Por Dagmara Spautz

28/11/2018 – 17h49 – Atualizada em: 28/11/2018 – 18h27

A temporada de transatlânticos em Santa Catarina começou oficialmente nesta quarta-feira, com a chegada do navio MSC Fantasia a Balneário Camboriú. A cidade, que estreou no ano passado no circuito, consolida-se como destino de cruzeiros com 28 escalas até o fim do verão. Enquanto isso, outras três cidades no Estado se preparam para retomar o posto no concorrido mercado dos grandes navios de turismo.

Foto: Cristiano Estrela

 

Passageiros aprovam parada em Florianóplis

Problemas técnicos impediram que Florianópolis fizesse a reestreia neste verão. A escala-teste feita em março deste ano, pela operadora MSC, funcionou bem e teve boa aceitação dos turistas _ 50% dos passageiros desceram para conhecer a cidade. Mas o tempo gasto entre a área de fundeio do navio e o trapiche de Canasvieiras, cerca de 30 minutos a cada viagem, tornou inviável a operação. Pelo menos por enquanto.

Uma marina particular interessou-se em levar adiante o projeto, construindo um atracadouro na Praia de Canajurê, entre Canasvieiras e Jurerê. O superintendente de Turismo de Florianópolis, Vinicius De Lucca Filho, disse que a proposta já está tramitando na prefeitura e junto ao Governo do Estado, em busca de licenciamento ambiental. A expectativa é ter uma nova escala-teste entre outubro e novembro do ano que vem, desta vez já no futuro atracadouro.

_ A ideia é ter estrutura para Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Receita e Policia Federal. Isso torna Florianópolis não só uma escala, mas uma possibilidade de embarque e desembarque de passageiros _ afirma o superintendente.

Itajaí tem escalas programadas

De olho nessa brecha de mercado, Itajaí, que viu as escalas reduzirem nos últimos anos devido às limitações do píer turístico, prepara-se para voltar a operar grandes transatlânticos a partir do ano que vem. A abertura da nova bacia de evolução, área de manobra para navios comerciais, que permitirá a entrada de embarcações com até 335 metros, também favorecerá o mercado de cruzeiros.

Há interesse das companhias em voltar a operar em Itajaí, que já tem toda a infraestrutura necessária e a presença dos órgãos fiscalizadores para permitir embarque e desembarque de passageiros e pode servir como hub para operar os cobiçados cruzeiros para Argentina e Uruguai. Diante da possibilidade de voltar a entrar com os transatlânticos no canal de acesso aos portos, a companhia MSC já agendou 12 escalas em Itajaí para o ano que vem.

A operação não ocorrerá no píer turístico, subdimensionado, mas no porto comercial. Os turistas desembarcarão em uma área preparada para recebê-los, e o navio vai atracar em um dos berços do porto público. Itajaí tem projeto para construir um novo píer turístico, com maior capacidade _ mas isso depende de acertos com a União para a utilização de áreas que hoje pertencem ao porto.

São Francisco do Sul aguarda sondagem

A situação é parecida em São Francisco do Sul, que recebeu ontem os módulos de um atracadouro flutuante, que facilitará o embarque e desembarque de passageiros dos navios de cruzeiro. A estrutura deve ser instalada até sexta-feira.

Gerente de Turismo de São Francisco do Sul, Jamile Douat diz que diante das limitações para receber grandes navios a prefeitura tem trabalhado para captar embarcações menores, que trazem turistas de alto poder aquisitivo. Paralelo a isso, o porto vai licitar uma sondagem da baía, para identificar possíveis novos pontos de fundeio de navios.

Como a carta náutica é antiga, a administração pretende avaliar, com esses resultados, se é possível retomar o posto na rota fixa de grandes transatlânticos.

_ É mais uma oportunidade de dar visibilidade a nossa cidade enquanto destino turístico com vocação náutica. Estamos trabalhando pela consolidação desta atividade econômica_ diz o prefeito Renato Gama Lobo.

Foto: Diógenes Pandini