WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: 28/set/2021 . 22:35

Com trabalhos a todo vapor, Valec realiza vistoria conjunta na Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL)

 

Em decorrência da assinatura dos contratos de gestão ambiental, espeleologia, arqueologia e desapropriação, foi realizada, do dia 20 ao 24 deste mês, uma visita ao Trecho 2 da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL) com representantes da PROSUL – Projetos, Supervisão e Planejamento LTDA, da Fundação Aroeira, da Strata Engenharia e do Consórcio HE Espeleológico, contratadas pela Superintendência de Gestão Ambiental e Territorial (SUGAT) para execução daqueles serviços.

A vistoria foi conduzida por Marcello Anastácio, Gerente de Sustentabilidade e Gestão Ambiental, e Aldemar Guerra, Gerente de Desapropriação e Assuntos Fundiários que, juntamente com os Gerentes de Implantação de Obras, Francisco Dalmo, Diego Fonseca e Paulo Medeiros, percorreram os lotes 5F, 6F, 6EB e 7F.

As obras e os pontos estratégicos de meio ambiente e desapropriação foram inspecionados em campo para facilitar o planejamento conjunto dos serviços a serem implantados, objetivando ambientar as empresas recém-contratadas, assim como realizar um alinhamento estratégico quanto ao empreendimento.

“Essa inspeção técnica é muito importante para que as obras corram da melhor forma possível, tendo em vista os desafios que o meio ambiente e a desapropriação trazem à área de engenharia em um empreendimento desse porte e, por meio da aproximação das obras com essas áreas, conseguimos alinhar as necessidades de cada setor com um objetivo comum que é construir uma ferrovia sustentável, com qualidade socioambiental e que atenda aos preceitos da justa desapropriação”, afirmou Anastácio.

 

 

Contratos

Os processos de licenciamento ambiental e desapropriação, necessários para a execução da obra, requerem a atuação de diversos profissionais para a elaboração de planejamentos necessários à obtenção das licenças e liberação de áreas.
Os contratos, firmados este ano, sob a ótica de produtos, perfazem valores de aproximadamente R$ 65 milhões ao longo de dois anos e se destinam ao atendimento das exigências contidas em licenças, autorizações, planos e projetos de meio ambiente e desapropriação, mediante atuação de empresas especializadas no gerenciamento, no monitoramento e na execução de estudos específicos.

De acordo com o Gerente Aldemar Guerra, estas contratações envolvem todos os serviços que são indispensáveis durante a construção de ferrovias. “Esses novos contratos são as ferramentas adequadas para a manutenção das licenças e autorizações vigentes, bem como um processo de transferência compulsória da propriedade do particular ao Poder Público, mediante indenização o justa e prévia, garantindo o alcance do interesse público e consolidando o compromisso socioambiental da empresa”, informou.

Presidente comemora mil dias de governo no interior da Bahia

Na ocasião, inaugurou rodovia duplicada e centro esportivo

Publicado em 28/09/2021 – 14:08 Por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil – Brasília

O Presidente Jair Bolsonaro participou, nesta terça (28), da inauguração da Estação Cidadania em Teixeira de Freitas (BA)

O presidente Jair Bolsonaro visitou hoje (28) a cidade de Teixeira de Freitas, na Bahia, onde participou da inauguração da Estação Cidadania, de entrega de títulos de propriedades rurais e de duplicação das rodovias BR-116 e da BR-101. O evento é alusivo aos mil dias da gestão Bolsonaro.

A Estação Cidadania é um centro de iniciação ao esporte que conta com ginásio poliesportivo e quadra externa para a prática de modalidades olímpicas e paralímpicas. O projeto do Ministério da Cidadania é legado de infraestrutura esportiva dos Jogos Rio 2016, que tem o objetivo de identificar talentos, formar atletas e incentivar a prática esportiva em territórios de vulnerabilidade social.

Assista a íntegra da cerimônia na TV Brasil

Ainda durante o evento, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento fizeram a entrega simbólica de cinco títulos de domínio de terra a produtores rurais da região.

O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, participou, nesta terça (28), da inauguração da Estação Cidadania em Teixeira de Freitas (BA)
O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, na inauguração da Estação Cidadania – Alan Santos/PR

O Ministério da Infraestrutura e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) também inauguraram, de forma simbólica, um trecho de 5,4 quilômetros de pista duplicada da BR-116, em segmento que liga as cidades de Feira de Santana e Santa Bárbara. Já na BR-101, foi liberado, nesta terça-feira, um trecho de 4,14 quilômetros de duplicação, que faz parte de um lote executado com pavimento rígido.

À tarde, Bolsonaro estará em Teotônio Vilela, em Alagoas, onde participa da entrega de 200 moradias a famílias de baixa renda. Logo após a solenidade, o presidente embarca de volta à Brasília.

Edição: Denise Griesinger

COMUNIDADES CARENTES PEDEM SOCORRO!

Duas semanas sem coleta de lixo na Rua da Horta Vila Queiroz.

 

Congresso rejeita veto à modernização das zonas especiais de exportação (ZPEs)

AVANÇO

Medida moderniza a legislação e adiciona o setor de serviços entre os beneficiados pelas ZPEs. Rejeição ao veto foi acordado com o governo

Zona de Processamento de Exportações (ZPE) do Ceará. Foto: gov.br

A nova lei que agora vai à sanção presidencial moderniza a legislação em torno das ZPEs, conhecidas como zonas especiais de exportação mundo afora, que ainda seguia as diretrizes originais da iniciativa dos anos 1970.

“As ZPEs são uma das mais bem-sucedidas experiências do mundo para promover o desenvolvimento econômico”, disse o presidente da Associação Brasileira de ZPEs, Helson Braga, em artigo no Diário do Poder. “Especialmente, com a agregação de atividades além da tradicional manufatura de mercadorias”, concluiu Braga.

O Brasil possui 20 ZPEs autorizadas em 17 estados, das quais 19 estão em funcionamento.

Vídeos Relacionados


Petrobras é responsável por 34% do total do preço da gasolina

Não há mudança na política de preços da empresa, diz presidente

Publicado em 27/09/2021 – 19:53 Por Vladimir Platonow Repórter da Agência Brasil – Rio de Janeiro

Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

A participação média da Petrobras no valor do litro da gasolina, que chega a R$ 7 em algumas cidades brasileiras – é de cerca de R$ 2. Da mesma forma, o valor da parte da estatal no litro do diesel é de R$ 2,49 e, no preço do botijão de 13 kg do gás de cozinha, é de R$ 46,90. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira (27), no Rio de Janeiro, pelo presidente da companhia, general Joaquim Silva e Luna.

Segundo Silva e Luna, há um conjunto de fatores que impacta diretamente o país, “quase como uma tempestade perfeita”: crise da pandemia, período de baixa afluência hídrica com impacto na energia e uma elevada alta nas commodities, incluindo petróleo e gás.

“A Petrobras recebe cerca de R$ 2 por litro [de gasolina] na bomba. Essa parcela, que corresponde à Petrobras, se destina a cobrir o custo de exploração, de produção e refino do óleo, investimentos permanentes, juros da dívida, impostos e participações governamentais”, explicou durante apresentação ao vivo pela internet, que também contou com a participação de diversos diretores da empresa.

Componentes de custo

Segundo a estatal, do total do preço do litro da gasolina, somente 34% são referentes à Petrobras e os outros 66% são formados por outros componentes de custo, incluindo impostos e margem de lucro das empresas.

No caso do diesel, a parcela da empresa fica em 52%, sendo os demais 48% relativos aos demais fatores de mercado. Na formação do preço do botijão de gás GLP de 13 kg, a Petrobras fica com 48% do preço, com os outros 52% ficando por conta das empresas de envase, distribuição, revenda e impostos estaduais, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Perguntado sobre como a Petrobras poderia contribuir para a redução nos preços dos combustíveis e do GLP, Silva e Luna explicou que esses debates são afeitos ao Ministério de Minas e Energia, ao Ministério da Economia e à Casa Civil, cabendo à estatal do petróleo garantir saúde financeira, recolhimento de impostos e distribuição de dividendos aos acionistas.

Ele reiterou que não há mudança na política de preços da companhia. “Continuamos trabalhando da forma como sempre. A maneira que a Petrobras acompanha o preço da paridade internacional do [petróleo tipo] Brent, as mudanças em relação ao câmbio, a análise permanente para ver se isso são [fatores] conjunturais ou estruturais, essa mudança não existe”, disse.

Crise energética

Quanto à ajuda que a estatal pode dar para minorar os efeitos da crise energética, o general lembrou que a Petrobras triplicou a entrega de gás para a operação das termelétricas nos últimos 12 meses.

Sobre a participação da empresa na economia nacional, ela gerou, entre 2019 e setembro de 2021, R$ 20,4 bilhões de dividendos para a União.

Até dezembro deste ano, a projeção é a geração de R$ 552 bilhões em tributos para a União, estados e municípios.

Segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), na semana entre 29 de agosto e 4 de setembro, o preço médio do litro da gasolina comum no país era de R$ 6,00; o diesel S10, R$ 4,69, e o botijão de 13 kg, R$ 93,61.

Edição: Kleber Sampaio

contador free


Webtiva.com // webdesign da Bahia

setembro 2021
D S T Q Q S S
« ago   out »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia