Em pleno Seculo XXI, tem quem sobreviva com narrativas do Seculo XIX…