WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: 20/dez/2020 . 16:12

Brasileiros relatam agressões e tortura após desembarque no aeroporto de Lisboa

Visitantes ‘barrados’ são torturados em salinha, onde um ucraniano não resistiu à violência e morreu

Após o assassinato do ucraniano Ihor Homeniuk por inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) do governo socialista português, vários estrangeiros como a brasileira Kátia Gonçalves dos Santos, de 36 anos, têm relatado à imprensa de Portugal casos de violência e maus tratos nas instalações da repartição, no aeroporto de Lisboa.

Kátia contou ao jornal Diário de Notícias, de Lisboa, que ficou detida por quatro dias em um “Centro de Instalação Temporária (CIT)”, no aeroporto de Lisboa, para onde o SEF conduz estrangeiros que resolve impedir de ingressar em Portugal.

Segundo a curitibana, os inspetores “diziam para ficar quieta para não me levarem para a salinha”, local onde eles torturam e espancam estrangeiros a serem deportados de volta aos países de onde embarcaram para Portugal.

Itamaraty ainda não agiu

Apesar dos relatos de brasileiros submetidos a maus tratos pelos funcionários da imigração, não se conhecem iniciativas do Ministério das Relações Exteriores ou das representações diplomáticas brasileiras em Lisboa em relação ao governo português.

Os inspetores do SEF costumam apresentar comportamento de inspiração nazifascista.

Nitidamente despreparados, eles fazem pose de policiais truculentos, muito embora sejam apenas servidores públicos, e tratam mal tantos os turistas que chegam ao país para gastar dinheiro e quanto os que estão no aeroporto para sair de Portugal.

‘Apanhavam demais, muito, muito’

Ela relatou ao DN uma rotina de violência covarde contra os estrangeiros recolhidos ao tal CIT. Kátia disse que as pessoas levadas à “salinha” voltavam “bem quietos, bem amachucados, com sinais de que tinham apanhado, cabeça baixa”.

“Apanhavam demais”, disse ela. “Muito, muito”. Disse que só ouvia alguns gritos, porque eles tinham tudo fechado, não se ouvia bem. “Apanharam durante o dia e depois foram lá buscar eles de noite também”, revelou ela ao jornal lisboeta Diário de Noticias.

“A gente teve medo até de perguntar, pensou que ia apanhar também”, contou Kátia, revoltada. “É uma covardia muito grande o que eles fazem ali.”

Outra brasileira testemunha os horrores

Outra brasileira contou ao Diário de Notícias que esteve detida por várias semanas no tal “Centro de Instalação Provisória” do Aeroporto de Lisboa, onde morreu um cidadão ucraniano depois de ter sido submetido a maus tratos dos inspetores.

“Muita gente teve problemas”, disse a brasileira cuja identidade o jornal preservou. “Vi surras, muitos apanharam”, disse.

“Levam para aquela salinha que chamavam ‘dos remédios’ e batem”, diz. “Várias pessoas foram postas naquela sala e saíam roxas e arrebentadas, mancando”, continuou. “Algumas saíam de cadeira de rodas”.

A identidade dessa brasileira está sendo preservada por razões de segurança, porque ela é uma das testemunhas da ação criminosa dos inspetores que resultou no assassinato do ucraniano Ilhor Homeniuk.

“Ele apanhou logo no dia em que chegou”, disse ela. “Apanhou várias vezes e depois nos mostrava as marcas”. Ela disse que é mentirosa a alegação dos inspetores no sentido de que o ucraniano teria agredido outros detidos.

Cabo-verdiano conta como foi agredido

O cabo-verdiano Gilson Pereira também denunciou ao jornal Público ter sido agredido por inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), que, claro, disse ter usado “apenas a força necessária”.

Ele disse que foi agredido por inspetores do SEF nesta sexta-feira (18), no aeroporto de Lisboa. Segundo ele, os inspetores tentavam obrigá-lo aa entrar num avião de volta para o seu país.

“Eles amarraram-me os pés, meteram-me em cima da cadeira de rodas, caí no chão e depois meteram-me o joelho no pescoço. Nenhum cão merece o que eles fizeram comigo”, protestou.

O relato de Gilson se assemelha a outros, divulgados pelo semanário Expresso.

Soberania é um dos eixos da política externa brasileira, diz chanceler

Ernesto Araújo é entrevistado hoje no programa Brasil em Pauta

Publicado em 20/12/2020 – 09:42 Por Agência Brasil – Brasília

O ministro das Relações Exteriores ,Ernesto Araújo

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, será entrevistado neste domingo (20) no programa Brasil em Pauta, que vai ao ar às 22h30, na TV Brasil. Durante o programa, o chanceler tratou de temas como a atuação do Itamaraty, a participação do Brasil na reunião do G20 (grupo formado por ministros de finanças e chefes dos bancos centrais das 19 maiores economias do mundo mais a União Europeia) e da Cúpula do Brics (grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) e do interesse do Brasil em participar do Conselho de Segurança da ONU.

Sobre a atuação do Itamaraty, o chanceler disse que a soberania é um dos pontos centrais na política externa brasileira. “A soberania e todos os seus aspectos é um dos eixos da nossa política externa, juntamente com abertura econômica, juntamente com segurança, a defesa da democracia e com a defesa de nossos valores”, disse.

Araújo também falou sobre a participação do Brasil no G20, que ocorreu em novembro. Para ele, o grupo é hoje talvez o grande foro do que se chama governança internacional, no sentido de coordenação entre os países. “É importante que a gente coloque ali o que o Brasil tem feito”, disse citando, como exemplos, as ações do país no enfrentamento da pandemia nas áreas de saúde e economia.

No G20, o chanceler disse que o Brasil apresentou também uma ideia para reformar a Organização Mundial do Comércio (OMC), principalmente em relação à redução dos subsídios agrícolas. “Mas queremos trabalhar cada vez mais também na redução dos subsídios industriais, que distorcem a competição”, disse.

O ministro também defendeu a entrada do Brasil no Conselho de Segurança da ONU, dizendo que o país enriqueceria o conselho como membro permanente. “Queremos levar o peso do Brasil em favor de um mundo mais seguro, mas também de um mundo com mais liberdade, com mais democracia. Achamos que o Brasil tem uma responsabilidade, um lugar no mundo a partir do qual podemos defender valores que são essenciais ao brasileiro.”

Sobre o Brics, o chanceler disse que o bloco tem se tornado cada vez mais focado em objetivos específicos dentro de cada presidência. “Na nossa presidência no ano passado nós focamos muito no tema da inovação e conseguimos criar uma rede de inovação do Brics para incentivar pequenas companhias, novas companhias, a autuarem nessa área da inovação. Este ano um avanço muito importante foi a cooperação na esfera do combate ao terrorismo, onde todos os países do grupo tem essa mesma convicção contra o terrorismo, então qualquer cooperação nessa área para nós nessa área é extremamente útil, porque a gente vê uma ameaça de terrorismo aqui na nossa região. A presidência indiana no ano que vem já sinalizou que vai se concentrar em água, saneamento, saúde, e neste sentido nos interessa muito”, disse. 

Edição: Fábio Massalli

Maia busca entre governistas um nome para ser o seu ‘candidato independente’

Tanto Aguinaldo Ribeiro (PP) quanto Baleia Rossi (MDB) integram a bancada bolsonarista

Ambos são filiados a partidos de apoio ao governo Jair Bolsonaro no Congresso: Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) e Baleia Rossi (MDB-SP).

A jogada de Maia é clara e esperta: dividir os votos do candidato Arthur Lira (PP-AL).

Notícias Relacionadas

O problema foi a dificuldade de “construir o consenso”, como ele diz, em nome do seu preferido, Aguinaldo Ribeiro, enroladíssimo na Justiça. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

A esquerda conhece bem a turma de Maia e sabe que, na presidência da Câmara, qualquer dos dois vai buscar acordo com Bolsonaro.

Maia tem enfrentado uma limitação: não pode falar mal de Arthur Lira no campo moral porque Aguinaldo Ribeiro também coleciona processos.

contador free


Webtiva.com // webdesign da Bahia

dezembro 2020
D S T Q Q S S
« nov   jan »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia