WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia

:: 10/jan/2020 . 16:21

Embrapa envia sementes brasileiras para banco mundial na Noruega

Amostras farão parte do maior banco mundial de sementes

Publicado em 10/01/2020 – 14:52

Por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil  Brasília

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em Brasília, envia hoje (10), para a Noruega, uma remessa com 3.438 amostras genéticas que farão parte do maior banco mundial de sementes, localizado na cidade de Longyearbyen, no arquipélago ártico de Svalbard. Elas serão transportadas pelos Correios até Oslo, capital da Noruega, e depois seguirão até a ilha com a equipe do banco, onde serão depositadas em 25 de fevereiro.A pesquisadora e supervisora de curadorias de germoplasma (material genético) da Embrapa, Rosa Lía Barbieri, representará o Brasil e acompanhará o depósito das 11 caixas que contêm as amostras. Representando as Américas, ela participará ainda da reunião do painel internacional que faz a validação e acompanhamento do trabalho do banco norueguês.

 A Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, vai enviar para a Noruega 3.438 materiais genéticos que fazem parte do seu acervo para compor o maior banco mundial de sementes do mundo, o de Svalbard
Embrapa envia para a Noruega 3.438 materiais genéticos para compor o maior banco mundial de sementes – José Cruz/Agência Brasil

A Embrapa selecionou 3.037 acessos de arroz, 87 de milho, 119 de cebola, 132 de pimentas Capsicum e de 63 Cucurbitáceas (abóboras, morangas, melão, pepino, maxixe, quino e melancia), que serão mantidas a uma temperatura entre 18 graus Celsius (°C) negativos e  20°C negativos. Acessos são amostras de sementes representativas de diferentes populações de uma mesma espécie.

“Elas representam um pouco da diversidade da agricultura brasileira. É um pedacinho da Embrapa que está lá resguardado e é uma forma de garantir que esse material vai estar disponível para população”, disse Rosa, em entrevista à Agência Brasil.

Rosa explicou que esse material só poderá ser aberto pela própria Embrapa e é como uma cópia de segurança para conservação a longo prazo das sementes, que já são armazenadas nos bancos brasileiros. Além do Brasil, pelo menos 30 países também depositarão suas sementes em Savalbard no próximo mês. A cerimônia deve contar com a presença da primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg.

Arca de vegetais

O banco genético em Svalbard recebe e conserva sementes de bancos genéticos do mundo inteiro para protegê-los da extinção e garantir a segurança alimentar da população. Em caso de uma catástrofe global, é de lá que sairiam as amostras para o recomeço da agricultura. No interior da montanha gelada existem cerca de 1 milhão de sementes armazenadas e congeladas em câmaras de segurança máxima, planejadas e construídas para resistir a desastres climáticos e explosões nucleares.

O local tem capacidade para 4,5 milhões de amostras de sementes. O clima glacial do Ártico assegura baixas temperaturas mesmo se houver falha no suprimento de energia elétrica das câmaras, que são abertas apenas três dias durante o ano. As baixas temperaturas e umidade garantem uma baixa atividade metabólica, mantendo o poder de germinação das sementes por séculos.

Essa é a terceira vez que o Brasil envia sementes a Svalbard. Em 2014 foram enviados pela Embrapa 514 acessos de feijão e em 2012, 264 de milho e 541 de arroz. A iniciativa é decorrente do acordo assinado entre a Embrapa e o Real Ministério de Agricultura e Alimentação da Noruega, em 2008.

Banco brasileiro

Para a pesquisadora Rosa Lía, a presença da Embrapa no banco de Svalbard dá visibilidade ao Brasil no cenário internacional. “É estratégico para o Brasil essa participação, já que o Brasil tem um protagonismo no trabalho com recursos genético na América Latina, faz todo sentido que a gente mostre isso para o mundo”, disse.

O presidente da Embrapa Celso Luiz Moretti fala à imprensa
Presidente da Embrapa, Celso Luiz Moretti – José Cruz/Agência Brasil

A Embrapa, em Brasília, também possui um banco genético com cerca de 130 mil amostras só de sementes, além de microrganismos e sêmen e embriões de animais, que formam o maior banco de recursos genético da América Latina e o quinto maior do mundo. A coleção serve, prioritariamente, apenas para a conservação do material dos bancos ativos de outras unidades da empresa, nos quais é feito o trabalho de campo, que consiste em testar e pesquisar as propriedades, fazer o manejo dos recursos genéticos e multiplicar as amostras a serem enviadas para bancos internacionais, pesquisadores e empresas solicitantes.

“É o armazenamento da riqueza e biodiversidade do Brasil. É uma das formas de a gente garantir que a sociedade brasileira, no futuro, terá segurança alimentar É aqui que a agricultura, a pecuária e o setor florestal brasileiro virão buscar a variabilidade genética, se for o caso, para combater pragas e doenças que venham atacar a agricultura brasileira”, explicou o presidente da Embrapa, Celso Moretti.

Em 1995, por exemplo, indígenas da etnia krahôs, do Tocantins, recorreram ao banco da Embrapa para recuperar sementes primitivas de milho e amendoim, pois não se adaptaram ao cultivo do milho híbrido comercial e já não possuíam mais a variedade local.

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia possui também um sistema de informação para consulta pública, o Alelo, com o registro de tudo que está armazenado em seus bancos genéticos.

Edição: Fernando Fraga

OPINIÃO DE DOMINGO. ===>>> 10/03/2013

Ilhéus é uma cidade de vocação turística. Ouço isso entre 30 a 40 anos, nem lembroguyvalerio (1) direito.

Nem vocação de freira demora tanto para se revelar.

Cidade com quase 100 quilômetros de litoral, não consegue explora-lo turisticamente. 

Litoral norte com vários trechos inacessíveis à população. Parte destruído pela maré, e parte fechada por condomínios ou propriedades particulares.

Litoral centro abandonado, somente mato e uma floresta de ‘postes’.

Litoral sul, explorado de forma mambembe e desordenada, senão vejamos:

– As barracas de praia, assim chamadas, já estiveram ou estão sob a ameaça legal de serem retiradas. As leis e a interpretação delas pelas autoridades é quem vão dizer ou agir.

– Enquanto isso, se transformam em espaço improvisado de eventos, numa estrada perigosa e sem vigilância.

As madrugadas rolando, como diz trecho de uma música, e a Lei de Murphy*, não me deixam mentir, infelizmente ceifando vidas, antes e agora.

*  “Se alguma coisa tem a mais remota chance de dar errado, certamente dará”.

DPVAT já não consegue mais enganar o ministro Dias Toffoli e o STF

Seguradoras esconderam do presidente do STF, o fabuloso saldo de R$8,9 bilhões

O noticiário reproduz a alegação de lobistas de que o DPVAT “ajuda os pobres” pagando remédios e assistência hospitalar, e indeniza vítimas de acidentes nos casos de morte ou invalidez. É uma meia verdade com odor de tapeação, logo percebida pelo presidente do STF, ministro Dias Toffoli, que restabeleceu novos valores do seguro obrigatório, até 85% menores. Criado por seguradoras espertas há 46 anos, o DPVAT é hoje apenas um “cartório” privado que fatura R$ 2 bilhões por ano. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Espertalhões inventaram o seguro obrigatório para garantir faturamento bilionário sem sair do lugar. Nem precisam de vendedores de seguro.

O cidadão recebe o boleto do DPVAT sem nem mesmo saber o nome da seguradora designada por uma “Líder” para tomar seu dinheiro.

Notícias Relacionadas

Enfrentar o poder das seguradoras foi decisão acertada de Bolsonaro. O errou foi fazer parecer retaliação a Luciano Bivar, presidente do PSL.

Seguradoras esconderam de Toffoli o fabuloso saldo de R$8,9 bilhões. Houve um tempo no Brasil em que dava cadeia mentir à Justiça.

EBC lidera ranking de elogios entre instituições federais

Número de elogios recebidos em 2019 é 150% acima do verificado em 2018

Publicado em 09/01/2020 – 20:14

Por Agência Brasil  Brasília

Dados divulgados pela Controladoria-Geral da União (CGU) apontam que a Empresa Brasil de Comunicação (EBC) é a instituição mais elogiada pela população que acessou cerca de 350 serviços de ouvidorias federais em todo o país e o portal Fala.BR, a plataforma integrada de ouvidoria e acesso à informação administrada pela CGU.De acordo com o ranking do Painel Resolveu?, ao longo de 2019, a EBC acumulou 488 elogios de leitores, ouvintes e telespectadores dos canais da empresa, como a Agência Brasil, a Rádio Nacional da Amazônia e a TV Brasil. Quase a metade das referências positivas refere-se a conteúdos jornalísticos. Também foram valorizados o conteúdo de entretenimento e a grade de programação da emissora.

O número de elogios em 2019 é 150% acima do verificado em 2018 (192 mensagens). Durante o ano passado, a Ouvidoria da EBC recebeu mais de 4,5 mil mensagens.

Ranking painel Resolveu?
Painel Resolveu? – Divulgação/CGU

 

“A EBC está de parabéns porque consegue enxergar as expectativas de seu público”, disse à Agência Brasil Fábio do Valle Valgas da Silva, ouvidor-geral da União adjunto. De acordo com ele, os números “são relevantes”. O ouvidor lembra que “a quantidade de pessoas que procuram fazer elogio é sempre pequena”. “O comum é entrarem em contato por causa de alguma não conformidade”, acrescenta.

O presidente da EBC, Luiz Carlos Pereira Gomes, considera os números “resultado de um trabalho de equipe, dos diretores, de cada empregado da empresa e da Ouvidoria”.  Segundo ele, os dados que são coletados diretamente do público “servem para decisões da empresa como definição de programação”.

Pereira Gomes lembra que a EBC “não tem interesse comercial” e que “qualquer pessoa pode assistir”, sem ter que assinar canais pagos. “Apresentamos produtos de qualidade, com conteúdo e credibilidade. [A empresa] é um instrumento na mão do Estado, acima de governo, para veicular programação que interesse a todos”.

Presidente da EBC Luiz Carlos Pereira Gomes
Presidente da EBC, Luiz Carlos Pereira Gomes, destaca que a empresa apresenta produtos de qualidade, com conteúdo e credibilidade – Marcelo Camargo/Arquivo/Agência Brasil

100% das demandas

De acordo com os dados em tempo real do Painel Resolveu?, a EBC respondeu a 100% das demandas dentro do prazo, em tempo médio menor que nove dias. Para quase 70% das pessoas que acionaram a ouvidoria da empresa, a demanda foi “resolvida”; para 17%, “parcialmente resolvida”; e para 16%, “não foi resolvida”.

A ouvidora da EBC, Christiane Samarco, salientou que, além de registrar diretamente as demandas do público junto à empresa, a Ouvidoria acaba atendendo a outras mensagens que não dizem respeito à EBC diretamente, mas foram objeto de matéria em um dos veículos.

“Uma pessoa que lê uma matéria sobre, por exemplo, o Enem e relata que está tendo dificuldades para se inscrever no site do Inep. Aí recorre a nós, Ouvidoria da EBC, pedindo ajuda. Como a mensagem veio em razão de uma matéria, a gente classifica e cadastra mensagem no sistema CGU, encaminha para a Ouvidoria do Inep e vai atrás de informação”, descreve ao acrescentar que, se a demanda gerar nova notícia, a Ouvidoria encaminha o assunto também para as redações dos veículos da EBC.

No ranking de instituições federais mais elogiadas do Brasil, o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HUFMS), em Mato Grosso do Sul, ficou em segundo lugar, e o Hospital Universitário da Universidade Federal do Maranhão, em terceiro.

Edição: Juliana Andrade

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
janeiro 2020
D S T Q Q S S
« dez   fev »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia