WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Marinha do Brasil’

Marinha vai levar 16 mil cestas básicas para a Ilha de Marajó

Marinha vai levar 16 mil cestas básicas para a Ilha de Marajó

Algumas cidades estão entre aquelas com os piores IDHs do país

Foto: Marcelo Camargo/Agencia Brasil

Banhado pelo Oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Tocantins, o arquipélago de Marajó (PA) tem quase 50 mil quilômetros quadrados, uma extensão territorial maior que a Bélgica, por exemplo. São 16 municípios e problemas imensos, como a pobreza, a falta de emprego e renda, gravidez precoce de adolescentes e a exploração sexual infantil.

“É uma localidade onde há carência de tudo. Os moradores vivem sem cidadania. E, por isso, delitos contra a infância e a juventude são comuns. Não há justiça”, diz a paraense Marisa Romão, assessora da Secretaria de Igualdade Racial, com a propriedade de quem conhece bem a região. 

Foi pensando em olhar com mais atenção para a população isolada do arquipélago que o programa Abrace o Marajó foi criado e incorporado ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Nesta sexta-feira (12), o Navio Auxiliar Pará, da Marinha Brasileira, partiu da Base Naval de Val de Cães, em Belém, levando mais de 15 mil cestas básicas para serem distribuídas para famílias que estão cadastradas nos programas sociais do governo (CadÚnico) nas cidadezinhas de Afuá (38 mil habitantes) e Chaves.

As cestas foram montadas em São Paulo, numa parceria do ministério com a rede Carrefour e a Associação Paulista de Atacadistas e Supermercadistas (Apas).

“Marajó não será só uma ilha cercada de água por todos os lados, quando o navio auxiliar chegar até lá, ela será uma ilha cercada de solidariedade por todos os lados”, disse o comandante Robledo de Lemos Costa e Sá, do Grupamento de Patrulha Naval do Norte.

Navio da Esperança

Domingo, quando o velho catamarã – construído em 1982 – chegar até as cidadezinhas, ele será visto como o “Navio da Esperança” para milhares de famílias.

“São pessoas humildes, mas muito amigas. Elas aguardam a chegada do navio, até porque se nessa missão estamos levando cestas básicas, em outras, houve atendimento médico e odontológico dentro do navio. Aqui se faz mamografia, exames e há até farmácia para retirada dos medicamentos prescritos”, disse o comandante do Navio Auxiliar Pará, Ribeiro Costa, que já foi quatro vezes à cidade de Afuá.

Cestas básicas que serão entregues a comunidades do arquipélago de Marajó
Cestas básicas que serão entregues a comunidades do arquipélago de Marajó – Marcelo Camargo/Agência Brasil

Municípios esquecidos

Para quem mora nos municípios da parte oriental da Ilha de Marajó, mais próxima de Belém, a viagem é, relativamente rápida. Há duas empresas que fazem a operação do terminal hidroviário da capital paraense até a Ilha de Marajó via balsas, em três horas e meia. Para quem tem mais condições, é possível embarcar num catamarã expresso, que faz a mesma viagem em duas horas.
 
Porém, há vários municípios ribeirinhos, mais distantes de Belém, que acabam ficando  mais esquecidos. Estão longe do movimento de turistas e longe dos recursos que essa atividade econômica propicia.

É o caso de Melgaço, cidade de 26 mil habitantes às margens do Rio Tajapuru, que tem o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) entre os mais de 5,6 mil municípios do país. “São oito cidades da Ilha de Marajó que estão entre os 50 piores IDHs do Brasil”, disse Marisa Romão. 

Em outros municípios, como Chaves, de 23 mil habitantes – um vilarejo cercado por uma praia de areia amarela e água doce -, sequer há uma agência lotérica para os moradores sacarem o dinheiro do Bolsa Família ou do auxílio emergencial do governo. 

Visita da primeira-dama

Na segunda-feira (15), a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, e a primeira-dama Michelle Bolsonaro chegarão a Marajó, onde participarão da entrega das cestas básicas em Afuá e na zona rural do Rio São Cosmo. 

Depois, a ministra e a primeira-dama irão até o município de Muaná (40 mil habitantes), onde dois navios – um do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e outro da Caixa Econômica Federal – estarão atracados, participando de ações de pagamento de benefícios sociais à população insular.

 *O repórter viajou a convite do Ministério da Defesa 

Edição: Fábio Massalli

ILHÉUS, PERIGOS, PRAIAS, BAÍAS E BACIAS! ===>>> 26/12/2017

Como se não bastassem os descasos com os salva-vidas, coitados.

Ainda temos a irresponsabilidade criminosa da descida ao mar, feita no Satélite Esporte Clube, na Ponta de Eustáquio, de jet-sky sem a devida documentação das embarcações, e nem a habilitação dos pilotos.

A Marinha do Brasil, através da Delegacia da Capitania dos Portos em Ilhéus, devia fazer uma averiguação dura no local.

Imagens ilustrativas do perigo.

ALERTA DA MARINHA DO BRASIL PARA ILHÉUS

O Delegado em Ilhéus participa a todos que, de acordo com o disposto na Lei 9.537 de 11 de dezembro de 1997 – Lei de Segurança do Tráfego aquaviário em Águas Jurisdicionais Brasileiros (LESTA) e o Decreto nº 2.596, de 18 de maio de 1998 – Regulamento da Lei de Segurança do Tráfego Aquaviário em Águas Jurisdicionais Brasileiras (RLESTA), que regulamenta a (LESTA), e, especificamente, o disposto no item 0113 das Normas da Autoridade Marítima para Amadores, Embarcações de Esporte e/ou Recreio e para Cadastramento e
Funcionamento das Marinas, Clubes e Entidades Desportivas Náuticas – NORMAM-03/DPC, foi autorizado no dia 02 de fevereiro próximo, sábado, a realização dos seguintes eventos:
lançamento de presentes em homenagem a Yemanjá na baía do Pontal; praia do Malhado e em Itacaré e chegada dos participantes do evento denominado de Rally dos Mares, vindo de Salvador, a partir de 14h00, com cerca de 100 participantes conduzindo motos aquáticas (jets) mas sem nenhuma atividade competitiva, na baía do Pontal.

Assim, em face ao acima exposto, e, considerando, ainda, que há possibilidade de que os eventos citados ocorram simultaneamente gerando interferências mútuas, e, além do mais, estão previstas movimentações de navios, transatlânticos e de carga, no porto de Ilhéus; solicita-se a todos a mais ampla divulgação no âmbito de suas entidade e ao público em geral, que alertem os banhistas, especialmente aqueles que irão para a praia do Cristo e para as praias da Avenida Soares Lopes e do Malhado, que tenham o máximo de atenção ao entrar na água ou que pretendam navegar nos trechos citados, que evitem aproximar-se das áreas onde ocorrerão os eventos e que redobrem a atenção quando navegando nas proximidades.

Atenciosamente,

MANOEL ARGOLO DA CRUZ
Capitão de Fragata (RM1-T)
Encarregado da Divisão de Segurança do Tráfego Aquaviário
Tel. (73) 3222-5110 / 5109. Cel. (73)
99983-8491. Fax (73) 3222-5120
End. Elet. argolo@marinha.mil.br
“Marinha do Brasil, protegendo nossas riquezas, cuidando da nossa gente”.

TANTO NA TERRA QUANTO NO MAR. (publicado originalmente no dia 10/01/2012)

Foto do Google.

A atenção dispensada aos motoristas alcoolizados, deve ser dispensada com maior rigor aos pilotos de jet sky.

Tem gente pilotando esses equipamentos, completamente ‘mamado’.

A MARINHA DEVE FICAR ATENTA!

A Delegacia da Capitania dos Portos em Ilhéus, deve lançar um olhar mais atento sobre as artimanhas das licitações na Prefeitura de Ilhéus.

Estão tentando alinhar cabotagem com transporte de passageiros.

Não é o que reza a NORMAM-3.

 

Marinha do Brasil

A DELEGACIA DA CAPITANIA DOS PORTOS EM ILHÉUS, PRECISA AUMENTAR A FISCALIZAÇÃO NO MAR.

Já estamos sabendo, que em vários pontos do nosso vasto litoral, estão colocando no mar embarcações sem o devido registro e equipamentos de salvatagem,  e conduzidas por navegadores sem habilitação.

Talvez, não tenho certeza, tenha sido o caso reportado  pelo blog PIMENTA, (clique aqui). 

Picape-atolada-na-Praia-do-Cristo-www.pimenta.blog_.br_

Picape-atolada-na-Praia-do-Cristo-www.pimenta.blog_.br_

Fiscalização necessária.

Fiscalização necessária.

Após 70 anos, Senado muda lei sobre terrenos de marinha

Foto: Divulgação
fotospu

Por unanimidade, o Senado aprovou, na tarde desta quinta-feira (28), o projeto que regulariza os terrenos de marinha.

Era uma legislação de mais de 70 anos que regulamentava de forma autoritária a ocupação de áreas tidas como de Marinha, portanto da União.

O projeto foi relatado pelo senador Ricardo Ferraço (PMDB) e garante diversos benefícios as mais de 500 mil famílias que vivem nestas áreas no país, sendo 90 mil só no Espírito Santo.

Só na capital do Espírito Santo, Vitória, 30% de toda área é tida como de Marinha. Por ocupá-la, pessoas e entidades pagam taxas ao governo federal e não tem nenhum beneficio de retorno.

Relator do projeto no Senado e autor do pedido de urgência, Ferraço destaca como mais importante, entre os benefícios garantidos pela nova lei, a exclusão das benfeitorias da base de cálculo do laudêmio e multas.

“O governo cobra sobre o terreno e sobre as edificações, sendo que ele é dono somente do terreno. Isso caracteriza uma apropriação indébita. E o valor da casa ou prédio geralmente é maior do que do terreno.

As áreas foram definidas como de marinha pela preamar de 1831. Lei de 1942 estabeleceu 33 metros como linha da preamar”, explica o senador.

Tiro de canhão

:: LEIA MAIS »

A MARINHA DO BRASIL E A OPERAÇÃO LEGAL NO MAR.

Continua bastante exitosa a operação Legal no Mar em Ilhéus.

As equipes da Marinha, estão atentas e operantes para que nada aconteça nas nossas águas, tanto preventivamente, quanto fiscalizando pescadores amadores não habilitados, usando embarcação fora de padrão, fazendo o chamado ‘boca de noite’.

Esse blogueiro, no lançamento do Legal no Mar, junto com o Delegado da Capitania dos Portos em Ilhéus, Capitão de Corveta Claudio Sanches.

Esse blogueiro, no lançamento do Legal no Mar, junto com o Delegado da Capitania dos Portos em Ilhéus, Capitão de Corveta Claudio Sanches.

 

 

 

LANÇADA A 19ª CAMPANHA LEGAL NO MAR, NAVEGUE COM SEGURANÇA, PELA MARINHA DO BRASIL.

O lançamento foi no Ilhéus Iate Clube, onde compareceram autoridades, empresas  parceiras e colaboradoras da Marinha e convidados, que foram recepcionados pela equipe da Delegacia da Capitania dos Portos em Ilhéus, cujos Delegado Capitão de Corveta Claudio Sanches, e o Capitão dos Portos da Bahia, Capitão de Fragata Edson Cordeiro, foram os anfitriões.

Legal no Mar, navegue com segurança.

Legal no Mar, navegue com segurança.

Imagens do evento.

Imagens do evento.

Guy Valério, que teve a honra de representar as empresas CLC - Consultoria e Serviços Marítimos, e a LUMAR - Agencia Marítima, e o Delegado  da Capitania dos Portos em Ilhéus, Capitão de Corveta Claudio Sanches..

Guy Valério, que teve a honra de representar as empresas CLC – Consultoria e Serviços Marítimos, e a LUMAR – Agencia Marítima, junto com o Delegado da Capitania dos Portos em Ilhéus, Capitão de Corveta Claudio Sanches..

A MARINHA DO BRASIL LANÇA A 19ª CAMPANHA LEGAL NO MAR, NAVEGUE COM SEGURANÇA.

Eu já recebi meu convite, e estarei presente como faço todos os anos.

convitemarinha

Chegada da 1ª Turma de Aspirantes femininas à Escola Naval

É UMA FOTO QUE A MÍDIA NÃO DIVULGARÁ.

 Ao ver a foto das jovens aspirantes já com o uniforme branco, uma delas escreveu um dos textos mais belos e atuais que li ultimamente. Ele não é apenas sobre Marinha, mas sim sobre o Brasil. Com a permissão da autora, Sra. Carla Andrade, encaminho o texto.

marinheiras

Primeira Turma Feminina da Escola Naval de 2014.

 

Uma Foto e Vários Sentimentos

De todas as transformações que o nosso país enfrenta, não tenho dúvida que a pior delas é inversão de valores..Não estou falando dos atores, mas da platéia.

Quem determina o sucesso de um espetáculo é o público. Por melhor que sejam os atores e o enredo, se o público não aplaudir, a turnê acaba.

Nós somos a sociedade, nós somos a platéia, nós dizemos qual o espetáculo deve acabar e qual precisa continuar. Se nós estamos aplaudindo coisas erradas, se damos ibope a pessoas erradas, de que estamos reclamando afinal?

Somos nós que continuamos consumindo notícias de bandidos presos e condenados.

Somos nós que consumimos notícias de arruaceiros que ganham mesada para depredar o nosso patrimônio.

Somos nós que damos trela para beijaços, toplessaços, marcha de vadiaças, dos maconheiraços, dos super-heróis que batem ponto em “manifestações” (e que gostam de cozinhar-se dentro de uma fantasia num sol de 45 graus), e todos os tipos de histéricos performáticos que querem seus 15 minutos de fama.

Quando fazemos isso, estamos dando-lhes valores que não têm. Estamos dando-lhes atenção. Estamos dedicando-lhes o nosso precioso tempo.

Passou da hora de dar um basta nisso!

Por que os nossos jornais estão recheados de funkeiros ao invés de medalhistas olímpicos do conhecimento?

Por que vende-se mais jornal com notícia de um funkeiro que largou a escola por já estar milionário, do que de um aluno brilhante que supera até seus professores?

Por que sabemos os nomes dos BBBs e não sabemos os nomes dos nossos cientistas que palestraram no TED?Por que muitos não sabem nem o que é o TED? Ou Campus Party?Por que um evento histórico para o Brasil como o ingresso da primeira turma feminina da Escola Naval não é noticiado?Por que um monte de alienadas com peitos de fora, merecem mais as manchetes do que as brilhantes alunas, que conquistaram as primeiras 14 vagas, da mais antiga instituição de ensino superior do Brasil?Por que nós continuamos aplaudindo a barbárie, se ainda temos valores?O país não mudará se nós não mudarmos o foco!Os políticos não mudarão se nós não refletirmos a sociedade que queremos!Já passou da hora de nos posicionarmos!Ostracismo a quem não merece a nossa atenção e aplausos para quem faz por merecer.Merecer! Precisamos devolver essa palavra para o nosso dicionário cotidiano.Meu coração ao olhar essa foto hoje, se divide em vários sentimentos distintos.

Muito orgulho de ser mulher e me ver representada por essas guerreiras.

Elas não estão fazendo arruaça pleiteando igualdade. Elas conquistaram a igualdade estudando e ralando muito.

Elas tiveram que carregar na mão as suas malas pesadas no dia que entraram na Escola Naval. Não puderam puxar na rodinha não! Tiveram que carregar na mão igual aos aspirantes masculinos.

Elas foram e fizeram.

Mas ao contrário das feministas de toddynho, não estarão nas manchetes dos jornais de hoje. E isso me evoca outros sentimentos.

Sentimentos de revolta, de vergonha, e de constrangimento frente a essas mulheres, que não serão chamadas de heroínas por apresentadores de televisão. Mas estão dispostas morrer como heroínas por nosso país.

Parabéns Primeira Turma Feminina da Escola Naval de 2014.

Vocês são a dúzia que vale muito mais que milhares! “

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
novembro 2020
D S T Q Q S S
« out    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia