Controladores do Estaleiro Atlântico Sul são acusados pelos credores da dívida de R$2 bilhões de ocultar patrimônio para fraudar sua recuperação judicial

Decisão do juiz Eduardo Burichel, de Ipojuca (PE), aponta indícios da estratégia do EAS de driblar credores e evitar o pagamento de dívidas.

O EAS deve ao BNDES cerca de R$1 bilhão e estaria sando a controlada Consunav, também sob recuperação judicial, para manter caixa mínimo.

Notícias Relacionadas

Credores desconfiam de uma jogada do estaleiro, para tentar empurrar a empresa para investidores estrangeiros, dos EUA e Oriente Médio