WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Eleições’

Jabes Ribeiro analisa o processo eleitoral e descarta candidatura em 2020

 

Na manhã desta sexta-feira, 26, o secretário geral dos Progressistas da Bahia, Jabes Ribeiro, participou do programa o tabuleiro da Ilhéus FM. Durante a entrevista, Jabes analisou o processo eleitoral da Bahia e descartou sua candidatura a prefeito de Ilhéus nas eleições de 2020.

Para Jabes, o partido sai fortalecido com o resultado das eleições e com condições de contribuir significativamente para a Bahia. “Nós organizamos o partido dentro da aliança que temos com o governador Rui Costa. Em 2014, fizemos cinco deputados estaduais. Nesta eleição, fizemos sete. Tivemos um crescimento de 40%. Preservamos a nossa bancada federal com quatro deputados e ainda temos o vice-governador da Bahia, o companheiro João Leão”.

O secretário dos progressistas não escondeu as pretensões do partido para as próximas eleições. “Daqui a dois anos temos o pleito para prefeito e o partido sai preparado para disputar as eleições municipais, se possível, em todos os municípios da Bahia”.

Mais uma vez, Jabes desmentiu os boatos e garantiu que não irá disputar as eleições municipais em 2020, em Ilhéus.   “Eu não serei mais candidato a prefeito. Esqueçam essa história. Nós temos claramente o candidato a prefeito em 2020. Ele se chama Cacá Colchões”.

Jabes lembrou que as eleições para deputado estadual legitimou Cacá como o candidato natural.  “Ele saiu das urnas fortalecido pelo povo de Ilhéus. Foi o campeão de votos. Vai ter um apoio muito forte do partido. Cacá é uma pessoa leve, correta, trabalhador e um líder nato. Ele conhece os problemas da cidade”, enfatizou.

Na oportunidade, Jabes lembrou a importância de escolher,  no próximo domingo, um Presidente afinado com o governo da Bahia. “A eleição de Haddad ajudará Rui a continuar o trabalho em benefício dos baianos e em especial da nossa cidade”, ressaltou.

   Anne Bomfim

Assessora de Imprensa

     DRT/BA 7667

   (73)98841 – 3481

E AÍ? QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE O ASSUNTO?

Soube que o Prefeito Mário Alexandre, juntamente com sua mãe, a Deputada Estadual não reeleita Ângela Sousa.

Reuniu seus subordinados, Secretários, Comissionados, Cabos Eleitorais, e mais os que tais.

Exigindo, sob pena de punições, o apoio ao candidato do PT para Presidente da República.

Faz sentido, existem similaridades…

Pior Prefeito do Brasil

Nem precisa de mais tempo para confirmar.

EXISTEM TAMBÉM AS PESQUISAS ESTRANGEIRAS

OUTRA MANEIRA DE ANALISAR OS PERCENTUAIS DE UMA PESQUISA.

Numa modéstia aritmética, podemos observar minimamente que o corte da pesquisa seria 50%+1.

Então estamos com uma diferença de 12% entre os postulantes.

E como se fala em linguagem futebolística, é um jogo de 6 pontos, tirar do adversário para si…

QUENTINHA ROLANDO NO WHATSAPP

OUTRO PRETENDENTE PARA A PREFEITURA DE ILHÉUS.

Nilton Cruz também já demonstrou essa vontade, conta com a simpatia também, de políticos, empresários e a militância de seu partido.

Senado aprova cláusula de barreira a partir de 2018 e fim de coligação para 2020

Da Redação | 03/10/2017, 21h57 – ATUALIZADO EM 04/10/2017, 17h23

O Plenário do Senado Federal aprovou, nesta terça-feira (3), a proposta de emenda à Constituição (PEC 33/2017) que cria, a partir do resultado das eleições de 2018, cláusulas de desempenho eleitoral para que os partidos políticos tenham acesso ao fundo partidário e ao tempo gratuito de rádio e televisão, além de acabar com as coligações para eleições proporcionais para deputados e vereadores, nesse caso a partir de 2020. O presidente do Senado, Eunício Oliveira, informou que a proposta será promulgada pelo Congresso Nacional nos próximos dias.

A PEC foi aprovada em primeiro turno com 62 votos favoráveis e em segundo turno por 58 votos a favor. Não houve votos contrários ou abstenções. Os dois turnos de votação em um mesmo dia só foram possíveis porque o Plenário já havia aprovado calendário especial para a PEC mais cedo. A criação das chamadas federações partidárias não faz parte do texto aprovado pelos senadores, pois esse instrumento foi retirado pelos deputados federais.

Já a chamada “janela” partidária, que permite que candidatos mudem de legenda seis meses antes da eleição, continuará existindo. A extinção dessa “janela” também foi rejeitada pela Câmara na semana passada.

Desempenho

Para restringir o acesso dos partidos a recursos do Fundo Partidário e ao tempo de rádio e TV, a proposta cria uma espécie de cláusula de desempenho, com exigências gradativas até 2030.

Só terá direito ao fundo e ao tempo de propaganda a partir de 2019 o partido que tiver recebido ao menos 1,5% dos votos válidos nas eleições de 2018 para a Câmara dos Deputados, distribuídos em pelo menos 1/3 das unidades da federação (9 unidades), com um mínimo de 1% dos votos válidos em cada uma delas. Se não conseguir cumprir esse parâmetro, o partido poderá ter acesso também se tiver elegido pelo menos 9 deputados federais, distribuídos em um mínimo de 9 unidades da federação.

Nas eleições seguintes, em 2022, a exigência será maior: terão acesso ao fundo e ao tempo de TV a partir de 2027  aqueles que receberem 2% dos votos válidos obtidos nacionalmente para deputado federal em 1/3 das unidades da federação, sendo um mínimo de 1% em cada uma delas; ou tiverem elegido pelo menos 11 deputados federais distribuídos em 9 unidades.

Já a partir de 2027, o acesso dependerá de um desempenho ainda melhor: 2,5% dos votos válidos nas eleições de 2026, distribuídos em 9 unidades da federação, com um mínimo de 1,5% de votos em cada uma delas. Alternativamente, poderá eleger um mínimo de 13 deputados em 1/3 das unidades.

Nas eleições de 2030, a cláusula de desempenho imposta a partir de 2031 sobe para um mínimo de 3% dos votos válidos, distribuídos em pelo menos 1/3 das unidades da federação, com 2% dos votos válidos em cada uma delas. Se não conseguir cumprir esse requisito, a legenda poderá ter acesso também se tiver elegido pelo menos 15 deputados distribuídos em pelo menos 1/3 das unidades da federação.

Coligações

Pela regra que acaba com as coligações partidárias em eleições proporcionais, a ser aplicada a partir das eleições municipais de 2020, os partidos não poderão mais se coligar na disputa das vagas para deputados (federais, estaduais e distritais) e vereadores. Para 2018, as coligações estão liberadas.

A intenção é acabar com o chamado “efeito Tiririca”, pelo qual a votação expressiva de um candidato ajudar a eleger outros do grupo de partidos que se uniram. Na prática, parlamentares de legendas diferentes, com votação reduzida, acaba eleito devido ao desempenho do chamado “puxador de votos”. O deputado federal Tiririca (PR-SP), reeleito em 2014 com mais de 1 milhão de votos, “puxou” mais cinco candidatos para a Câmara.

Com informações da Agência Câmara Notícias

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

A PREFEITURA DE ILHÉUS E OS NOVOS PRETENDENTES COMEÇAM A APARECER.

Valderico Reis Junior, já desponta, contando com a simpatia de políticos, empresários e a juventude dourada.

IBOPE CONFIRMA DATAFOLHA E OUTROS INSTITUTOS DE PESQUISAS!

Depois de esperar uma semana de embates, o Ibope libera sua 1ª pesquisa, confirmando os 18% de diferença entre as duas candidaturas.

A tendência é que pode até aumentar, quando vemos os ‘globais’ já analisando rejeição.

É o fato…

NA PRIMEIRA PESQUISA, BOLSONARO DISPARA NA FRENTE.

Vamos aguardar o desenrolar dos fatos!

UM NOVO RUMO PARA ELEIÇÃO NO 2º TURNO.

Com a maioria dos Estados decididos os mandatos de Governadores, Senadores, Deputados Federais e Deputados Estaduais.

O povo sente-se liberado para votar em quem quiser para Presidente, no 2º turno…

ONDE ESTÃO OS VOTOS QUE FALTARAM?

Jacó do vereador Makrisi, foi eleito.

Jurailton do vereador Ivo Evangelista, também foi eleito.

Isso sem falar em Rosemberg do PT.

Enquanto Marão, com o time do Tabajara Futebol Clube não conseguiu nada, paciência…

 

 

 

O FIM DAS COLIGAÇÕES PARTIDÁRIAS JÁ NAS ELEIÇÕES DE 2020

Acho muito justo o candidato ser eleito com seus votos, dentro do seu partido.

Muito chato esse negócio de votar em um candidato, e eleger outro…

Votar em Zé, e eleger Mané…

DESRESPEITO COM O ELEITOR DE ILHÉUS.

Sem qualquer motivo aparente, as urnas do CEEP e IME foram transferidas para o Colégio Heitor Dias, recém reformado pela administração anterior.

O CEEP é estadual, o IME é municipal, queremos explicações plausíveis.

Idosos, cadeirantes, e deficientes físicos, obrigados a enfrentar escadas, sem nenhum critério na alocação das seções. Uma bagunça…

Imagem colhida no Blog AGRAVO

SISTEMA ELEITORAL BRASILEIRO, SOB VIGILÂNCIA INTERNACIONAL



anuncie aqui

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
Carregando...

Brasileirão

novembro 2018
D S T Q Q S S
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia