WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: 6/dez/2020 . 18:37

Novas rotas do turismo é tema do Caminhos da Reportagem

Programa vai ao ar às 20h, pela TV Brasil.

Publicado em 06/12/2020 – 16:23 Por TV Brasil – Brasília

Katiuscia e Aramis na Chapada Diamantina

Um turismo de isolamento, que busca a natureza, o distanciamento de grandes centros urbanos, a valorização de áreas rurais e estar com a família. Tendências para um setor que tenta se reerguer em meio à pandemia de covid-19 que abalou o mundo.

Para algumas pessoas, a saída encontrada para lidar com a pandemia foi aliar o home office com a possibilidade de ir para um local mais isolado. O produtor de desenvolvimento Victor Prata já passou por quatro casas alugadas pelo site Airbnb desde março deste ano. Morador da cidade do Rio de Janeiro, ele escolheu a região serrana de Petrópolis para se isolar, trabalhar e relaxar em contato com a natureza. A última casa escolhida por Victor e a família foi a da cineasta Thamires Duarte. O local, que antes da pandemia era alugado apenas nos fins de semana, virou a principal fonte de renda da cineasta desde março.

Impactos da pandemia

:: LEIA MAIS »

UMA PARTE DA HISTÓRIA POLÍTICA BRASILEIRA, CONTADA POR UM PARTICIPANTE

Estados e municípios pedem coordenação nacional em vacinação contra covid-19

Apelo ao Ministério da Saúde é de entidades nacionais dos secretários estaduais e municipais

As entidades nacionais dos secretários estaduais (Conass) e municipais (Conasems) de saúde divulgaram nota hoje (5) defendendo a coordenação nacional das estratégias de vacinação contra a covid-19, sob a responsabilidade do Ministério da Saúde. As associações apontaram que o órgão deve liderar as análises de possíveis vacinas, a aquisição de insumos, a definição das estratégias e a aquisição das doses.

“A falta da coordenação nacional, a eventual adoção de diferentes cronogramas e grupos prioritários para a vacinação nos diversos estados são preocupantes, pois gerariam iniquidade entre os cidadãos das unidades da federação, além de dificultar as ações nacionais de comunicação e a organização da farmacovigilância, que será fundamental com uma nova vacina”, alertam as entidades.

Os conselhos de secretários estaduais e municipais defendem no comunicado que o Programa Nacional de Imunização incorpore “todas as vacinas contra a covid-19, com reconhecidas eficácia e segurança, especialmente as que já estão sendo testadas no Brasil, considerada, ainda, a necessidade de se alcançar a imunização de toda a população brasileira, com a máxima brevidade”.

O cenário dos esforços de obtenção de uma vacina é formado por iniciativas tanto no plano federal quanto por governo estaduais. Nesta semana o Ministério da Saúde apresentou algumas diretrizes do plano de imunização contra a doença, que será realizado em quatro fases e tem previsão de iniciar a vacinação no primeiro trimestre de 2021. Foram anunciados também os públicos prioritários para cada uma delas.

O governo federal já firmou parcerias com o consórcio Oxford/Astrazeneca para a aquisição de encomenda tecnológica e integra o grupo de países e empresas envolvidos no desenvolvimento de vacinas Covax Facility. Além disso, já se reuniu com outras farmacêuticas, como Pfizer e a Janssen (subsidiária da Johnson & Johnson). A Anvisa divulgou nesta semana as regras para as autorizações emergenciais de vacinas em caráter experimental.

Já o governo de São Paulo anunciou que pretende começar a vacinar parte da sua população ainda em janeiro. A administração estadual firmou parceria por meio do Instituto Butantan com a farmacêutica chinesa Sinovac e está na fase final de testes da vacina Coronavac.

Os governos do Paraná e da Bahia anunciaram acordo com o governo Russo, que desenvolve uma vacina própria, batizada de Sputinik V. Ainda não houve conclusão dos testes e não há previsão ainda de início de vacinação.

Ministério da Saúde

Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que “acompanha 200 estudos de imunizantes para covid-19” e que a aquisição “será feita à medida em que os ensaios clínicos apontarem a eficácia e a segurança das doses, após aprovação por parte da Anvisa”.

O comunicado coloca que já foram garantidas 142,9 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 pelos acordos Fiocruz/AstraZeneca (100,4 milhões) e Covax Facility (42,5 milhões).

“O Ministério da Saúde também apresentou o plano preliminar para vacinação da covid-19, prevista para ter início no primeiro semestre 2021. Destaca-se que a população-alvo poderá ser ampliada de forma escalonada conforme disponibilidade de vacinas no País”, completa a nota. (Agência Brasil)

contador free


Webtiva.com // webdesign da Bahia

dezembro 2020
D S T Q Q S S
« nov   jan »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia