WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Atualidades’

A DESASTROSA GESTÃO DA SAÚDE EM ILHÉUS, SUCATEIA O SAMU! ===>>>02-10-2017

Falta de recursos já sabemos que não é, gestão desastrosa e caótica sim. A culpa toda é da Secretaria Municipal de Saúde.

E a Secretária quer ser a Diretora do Novo Hospital Costa do Cacau. Imaginem só?

Gambiarras na rede hidráulica, samuzeiros (assim eles gostam de ser chamados), comendo ovo frito no fogo de chão improvisado, a cozinha é só um detalhe.

Cadê as quentinhas de quase 17 reais? (Diário Oficial)?

Mais grave ainda, ambulâncias com pneus carecas na dianteira, suporte de macas quebrados, não encaixam.

Com as portas amaradas de ataduras, corre-se o risco da maca com paciente e atendentes serem jogados no meio da rua. Num caso típico de pior a emenda do que o soneto.

Não só o Ministério Público deve ser acionado, a Câmara de Vereadores através de sua Comissão de Saúde, se é que tem? O Conselho Municipal de Saúde, e a tão falada Sociedade Civil Organizada.

Chega de descaso com a população…

 

A nova mina de ouro do dono da Natura: chocolate e café ===>>> 08-03-2018

O empresário Guilherme Leal, sócio-fundador da Natura, vai tentar repetir a fórmula que deu origem a uma das maiores empresas de cosméticos do país. Desta vez, a ideia é inovar no mercado de chocolates e cafés especiais.
A entrada no novo ramo foi em junho de 2017 e agora a nova marca, a Dengo, abriu sua segunda loja no shopping JK Iguatemi, um dos mais nobres em São Paulo. A primeira loja-piloto funciona no Morumbi Shopping, também na capital paulista.
Leal é o investidor do projeto, que tem outros dois sócios, entre eles o idealizador do empreendimento, o engenheiro de produção Estevan Sartoreli, que por 12 anos também trabalhou na Natura.
Seguindo, aparentemente, o mesmo caminho que consolidou a Natura, a Dengo busca aproximar pequenos e médios produtores do consumidor final, gerando impacto social e retorno direto para estes produtores, por meio do compartilhamento de parte dos lucros com eles e suas famílias. “É possível fazer diferente e criar modelos sustentáveis que compartilham valor em sua cadeia”, afirma Sartoreli.

O primeiro passo foi encontrar os produtores das melhores amêndoas de cacau. Foi criado o Centro de Inovação do Cacau na Universidade Estadual de Santa Cruz (Uesc), entre Ilhéus e Itabuna, na Bahia. Atualmente, a rede integrada já é formada por 120 produtores. Todas as amêndoas são avaliadas neste centro, que chega a rejeitar cerca de 40% da matéria-prima que lá chega. O preço pago pela qualidade superior das amêndoas é significativo. Segundo Sartoreli, a Dengo chega a pagar 70% a mais pelo quilo de cacau.

As receitas foram desenvolvidas pela chocolatière Luciana Lobo, sem adição de essências ou aromas e nenhum tipo de gordura hidrogenada, apenas a manteiga do cacau. O açúcar também vai em quantidades moderadas e, quando necessário, é orgânico. “Mais cacau e menos açúcar é a nossa bandeira”, afirma Lobo.
No portfólio estão as tradicionais barras de chocolate vendidas em seis variações de teor de cacau, de 36% a 75%, além de uma versão sem açúcar. Todas as barras possuem a origem especificada em sua embalagem, com fotos e informações sobre seus produtores. Os bombons são recheados com frutas brasileiras, como cupuaçu, jabuticaba, caju, cajá, e algumas opções sazonais, também cultivadas por estes produtores. Há também as chamadas “quebra-quebras”, grandes placas de chocolate com recheios como banana ou abacaxi com coco, vendidas a granel. Há ainda as pepitas, amêndoas de cacau torradas e drageadas, com coberturas variadas. Os preços dos produtos variam, mas em média o quilo do chocolate sai por R$ 200.
A base das receitas ainda é preparada em Schwyz, cidade suíça onde foram produzidos os primeiros chocolates da marca. O maquinário necessário para que a produção seja feita inteiramente no Brasil, no entanto, já foi comprado.
Além dos chocolates, a Dengo também trabalha com cafés, no mesmo esquema de fortalecimento de produtores locais. Os cafés são produzidos em Minas Gerais e em São Paulo e correspondem, atualmente, a 20% da receita da empresa, cujo valor não é revelado. Os cafés são comercializados em grãos ou moídos, em embalagens de 250g.
O cacau também é utilizado na receita de cervejas, desenvolvida pela Dengo e produzida pela Ashby Cervejaria, em Amparo (SP), e de chás, estes produzidos pela própria empresa com cascas das amêndoas de cacau. Todos os produtos podem ser encontrados no site da loja e é possível, inclusive, escolhê-los de acordo com seus produtores. As entregas são feitas para todo Brasil.

Planos de expansão :: LEIA MAIS »

ASSESSORIAS DE IMPRENSA OU ILHAS DA FANTASIA?

Eximias em ‘textões’ lúdicos e rançosos, jurássicos até. Ainda não se deram conta , ou a ficha não caiu, que a rapidez e capilaridade das redes sociais elegeram um Presidente da Republica.

Um contraponto fatal.

Continuam penduradas em candelabros apagados, pensando que iluminam alguma coisa.

Ilha das ‘fantasias’.

E A FESTA CONTINUA.

Os deslumbrados com a proximidade da reeleição, se divertem na 22ª Marcha dos Municípios, em Brasília…

(Com a mão de Marão, está garantida a reeleição. Dizem)

 

PRAIA OU PASTO PÚBLICO NA AVENIDA SOARES LOPES?

Venha, traga sua égua, mula ou jega para pastar.

Gramíneas selecionadas, forasteiras e restinga. Tudo 0800…

ILHÉUS, TERRA DA SWINGUEIRA E DO REBOLATION

AS CLINICAS POPULARES JÁ FAZEM MUTIRÕES

Uma maneira de dizer que a Saúde Pública não funciona.

E por qual motivo exigir fotocopia do cartão do SUS?

 

 

EXECUTIVO E LEGISLATIVO EM ILHÉUS – OU ‘DOIS PERDIDOS NUMA NOITE SUJA’!

PCdoB de Ilhéus refuta pontos da reforma administrativa do governo Marão

O Diretório Municipal do PCdoB de Ilhéus analisou alguns pontos da reforma administrativa do governo Marão, enviada à Câmara de Vereadores, que requerem atenção em diversas questões.

Em primeiro lugar, destaca-se a mudança radical na concepção do planejamento com a extinção da Seplandes – Secretaria de Planejamento de Desenvolvimento Sustentável, que não se mostrava efetiva, fato refletido com a saída do vice-prefeito, José Nazal, então titular da pasta; mas tinha o mérito de, no conceito mais amplo, buscar a integração da administração diante de sua lógica vinculada ao desenvolvimento sustentável.

Na proposta de Marão, a lógica do Planejamento passa a ser meramente orçamentária, sendo deslocados vários setores, vinculados a essa função, para a Secretaria de Finanças. No entanto, a atribuição de articular e envolver a população no sistema de orçamento participativo ficou vinculada à Superintendência de Relações Institucionais, resultante dessa secretaria a ser extinta na proposta de reforma.

Talvez, a medida mais surpreendente seja a extinção das secretarias de Indústria e Comércio; Agricultura e Pesca; Cultura; e Turismo. Na primeira perspectiva, poderia parecer uma fusão de quatro secretarias em duas, para reduzir despesas. No entanto, o que é proposto trata-se da desidratação de secretarias responsáveis pela formulação e gestão de políticas públicas de áreas importantíssimas para a economia da cidade, enquanto se cria quatro assessorias vinculadas diretamente ao gabinete do prefeito, três com salários de R$ 10 mil e uma de R$ 8 mil.

Serão duas assessorias técnicas, sem função específica definida e uma de articulação parlamentar, com função sobreposta à da Superintendência de Relações Institucionais, para aproximar e/ou relacionar o poder Executivo com o Legislativo Municipal. Além dessas, surge uma assessoria com o objetivo de representar o governo do Município, junto ao Estado e à União, fazendo o povo questionar se Marão está tão ocupado com a gestão que não pode dialogar com as autoridades que podem contribuir com recursos e projetos para a cidade, e prefere delegar essa responsabilidade a um terceiro.

Além desses aspectos, o governo Marão não valoriza a Cultura. Com a extinção dessa pasta, enfraquece as articulações e as atividades artísticas e culturais da cidade. Também, com o rebaixamento da Agricultura e Pesca, dá um duro golpe no campo, prejudicando os trabalhadores e trabalhadoras rurais que promovem a agricultura familiar no município, desprezando o potencial do setor para alavancar a economia local. Dessa forma, adota uma prática contrária à política estadual, que tem sido exitosa para o desenvolvimento rural.

A grande jogada do governo Marão, após dois anos e três meses na gestão, é se transformar no governo das “relações”, ao invés de um governo de projetos que sejam realizáveis e possam melhorar as condições de vida do povo, principalmente os mais pobres.

Como saldo resultante de toda essa movimentação de Marão, entre cargos comissionados e funções gratificadas, não haverá redução de despesas e ainda serão criados cargos extras, com salários de R$ 8 mil a 12 mil, enquanto ele pisa nos servidores públicos demitindo e ameaçando reduzir salários. Sem sombra de dúvidas Ilhéus necessita de algo melhor.

Ilhéus, 27 de março de 2019

Executiva Municipal do PCdoB

Conab: aumento das exportações de soja pode afetar mercado interno

Os produtores brasileiros de soja devem encontrar bom mercado para comercialização de sua colheita. As exportações nos dois primeiros meses de 2019 chegaram a 8,24 milhões de toneladas, segundo a Secretaria de Comércio Exterior. Comparado com o mesmo período nos dois últimos anos, quando as vendas brasileiras para o exterior ficaram próximas a 4,4 milhões de toneladas, os embarques praticamente dobraram.

Soja no navio

 

“O principal destino da oleaginosa continua sendo a China. Do total vendido, cerca de 7 milhões foram enviadas apenas para o país asiático”, afirma o analista de mercado da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Leonardo Amazonas. “Mesmo com o comprometimento chinês de comprar mais 10 milhões de toneladas da oleaginosa norte-americana, a procura pelo produto brasileiro continua intensa”, garante.

Amazonas ressalta que, caso ocorra uma nova operação entre os dois países, poderá ser realizada apenas a partir da próxima safra americana (2019/2020). Além disso, o técnico indica que as exportações dos EUA para a China, na safra 2018/2019, permanecem menores que o registrado nas últimas seis safras.

“Para se ter uma ideia, em 2017 a China adquiriu cerca de 31 milhões de toneladas de soja dos Estados Unidos, e apenas 8,36 milhões em 2018. Com a trégua entre os dois países em dezembro do ano passado, a aquisição chinesa poderia voltar a crescer, porém, ainda que cheguem a um patamar de 20 milhões de toneladas em 2019, seria um quantitativo abaixo do normal”, reforça o analista.

De acordo com dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda), neste ano a China deve importar 88 milhões de toneladas de soja. Confirmando-se que 20 milhões de toneladas do produto virão do mercado norte-americano, o país asiático ainda importaria 68 milhões de toneladas do Brasil e outros países. “Estima-se que, caso não haja um acordo no conflito entre os dois países, o Brasil poderá chegar a um valor de exportação para a China próximo a 59 milhões de toneladas em 2019”, pondera Amazonas. “Este índice é menor que o exportado no ano de 2018, de 68 milhões de toneladas, mas ainda seria maior que o valor de 2017, que foi de 53,79 milhões de toneladas”.

Mercado Interno – A análise considera também a questão da demanda interna, uma vez que o aumento de 11% na mistura com o biodiesel, prevista a partir de junho deste ano, pode diminuir a quantidade de grão destinada ao óleo de soja. “Além disto, teremos um aumento na expectativa de exportações de carnes, principalmente para Rússia e China. Isto faz com que o consumo do farelo de soja também aumente em 2019”, destaca o analista. “E a estimativa é de que o Brasil consuma aproximadamente 44 milhões de toneladas de grãos internamente”.

De acordo com o último levantamento da safra de grãos 2018/2019, divulgada pela Conab neste mês, a produção da soja deve ser de 113,5 milhões de toneladas. A quebra de safra brasileira se deve a problemas climáticos enfrentados nos estados que cultivam a oleaginosa, como Paraná, Goiás, Mato Grosso do Sul e na região do Matopiba, principalmente na Bahia.

DIA 19 DE MARÇO – DIA DE SÃO JOSÉ, DIA DE PLANTAR O MILHO DA CANJICA.

Em homenagem aos vizinhos itabunenses, no dia do seu padroeiro, como forma de agradecimento pela contribuição dada a administração de Ilhéus.

Hoje será feita a colheita das melancias, quiabos e aboboras no Estadio Mário Pessoa, e preparo do terreno para a plantação de milho, que será reforço na ‘canjica’ do pessoal…

COMO UMA DERROTA ELEITORAL PODE AFETAR UMA PESSOA.

A Sra. Ângela Sousa, após a sua derrota na última eleição, está com enorme dificuldade para voltar a lide política.

Ela não está conseguindo defender seu filho, o Prefeito Mário Alexandre, das ‘almas sebosas’ que o cercam.

Sra. Ângela Sousa

UMA DAS ESTRATÉGIAS DO FBI, BASTANTE EFICAZ.

SIGA O DINHEIRO.

Usada pelo Governo Federal tem se mostrado bastante eficaz.

Fechando os ralos por onde escorre o dinheiro público para a corrupção e aparelhamento, faz com que os ‘interessados’ deem seus pulos, as vezes de maneira cômica, quase que passando o recibo de ‘mamadores’.

Siga o dinheiro



anuncie aqui

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
abril 2019
D S T Q Q S S
« mar    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia