Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Imprensa marrom é uma expressão de cunho pejorativo, utilizada para se referir a veículos de comunicação (principalmente jornais, mas também revistas e emissoras de rádio e TV) considerados sensacionalistas, ou seja, que buscam elevadas audiências e vendagem através da divulgação exagerada de fatos e acontecimentos, sem compromisso com a autenticidade.[1][2]

É o equivalente em português do termo em lingua inglesa “yellow journalism“. Em ambos os casos registram-se transgressões da ética jornalística.