Horta esportiva

A gestão do prefeito de Ilhéus, Valdenewton Marão, inova até no esporte. Como o Colo Colo não vai disputar nada, depois de dispensar quem ajudava, o estádio Mário Pessoa virou horta, com plantação de melancia e quiabo. 

A gente avisou

Nós bem que avisamos que contratar Geraldo ‘Mazela’ para a secretaria de saúde de Ilhéus era uma furada. Ele tem fama de destruir a pasta por onde passa. Ser convocado para explicar diabices é coisa normal para ‘Mazela”. 

Irregular de carreira

Quem lembra da atuação-vexame de Geraldo Majela em Itabuna e Teixeira de Freitas, de triste memória, não se surpreende em ele ser convocado pela Câmara de Ilhéus para explicar “irregularidades graves e farra com diárias”. 

Desvio de 2 milhões

Magela foi acusado de desviar R$ 2 milhões em Itabuna, dinheiro que deveria ter sido usado na reforma de postos de saúde fechados. O professor de história foi indicado para secretário de Saúde pelo deputado Augusto Castro. 

Só malvadezas

A (indi)gestão de Magela em Itabuna (com Azevedo prefeito) teve protesto de servidores, atrasos de salário, corte de repasses para o Cemepi, boicote a mutirão do estado, recorde de mortalidade infantil, revolta no HBLem. 

Bens bloqueados

Em Teixeira de Freitas, o nômade da saúde teve os bens bloqueados pela Justiça, por irregularidades na licitação de construção do Centro de Hemodiálise. Deixou rombo de R$ 8 milhões e saiu debaixo de acusações do prefeito. 

Curinga do Estado

Magela passa de prefeitura em prefeitura, sempre imposto pelo Estado a prefeitos aliados e anunciado como profissional “com 30 anos de experiência em prefeituras”. O que não contam é seu fracasso em cada uma delas. 

Como cachorro em…

Como antecipamos, foi publicada a exoneração de Juvenal Maynart da diretoria da Ceplac. Dizem que o homem está sem destino e já anda falando sozinho. Não tem mais Geddel para ouvir choro ou arrumar cargo de enfeite. 

…dia de mudança

Os ceplaquanos até pensaram em fazer uma festa de arromba para comemorar a saída de Juvenal, com fogos e banda tocando “arruma a malaê”. Só não fizeram por falta de dinheiro e em respeito ao velório do departamento. 

Distopia blogueira

Maynart, logo depois de exonerado da Ceplac, acionou sua assessoria para espalhar um texto onde só falta dizer que ele transformou o órgão numa “Embrapa”. O fato é que a Ceplac antes e depois dele é o mesmo defunto. 

Caixão e vela

A única diferença é que foi rebaixada a departamento (e continua departamento). Como desde o governo Lula, continua sem orçamento, sem concurso público, sem fazer extensão, com uma sede ociosa e candidata à extinção. 

Ação entre amigos

A eleição da Amurc foi um acerto de compadres, articulada pelo deputado da facção PT Rosemberg Pinto. Com baixo comparecimento de prefeitos, que se sentiram pressionados por Rosemberg, que diz exercer influencia na Amurc. 

Muita sede ao pote

Ele indicou Lero Cunha (Firmino Alves) e luta vorazmente para abocanhar a maioria dos cargos do estado no sul da Bahia. Isso tem incomodado sua própria facção PT e a base aliada. A gulodice vai dar problemas para o governador. 

Acabou a farra

Não existem cargos suficientes para alojar a imensa quantidade de ‘coordenadores’ e ‘apoiadores’ da campanha do deputado da facção PT, mesmo porque o governo está falido, sem dinheiro nem para o cafezinho com brioches. 

Bajulando corrupto

Josias Gomes, Rosemberg Pinto, Everaldo Anunciação, Geraldo Simões, Lenildo Santana, Adroaldo Almeida e o Teatro Popular de Ilhéus defendem a corrupção e os corruptos. Fizeram festa para um dos maiores no dia 18. 

Condenado festivo

O TPI esculhambou a imagem de Ilhéus ao fazer o lançamento do livro de José Dirceu, corrupto condenado a 30 anos de cadeia por roubar o dinheiro que falta na saúde, educação, segurança, estrutura. O próximo é Beira-Mar? 

“A gente somos inútil”

Ninguém sabe para que servem os funcionários da Câmara de Ilhéus que lidam com contabilidade, tesouraria, licitação, compra e contrato. A Câmara contratou, por R$ 208 mil e R$ 96 mil, duas empresas para fazer a mesma coisa. 

Incompetência

As duas vão ganhar pela “assessoria e consultoria”, maneira bem subjetiva e nebulosa de justificar os contratos gordos. Se os servidores precisam de duas empresas para aprender a trabalhar, seria melhor demitir todos eles.