WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: 17/jul/2020 . 18:00

O VENENO DA NOITE!

Filhotes, fantoches, forasteiros, falidos, fantasmas, tudo com ‘F’.

E f…..-se Ilhéus.

Sem nenhuma paciência…

Eduardo Salles e Ivana Bastos apresentam projeto com novo cronograma de pagamento de ICMS para empresas que tiveram atividades suspensas

 
 Os deputados estaduais Eduardo Salles, presidente da Frente Parlamentar do Setor Produtivo, e Ivana Bastos, presidente da UNALE (União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais), protocolaram, nesta quinta-feira (16), na Assembleia Legislativa da Bahia, projeto de lei que apresenta um novo cronograma de pagamento do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) entre março e julho de 2020, sem juros e multas, para empresas obrigadas a suspender suas atividades, por meio de decretos dos poderes executivos, no período de pandemia causada pelo novo coronavírus.

O texto apresentado por Eduardo Salles e Ivana Bastos prorroga para as empresas que devem o ICMS referente a março, abril, maio, junho e julho de 2020 para janeiro, fevereiro, março, abril e maio de 2021, respectivamente.  Eduardo Salles afirma que a aprovação do projeto é fundamental e urgente porque empresas de diversos setores impossibilitadas de trabalhar normalmente em função dos decretos que restringem a abertura ao público tiveram suas receitas reduzidas e não têm como pagar os impostos devidos.“Acredito que é nossa missão apresentar propostas que minimizem os riscos de diversas empresas fecharem as portas e perdermos milhares de empregos”, alerta Eduardo Salles. “Uma pesquisa da FECOMÉRCIO mostra que só o varejo baiano teve um prejuízo de R$ 87 milhões em abril e maio. A prorrogação do ICMS é fundamental para o setor produtivo ter condições de voltar à normalidade no momento da reabertura”, acrescentou o deputado.

 “É muito difícil, principalmente neste momento de baixa atividade econômica, o governo estadual, que está em várias frentes para evitar a disseminação do novo coronavírus, abrir mão de receita. Eu entendo perfeitamente. Mas as empresas, como lojistas de shopping centers, também estão vivendo um momento dramático”, compara Eduardo Salles.Segundo um estudo da FECOMÉRCIO feito com dados da JUCEB (Junta Comercial da Bahia), até o final de abril mais de 6.600 empresas foram fechadas.

ASCOM – Deputado Estadual Eduardo Salles

CURTA A FANPAGE – www.facebook.com/eduardosalles2014

SIGA NO INSTAGRAM – @eduardossalles

ACESSE O SITE – http://eduardosalles.com.br/

CONTATOS – (71) 3115-5543 / (71) 3115-5588

Iniciativas no enfrentamento ao Coronavírus são prioridades para a BAMIN

As iniciativas da empresa contribuem para o fortalecimento da saúde pública e economia local, sempre priorizando a qualidade de vida da população e de seus colaboradores

A BAMIN sempre trabalhou em sintonia com as comunidades em sua área de atuação. E no momento em que o mundo enfrenta seu maior desafio sanitário dos últimos 100 anos, não poderia deixar de estar ao lado de seus colaboradores e das comunidades das regiões em que atua, consolidando cada vez mais seu papel social.  Para isto desenvolve uma série de ações como a doação de itens de segurança e proteção para unidades de saúde dos municípios, e máscaras de tecido e cestas básicas para a população. Ainda como estratégia de fortalecimento da economia local, a empresa prioriza a compra e produção de todas os itens de doação por meio de fornecedores locais.

Para fortalecer o serviço público de saúde, a BAMIN doou insumos importantes como álcool em gel e EPIs para os profissionais que estão na linha de frente do atendimento a pacientes com Covid-19. No total, a empresa entregou 1.190 litros de álcool em gel e 315.200 luvas para as prefeituras de Caetité, Pindaí, Guanambi, Licínio de Almeida e Ilhéus. Buscando contribuir para a melhoria da qualidade de vida das populações, a empresa entregou ainda aos municípios 1.682 cestas básicas para serem distribuídas para famílias em situação de vulnerabilidade.

Unindo ação sustentável e geração de renda, a BAMIN doou seus mais de 300 uniformes antigos e não utilizados, devidamente higienizados, para a confecção de máscaras caseira para proteção da população. Com o material, a associação de costureiras Mãos Que Bordam, de Pindaí, produziu mais de 1.300 máscaras que foram adquiridas pela empresa para a distribuição para as comunidades, gerando trabalho e renda para as associadas. Somadas às outras compradas de costureiras locais, a empresa doou mais de 20 mil máscaras para as comunidades. Ainda para fortalecer a economia, todas as cestas básicas foram adquiridas no comércio local.

Cuidados internos

Desde o início da pandemia, o setor de mineração foi um dos considerados serviços essenciais por produzir insumos que são a base de uma série de itens fundamentais, inclusive na área da saúde. Por esse motivo a BAMIN e outras mineradoras puderam manter suas atividades, seguindo todos os protocolos de saúde vigentes. Para garantir a segurança de seus colaboradores e terceirizados, e seguindo as normas das autoridades brasileiras e recomendações de organismos internacionais de saúde, a BAMIN tomou uma série de medidas como a restrição de viagens dos colaboradores a trabalho, a adoção do trabalho em home office para todos os colaboradores do grupo cuja atividade podia ser realizada de casa.

Os colaboradores em atividade presencial seguem todos os protocolos como o distanciamento seguro e têm sempre disponíveis materiais de higienização e proteção pessoal. A BAMIN também tem realizado testagens do Covid para colaboradores e por obrigação contratual também exige essa ação das empresas terceirizadas. Todas as medidas de segurança são reforçadas com campanhas permanentes de orientação e conscientização.  A BAMIN se prepara para ampliar as atividades, aguardando para isto todas as normatizações das autoridades estaduais e municipais e continuará sempre ao lado das comunidades para contribuir em todas as frentes no enfrentamento à pandemia, trabalhando e produzindo de acordo com as normas de saúde e segurança.

Sobre a BAMIN

A BAMIN é uma empresa brasileira de mineração que iniciou a formação em 2005 com um projeto pioneiro para o estado da Bahia. O empreendimento denominado Projeto Pedra de Ferro pretende produzir até 18 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, apoiado em uma gestão de excelência e sustentabilidade. A BAMIN irá transformar a Bahia no terceiro maior produtor de minério de ferro do Brasil. A Companhia possui escritórios estratégicos em Caitité, Ilhéus, Belo Horizonte e sua matriz está localizada em Salvador.

 O controle acionário da BAMIN é do Eurasian Resources Group (ERG). Com mais de 20 anos de sucesso na área de mineração, a empresa tem um portfólio de ativos de produção e projetos de desenvolvimento em 15 países, cruzando quatro continentes. O ERG é o maior produtor mundial de ferrocromo, um dos mais importantes especialistas em minério de ferro, um dos dez principais produtores de alumina e o principal produtor de cobre e cobalto.

ACORDA QUE A COBERTA TÁ ARRASTANDO NO CHÃO.

Acabou a mamata da OMS

 Ipojuca Pontes  15/07/2020 às 06:57

O atual presidente norte-americano, que não é trouxa, justificou sua decisão ao afirmar que a OMS, dirigida pelo proto-comunista etíope Tedros Adhanom, “fracassou ao lidar com a pandemia do covid-19 e se baseou demasiadamente em informações (fakes, adendo nosso) fornecidas pela China, país de onde surgiu o novo coronavírus”.

“Uma vez que eles fracassaram  em fazer as reformas pedidas e imensamente necessárias” – disse Trump em pronunciamento à imprensa, na Casa Branca – “estamos encerrando hoje as nossas relações com a Organização Mundial da Saúde”. (De fato, anteriormente o secretário de Estado Mike Pompeo havia pedido mais transparência quanto às notícias que davam conta de que o Instituto de Pesquisas Biológicas de Wuhan laborava na programação do novo Coronavírus, sobrelevando o fato de que o próprio prefeito da fatídica cidade, Zhou Xiangwang, “renunciou” ao cargo, depois de admitir que omitiu deliberadamente a letalidade do vírus. A demora em denunciá-la permitiu que mais de 5 milhões de chineses pudessem sair de Wuhan e se espalhassem pelo mundo antes da quarentena – omissão, de resto, incorporada pela conivente OMS, sob  “controle total” da China comunista de Xi Jinping, cujo objetivo maior é achatar “o modelo ocidental vigente e estabelecer a hegemonia global chinesa”. Daí, o poder sobre a aparelhada ONU e seus penduricalhos tais como a OMS,  UNESCO e agências afins.

NotíciasRelacionadas
Não sei se já disse, mas acompanho os movimentos da ONU desde quando lá estive há quatro décadas, inutilmente, para levantar dados sobre a fome no mundo. Fiz consultas em setores de sua imponente sede, na Praça das Nações, em New York. Minha primeira sensação foi de espanto: caminhando sobre tapetes puídos através de corredores sujos, me defrontei com seus burocratas terceiromundistas finamente encasacados e melhormente calçados – uma gente, para dizer o mínimo, afetada.

Foi com o socialista birmanês U Thant como Secretário-geral que a ONU começou a mudar de rota. Mais tarde, com o africano Kofi Annan, detentor de Prêmio Nobel, a Organização das Nações Unidas adotou o teiromundismo como marca da casa. Annan, que usava ternos caros e portava camisas de colarinhos impecáveis, foi acusado de conviver com casos de corrupção política e acosso sexual, enquanto o seu filho, Kojo, era denunciado por receber propina de uma empresa suíça distribuidora de petróleo, a Propecna S/A.

No histórico, herdeira da tristemente célebre Liga das Nações, a ambiciosa ONU foi criada em 1945 em São Francisco da Califórnia, Estados Unidos, no crepúsculo da 2ª Guerra Mundial, com objetivos nada desprezíveis, ou seja: manter a paz entre os povos, controlar a proliferação de armas nucleares, resolver querelas entre nações, fomentar o desenvolvimento, a cooperação e os direitos humanos etc., além de se empenhar, em âmbito planetário, nas tarefas de combater o analfabetismo, a fome e as doenças em geral (entre as quais se incluiria, via OMS, o letal covid-19).

O fenômeno, no entanto, tem sua  explicação: comprometida nas suas assembleias anuais em abrir espaços para imposição de uma Nova Ordem Mundial, a organização fomenta, à moda da casa, sua agenda “politicamente correta” voltada para a subversão dos valores éticos e espirituais que formaram as bases da civilização ocidental.

Dela parte um manancial de resoluções que estimulam a politização desenfreada do mundo gay, a batalha pela liberação das drogas (na qual o velho FHC apresenta-se como um paladino, amparado na grana fácil de George Soros), o acirramento dos conflitos raciais como afirmação da luta de classes propugnada por Marx, a degeneração dos costumes a partir da exploração comportamental permissiva estimulada pela “indústria do lazer” e, last but not least, a glamourização da violência em escala vertiginosa  pela mídia (jornal, rádio e televisão) amestrada.

Em resumo: logo após Donald Trump anunciar a retirada do apoio financeiro dos EUA a OMS, Tedros Adhabon apareceu vertendo lágrimas de crocodilo e pediu “união entre os humanos”, um exercício retórico típico da inoperante ONU. O fato concreto é que, ao esconder durante tempo significativo a letalidade do vírus chinês, o comunista Tedros apenas reincidiu na prática antiga de ocultar epidemias para fins políticos, conforme inúmeras denúncias, entre as quais a do especialista em saúde global, Laurence Gostin, diretor da Universidade de Georgetown. Indignado, o Dr. Gostin acusou Tedros de ter encoberto sucessivas epidemias de cólera quando era ministro da Saúde da Etiópia, chegando a responsabilizá-lo pela  morte de dezenas de milhares de pessoas do país africano.

Voltaremos ao assunto.

AINDA UM CAMINHO A PERCORRER ATÉ AS ELEIÇÕES.

Vamos ter em 2020 eleições diferenciadas das últimas.

Sem coligação para Vereadores, o candidato vai disputar votos com seus companheiros de partido para se eleger. Já existem disputas internas.

Permanecem as coligações partidárias para Prefeito. Tecnicamente representa nada. Só um ajuntamento.

E vem as Convenções dos partidos regularizados, que precisam serem homologadas.

Depois o pedido de registro de candidaturas, que podem ser homologadas ou não.

As redes sociais na Internet lançam novos paradigmas sobre a política, seja na essência ou no oportunismo.

Aguardemos… 

contador free


Webtiva.com // webdesign da Bahia

julho 2020
D S T Q Q S S
« jun   ago »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia