WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Informática’

DO LIXO AO OURO!

Leia matéria completa, clicando aqui.

São Paulo já reciclou 185 toneladas de lixo eletrônico

Publicado em 04/08/2019 – 19:43

Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil  São Paulo

Com 65 pontos de coleta espalhados pelo estado de São Paulo, a Green Eletron recolheu, desde o final de 2017, cerca de 185 toneladas de lixo eletrônico. A iniciativa sem fins lucrativos para receber aparelhos descartados pelos consumidores foi fundada em 2016 pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). Assim, as empresas começaram a atender o previsto na Política Nacional de Resíduos Sólidos, legislação que entrou em vigor em 2010.

Entre os pontos estipulados pela lei está a obrigação da cadeia produtiva e de comercialização de produtos eletroeletrônicos, entre outros setores, de estabelecer um sistema de logística reversa. Ou seja, as empresas se tornaram responsáveis por garantir que o lixo gerado por seus produtos tenha um destino adequado.

Acordo setorial

São Paulo se antecipou ao resto do país ao implantar a coleta e reaproveitamento do lixo eletroeletrônico. O acordo setorial, que deverá tornar o sistema obrigatório em todo o país, entrou em consulta pública na última quarta-feira (31). Durante um mês, o Ministério do Meio Ambiente vai receber contribuições antes da formatação final do texto.

Em 2017, o governo estadual propôs um termo de compromisso para implementar a logística reversa dos eletroeletrônicos em São Paulo, o que alavancou a iniciativa empresarial. O modelo da Green Eletron se inspira, segundo o gerente executivo da gestora, Ademir Brescansin, em experiências internacionais. “Uma unidade gestora nos mesmos moldes do que existe na Europa, no Japão e nos Estados Unidos. Uma entidade sem fins lucrativos em que as empresas, que têm obrigação por lei, pudessem se associar e ratear os custos da implantação de todo esse sistema”, explica.

Reciclagem

Atualmente, a iniciativa tem 26 empresas associadas. São recolhidos materiais dos mais diversos. Desde o final de 2017, os postos de coleta receberam, por exemplo, 4,1 mil celulares e 6,5 mil eletroportáteis (aparelhos pequenos como cafeteira, liquidificador e forno de micro-ondas), entre outros itens.

O material é levado para empresas de reciclagem que promovem o reaproveitamento de matérias-primas, como o plástico, e até a transformação em novos produtos. Nesse sentido, o Brasil está à frente da maioria dos países, segundo o diretor de inovação da Sinctronics, Carlos Ohde. A empresa é uma das responsáveis por fazer o processamento dos eletrônicos descartados. “Quando a gente olha para os Estados Unidos e para a Europa, eles têm muito consumo de eletrônicos, mas eles não têm a produção, vem da Ásia. Então, esse processo que a gente tem de pegar um eletroeletrônico descartado e transformar em um eletroeletrônico novo, eles não conseguem”, comparou Ohde.

Essa capacidade de transformar o lixo eletrônico em novos produtos já rendeu reconhecimento internacional à Sinctronics. De acordo com o diretor, a empresa recebeu duas menções do Fórum Econômico Mundial e até uma premiação da Associação Americana de Empresas de Manufatura, país de origem da matriz da recicladora. “O Brasil está entre os primeiros países que fazem isso”, enfatiza Ohde sobre a capacidade da fábrica de transformar impressoras jogadas fora em novas.

Processos complexos

Algumas etapas da produção, no entanto, ainda tem que ser feitas no exterior, como no caso da extração de componentes das placas eletrônicas. “Tem uns quarenta elementos da tabela periódica naquela placa. Precisa de um processo químico ou térmico que é feito fora do país”, detalha o diretor. Segundo ele, isso porque é necessário um volume muito grande de material para que o processo seja viável.

No caso dos aparelhos com gás, como geladeiras e ar-condicionado, também há dificuldades no processo. “A gente tem no Brasil somente duas empresas que são capazes de reciclar esse tipo de produto”, ressalta Ademir Brescansin da Green Eletron. Os monitores de tubo são outro produto que apresenta riscos. “Como eles possuem chumbo e fósforo, você tem que ter um processo adequado só para eles, aspirar todas as substâncias, descontaminar para depois reciclar”, acrescentou.

A partir da assinatura do acordo setorial, que deve prever a coleta de 17% do 1,5 milhão de toneladas de lixo eletrônico produzidos no país anualmente, outros obstáculos devem aparecer. “Você implantar um sistema de logística reversa no Brasil é diferente do que em qualquer país da Europa que implantou. A gente tem as dimensões continentais do país. Tem regiões que não se chega nem de carro, só de avião ou barco. Mas se os produtos eletroeletrônicos chegaram a todas as regiões do país, é possível que eles voltem”, ressalta o gerente executivo da Green Eletron.

Apesar dos custos, a operação é importante, segundo Brescansin. Além de evitar a contaminação do solo com o descarte em lixões, que ainda existem em 2,5 mil municípios, também é uma forma de deixar de retirar novas matérias-primas da natureza, poupando recursos.

Edição: Aline Leal

O WHATSAPP É BASTANTE POPULAR, PORÉM EXISTEM OUTRAS REDES SOCIAIS.

Telegram sai na frente com sete recursos que o WhatsApp fica devendo

Máscaras em fotos e imagens autodestrutivas são algumas das funções presentes no mensageiro.

Clique na foto.

UMA SUCATA QUE RENDE DINHEIRO. ===>>>06-01-2014

Sucata

UMA SUCATA QUE RENDE DINHEIRO

Empresas que reciclam sucatas eletrônicas, e existem várias no sul do País, que coletam a dita sucata preferencialmente nas Cooperativas de Coletas.

Taí uma boa oportunidade para criação de uma cooperativa destinada a esse fim.

Ganhariam dinheiro, e não precisariam ficar dependente do poder público.

0,,11326071-EX,00Atualização:

Uma empresa do ramo de sucatas eletrônicas, esteve em Ilhéus para estudar o mercado. E só do Polo de Informatica, na época, levou 2 carretas lotadas de graça, custo 0800.

A preguiça não deixou que os envolvidos se interessassem, dava trabalho…

 

Adeus, Facebook: 73% dos brasileiros querem excluir perfil, diz pesquisa

04/12/2016 08h00 – Atualizado em 04/12/2016 11h35

João Kurtz

por JOÃO KURTZ
Para o TechTudo

Brasil é o quarto no ranking global com mais PCs que comandam botnets

facebook82

Facebook seria perda de tempo para usuários, diz Kaspersky (Foto: Melissa Cruz/TechTudo)

Aplicativo do TechTudo: receba as melhores dicas e últimas notícias no seu celular

Os usuários estariam cientes da situação, com 328 (37%) deles respondendo acreditar que estão perdendo tempo nas redes sociais, enquanto 647 (73%) admitiram já ter considerado apagar suas contas.

saiba mais

A preocupação de perder amigos é o motivo mais indicado para a permanência, sendo respondido por 603 (68%) deles. Para outros 186 (21%), entretanto, a maior preocupação são os arquivos – como fotos – guardados em suas contas.

Qual é o melhor antivírus grátis? Veja no Fórum do TechTudo.

Uma das soluções propostas pela Kaspersky Lab é o FFForget, um aplicativo capaz de fazer o backup de dados de redes sociais e mantê-las em um local seguro e criptografado. O objetivo, segundo a desenvolvedora, é fornecer uma forma para que as pessoas tenham a liberdade de “sair das mídias sociais quando quiserem”.

“Queremos que o FFForget seja uma solução para eliminar o medo das pessoas de perderem suas recordações por problemas com a conta ou ataques de hackers”, explica a chefe de mídias sociais da Kaspersky Lab, Evgeny Chereshnev.

Muitas redes sociais, como o Facebook (backup) e o Twitter (download),  entretanto, já possuem recursos específicos que deixam os usuários fazerem backups de seus dados na rede, permitindo que as contas sejam apagadas normalmente sem o medo de perder conteúdo já publicado.

MAPA DAS CIDADES DIGITAIS – BAHIA

 rede-cidade-digital

As cidades apresentadas nos mapas estaduais são definidas por meio de sistematização de dados de municípios que possuem características necessárias para a constituição de uma cidade digital, tendo como base a pesquisa Perfil dos Municípios Brasileiros do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e informações de veículos oficiais de comunicação das prefeituras e governos estaduais. Os critérios para a indicação de cidade digital partem do princípio de que estes municípios atendam, no mínimo: o fornecimento de sinal de internet (Wi-Fi) gratuito para os cidadãos, em sua totalidade ou em determinada área; e/ou, disponibilidade de ferramentas e infraestrutura de governo eletrônico (e-gov), como serviços de atendimento via web ou ligação de órgãos e prédios públicos por meio de cabeamento óptico.ba

O CONFORTO E A PRATICIDADE QUE A INFORMATIZAÇÃO TRAZ.

Antigamente era uma cansativa mão de obra preencher um cadastro. A pessoa levava para casa uma massaroca de papel, preenchia à mão, e depois levava ao seu destino.

Hoje não. As lojas, bancos, instituições utilizam largamente o cadastramento eletrônico informatizado.

Até a Declaração de Imposto de Renda, que não deixa de ser um cadastro mais sofisticado, está disponível para qualquer usuário.

Lojas, bancos e instituições, disponibilizam aplicativos até em smartphones para cadastramento online.

Enfim, cadastramento deixou de ser um bicho de sete cabeças…  

Exemplo de um cadastramento informatizado.

Exemplo de um cadastramento informatizado.

DIVERSIONISMO EM RELAÇÃO AS URNAS ELETRÔNICAS!!!

urnaprotesto

Maneira diversionista em desviar a atenção do foco verdadeiro dos problemas das urnas eletrônicas.

O ‘bug’ está dentro da programação.

Nos contadores, nos acumuladores e nos totalizadores.

Façam uma auditoria nos programas fontes…

Exemplo de uma codificação de programa.

Exemplo de uma codificação de programa.

CSI : CYBER – CRIMES CIBERNÉTICOS, CHEGA RAPIDAMENTE A ILHÉUS.

Segundo consta nas investigações, um site mambembe e apócrifo, apropriou-se do nome e cpf de uma pessoa, que imediatamente acionou os órgãos competentes, e o rastreamento chegou a um marginal de Itabuna.

Desde o dia 03 de julho o site ‘zumba’ não é atualizado, assim como o perfil no Facebook.

A Internet deixou de ser um mundo fechado, hoje é um livro aberto. Assim como usar pseudônimo feminino com DRT falso.

A serie que mostra como desvendar crimes cibernéticos.

A serie que mostra como desvendar crimes cibernéticos.

O APLICATIVO ‘PORTAL DA TRANSPARÊNCIA ILHÉUS’ ESTÁ NO AR.

Estamos navegando e testando-o, enquanto usuário final.

Sugiro que façam o mesmo, clicando no banner.

tranaparenciailheus

COMO ASSESSORES DE IMPRENSA VÃO DOMINAR CONTENT MARKETING.

Como assessores de imprensa vão dominar content marketing

Webinar é uma palestra online gratuita com duração de 1h.

O novo webinar gratuito da Tracto, no dia 7 de outubro, traçará um panorama do que aconteceu no mercado norte-americano e tem tudo para acontecer no brasileiro: content marketing representará a ampliação do escopo dos profissionais de assessoria de imprensa.

A premissa para esta afirmação está no leque de habilidades que o método de content marketing requer:

  • Conhecimento de comunicação (e não apenas de ferramentas digitais);

  • Compreensão dos dramas vividos pelo assessorado;

  • Busca por resultados qualitativos e quantitativos;

  • Habilidade de contar histórias herdada do jornalismo tradicional.

Nos Estados Unidos, houve nos últimos quatro anos a explosão dos departamentos e agências de content marketing, que ampliaram o escopo da comunicação com a imprensa para uma comunicação multiplataforma por diversos canais.

Este webinar gratuito explicará o que exatamente é content marketing e como os assessores de imprensa podem tirar proveito dessa atividade, ampliando sua área de atuação.

QUANDO

Dia 7 de outubro, terça-feira, às 11h (horário de Brasília). A duração é de 1h.

FORMATO

Serão 40 minutos de apresentação e 20 minutos dedicados a perguntas.

PALESTRANTE

Cassio Politi é autor do primeiro livro em content marketing em português.

anuncie aqui

Carregando...

Tabela do Brasileirão

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
setembro 2019
D S T Q Q S S
« ago    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia