprensa nacionais, entre os quais Lorenzo Carrasco, membro do conselho editorial deste Alerta.   :: LEIA MAIS »

O BRASIL NÃO É DE GUERRA – MAS TEM UM POVO FROUXO E OPORTUNISTA!

A OTAN na liderança das “guerras por recursos”

Posted: 03 Mar 2013 06:26 AM PST

MSIa-informa-2

A projeção da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) como uma força militar de alcance global, a serviço da agenda hegemônica das potências mais belicosas do bloco – EUA, Reino Unido e França -, no contexto do cenário de “guerras por recursos” contemplado por elas, é um fato tanto admitido pela liderança da organização como evidenciado pelos desdobramentos da intervenção francesa no Mali.

Na 49ª. edição da Conferência de Segurança de Munique, realizada neste último fim-de-semana, o secretário-geral da OTAN, Anders Fogh Rasmussen, transmitiu uma mensagem clara e direta: a Aliança Atlântica tem, agora, uma missão global, «onde e sempre que os Aliados considerem que os seus interesses de segurança estejam em jogo». Como cenário, observou que, «quando observo o nosso mundo, vejo um arco de crises se estendendo desde o Sahel até a Ásia Central… Nós devemos estar prontos para deter e nos defendermos contra qualquer ameaça”. Para tanto, enfatizou que os membros europeus da entidade terão que ampliar, em vez de reduzir, os seus gastos militares, já que, desde 2001, os EUA aumentaram a sua parcela nas despesas da Aliança, de 63% para 72%. :: LEIA MAIS »

AUDIÊNCIA PÚBLICA PORTO SUL EM URUÇUCA E ITACARÉ – ÓTIMO PARA RESOLVER ESTA TRAQUINAGEM. (O MPF abandonou esta denúncia?_

PORTO SUL: TRF DETERMINA AUDIÊNCIAS PÚBLICAS EM ITACARÉ E URUÇUCA

MPF COBRA DO INCRA EXPLICAÇÕES SOBRE IRREGULARIDADES EM ITACARÉ

29/jul/2011 . 18:37 | Autor: Seu Pimenta

Sublotes de terras reservados para a reforma agrária mas situados em áreas valorizadas estão sendo explorados irregularmente nos municípios sulbaianos de Itacaré e Uruçuca, segundo constatação feita pelo Ministério Público Federal em Ilhéus (MPF). Os sublotes em sua maioria à beira-mar, na Costa do Cacau, e estariam servindo à especulação imobiliária. A MPF cobrou solução por parte do Incra, que nada sinaliza dois anos depois.

Dois inquéritos civis públicos foram abertos para investigar as irregularidades e a procuradora-geral da República, Flávia Arruti, afirma ter cobrado do Incra informações precisas sobre quem ocupa os 600 sublotes de terras na região de Jeribucaçu (Itacaré) e Tijuípe (Uruçuca).

O caso deverá ser levado à Polícia Federal, onde será aberto inquérito policial. O assentamento Tijuípe, em Uruçuca, deveria ter 40 famílias, mas apenas duas exploram as terras, gerando indícios de comercialização irregular de terra. A área tem 1.189 hectares à beira-mar. Onde deveria haver produção agrícola, existem casas de alto padrão.

Desde o início da semana, o Incra está sob fogo intenso devido às denúncias de venda irregulares de terra em regiões do Brasil. São grandes os indícios de comercialização irregular também na Costa do Cacau.

Mais catastrofismo sem fundamento de um dos gurus do ambientalismo mundial.

A nova geopolítica dos alimentos, por Lester Brown

Postado por 

Os alimentos são o novo petróleo. A terra é o novo ouro. Esta nova era se caracteriza pela carestia dos alimentos e propagação da fome.

Do lado da demanda, o aumento demográfico, uma crescente prosperidade e a conversão de alimentos em combustível para automóveis elevam o consumo a um grau sem precedentes. 

Do lado da oferta, a extrema erosão do solo, o aumento da escassez hídrica e temperaturas cada vez mais altas tornam mais difícil expandir a produção. A não ser que seja possível reverter essas tendências, os preços dos alimentos continuarão subindo, e a fome continuará se propagando, derrubando o atual sistema social. É possível reverter estas tendências a tempo? Ou acaso os alimentos são o elo frágil da civilização de inícios do século XXI, em boa medida como foi em tantas civilizações anteriores, cujos vestígios arqueológicos são estudados agora? Esta redução das provisões alimentares do mundo contrasta drasticamente com a segunda metade do século XX, quando os problemas dominantes na agricultura eram a superprodução, os enormes excedentes de grãos e o acesso aos mercados por parte dos exportadores desses produtos. :: LEIA MAIS »

CARTA ABERTA DE 18 CIENTISTAS BRASILEIROS À PRESIDENTE DILMA.

http://diariodovale.uol.com.br/noticias/0,57324,Dezoito%20cientistas%20brasileiros%20questionam%20aquecimento%20global%20causado%20pelo%20homem.html#axzz2KKtJWolo

 

Aquecimento Global Antropogênico ainda vai virar piada.

O Jornal “O Globo” que vem nos últimos anos servindo de plataforma para carreiras políticas, ong’s e acadêmicos de meia tigela e até artistas decadentes, assim como o Jornal Nacional ontem, resolveu dar uma chance ao debate.  Se os céticos tiverem 5% da atenção que a mídia dá aos tarados do aquecimento global, em muito pouco tempo a hipótese AGA cai por terra e certas reputações vão pelos ares.Veja abaixo.

‘O movimento ambiental é imoral’, diz Richard Lindzen’

 
                                                             Richard Lindzen
 

Por César Baima (O Globo)
RIO — Antes um dos mais prestigiados cientistas climáticos do mundo, o americano Richard Lindzen, professor de Meteorologia do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT, na sigla em inglês), virou ovelha negra depois de “mudar de lado”, como ele mesmo diz. Integrante dos primeiros relatórios do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas da ONU (IPCC), ele passou a criticar os modelos com previsões alarmantes sobre as consequências do aquecimento do planeta e o uso político do discurso ambiental. Para ele, não há provas de que a elevação da temperatura da Terra aumentará o número de desastres climáticos. Sua nova posição angariou numerosos detratores e acabou por prejudicar a divulgação de suas pesquisas, contou ele em entrevista ao GLOBO, por telefone, de seu laboratório em Cambridge, Massachusetts. 

O GLOBO: O senhor acredita que o dióxido de carbono é um gás de efeito estufa cuja concentração está aumentando e provoca um processo de aquecimento global?
 

RICHARD LINDZEN: Para começar,  :: LEIA MAIS »

AQUECIMENTO GLOBAL – BANDEIRA PARA CONSEGUIR FINANCIAMENTOS.

Irá a Alemanha “apagar” por causa das “energias renováveis”?

AMBIENTALISMO RADICAL X PRODUÇÃO X ALIMENTAÇÃO

www.photossintese.blog.br
 Montagem por Ed Ferreira


“O código florestal por si só duplicará as zonas preservadas na propriedades rurais, especialmente nas margens dos rios”

Os ambientalistas querem aumentar as áreas preservadas do País. Indígenas lutam para demarcar mais terras exclusivas. Quilombolas tentam dominar seus espaços históricos. Agricultores precisam expandir a exploração do solo. E as cidades continuam crescendo. Haverá como acomodar tantas demandas sobre o espaço nacional?

Evaristo de Miranda, pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), estuda há anos a ocupação do território e o uso das terras no Brasil. Especialista em monitoramento sensorial por satélite, com doutorado em Ecologia na França, o renomado agrônomo comprova que anda sobrando pedido e faltando lugar para apaziguar tantos interesses. Mágica não resolve. 

O resumo das informações da Embrapa mostra séria problemática. Atenção aos números. Na atividade agropecuária, somando as pastagens e as lavouras, exploram-se 2,15 milhões de quilômetros quadrados, representando uma fatia de 25% do território nacional. Essa superfície de produção, mantida nas propriedades rurais, pouco se tem alterado, conforme atestam os últimos três Censos Agropecuários do IBGE. Regra geral, as lavouras avançam sobre as pastagens extensivas, reduzindo-as, indicando intensificação no uso das terras. Eleva-se a produtividade por hectare ocupado. Boa agronomia, melhor zootecnia. 

Expandem-se fortemente, por sua vez, as unidades de conservação ambiental. :: LEIA MAIS »

BELO MONTE E O ‘ECOTERRORISMO’.

Os atos de vandalismo que estão se tornando rotineiros nos canteiros de obras de usinas hidrelétricas brasileiras, como os que paralisaram os trabalhos em Belo Monte, no rio Xingu, não são meras ações de protesto de trabalhadores insatisfeitos. Assim como ocorreu, em março de 2011, nas obras das usinas de Jirau (RO) e São Domingos (MS), e novamente em Jirau, em abril deste ano, tratam-se de ações adredemente planejadas e executadas em momentos de negociações trabalhistas, por agentes interessados em obstaculizar a implantação de grandes obras de infraestrutura no País, em especial, na Região Amazônica. Como afirmamos, na ocasião, o movimento ambientalista-indigenista internacional é uma peça chave dessa estratégia de “guerra irregular” contra o desenvolvimento socioeconômico da região, cujo objetivo é consolidá-la como uma autêntica “zona de exclusão ambiental”. (MSIa Informa, 25/03/2011 e 31/03/2011).

Nos três casos, o padrão foi o mesmo: um grupo de homens encapuzados, com bom conhecimento da disposição dos canteiros de obras e dos seus pontos mais vulneráveis, provoca incêndios e depredações, atuando sob a cobertura de reivindicações trabalhistas, enquanto as entidades representativas dos trabalhadores negociavam com as empresas concessionárias.

Em Jirau, em 2011, os próprios trabalhadores informaram que os encapuzados que incitaram o motim não eram funcionários das empresas responsáveis pela obra. :: LEIA MAIS »

UM POUCO MAIS DA APA DA LAGOA ENCANTADA – QUE VAI SER UMA APA RESTRITA, SEGUNDO CONDICIONANTES IMPOSTAS A FIOL..

Trecho da Lagoa Encantada. Foto Pimenta na Muqueca.

A VERDADEIRA APA DA LAGOA ENCANTADA II

Com base nos estudos e teses da Ceplac e técnicos da Uesc, aos poucos vamos conhecendo a realidade da Lagoa do Itaipe , hoje conhecida como APA da Lagoa Encantada. Nos estudos de Walmir do Carmo, presidente do GRAMA-Grupo de Resistência as agressões ambientais, Caracterização Ambiental da Bacia do Rio Almada-Aspectos Sócio-Abientais (1995), passamos  a conhecer detalhes que sempre foram relatados mais que nunca foram acatados pelos poderes públicos.

Vegetação

Como em grande parte da APA da Lagoa e Almada, as áreas que circundam a área da Lagoa Encantada, a vegetação se encontra bastante alterada. Basta observar no mapa ou em sobrevôo, conforme foto, onde percebemos que o cacau e as pastagens , substituíram as áreas Inicialmente cobertas por floresta perenifólia higrófila e ribeirinha.Também  formações secundárias de capoeira substituem a vegetação original.

A capoeira encontra-se em estágios de desenvolvimento, de acordo cem o uso antrópico e a época em que foram abandonadas. De acordo com SANTANA (1986), a capoeira é formada por arvores de pequeno diâmetro, variando da forma arbórea à arbustiva, destacando-se a embaúba, a coarana e a corindiba.

A vegetação ao redor da Lagoa Encantada também já se encontra muito alterada. Algumas fazendas substituíram totalmente a vegetação original, até o espelho d’água, por gramíneas ou cultivo do cacau.

:: LEIA MAIS »

CHEIRANDO A ESPECULAÇÃO.

 

Escrito por Ed Ferreira

O empresário e sócio da empresa de cosméticos Natura, Guilherme Leal, de 62 anos, considerado um dos homens mais ricos do Brasil, tem seu nome envolvido em denuncias de Biopirataria no norte do País, sonegação de impostos no Centro Oeste e é também conhecido pela formula que lhe ajudou enriquecer, usando um verdadeiro exercito de mulheres como Consultoras Natura, as quais não tem nenhum direito trabalhista.
Guilherme Leal é um dos principais financiadores de um lobby contrário ao Porto Sul que usa um discurso aparência de inocentemente ambientalista, mas que oculta interesses outros. 

O velho discurso da preservação ambiental. Quer-se preservar tudo e acaba-se não preservando nada. O maior exemplo vem lá de Serra Grande que além de ter um parque de preservação permanente (Condurú) , também está em uma APA (Itacaré /Serra-Grande). No entanto não há fiscalização e o que antes estava protegido pelos proprietários virou terra de ninguém, servindo apenas para ONGs levantarem fundos de possíveis e duvidosos trabalhos por meio de entidades públicas. 

O pano de fundo são os impactos alarmistas orquestrados pelo grupo financiado por Leal . É do conhecimento de todos à boca pequena que Guilherme Leal em verdade tem interesses particulares nas proximidades do local onde será o Complexo Intermodal Porto Sul e a ferrovia. É fato que Guilherme tem adquiridos várias propriedades justamente na rota do desenvolvimento do Complexo. Interesse no cacau! Não pode ser existem centenas de outras propriedades no Sul da Bahia bem mais baratas. Guilherme Leal tem fontes que lhe diz qual o verdadeiro valor especulativo daquelas terras em muito pouco tempo.

O Guilherme Leal já é famoso por ter adquirido todo o entorno de Serra-Grande, Uruçuca na Bahia. Hoje qualquer acréscimo de obras que o município tenha que fazer terá que se reportar ao Leal que já conhecido como dono da Vila. 

Uma das últimas investidas do empresário no sul da Bahia foi a tentativa – não concretizada – de comprar uma das mais importantes fazendas que compõem o entorno da Lagoa Encantada, um dos pontos turísticos mais importantes da zona norte de Ilhéus. 

Por Ed Ferreira

contador free


Webtiva.com // webdesign da Bahia

maio 2022
D S T Q Q S S
« abr    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia