WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Ferrovia’

FOTOGRAFIAS DA FERROVIA DE INTEGRAÇÃO OESTE-LESTE – FIOL 2017!

Ferrovia Oeste-Leste (FIOL) – 2017 – Clique e navegue pelo show de fotografias.
Lote 01F (Barra do Rocha) – 2017
Lote 02F (Jequié) – 2017
Lote 02FA (Túnel de Jequié) – 2017
Lote 03F (Tanhaçu) – 2017
Lote 04F (Brumado) – 2017
Lote 05F (Guanambi) – 2017
Lote 05FA (Ponte Rio São Francisco) – 2017
Lote 06F (Santa Maria da Vitória) – 2017
Lote 07F (São Desidério) – 2017

OLHA O PORTO SUL E A FERROVIA CHEGANDO AÍ!

Sorry GUETO DO ATRASO.

 

Na China, Rui assina acordo para viabilizar Porto Sul

Um dos principais compromissos da agenda do governador Rui Costa em sua missão internacional na China ocorre no início da manhã desta sexta-feira (1º), quando ele assina, em Pequim, memorando de entendimento com cinco empresas chinesas e a Bahia Mineração (Bamin) para financiamento do projeto do Porto Sul, que será implantado no município de Ilhéus.

Também integram o acordo ações que visam a execução da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) e a exploração de uma mina de minério de ferro localizada no sudoeste da Bahia. O ato de assinatura está marcado para as 18h15 de Pequim, ou seja, 7h15 no horário de Brasília.

O documento estabelece que o Governo do Estado, as empresas chinesas e o Eurasian Resources Group, acionista da Bahia Mineração, “desejam cooperar para o desenvolvimento totalmente integrado do projeto do Porto Sul, da Fiol e da mina Pedra de Ferro”.

Ainda de acordo com o documento, a participação em grupo de investimento para financiar o desenvolvimento dos projetos será liderada pelo consórcio chinês formado pelas seguintes empresas: China Railway Group Limited; China Communications Construction Company Ltd; Minmetals Development Co. Ltd; Shougang Fushan Resources Group Limited; e Dalian Huarui Heavy Industry Group Co. Ltd.

Essas empresas orientais são de diversos ramos de atuação, como siderurgia, construção civil e mineração, e fecharam um cronograma de atividades com a Bahia Mineração envolvendo prazos para execução dos trabalhos.

*Sobre Porto Sul e Fiol*

Com investimento de R$ 2,7 bilhões, o Porto Sul será construído no Litoral Norte de Ilhéus, na região de Aritaguá. O empreendimento já tem todas as licenças necessárias para o início da obra, como as licenças prévia e de instalação, além da autorização para supressão de vegetação, emitidas pelo Ibama.

No Porto Sul serão embarcados o minério de ferro explorado no sudoeste baiano, além de grãos do oeste do estado que chegarão ao Porto pela Fiol. A ferrovia está em construção e terá extensão de 1.527 quilômetros, sendo 1.100 quilômetros na Bahia, com trecho de Ilhéus a Figueirópolis, no Tocantins.

AEROPORTO DE ILHÉUS PASSA PARA AS MÃOS DO GOVERNO ESTADUAL.

Aeroporto Jorge Amado.

O Aeroporto Jorge Amado, em Ilhéus (BA), foi passado ao Governo da Bahia, na tarde desta terça-feira (22). O documento que garante a delegação do aeroporto foi assinado em Brasília, pelo ministro dos Transportes, Portos e Aviação, Maurício Quintella, pelo governador Rui Costa, com a participação do vice-governador João Leão, o Senador Roberto Muniz e bancada dos deputados federais. No mesmo ato, o ministro revogou a portaria que até então atribuía a exploração do aeródromo à Infraero São estimados investimentos, por parte do futuro concessionário, de R$ 100 milhões ao longo dos 30 anos da concessão, que vai iniciar o processo de concessão do terminal à iniciativa privada. Nos cinco primeiros anos do contrato estão previstos R$ 30 milhões para ampliação do terminal de passageiros, estacionamento de veículos, restauração do pavimento da pista de pouso/decolagem, pátios, taxiways e vias de serviço e a reforma e ampliação da Seção de Combate a Incêndio. Com isso esperamos fazer os investimentos necessários para uma melhor operação do aeroporto, um sonho de toda a região de Ilhéus, favorecendo ainda mais o crescimento da Bahia.

 

Impressionante máquina-monstro construtora chinesa em ação!


Valec constrói maior ponte ferroviária da América Latina

Ao atravessar quase todo o estado da Bahia nos seus 1.527 km de extensão, as obras da FIOL (Ferrovia de Integração Oeste-Leste) revelam a complexidade e o cuidado necessário ao desenvolvimento de seus projetos de engenharia.

No desafio maior que é construir um empreendimento de grande porte como esse, está a construção de uma ponte ferroviária que atravessa o leito do Rio São Francisco, entre os municípios baianos de Serra do Ramalho (margem esquerda do rio) e Bom Jesus da Lapa (margem direita).

Trata-se da maior ponte ferroviária da América Latina, com 2,9 km de extensão. O empreendimento, que começou em dezembro de 2014, compreende 82 pilares verticais, sendo o maior deles de 18 metros de altura. A obra também prevê a instalação de 160 vigas horizontais fabricadas em concreto com armadura de aço com 140 toneladas cada uma.

Todo o projeto foi pensado de forma a não intervir no curso natural do Rio São Francisco. Segundo Gondiberto Filho, engenheiro da Valec, esse é o motivo pelo qual não está sendo usada nenhuma técnica de barragem ou ensecadeira (espécie de proteção à prova d’agua). “Um dos maiores desafios é a execução das fundações no leito do Rio São Francisco, pois exige uma grande logística de embarcações de apoio e está submetida às variações de nível d’água do rio”, explicou.

No momento, os trabalhadores concluem as fundações e a instalação dos pilares. Na próxima fase, ocorrerá o lançamento das vigas e a concretagem da laje. O avanço está sendo registrado mês a mês em imagens aéreas que registram o estado da obra [ver vídeo abaixo].

O engenheiro da Valec Luiz Guilherme Pinto é quem grava e edita os vídeos que contam a história de nascimento desta ponte. Os clipes são publicados no site da Valec e também no YouTube, onde Luiz comanda um canal chamado “Vida Engenharia”, em que posta vídeos sobre noções gerais do ofício.

O canal teve 4 milhões de visualizações no ano passado e já conta com 86 mil inscritos em apenas 2 anos no ar. “Eu sempre gostei de fazer vídeos e, depois que comprei um drone, quis mostrar como uma obra acontece, porque quando as pessoas veem uma construção concluída, não têm noção do trabalho que exige levantar uma ponte tão extensa”, afirmou.

A Valec é a proprietária do empreendimento e exerce o papel fiscalizador, tanto na parte técnica quanto na de meio ambiente, segurança do trabalho, desapropriações, aprovação do projeto executivo e tudo que envolve o desenvolvimento da construção como um todo.

Além disso, empresas contratadas prestam serviços especializados de obra e supervisão, incluindo mão de obra e equipamentos. A previsão é que a ponte fique pronta no ano que vem.

Para outros vídeos sobre a ponte, acesse o canal “Vida Engenharia” no Youtube.

Comissão de Infraestrutura debate projetos do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

Debate na Comissão.

A situação dos modais rodoviário, aeroviário, portuário, ferroviário e hidroviário no Brasil foi tema de debate em audiência pública realizada nesta terça-feira (8/8) na Comissão de Infraestrutura do Senado Federal. Durante a audiência, o ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, detalhou a situação das ferrovias Integração Oeste-Leste (Fiol), Transnordestina, Biocêanica e também as novas concessões em blocos.

Confira aqui as apresentação do ministro.

Durante a audiência, o ministro falou dos novos projetos que serão apresentados ao Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) e precisam ser qualificados e, posteriormente, concedidos. A próxima reunião do conselho está prevista para o fim de mês de agosto, quando serão apresentados três blocos de aeroportos, rodovia e novos terminais portuários. “A nossa proposta é fazer a concessão em bloco, diferente das rodadas anteriores, mas a definição do modelo e quais aeroportos ainda serão definidos, respeitando a saúde financeira da Infraero” pontuou Quintella.

A BR-364 entre Porto Velho (RO) e Comodoro (MT) é a única rodovia que o ministério vai encaminhar ao PPI para ser qualificada. Além disso, o governo vai enviar uma nova medida provisória para tratar da reprogramação dos contratos. O objetivo é solucionar os problemas que as empresas, principalmente da terceira rodada de concessões, estão enfrentando.

No setor portuário a proposta é apresentar novos empreendimentos para arrendamento e o ministério ainda avalia outros projetos que podem ter seus contratos renovados antecipadamente.

Para o ministro, os investimentos em infraestrutura são importantes para aumentar a eficiência e a competitividade da economia do país, integrar o território nacional, desenvolver as fronteiras agrícolas e minerais, além de gerar de empregos.

DECRETO DOS PORTOS – Já o setor portuário, com o novo marco regulatório – Decreto nº 9.048/2017 – será possível destravar as operações portuárias, ter maior segurança jurídica, previsibilidade e redução dos riscos.

“O decreto vai viabilizar investimentos da ordem de R$ 25 bilhões, recursos a serem destravados em curto e médio prazo no investimento de infraestrutura portuária brasileira. Já temos 38 pedidos para adaptação de contratos com base do decreto” destacou o ministro.

O diretor da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Mário Povia, disse que estuda concessões simplificadas e em menos tempo para os armazéns nos portos de Paranaguá (PR), Imbituba (SC) e Rio Grande (RS).

FERROVIAS – Em relação ao setor ferroviário, a Transnordestina deve ter a suas obras retomadas em meados de 2018. O Tribunal de Contas da União (TCU) suspendeu o repasse de verbas para a ferrovia e está exigindo um projeto executivo, custo final da obra e equacionamento financeiro para concluir os trabalhos iniciados há mais de dez anos.

Segundo o secretário de Fomento e Parcerias do Ministério dos Transportes, Dino Antunes Dias Batista, presente na audiência, a expectativa é que a concessionária entregue até março os pedidos do TCU e a obra possa ser retomada em meados de 2018.

No caso da Fiol, haverá uma assinatura de entendimento entre as empresas brasileiras e o grupo chinês interessado na concessão desse projeto. O procedimento deve ocorrer na próxima reunião dos BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China), em setembro.


(Fonte: Assessoria de Comunicação – Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil)

Rui leva ao Ministério dos Transportes entendimento sobre Fiol e Ponte

03/08/2017 17:40

Governador Rui Costa e o Ministro Mauricio Quintela

Além do encontro com a presidente do Supremo Tribunal Federal, a ministra Carmen Lúcia, nesta quinta-feira (3), em Brasília, o governador Rui Costa foi ao Ministério dos Transportes. Na ocasião, Rui levou ao ministro Maurício Quintela o entendimento firmado com o embaixador da China, Li Jinzhang, sobre a inclusão da Ferrovia de Integração Oeste Leste (Fiol) e da Ponte Salvador-Itaparica como prioridades do país no Fundo Brasil-China. Rui e o embaixador se reuniram no último dia 26 de julho em Brasília.

Este fundo é um acordo de cooperação entre as duas nações e os investimentos podem chegar a US$20 bilhões. A Bahia trabalha para que um volume grande de recursos seja aplicado no estado. As conversas estão adiantadas para assinar memorando de entendimento com investidores chineses em setembro durante viagem do governador à China. O ministro Maurício Quintela manifestou concordância sobre o assunto. 

“A Fiol é o principal projeto de infraestrutura no estado e a nós interessa que aconteça o mais rápido possível. Estamos abertos a receber o ativo e tocar o processo de concessão, ou ser atores pra ajudar o Governo Federal nesta empreitada tão importante para os baianos”, disse Rui ao ministro. Quintela também estará na China em setembro e afirmou: “as coisas estão caminhando e podem contar conosco”.

Os secretários estaduais da Casa Civil, Bruno Dauster, de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, e o procurador geral do Estado, Paulo Moreno, acompanharam o governador na audiência, que também tratou das estradas baianas e de aeroportos regionais. A questão da infraestrutura foi defendida como ponto para ampliar empregos e colocar a Bahia num patamar forte de desenvolvimento.

O QUE É UMA ZPE – Zona de Processamento de Exportação?

Zona de Processamento de Exportação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Uma Zona de Processamento de Exportação (ZPE) é um distrito industrial onde empresas nele localizada operam com suspensão de impostos, liberdade cambial (não são obrigadas a converter em reais as divisas obtidas nas exportações) e gozam de procedimentos administrativos simplificados. Atualmente existem no Brasil 24 Zonas de Processamento de Exportações autorizadas pelo Governo Federal que se encontram em distintas fases pré- operacionais.

ZPEs autorizadas com fundamento na Lei nº 11.508, de 2007: ZPE do Acre, em Senador Guiomard – AC / ZPE de Aracruz, em Aracruz – ES / ZPE de Bataguassu, em Bataguassu – MS / ZPE de Barra dos Coqueiros, em Barra dos Coqueiros – SE / ZPE de Boa Vista, em Boa Vista – RR / ZPE de Fernandópolis, em Fernandópolis – SP / ZPE de Macaíba, em Macaíba – RN / ZPE de Parnaíba, em Parnaíba – PI / ZPE de Pecém, em São Gonçalo do Amarante – CE / ZPE do Sertão, em Assu – RN / ZPE de Suape, em Jaboatão dos Guararapes – PE / ZPE de Uberaba, em Uberaba – MG.

ZPEs autorizadas até 1994: ZPE de Araguaína, em Araguaína – TO / ZPE de Barcarena, em Barcarena – PA / ZPE de Cáceres, em Cáceres – MT / ZPE de Corumbá, em Corumbá – MS / ZPE de Ilhéus, em Ilhéus – BA / ZPE de Imbituba, em Imbituba – SC / ZPE de Itaguaí, em Itaguaí – RJ / ZPE de João Pessoa, em João Pessoa – PB / ZPE de Rio Grande, em Rio Grande – RS / ZPE de São Luís, em São Luís – MA / ZPE de Teófilo Otoni, em Teófilo Otoni – MG / ZPE de Vila Velha, em Vila Velha

PROJETO FIOL: SALVAMENTO PALEONTOLÓGICO

Valec e UFRB lançam livro com os resultados do estudo dos fósseis na área da FIOL

Além dos benefícios inerentes ao transporte ferroviário, como o desenvolvimento das regiões produtoras e a redução dos acidentes nas estradas, a construção da FIOL (Ferrovia de Integração Oeste-Leste) também estimula a produção científica, como no caso do estudo paleontológico na área de influência da ferrovia. Durante a construção, muitos fósseis foram encontrados e removidos dos locais de obra para análise e preservação desse patrimônio.

O trabalho foi desenvolvido por meio de um Termo de Cooperação com a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) durante as prospecções realizadas em campo nos anos de 2014 e 2015. O resgate do material fóssil previamente detectado e a prospecção por novos sítios de estudo ao longo do percurso da FIOL rendeu um livro intitulado “Projeto FIOL: salvamento paleontológico. Uma ponte entre a universidade e a sociedade” que apresenta todos os resultados da pesquisa, em formato bilíngue.

O livro é considerado inovador na área da paleontologia por apresentar de forma didática a análise dos fósseis na área de influência da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL).Matéria completa, no link abaixo:

http://www.valec.gov.br/noticias/Noticia050717

 

Deputada Ivana Bastos apresenta relatório da Valec na Comissão da Fiol

16 Jun 2017 – 08:40h Fonte: Achei Sudoeste

 

OS CHINESES ESTÃO CHEGANDO – PORTO SUL E FIOL!

PORTO SUL E A MISSÃO CHINESA EM ILHÉUS

Panorâmica da área do Porto Sul (Foto José Nazal/Arquivo).

Panorâmica da área do Porto Sul (Foto José Nazal/Arquivo).

Panorâmica da área do Porto Sul (Foto José Nazal/Arquivo).

Uma nova missão chinesa, composta de investidores, desembarcará em Ilhéus, no dia 14 de julho. A missão virá conhecer e analisar o local já desapropriado para a construção do Porto Sul e a região do traçado final da Ferrovia de Integração Oeste-Leste, a Fiol, na zona norte ilheense.

O Complexo Intermodal do Porto Sul terá investimento chinês, resultado de intensos contatos do governo baiano com os orientais. Já está definido que o Fundo Chinês para Investimento na América Latina (Clai-Fund) e a China Railway Engineering Group n.10 (Crec) vão construir porto e ferrovia, após acordos com o governo baiano e a Bahia Mineração (Bamin).

A missão chinesa, de acordo com fonte do PIMENTA, será acompanhada pelo vice-governador João Leão e o secretário Estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner. Não está descartada a vinda do governador Rui Costa. Em fevereiro, investidores chineses estiveram no sul da Bahia para ver o traçado da Fiol. Atualizado às 6h10min.

A FIOL E A MISSÃO CHINESA EM ILHÉUS

Fonte: Pimenta.

Um grupo de empresários chineses encerra, amanhã (27), em Salvador, a viagem de uma semana pela Bahia. Neste final de semana carnavalesco, os orientais passaram pelo sul do Estado, acompanhados pelo vice-governador João Leão. Vieram conhecer – de perto – o trajeto da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), que “desembocará” em Ilhéus.

Segundo o governador Rui Costa, os chineses também conhecerão, nesta segunda (27), mais detalhes do projeto de construção da Ponte Salvador-Itaparica. O namoro com os chineses começou ainda em 2015. Ano passado, o governador esteve na China para iniciar os contatos que podem resultar em investimentos bilionários em logística na Bahia.

OS CARNAVAIS E SUAS QUARTAS FEIRAS DE CINZAS.

Estamos em pleno Carnaval oficial.

É o último carnaval do GUETO DO ATRASO. Sua quarta feira de cinzas está chegando.

E com ela, o PORTO SUL e  a FIOL – FERROVIA DE INTEGRAÇÃO OESTE-LESTE.

Obras que já estão caminhando para seu desiderato, e que vai fazer Ilhéus voltar a ter desenvolvimento e economia própria, como era antigamente.

Vai deixar a dependência de Prefeitinhos, Vereadorezinhos, Secretariozinhos e Acessórios.

É esperar e conferir…

Quem passar pela estrada 001, ou pela praia só vai saber que tem um porto, pela passarela suspensa, que vai operar o porto off-shore.

EDITAL DA VALEC – FIOL

vila rustica

anuncie aqui

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Carregando...

Campeonato Brasileiro



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia