“DENÚNCIA

Câmara de vereadores de Ilhéus aprova na surdina programa de trabalho para 2018 que usa 11% do fundo de cultura da cidade para o desenvolvimento de projetos evangélicos. Além da maioria dos vereadores de Ilhéus serem evangélicos, existe a suspeita que a deputada Angêla Souza também mexeu seus pauzinhos por trás. A deputada é acusada pelo Ministério Público Federal por suposta fraude em processo licitatório com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) no município de Ibitapitanga, a 340km de Salvador, somando um desvio no valor de R$ 801.788,20.
Desde que a Constituição de 1891 estabeleceu a República no Brasil, por decorrência dela foi estabelecida, sem recuos, a separação entre a Igreja e o Estado, ou seja, o Estado é laico até os dias de hoje, por isso não possui religião oficial.
A aplicação de recursos públicos em eventos religiosos viola a laicidade estatal, e com ela a própria noção de igualdade e republicanismo de nosso regime democrático ficam vulnerabilizadas. Para além disso, as igreja são resguardadas com a isenção de impostos e arrecadam mensalmente um valor substancial, não declarado, com a arrecadação do dizimo dos fiéis.
O Conselho Municipal de Cultura foi sondado e garante que já está a par do ocorrido e que entrará com os recursos legais para resolver a situação, enquanto isso, os artistas locais já começam se organizar para fazer uma frente contra esse ato anticonstitucional.
Abaixo segue a lista dos eventos evangélicos a serem financiados pelo fundo de cultura de Ilhéus:

Dia Municipal dos jovens adventistas (R$ 30.000)
Semana da Bíblia (R$ 10.000)
Cultura Evangélica (R$ 100.000)
Apoio a Marcha para Jesus (R$ 80.000)
Vem louvar verão (R$ 80.000)”
https://www.facebook.com/IlheusDaDepressao/photos/a.376294772474415.1073741832.281372865299940/1346228445481038/?type=3&theater