Fonte: Jornal A REGIÃO

protesto-ceplac

Com funcionários revoltados com o despejo do Centro de Extensão da Ceplac. Eles se uniram a produtores de cacau, lideranças classistas e sindicais num protesto em frente ao prédio do Centro de Extensão para iniciar um movimento em defesa da integridade da Ceplac.

O grupo quer “proteger a imagem e os patrimônios físico, moral, científico e cultural da Ceplac que ora se vêem ameaçados e denegridos por atitudes, gestos e ações do diretor da instituição Juvenal Maynart Cunha”. O alvo do protesto foi o Despacho Nº 03184.00032/2016-68.

Expedido por Maynart sem discussão, ele ordena a desocupação em 30 dias do prédio do Centro de Extensão Rural da Ceplac – CENEX para ser ocupado pela Universidade Federal do Sul da Bahia – UFSB. O jornal A Região já tinha alertado para a decisão há duas semanas.

Os servidores reclamam que não houve nenhuma chance de diálogo ou discussão do assunto com Maynart. Dirigentes regionais da própria Ceplac e entidades do funcionalismo tentaram o diálogo com o diretor e esbarraram numa posição inflexível, de ser “ponto de honra” o despejo.

As entidades alertam que os serviços do Centro de Extensão não podem ser adaptados com facilidade em outro local, especialmente no CEPEC, para onde querem transferi-los. A própria direção do CEPEC afirma, em nota oficial, que isto é impossível.

Ameaçados

No prédio do Centro de Extensão funcionam gestão e monitoramento, assessoria técnica, agricultura familiar, capacitação profissional, desenvolvimento de metodologias de ATER, planejamento, informática, Siscenex, geoprocessamento, topografia e agrimensura.

Também abriga o CEFIR, elaboração de Projeto Técnico de Manejo da Cabruca, recepção de amostras de solos, assessoria de crédito, apoio ao cooperativismo e associativismo, assessoria de meio ambiente, projetos especiais, comunicação rural, controle patrimonial, assistência técnica e pericial.

Para os servidores, a decisão de desalojar estes serviços é uma tentativa de desmonte da extensão rural da Ceplac. O presidente do Conselho de Entidades, José Bezerra da Rocha (foto) quer a revogação da desocupação e a discussão do Plano de Revitalização.

O grupo lembra que a Ceplac já cedeu área para a construção do campus, salas para o Centro de Ciências Agroflorestais, área e projeto para o Parque Tecnológico, estudo de implantação de um curso moderno de extensão rural, todo acervo bibliográfico e salas equipadas para a UFSB.