WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: ‘Agronegócio’

Agronegócio registra superávit de US$ 43,7 bilhões até abril

Apenas no mês de abril, o agronegócio exportou US$ 14,9 bilhões

Publicado em 20/05/2022 – 18:27 Por Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

(Reuters/Paulo Whitaker/Direitos Reservados)

A balança comercial do agronegócio brasileiro apresentou superávit de US$ 43,7 bilhões no acumulado do ano, até abril, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O setor foi o responsável por puxar o saldo positivo da balança comercial brasileira, que apresentou um superávit de mais de US$ 20,2 bilhões no acumulado do ano, também até abril de 2022.

A balança comercial é calculada com base nas importações e as exportações. De acordo com os dados divulgados pelo Ipea, as exportações do setor do agronegócio este ano foram de US$ 48,7 bilhões, o que representa uma alta de 34,9% em relação ao mesmo período de 2021. As importações registram estabilidade em relação ao ano passado, com alta de 0,7%, chegando a US$ 5 bilhões. O saldo dos demais bens foi um déficit de US$ 23,5 bilhões.

Apenas no mês de abril, o agronegócio exportou US$ 14,9 bilhões, o que, de acordo com o Ipea, contribuiu para um superávit de US$ 13,6 bilhões no saldo da balança comercial do setor, crescimento de 15,2% frente ao mesmo mês de 2021. Já as importações brasileiras do setor totalizaram US$ 1,3 bilhão no mês, com alta de 11,7% na comparação com abril de 2021.

Os demais bens fecharam o mês de abril com déficit de US$ 5,5 bilhões, US$ 3,7 bilhões a mais que no mesmo período de 2021. Ainda assim, a balança comercial total encerrou abril com saldo positivo de US$ 8,1 bilhões.

Produtos

A soja lidera as exportações do agronegócio no país. Na análise do Ipea, em relação a abril do ano passado, no entanto, a soja em grão registrou significativa queda no volume exportado por conta da sobreoferta de carne suína da China, o maior consumidor do produto, usado principalmente como ração. Com o aumento na oferta de carne, a China precisou congelar o excedente e reduzir os investimentos na reposição do rebanho, o que reduziu também a demanda por rações.

Apesar da queda no volume exportado, a soja teve um aumento de 41,8% no preço do grão, ante abril de 2021.

A sobreoferta de carne suína na China afetou também as exportações brasileiras do produto, que ficaram aquém das registradas em 2021. Já a demanda chinesa por carne bovina fez com que os preços médios desse produto seguissem elevados. A carne de frango teve aumento de 27,2% no preço médio e de 5,6% na quantidade exportada.

Em relação às importações brasileiras no agronegócio, o trigo aparece na liderança, em patamares semelhantes aos de anos anteriores. A safra recorde em 2021/2022 e a demanda internacional aquecida fizeram com que o trigo produzido no Brasil fosse também vendido a outros países principalmente em março e em abril.

Em abril, a entrada de adubos e fertilizantes no país foi 72,4% superior ao verificado em igual período de 2021, resultando em aumento de 6,4% no acumulado do ano.

O Ipea destaca ainda que, no total, o valor das importações cresceu 11,7% em abril, puxado pelo aumento geral de preços. Dos 16 produtos acompanhados nesta edição, 14 tiveram alta de preços, enquanto nove tiveram queda nas quantidades, incluindo quatro dos cinco itens mais expressivos da pauta de importações: pescados, produtos hortícolas, papel e malte.

Edição: Fernando Fraga

Governo age para manter fornecimento de fertilizante, diz presidente

Bolsonaro destaca resultados, apesar de sanções ao maior fornecedor

Publicado em 25/04/2022 – 13:44 Por Daniel Mello – Repórter da Agência Brasil – São Paulo

Foto: Anderson Riedel/PR

O presidente Jair Bolsonaro afirmou hoje (25) que o governo federal tem atuado para garantir o abastecimento de fertilizantes no Brasil. Em discurso na abertura da 27ª  Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow), em Ribeirão Preto, no interior paulista, o presidente disse que o país tem obtido resultados, apesar dos embargos econômicos sofridos pela Rússia, um dos principais fornecedores de insumos, devido à guerra com a Ucrânia.

Segundo Bolsonaro, a visita feita ao presidente russo, Vladimir Putin, em fevereiro, ajudou a manter as remessas de fertilizantes para o Brasil. “Eu dizia a vocês, antes que a guerra eclodisse, a 10 mil quilômetros de distância, eu estive conversando com o presidente Putin. Fui muito criticado por estar indo para lá. Fomos muito bem tratados. Conversei por quase quatro horas com o senhor presidente da Rússia. Obviamente, o assunto ‘fertilizantes’ fez parte da nossa pauta”, disse a respeito do encontro.

De acordo com o presidente, essa conversa trouxe resultados práticos recentemente. “A poucos dias, após declarações de pessoas [de] que minha ida tinha sido em momento inoportuno, tivemos as informações [de] que quase 30 navios com fertilizantes estavam vindo da Rússia para o Brasil. Ou seja, a nossa política externa, que tem à frente o ministro [das Relações Exteriores] Carlos França, é reconhecida por todos nós e pelo mundo afora”, acrescentou.

Bolsonaro lembrou ainda que também tratou do assunto durante a visita ao Brasil da diretora-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), a nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala , na semana passada. “Eu fiz um pedido a ela, para que nos ajude para que os fluxos de fertilizantes não sejam interrompidos para o Brasil e para o mundo. Assim como os preços não continuem subindo dessa forma.”

O Brasil consome 8% de toda a produção mundial de fertilizantes, estimada em 55 milhões de toneladas, mas importa 85% do insumo usado pelo agronegócio, principalmente da Rússia, que sofre atualmente forte embargo econômico promovido pelos Estados Unidos, países da Europa ocidental e Japão, por causa da invasão militar na Ucrânia.

Indulto

O presidente também defendeu o indulto concedido ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ). O parlamentar foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a oito anos e nove meses de prisão pelos crimes de tentativa de impedir o livre exercício dos Poderes e coação no curso do processo.

O decreto com o indulto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União na última quinta-feira (21), um dia após a condenação de Silveira pela Suprema Corte.

Bolsonaro afirmou ter livrado o parlamentar de uma condenação injusta. “O decreto da graça e do indulto é constitucional e será cumprido. No passado, soltavam bandidos, e ninguém falava nela. Agora, eu solto inocentes”, disse o presidente na Agrishow.

Em outra referência ao indulto, o presidente ressaltou que o Artigo 53 de Constituição garante liberdade de expressão aos parlamentares. “Os deputados podem falar o que bem entenderem que são invioláveis, não podem ser punidos civil e penalmente”, afirmou.

O STF julgou ação penal aberta em abril do ano passado contra Daniel Silveira, que virou réu e passou a responder a processo criminal pela acusação de incitamento à invasão do STF e sugerir agressões físicas aos ministros da Corte. Os fatos ocorreram em 2020 e 2021, por meio das redes sociais. O deputado chegou a ser preso, mas foi solto posteriormente.

Com a decisão do último dia 20, Silveira também foi apenado com a perda do mandato e a suspensão dos direitos políticos após o fim dos recursos, o que poderia tornar o parlamentar inelegível temporariamente. A Corte estipulou ainda multa de cerca de R$ 200 mil como parte da condenação.

Edição: Nádia Franco

Presidente da Caixa faz a Toledo, PR, sua 136ª visita semanal aos Estados

CAIXA MAIS BRASIL

Guimarães revelou que, no microcrédito, 86% dos clientes eram negativados

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, nos cuidados dos animais de um projeto de suinocultura em Toledo.

Trata-se da 136ª visita, de Guimarães, que evita o caráter formal de visitas oficiais. Ele prefere vivenciar a experiência do trabalho desenvolvido por brasileiros de todo o país.

“Estamos em Toledo para o 136º Caixa Mais Brasil”, disse ele hoje nas redes sociais. “Continuamos com foco no Agro e, hoje, inauguramos mais 9 agências, sendo 4 exclusivas para o Agronegócio”, anunciou.

Ele contou haver visitado um cliente da Caixa considerado Microempreendedor Individual (MEI), “um dos 600 mil que tomaram microcrédito conosco, a Karol”.

“Também visitamos um pequeno aquicultor, com crédito Pronaf e um médio suinocultor, com crédito Pronamp”, relatou. “E a segunda maior cooperativa singular do Brasil, a C-Vale, com faturamento de R$18 bilhões e mais de 25.000 cooperados.”

Pedro Guimarães avalia que a Caixa continua crescendo de modo consistente no Agro “e também ajudamos as pessoas mais carentes”, disse.

“No microcrédito, 86% das pessoas são negativadas. Nunca antes houve uma linha com foco nestas pessoas”, disse, para exultar: “Isto demonstra que a Caixa é, nesta gestão, o banco de todos os brasileiros.”

Como sempre ocorre nas visitações, Pedro Guimarães participa do trabalho dos clientes da Caixa.

Presidente participa de lançamento da tecnologia 5G no agronegócio

5G NO MEIO RURAL

Evento ocorreu em Baixa Grande do Ribeiro, no interior do Piauí

A cerimônia contou com a presença de ministros e parlamentares Foto: Ministério das Comunicações

O presidente Jair Bolsonaro participou nesta quarta-feira da cerimônia oficial para lançamento da tecnologia 5G no agronegócio, em uma fazenda na zona rural de Baixa Grande do Ribeiro, interior do Piauí. A cerimônia contou com a presença de ministros e parlamentares. 

A Fazenda Ipê, em Baixa Grande do Ribeiro (PI), é a primeira no país a contar com a tecnologia 5G no meio rural.

Entre as possibilidades oferecidas pela nova tecnologia, está a alta capacidade de transferência de dados e de velocidade de internet, centenas de vezes superiores às do 4G. No campo, o 5G poderá transmitir dados e conectares milhares de dispositivos na mesma rede. Com isso, será possível, por exemplo, ampliar o uso de inteligência artificial com máquinas autônomas sem interferência humana e internet das coisas (máquinas e dispositivos conectados à internet). Está previsto o uso remoto de tratores, colheitadeiras e outras máquinas agrícolas.

O leilão do 5G foi realizado em novembro do ano passado e arrecadou R$ 47,2 bilhões. Entre as obrigações assinadas pelas operadoras que ganharam a concorrência, está a de levar o sinal 5G a 1,7 mil localidades afastadas dos centros urbanos e expandir o 4G para mas de 7 mil áreas da zona rural.

“A fazenda, com 5G da TIM, da Nokia, vai fazer com que o nosso agronegócio, que já é tão pujante, fique muito maior”, disse o ministro Fabio Faria. Para o presidente Jair Bolsonaro, a tecnologia vai tornar o setor do agropecuário mais produtivo.

“Esse evento aqui traz, obviamente, tecnologia ao campo, é a primeira fazenda totalmente 5G Isso, certamente, vai ter um ganho de produtividade na casa de 20%, 25% ou 30%”, afirmou.

Antes do evento no Piauí, Bolsonaro e comitiva participaram, pela manhã, da inauguração de uma estação da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), em Parnamirim (RN), cidade que fica na região metropolitana de Natal.(ABr)

Brasil tem fertilizantes até outubro, garante ministra da Agricultura

Safra de verão, no fim de setembro e outubro, gera preocupação

Publicado em 03/03/2022 – 09:53 Por Por Kariane Costa – Repórter da Rádio Nacional – Brasília

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, participa do lançamento da 15ª Campanha Nacional de Promoção dos Produtos Orgânicos, no ministério. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

O estoque de fertilizantes para o agronegócio no Brasil está garantido até outubro. A avaliação é da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina.

Em entrevista coletiva nessa quarta-feira (2), ela garantiu que não há problemas com a safra neste momento, no entanto, a safra de verão, no final de setembro e outubro, gera preocupação.

A ministra lembrou que a safrinha de milho já está em produção. “Então, o que precisava de fertilizante já chegou, já está com o produtor rural. Neste momento não temos problema. A safra de verão é uma preocupação”, disse. Ela acrescentou, entretanto, que o setor privado confirmou a existência de estoque de passagem de fertilizantes suficiente até outubro.

O alerta sobre o mercado internacional de fertilizantes vem desde fevereiro quando começaram as sanções econômicas em Belarus. As exportações do produto estão suspensas para o Brasil por causa do fechamento dos portos da Lituânia para o escoamento de fertilizantes e agora com o apoio à Rússia na guerra contra a Ucrânia, o país do leste europeu sofreu novas sanções.

O cenário se agravou ainda com o início da guerra. Isto porque, além da Belarus, a própria Rússia é o principal fornecedor do produto para o mercado brasileiro.

Negociação com o Canadá

Em meio à crise, a ministra da Agricultura disse que vai ao Canadá tentar negociar a demanda de fertilizantes. Segundo ela, o impacto ao consumidor depende do tempo da guerra. Sem esses produtos, a tendência é que a oferta vai fazer disparar o preço dos alimentos.

“O preço do trigo subiu lá nas alturas porque a Ucrânia é um grande produtor e isso influencia o mercado global. A gente acha que terá uma alta, sim. Quanto? A soja já subiu, já caiu um pouco. O milho já subiu, já caiu um pouco. A gente tem que acompanhar e diminuir os impactos”, afirmou.

Atualmente, o Brasil é o quarto consumidor global de fertilizantes, 80% de todo o produto usado na produção agrícola nacional vêm de fora do país.

As sanções econômicas dos Estados Unidos e da União Europeia na Rússia e na Belarus atingem a produção de potássio, e a maioria dos fertilizantes é feita a partir do potássio. A Rússia é responsável por fornecer cerca de 25% dos fertilizantes para o Brasil.

Ouça a Radioagência Nacional

Edição: Kleber Sampaio

Ministério premia 17 organizações com Selo Mais Integridade

Governo reconhece empresas que atuam com responsabilidade social

Publicado em 23/02/2022 – 13:56 Por Pedro Peduzzi – Repórter da Agência Brasil – Brasília

Premiação do Selo Mais Integridade 2021/2022.Foto:Noaldo Santos/MAPA

Dezessete organizações receberam hoje (23), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em Brasília, o Selo Mais Integridade, em reconhecimento pela adoção de práticas de integridade, com enfoque na responsabilidade social, sustentabilidade ambiental e ética.

A premiação é dividida em duas categorias: Selo Verde, para empresas e cooperativas que recebem pela primeira vez a homenagem; e o Selo Amarelo, que agraciou oito organizações já premiadas, que tiveram renovados os seus certificados. As empresas e cooperativas contempladas poderão usar a marca do selo em seus produtos, sites, propagandas e publicações.

Durante a cerimônia, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, disse que o reconhecimento é uma “ação de fomento à integridade do setor”, que, segundo ela, não pode deixar de avaliar também requisitos de responsabilidade social e sustentabilidade. 

“Desde que iniciamos o projeto, estamos alinhados a questões relativas ao meio ambiente e a questões das áreas social e de governança”, afirmou ao lembrar que 29 organizações já foram premiadas com o Selo Mais Integridade, e que as 17 agraciadas hoje juntam-se a outras 12 premiadas em anos anteriores.

Esta é a quarta edição do prêmio Selo Mais Integridade. A ministra disse que, com a associação das marcas ao selo, é de se esperar, inclusive, “a abertura de mercados que até então eram considerados inatingíveis”, com os produtos brasileiros chegando no exterior tendo garantidas sua “qualidade, sanidade e com toda integridade das nossas empresas”.

De acordo com o Ministério da Agricultura, entre os benefícios que podem ser alcançados pelas premiadas estão: ganho de imagem e publicidade positiva junto aos cidadãos e concorrência direta com o uso da marca nas embalagens dos produtos, outdoors e mídias; reconhecimento de possíveis parceiros internacionais; aumento motivacional da equipe e prestadores de serviços; e melhor classificação de risco em operações de crédito junto a instituições financeiras oficiais.

Possibilita também, ainda segundo o ministério, “maior engajamento com outras corporações nacionais que se relacionam com o mercado internacional e precisam comprovar a prática de ESG – Environmental, Social and Governance (Ambiental, Social e Governança, em português) por stakeholders”.

Para receber o Selo Mais Integridade, a empresa ou cooperativa deve comprovar a prática de requisitos, como possuir um programa de compliance; código de ética e conduta; canais de denúncia efetivos, ações com foco na responsabilidade social e sustentabilidade ambiental e promover treinamentos para melhoria da cultura organizacional.

“Além disso, é preciso estar em dia com as obrigações trabalhistas; não ter multas relacionadas ao tema nos últimos dois anos; não ter casos de adulteração ou falsificação de processos e produtos fiscalizados pela Secretaria de Defesa Agropecuária do ministério; ter ações de boas práticas agrícolas enquadradas nas metas de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas; e não ter cometido crimes ambientais nos últimos 24 meses”, explicou o Mapa ao informar que cabe a um comitê gestor analisar a documentação das organizações candidatas.

Empresas contempladas

Selo Verde

Agrifirm do Brasil Nutrição Animal Ltda.

Bsbios Industria e Comercio de Biodiesel Sul Brasil S.A

Companhia Nitro Química Brasileira

Frigorífico Jahu Eireli

Marfrig Global Foods S.A.

Ouro Fino Saúde Animal Ltda.

Ouro Fino Agronegócio Ltda.

Solubio Tecnologias Agrícolas Ltda.

Três Tentos Agroindustrial S.A.

Selo Amarelo

Adecoagro Brasil Participações S.A. (Grupo Empresarial)

Andrade Sun Farms Agrocomercial Ltda.

Amaggi Exportação e Importação Ltda.

Bem Brasil Alimentos S.A.

São Salvador Alimentos S.A.

Sinergia Agro Do Brasil Ltda

UPL do Brasil Indústria e Comércio de Insumos Agropecuários S.A.

Vittia Fertilizantes e Biológicos S.A. (Grupo Empresarial).
 

Edição: Kleber Sampaio

Presidente da Caixa visita produtores goianos e põe Bolsonaro no Facetime

PAPO RETO

Esta foi a 129ª visita semanal consecutiva de Pedro Guimarães Brasil afora

Bolsonaro conversa com produtores rurais de Goiás por meio do celular de Pedro Guimarães, presidente da Caixa.

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, cumpriu neste fim de semana mais uma de suas visitas a projetos financiadas pela instituição em todo o País.

Desta vez, em sua 129ª visita, que ele batizou de “Caixa Mais Brasil”, foi concluída em Cristalina, Goiás. “Foi mais uma excelente visita a uma propriedade Agro” disse ele. “Estamos avançando de modo consistente e matemático no financiamento a Agropecuária.”

Durante sua visita, como é habitual, Guimarães telefonou ao presidente Jair Bolsonaro e o colocou para falar ao vivo, por meio de Facetime, com brasileiros do interior de Goiás, que trabalham de sol a sol na produção agropecuária.

O 129º Caixa Mais Brasil começou em Davinópolis, no sudeste de Goiás. “Fomos a três propriedades rurais, sendo dois pequenos produtores (Pronaf) e um médio (Pronamp)”, informou o presidente da Caixa (foto). Depois seguiu para Cristalina.

“Estes são os principais focos da Caixa no Agro”, explicou, “emprestar para quem não é foco dos demais bancos”. A estratégia deu certo. “Temos crescido muito, tendo saído do 8º para o 3º lugar em um ano, e chegaremos em breve ao 2º lugar”, aposta. “Até 2024, devemos alcançar a liderança também no setor do Agro”.

Pedro Guimarães avalia que suas viagens pelo Brasil “são fundamentais para entender de fato as diferenças e poder ajudar quem mais precisa, em linha com o governo do presidente Jair Bolsonaro”.

Ele afirmou que o próximo destino será Cascavel, no Paraná. “Vamos participar pela primeira vez de uma Feira Agro”, disse ele, confirmando o foco da Caixa. “Vamos participar em diversas outras feiras neste ano”.

Nas visitas que faz há 129 semanas, Guimarães sempre procura entender o trabalho daqueles que recebem apoio da Caixa.

Safra de grãos 2021/2022 tem expectativa recorde, diz ministra

Montante pode chegar a 291 milhões de toneladas

Publicado em 28/12/2021 – 06:19 Por Agência Brasil – Brasília

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, participa do programa A Voz do Brasil. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

A safra de grãos 2021/2022 pode chegar a 291 milhões de toneladas graças ao entusiasmo do setor pelos preços e pelo bom desempenho da agricultura brasileira. A avaliação é da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, entrevistada desta terça-feira (28) no programa A Voz do Brasil.

“São vários aspectos que contribuíram para que o produtor rural produzisse cada vez mais. Temos aí a expectativa e a estimativa de uma safra recorde, não só com aumento de área, mas também com aumento da produção, da produtividade. Essa é uma estimativa boa”, disse.

Segundo ela, os números podem flutuar um pouco para mais ou para menos, a depender da situação de chuvas no país. “Por enquanto, temos boas perspectivas. Temos um pouquinho de seca, muito pontual, no Rio Grande do Sul, no Paraná e no meu estado, Mato Grosso do Sul. No resto do país, vem acontecendo muito bem”.

A Voz do Brasil

A participação da titular do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento faz parte da série de entrevistas que serão veiculadas no programa A Voz do Brasil até o último dia do ano. Haverá transmissão normal do programa no dia 31.

A Voz do Brasil é veiculada em todas as emissoras de radiodifusão brasileiras, entre as 19h e as 22h (horário de Brasília), de segunda a sexta-feira. O programa também pode ser acompanhado pelas redes sociais e pelo canal da TV Brasil Gov no YouTube.

Edição: Paula Laboissière

Com recorde de setembro, agronegócio acumula superávit de US$82,3 bilhões este ano

PRODUTOS BRASILEIROS BOMBANDO

Seja foi campeã nas exportações do agronegócio em setembro

A soja continua sendo destaque nas exportações brasileiras do agronegócio.

O superávit decorre da exportação de US$10,10 bilhões (+21%), um recorde, frente à importação de US$1,25 bilhão (+19,2%). No acumulado de 2021, o superávit do agronegócio soma US$ 82,378 bilhões, alta de 20,4% considerando os US$68,413 bilhões de janeiro a setembro do ano passado.

Soja e as carnes puxaram o resultado positivo de setembro. Segundo o Ministério da Agricultura, “estes setores somados registraram aumento absoluto do valor exportado de US$1,91 bilhão, cifra superior ao crescimento de US$ 1,75 bilhão no total das exportações do agronegócio brasileiro, comparado a setembro de 2020”.

Outros cinco setores são responsáveis por 80,6% do valor total exportado pelo agronegócio nacional: complexo soja (31,6%); carnes (+21,9%); produtos florestais (+11,4%); complexo sucroalcooleiro (+9,6%); cereais, farinhas e preparações (6,2%).

O campeão nas exportações do agronegócio brasileiro em setembro foi o complexo soja, cujas exportações subiram de US$2,13 bilhões em setembro de 2020, para US$3,19 bilhões em setembro de 2021 (+50% ou +US$ 1,06 bilhão em termos absolutos). A China foi o principal cliente do produto, em setembro.

Bolsonaro adverte que acabar o marco temporal será o fim do agronegócio

44ª EXPOINTER

Foi a primeira aparição do presidente após o 7 de Setembro

Bolsonaro foi presenteado com sapatos, botas e vinhos Foto: Twitter Correio do Povo

O marco temporal é definido pela Constituição e determina que os indígenas terão direito perpétuo sobre a terra que ocupavam até a promulgação da Constituição, em 1988, mas setores de esquerda, ONGs (inclusive estrangeiras) e outros interesses não muito claro passaram a financiar ação e pressionar o STF a, na prática, “revogar” o dispositivo constitucional. O ministro Edson Fachin já votou contrário ao marco temporal, muito embora alterações no texto constitucional sejam prerrogativa do Poder Legislativo.

Ele foi recebido por apoiadores na entrada do Parque de Exposições Assis Brasil, na cidade de Esteio, região metropolitana de Porto Alegre e recebeu homenagem durante o almoço oferecido pela Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul).

Na ocasião, ele ganhou a Medalha do Mérito Farroupilha, distinção máxima oferecida pela Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, em homenagem aos cidadãos brasileiros ou estrangeiros que, por motivos relevantes, tenham se tornado merecedores do reconhecimento.

O presidente passeou pelos pavilhões da feira, em diversos estandes foi recebido e presenteado pelos produtores gaúchos.

Na comitiva que acompanhou Bolsonaro estavam seus filhos, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), e apoiadores como o general Augusto Heleno, o ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni, o senador Luis Carlos Heinze e o ex-senador Magno Malta, além de outras autoridades.

Ministério lança conexões 4G em comunidades de MS

São 34 pontos de conexão via satélite que levarão 4G para municípios

Publicado em 21/08/2021 – 15:00 Por Agência Brasil – Brasília

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) inaugurou 34 pontos de conexão via satélite para comunidades do estado do Mato Grosso do Sul neste sábado (21)

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento  inaugurou hoje (21) 34 pontos de conexão via satélite para comunidades de Mato Grosso do Sul. O lançamento ocorreu no Assentamento Taquara, área rural do município de Rio Brilhante, e contou com a participação da ministra Tereza Cristina.

A meta, segundo a ministra, é colocar pelo menos um ponto de conexão hub – equipamento de rede responsável por conectar vários computadores em uma mesma rede local – na zona rural de cada município do estado, em parceria com o Ministério das Comunicações e o governo local. “É emocionante a gente ver esses pontos que estão recebendo o sinal 4G. Essa harmonia entre governos estaduais com governo federal facilita a vida”, disse a ministra na cerimônia.

A iniciativa hub Comunidades Rurais Conectadas em Mato Grosso do Sul integra as ações de conectividade no campo, anunciadas em maio pelo ministério, em parceria com o Ministério das Comunicações. De acordo com a pasta, as frentes de atuação para conectar comunidades do agro à internet ainda incluem projetos-pilotos de antena 5G e um estudo de projeção de impacto no Valor Bruto da Produção (VBP) a partir de dois cenários de conectividade.

A conectividade dos pontos será provida por meio do modelo de satélites geoestacionários. Serão conectados em uma primeira fase 166 comunidades rurais, que incluem assentamentos, escolas, áreas rurais remotas, privilegiando regiões com demandas de desenvolvimento regional para o agro. Os pontos estão distribuídos em 134 municípios de dez estados, prioritariamente das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

“A tecnologia satelital permite a comunicação de dados em banda larga a partir de faixa dedicada a essa transmissão com alta velocidade e qualidade para locais remotos e de difícil acesso. É o caso da região amazônica, onde cabo de fibra óptica e antenas não chegam ou sua viabilidade é remota”, explicou o ministério.

Até o momento, 51 pontos de conectividade foram instalados em assentamentos dos estados de Alagoas, do Maranhão, de Mato Grosso, de Mato Grosso do Sul, do Pará, da Paraíba e de Sergipe, levando em consideração aspectos de densidade populacional e índice de desenvolvimento humano (IDH).

Parcerias

A iniciativa Comunidades Rurais Conectadas, em Mato Grosso Sul, se soma a outros projetos de ampliação do acesso à internet às áreas com carência de conectividade e de transferência de tecnologia e inovação. No estado, o governo local coordena o projeto aprovado junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e à Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), que culminou na criação da Rede de Centros de Inclusão Digital nos Territórios da Cidadania, atualmente, com 11 centros de inclusão digital.

Com a associação da iniciativa Comunidades Rurais Conectadas do ministério à iniciativa da rede de inclusão, a pasta aumenta em quatro vezes a cobertura de conectividade via satélite em assentamentos e localidades remotas com vocação para o agro.

“O acesso às tecnologias digitais de informação e comunicação é, também, um meio de promover inclusão social e estimulo ao associativismo e cooperativismo. Desta forma, amplia-se as possibilidades de assistência técnica e extensão rural remota, bem como de acesso às informações para benefício das comunidades rurais”, destacou a pasta.

No evento, também foi assinado o termo de cessão para a doação de cinco computadores para a Associação dos Pequenos Produtores Rurais do Assentamento Taquara.

Edição: Maria Claudia

Plano Safra 2021/2022 anuncia R$ 251 bilhões para produtores rurais

Volume representa R$ 14,9 bilhões a mais em relação ao plano anterior

Publicado em 22/06/2021 – 19:15 Por Pedro Rafael Vilela – Repórter da Agência Brasil – Brasília

O governo federal lançou nesta terça-feira (22), no Palácio do Planalto, o Plano Safra 2021-2022, que contará com R$ 251,2 bilhões em crédito para apoiar a produção agropecuária nacional. O volume representa R$ 14,9 bilhões a mais em relação ao plano anterior (R$ 236,3 bilhões), um aumento de 6%. Os financiamentos podem ser contratados de de julho deste ano até o final de junho de 2022.

“Novamente, nós priorizamos a agricultura familiar e os investimentos, em especial na agricultura de baixo carbono, que aumentou em mais de 100% neste plano. Então, este é um plano que já vem muito pincelado de verde”, afirmou a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, durante o anúncio.  

Do total de crédito disponibilizado, cerca de R$ 39,3 bilhões serão exclusivos para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), um incremento de 19% em relação ao ano passado. Os demais públicos ficam com R$ 211,9 bilhões (4% a mais do que em 2020), sendo R$ 34 bilhões destinados aos médios produtores, por meio do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp). Dos R$ 251,2 bilhões do Plano Safra, um total de R$ 177,8 bilhões serão para custeio e comercialização e outros R$ 73,4 bilhões serão para investimentos. Neste último caso, o aumento da disponibilidade foi de 29%.

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina , durante lançamento do Plano Safra 2021/22 no Palácio do Planalto. – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

As taxas de juros dos financiamentos tiveram aumento médio de 10% para os pequenos e médios produtores, na comparação com os juros praticados nos financiamentos do Plano Safra anterior. No caso do Pronaf, os juros passam de 2,75% ao ano para 3% a.a, para a produção de bens alimentícios; e de 4% a.a para 4,5% a.a para os demais produtos. Já para o Pronamp, que reúne os médios produtores, os juros serão de 5,5% a.a para custeio e 6,5% a.a para investimento. Os grandes produtores poderão contratar financiamentos com juros de 7,5% a.a para custeio e 8,5% a.a para financiamento de máquinas. Os financiamentos via cooperativas para investimento, crédito industrial e capital de giro será de 8% a.a.    

Para os investimentos considerados prioritários pelo governo, de promoção da sustentabilidade, o valor dos juros será de 5,5% ao ano. A taxa se refere à projetos de recomposição de reservas legais e áreas de preservação permanentes (APPs). Para financiamento de integração lavoura-pecuária, recuperação de pastagens, irrigação e construção de armazéns, os juros serão de 7% a.a.

“[Foi] inevitável uma elevação da taxa de juros, por tudo que vocês têm acompanhado. A gente conseguiu que não fosse uma elevação tão acentuada”, afirmou Wilson Vaz de Araújo, diretor de financiamento e informação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. 

 A subvenção ao prêmio do seguro rural ficou em R$ 1 bilhão. O valor deve possibilitar a contratação de 158,5 mil apólices, num montante segurado da ordem de R$ 55,4 bilhões e cobertura de 10,7 milhões de hectares.

Projetos sustentáveis

Para o próximo ciclo, o Plano Safra fortaleceu o Programa para Redução de Emissão de Gases de Efeito Estufa na Agricultura (Programa ABC), que é a principal linha para financiamento de técnicas sustentáveis na agropecuária. Neste caso, a disponibilidade de crédito foi ampliada em 101% em relação aos recursos do plano anterior. A linha terá R$ 5,05 bilhões em recursos com taxa de juros de 5,5% e 7% ao ano, carência de até oito anos e prazo máximo de pagamento de 12 anos. 

O Plano Safra 2021/2022 prevê o financiamento para aquisição e construção de instalações para a implantação ou ampliação de unidades de produção de bioinsumos e biofertilizantes na propriedade rural, para uso próprio. Também serão financiados projetos de implantação, melhoramento e manutenção de sistemas para a geração de energia renovável. O limite de crédito coletivo para projetos de geração de energia elétrica a partir de biogás e biometano será de até R$ 20 milhões. 

O Proirriga, programa destinado ao financiamento da agricultura irrigada, terá R$ 1,35 bilhão, com juros de 7,5% ao ano. Já o Inovagro, voltado para o financiamento de inovações tecnológicas nas propriedades rurais, ficou com R$ 2,6 bilhões, e taxas de juros de 7% ao ano.

O presidente do Banco do Brasil, Fausto de Andrade Ribeiro, durante lançamento do Plano Safra 2021/22 no Palácio do Planalto.

O presidente do Banco do Brasil, Fausto de Andrade Ribeiro, durante lançamento do Plano Safra 2021/22 no Palácio do Planalto. – Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Armazéns

Os recursos para a construção de armazéns nas propriedades rurais também ganhou ampliação expressiva neste Plano Safra. Ao todo, serão destinados R$ 4,12 bilhões, um acréscimo de 84%. Para o financiamento de armazéns com capacidade de até 6 mil toneladas nas propriedades, a taxa de juros é de 5,5% ao ano e para maior capacidade, a taxa é de 7% ao ano, com carência de três anos e prazo máximo de 12 anos. O valor disponibilizado é suficiente para aumentar em até 5 milhões de toneladas a capacidade instalada com a construção de cerca de 500 novas plantas.

Custos

Os custos aos cofres públicos para a subvenção dos financiamentos pelo governo federal será de R$ 13 bilhões. Deste total, R$ 6,4 bilhões são para o Pronaf e R$ 6,6 bilhões para a agricultura empresarial.

Assista a cerimônia completa na TV Brasil

Edição: Bruna Saniele

contador free


Webtiva.com // webdesign da Bahia

maio 2022
D S T Q Q S S
« abr    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia