WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Literatura’

AGUARDEM DELICIOSOS CAPÍTULOS DO ‘ RAIO-X DE UMA CIDADE’

O famoso livro.

SOLO DE TROMBONE – ALBERTO HOISEL, O ZÉ…FERINO. POR ANTÔNIO LOPES!

Na medida do possível, vou publicar páginas desse delicioso livro.

Passagens tratadas com ironia, sarcasmo e humor. Com fotos inéditas.

Para começar 2 paginas para seu deleite…

:: LEIA MAIS »

LITERATURA JUVENIL E MÚSICA – (Carlos Zéfiro)

RAIO – X DE UMA CIDADE, UM APERITIVO

O famoso livro.

CRESO COIMBRA – UM ESCRITOR ESQUECIDO NA FLIOS!

Creso Coimbra, no seu antológico livro RAIO – X DE UMA CIDADE, faz um recorte realista da época de ouro da sociedade ilheense.

O livro foi apreendido e proibido, por uma decisão autoritária de um Delegado da Policia Federal à época.

A Editus, editora da Uesc, enquanto resistência, poderia patrocinar a reedição do histórico livro.

O famoso livro.

FINAL DE CARREIRA DE JOSÉ DIRCEU

José Dirceu

Quando ele, José Dirceu, era um dos homens mais poderosos do Brasil, nem sabia onde ficava Ilhéus.

Ou se sabia, ignorava.

Hoje, um passageiro da agonia, fincou os pés na cidade, e cercado de amigos, admiradores e correligionários, tenta alavancar uma candidatura à Prefeitura de Ilhéus, para um deles.

Não passa disso, contando historias lançando-as em um livro, vai gozando e usufruindo dos seus últimos dias.

No que ele faz muito bem…

COMEMORANDO OS 60 ANOS DO ROMANCE GABRIELA, CRAVO E CANELA! – Vídeos Novela



O TREM FOI E NÃO VOLTOU… – UM CONTO DE EDUARDO KRUSCHEWSKY

 

Eduardo Kruschewsky

Adorava quando ia para a fazenda! Molecote, respeitadíssimo em Ilhéus por suas aprontações, capaz de quebrar um globo de luz das praças ilheenses, apenas com um caroço de mamona.Era um ás no bodoque e o terror dos adversários nas “batalhas de turma” quando se engalfinhava com outros meninos por mera disputa para ver quem era o melhor, “porradeiro” como ninguém, diziam… Aprendeu com o velho Dete, mestre na arte, a pegar passarinho no alçapão. Era chegar na roça e preparava a armadilha que colocava no meio do mato. Do velho roceiro, assimilou, também, a capacidade de ficar horas inteiras, imóvel, escondido, esperando o bichinho cair na armadilha. Daí a pouco, era capaz de ouvir os mosquitos zunindo, mas longe dele. É que tinha um método capaz de evitar que os insetos o atacassem. Era “batata”: a poucos metros do sítio escolhido para a campana, defecava e, daí a pouco, atraídos pelo fedor das fezes devidamente mexidas pelo peralta, os incomodativos companheiros de espera iam para os excrementos,esquecendo-se dele. Menino criado no interior, sabia de cor e salteado, as histórias de lobisomem, mula sem cabeça e outros seres mitológicos que se hospedavam nas fazendas de cacau da sua Ilhéus. Assim, mesmo meio descrente, não custava nada e, pelo sim pelo não, quando ia caçar ou passarinhar, colocava um pedacinho de fumo num toco, em oferta à “Comadre” (também chamada de caipora). Diziam os velhos caçadores que ela gostava de pitar seu cachimbinho e, distraída, “esquecia” de encantar os caçadores…Por vezes, os danadinhos demoravam de vim buscar o pedaço de banana ou a casca de abacaxi, dentro do alçapão e o garoto, orientado pela altura do sol, via que chegava a hora do almoço… Levantava, apressado e mesmo gostando de ficar ali, misturado com a natureza, não podia se atrasar: Nenem, a cozinheira,que ajudara a criar ele e os irmãos, sabia onde estava e, com certeza, viria buscá-lo e o levaria pendurado pela orelha… O menino, então, metia dois dedos na boca e deixava sair dali cantos maviosos de bem-te-vis, curiós, assanhaços, uma verdadeira passarinhada. Era supimpa e infalível! Daí a pouco, dois, três, muitos passarinhos eram atraídos e caiam fácil, fácil na armadilha. Em tom de mofa, para não se dar por vencido,costumava dizer que não tinha orelha para negra desassuntada nenhuma puxar. Mas, tudo de molecagem, pois adorava a negra retinta que sempre lhe enchia de mimos e que contava histórias na hora de dormir, com trejeitos e entonações de voz, fazendo tudo parecer verdadeiro.Os muitos pássaros capturados eram comercializados com outros meninos, ou dava ao pai de presente, já que o “velho” gostava de cuidar de aves e gaiolas.

:: LEIA MAIS »

ABERTURA DA FLICA – FESTA LITERÁRIA INTERNACIONAL DE CACHOEIRA!

Um dos maiores eventos literários do País, a Festa Literária Internacional de Cachoeira (Flica) reúne até domingo (8) eventos ligados ao segmento e diversas outras modalidades artísticas, como música e contação de histórias. Os estudantes da Rede Pública Estadual contam com um espaço especial, a Casa Educar para Transformar, em frente à Câmara Municipal, onde apresentam projetos de arte e cultura. Este ano, as atividades programadas pelas secretarias e órgãos do governo envolvem lançamento de publicações, contação de histórias infantis, exposições, feira de economia solidária e biblioteca móvel. O Serviço de Atendimento ao Cidadão Móvel (SAC Móvel) estará no município no período da festa para atender a população e o público do evento. A programação completa está disponível no site da Flica.

O LIVRO RAIO-X DE UMA CIDADE, JÁ PODE SER REEDITADO. —>>> 05-07-2016

 raioX

Depois da Anistia Ampla Geral e Irrestrita e da Comissão da Verdade.

O livro em pauta, foi automaticamente liberado, pois foi apreendido por uma ação individual e extemporânea de um delegado à época.

Ficamos sabendo que um grupo já faz uma cotização (vaquinha), para que pelo menos 200 exemplares possam ser reeditados, por enquanto ficam livres a xerox, empréstimos e revenda.

Dizem eles (o grupo), que é para os personagens ainda vivos, não passem para a imortalidade no anonimato…!

PROJETO FIOL: SALVAMENTO PALEONTOLÓGICO

Valec e UFRB lançam livro com os resultados do estudo dos fósseis na área da FIOL

Além dos benefícios inerentes ao transporte ferroviário, como o desenvolvimento das regiões produtoras e a redução dos acidentes nas estradas, a construção da FIOL (Ferrovia de Integração Oeste-Leste) também estimula a produção científica, como no caso do estudo paleontológico na área de influência da ferrovia. Durante a construção, muitos fósseis foram encontrados e removidos dos locais de obra para análise e preservação desse patrimônio.

O trabalho foi desenvolvido por meio de um Termo de Cooperação com a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) durante as prospecções realizadas em campo nos anos de 2014 e 2015. O resgate do material fóssil previamente detectado e a prospecção por novos sítios de estudo ao longo do percurso da FIOL rendeu um livro intitulado “Projeto FIOL: salvamento paleontológico. Uma ponte entre a universidade e a sociedade” que apresenta todos os resultados da pesquisa, em formato bilíngue.

O livro é considerado inovador na área da paleontologia por apresentar de forma didática a análise dos fósseis na área de influência da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL).Matéria completa, no link abaixo:

http://www.valec.gov.br/noticias/Noticia050717

 

A REVISTA QUE VAI DAR O QUE FALAR!

anuncie aqui

Carregando...

Tabela do Brasileirão

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia