WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Dengue’

SUSPEITA DE DENGUE HEMORRÁGICA

 

Faleceu ontem (10) no Hospital São José, a nossa colega de vários anos no Regional, tanto na cozinha, depois na enfermagem, Simone.

Com suspeita de dengue hemorrágica, deixou uma filhinha de 8 meses.

É PRECÁRIA A SITUAÇÃO DE ILHÉUS, EM RELAÇÃO AO AEDES AEGYPTI

Quase mil cidades podem ter surto de dengue, zika e chikungunya – Ilhéus classificada em risco alto.

É o que revela levantamento do Ministério da Saúde

Publicado em 30/04/2019 – 13:44

Por Paula Laboissière – Repórter da Agência Brasil  Brasília

Brasília – Agentes de combate distribuem panfletos e conscientizam moradores de Brasilândia no Dia de Mobilização Nacional contra o Mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e do vírus Zika (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Novecentos e noventa e quatro municípios brasileiros apresentam alto índice de infestação pelo mosquito Aedes aegypti e podem registrar surtos de dengue, zika e chikungunya.

O número, de acordo com informações do Ministério da Saúde, representa 20% das 5.214 cidades que realizaram algum tipo de estudo que classifica o risco do aumento de doenças causadas pelo vetor.

O primeiro Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2019 revela que a incidência de casos de dengue no país entre janeiro e março subiu 339,9% em relação ao mesmo período de 2018.

Além da situação de risco, o estudo identificou 2.160 municípios em situação de alerta e 1.804 com índices considerados satisfatórios.

O ministério alertou hoje (30), em Brasília, para a necessidade de fortalecer ações de combate ao mosquito, mas avaliou que, mesmo com o aumento de casos de dengue, a taxa de incidência está dentro do esperado para o período e o país não está em situação de epidemia. O Ministério  da Saúde admite, entretanto, que podem haver epidemias localizadas de dengue em alguns municípios.

Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa)
Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) – EBC

Capitais

Cinco capitais estão com índice de infestação considerado satisfatório: Boa Vista, João Pessoa, São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília.

Cuiabá está classificada como em risco e outras 16 capitais estão em alerta. São elas: Fortaleza, Porto Velho, Palmas, Salvador, Teresina, Recife, Belo Horizonte, Campo Grande, Vitória, São Luís, Belém, Macapá, Manaus, Maceió, Aracaju e Goiânia.

Natal, Porto Alegre e Curitiba realizaram levantamento por meio de metodologia diferente (armadilha), enquanto Florianópolis e Rio Branco não enviaram informações ao ministério sobre o índice de infestação ao governo federal.

Criadouros

O armazenamento de água no nível do solo (armazenamento doméstico), como em toneis e barris, foi o principal tipo de criadouro identificado no país, seguido por depósitos móveis, caracterizados por vasos e frascos com água, pratos e garrafas retornáveis. Por último, estão os depósitos encontrados em lixo, como recipientes plásticos, garrafas PET, latas, sucatas e entulhos de construção.

Dengue

Até 13 de abril de 2019, foram registrados 451.685 casos prováveis de dengue no Brasil contra 102.681 casos no ano passado. A incidência, que considera a proporção de casos em relação ao número de habitantes, tem taxa de 216,6 casos para cada 100 mil habitantes. O número de óbitos pela doença também teve aumento, de 186,3%, passando de 66 para 123 mortes.

Zika

Foram registrados ainda 3.085 casos de zika, com incidência de 1,5 caso para cada 100 mil habitantes. Em 2018, no mesmo período, foram identificados 3.001 casos prováveis da doença. Não há óbitos por zika contabilizados em 2019.

Chikungunya

Também houve 24.120 casos de chikungunya, com uma incidência de 11,6 casos para cada 100 mil habitantes. Em 2018, foram 37.874 casos – uma redução de 36,3%. Em 2019, não foram confirmados óbitos por Chikungunya no país.
O levantamento

O LIRAa é classificado pelo Ministério da Saúde como um instrumento fundamental para o controle do vetor e de doenças transmitidas por ele. Com base nas informações coletadas, o gestor pode identificar os bairros onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito, bem como o tipo de criadouro predominante.

O objetivo do levantamento é permitir que os municípios tenham melhores condições de fazer o planejamento das ações de combate e controle do mosquito. A lista completa de cidades que participaram do estudo pode ser acessada aqui.

Edição: Kleber Sampaio

ILHÉUS ESTÁ PRONTA PARA ENFRENTAR ESTA GUERRA?

Dengue, Zika e Chikungunya – Orientações e informações gerais

 

A Bahia entrou em alerta com a epidemia de três doenças diferentes no estado, Dengue, Zika e Chikungunya. E também com a confirmação de casos da Síndrome Guillain-Barré, doença autoimune provocada por reação de defesa do organismo após doença infecciosa aguda.

As três doenças são adquiridas e transmitidas pela picada do mosquito aedes aegypti, mais conhecido como mosquito da dengue, ou o aedes albopictus.

A única forma de evitar essas três doenças é com o combate do mosquito, por meio da eliminação dos criadouros nas casas, no trabalho e nas áreas públicas. Uma tarefa de todos.

http://www.saude.ba.gov.br/temas-de-saude/arboviroses/

DOCUMENTÁRIO ASSOMBROSO!

Canais de Tv por assinatura

Quem assistiu ao documentário sobre o mosquito, ontem nos canais da TV fechada, sabe que a população de Ilhéus está completamente indefesa.

Falo de Ilhéus, porque é aqui que moro.

A Secretaria do Município, e o Governo Municipal, somente com releases fantasiosos não vão ter competência para minimizar o problema que se avizinha. Veja mais, acessando o

link http://www.brasil.discovery.uol.com.br/mosquito/ 

Imagem do Google

 

HOJE AS 23:10 , DOCUMENTÁRIO SOBRE O MOSQUITO AEDES AEGYPTI!

Canais de TV por assinatura

OS MOSQUITOS JÁ ESTÃO VOANDO E CHUPANDO SANGUE.

Depois das chuvas um período de sol.

Momento ideal ara proliferação de mosquitos, tanto a muriçoca comum, como o Aedes egypt.

E o Governo Municipal inerte, só fazendo lambanças e presepadas.


VAI CHUVA VEM SOL, PRA ENXUGAR O MEU LENÇOL!

O perigo não está na modinha. E sim na proliferação do Aedes aegypti.

Eles já estão prontos para começar a voar, e  chupar sangue.

O meu, o seu, o nosso!

Breve estaremos com vocês…

Ilhéus promove mutirão de combate ao Aedes aegypti nesta sexta-feira e sábado

Fotos: Gidelzo Silva

Fotos: Gidelzo Silva

A Prefeitura de Ilhéus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, promoverá nesta sexta-feira, 11, e sábado, 12, um grande mutirão de combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor de várias arboviroses, a exemplo da Dengue, Zica Vírus e Febre Chikungunya. O secretário de Saúde, Antônio Ocké, informa que o Grupo de Combate Direto ao Vetor, coordenado pelo Departamento de Endemias/Dengue do Município, ao lado dos agentes de controle, desenvolverá suas atividades nos bairros com maior ocorrência das doenças, entre eles, Malhado, Teotônio Vilela, Conquista e Nossa Senhora da Vitória.

O mutirão inclui a distribuição de material educativo e de sacos plásticos para a população no sentido de que a mesma coloque todo e qualquer depósito que possa abrigar água e venha a ser um potencial criadouro de Aedes aegypti. O diretor de Vigilância à Saúde, Antônio Firmo, afirma que esta atividade será realizada na sexta-feira, dia 11, e o trabalho de recolhimento na manhã de sábado, dia 12, por caçambas e caminhões articulados no bojo do Programa Ilhéus em Ação, coordenado pelo vice-prefeito Carlos Machado (Cacá). Firmo acrescenta que, além desta atividade, os grupos também recolherão lixo e entulho em diversos pontos da cidade.

O trabalho pelo mutirão foi sistematizado durante reunião ocorrida no último dia 31, com a parceria de diversos órgãos, entidades e instituições locais. Além das secretarias municipais de Educação, Meio Ambiente e Urbanismo, Infraestrutura, Transporte e Trânsito, Serviços Urbanos e Comunicação Social, a ação também conta com a participação de lojas maçônicas, clubes de serviços, Núcleo Regional de Saúde\Sul, Conselho Municipal de Saúde, Câmara de Vereadores, Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), representantes das Forças Armadas e inúmeros outros segmentos da sociedade organizada de Ilhéus.

Estratégia – Antônio Firmo esclarece que as atividades do Mutirão de Combate ao Aedes aegypti serão agilizadas por três grupos de trabalho: combate direto ao vetor, com os agentes de controle de endemias, equipe de Ultra Baixo Volume (UBV) e grupos do Programa Ilhéus em Ação. Ele ressalta que o mutirão também será marcado por atividades de sensibilização, mobilização e participação comunitária. “Além disso, também vão participar da intervenção empresas de ônibus, como Viametro e São Miguel, Supermercado   GBarbosa e as redes de supermercados Itão e Meira, entre outros”, salienta.

Os grupos de sensibilização e participação comunitária atuarão na distribuição de material educativo nas escolas e unidades médicas da sede do Município, na sexta-feira, dia 11, com auxílio dos professores e servidores das unidades de saúde, a fim de integrar alunos e usuários às atividades.

No sábado, dia 12, as empresas de ônibus citadas farão a distribuição de material educativo aos passageiros, afixando, também, cartazes alusivos ao combate ao Aedes aegypt. Segundo a coordenação, também haverá distribuição de material informativo no comércio da região central da cidade e em outros locais: Zona Sul, semáforo da Sapetinga, terminal urbano, semáforo da Rotatória Cairu e área das praças Dom Eduardo e Pedro Mattos. Na Zona Norte, a distribuição acontecerá na Central de Abastecimento do Malhado.

Cuidados – Segundo os especialistas, alguns cuidados devem ser tomados para fortalecer o combate ao Aedes aegypti. Entre eles, cobrir caixas d’água, cisternas, poços, evitando, também, o entupimento de calhas; vedar com cimento os cacos de vidro porventura colocados nos muros e não deixar pneus expostos ao tempo, jamais permitindo o acúmulo de água.

E mais: usar cloro em piscinas, limpá-las com frequência e cobri-las quando não estiverem sendo usadas; limpar as bandejas externas de geladeiras e aparelhos de ar-condicionado; esvaziar garrafas, latas e baldes e guardá-los em locais fechados; lavar os pratos de vasos de plantas, colocando areia até a borda; e evitar algumas plantas, como as bromélias, que acumulam água.

Secretaria de Comunicação Social – Secom.- Ilhéus, 10.11.16

Dengue, febre chikungunya e zika vírus, apresentação!

O MOSQUITO AEDES AEGYPTI PARCEIRO DE UMA SOCIEDADE OMISSA.

Estive presente na reunião preparatória onde foram discutidos mutirões e outras formas de combate ao tenebroso mosquito.

Estranhamos a ausência de políticos ligados a área de saúde pública, ou que delas fazem seu cavalo de batalha. Bem como de instituições, entidades e segmentos, que podem ser duramente abaladas com uma nova epidemia de dengue, e outras arboviroses. A exemplo, o comércio e a industria.

Lembrando que o verão está chegando, e com ele as chuvas e o calor, ambiente propício para a proliferação do inseto. 

Reunião preparatória para o enfrentamento do mosquito Aedes Aegypti

Reunião preparatória para o enfrentamento ao mosquito Aedes Aegypti

É MELHOR PREVENIR DO QUE REMEDIAR!

Esconderijos e criatórios do mosquito da dengue.

Esconderijos e criatórios do mosquito da dengue.

anuncie aqui

Carregando...

Tabela do Brasileirão

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia