Nos “babas de praia” que fizeram parte da 18ª rodada da Temporada 2017 da Associação dos Veteranos de Esporte Praiano-AVEP, a equipe (Campo Grimaldo) do Capitão Paulo Gois do Bradesco venceu a do Capitão Dinho da Van pelo escore de 5 a 1. Os gols foram feitos por Mario Filho(2), Carqueija, Ralio e Dinho da Van(contra) para a vencedora e  Alex de Moises o único da perdedora. No Campo Martial houve empate de 1 a 1 entre os quadros dos capitães Alvinho e Slaibi, com gol marcado por Passos de Uruçuca para o do Cap. Alvinho, e Pescador empatou para o do Cap. Slaibi. Os juízes das partidas foram Marcos de Araújo Sá(Campo Grimaldo) e Ilmário Rocha,este com regular e aquele com boa atuação, segundo as opiniões dos olheiros de árbitros. Ambos pertencem à Liga de Futebol Ilheense.

Os jogos foram realizados domingo(5) pela manhã como de praxe na praia da Av. Soares Lopes (imediações da espaço cultural Tenda Teatro Popular de Ilhéus.

Equipe no Campo Grimaldo

(Cap. Paulo Gois do Bradesco): Rosivaldo, Geraldo da Ceplac, Correia do HSBC, Paulo Gois do Bradesco e Eduardo Japonês; Cesinha, Sena, Mario Filho, Crispa da Galera do Fla, Carqueija e Ralio

(Cap. Dinho da Van): Marcelo(Jamilton entrou no gol no intervalo), Zé Eduardo, Heckel Januário, Dinho da Van e Mario Cabeça Branca; Dilton, Souza da Polícia, Luís Humberto, Alex de Moises, Garrancho 100 anos de Praia e Alan Dias Firula

Equipes no Campo Martial

(Cap. Alvinho): Maranhão, Pedro Chama Gol, Sizinio, Alvinho e Marcondes; Passos de Uruçuca, Podão, Luís Eduardo, Adauto Negocinho e IsmarLandGol

(Cap. Slaibi): Ricardo, Torisco do HSBC, Prof. Jorge Reis, Silva e Robertão; Nilton do BB, Pescador, Slaibi, Charles II de Jequié e Duda Pantera

COMENTÁRIOS

Jogando com um ‘sistema defensivo’ totalmente aberto (obs.‘sistema’ significando não somente em referência aos quatro homens da retaguarda, mas no sentido de   equipe sincronizada, e daí todos os setores de um modo natural se ajudarem) em que em momento algum da partida houve proteção à zaga, a equipe do Cap. Dinho da Van sucumbiu fácil ao conjunto da do Cap. Paulo Gois do Bradesco. Num todo organizada a vencedora fez com que o setor defensivo jogasse muito bem e se destacasse na partida, condicionado o ataque a realizar também um bom jogo.  Some-se à desorganizada equipe perdedora, o literal abandono –se picando pro ataque– de seu capitão e zagueiro-de-meio-atacativo Dinho da Van, deste modo mais uma vez propagando a neófita posição (zagueiro ‘atacativo’) no futebol brasileiro por ele inventada. O espírito ‘atacativo’do beque estava tão evidente que não podendo fazer gol para sua equipe, fez contra,  aliás este é o segundo dele contra sua própria rede  na Temporada 2017.

No Campo Martial o jogo fora bem disputado com a equipe do Cap. Alvinho ligeiramente superior na primeira etapa, tanto assim que saíra pro intervalo vencendo de 1 a 0, embora o goleiro Maranhão já houvesse feito algumas defesas importantes.  Na 2ª o do Cap.Slaibi jogou melhor, empatou e esteve a ponto de vencer a partida.

 NOTAS

O presidente Djalma Peludo abrindo a assembleia de praxe que AVEP promove antes dos participantes se encaminharem para a praia, falou da indisciplina em campo e pediu a todos os associados presente que respeitassem o Regulamento dos Babas, pois a diretoria iria cumpri-lo rigorosamente.

Mais uma vez o Capitão Paulo Gois do Bradesco se destacou com a tarja de capitão. Atento o tempo inteiro da partida e incentivando seus atletas,pode ser considerado um exemplo a ser seguido para quem deseja usar este comando. Isso sem dizer das já manjadas preleções – com reza de Pai Nosso e tudo mais – com seus comandados, isso antes, no intervalo e depois de cada partida.

Atenção: o zagueiro Alvinho que havíamos alcunhado de Alvinho da Financeira nas edições destas Notícias, não gostou da inserção de ‘Financeira’ e, assim sendo, doravante só aparecerá o primeiro nome.

Estas foram as “notas’ e os “comentários” baseados nos observadores.

UM BREVE ESCLARECIMENTO

Vale esclarecer que desde que começamos, a título de colaboração a publicar estas Notícias no site www.r2cpress.come depois na Revista AVEP sempre procuramos conduzi-las de forma meio hilária, longe, muito longe de um modelo austero, tampouco solene, mesmo por que seria impossível reportar os “babas”, deles participando. A razão sempre foi –repito, a título de colaboração– divulgar a AVEP através desses “reencontros de amigos”, como bem dizia Jackson Lima, fundador maior desta entidade.

Essa tentativa de hilarizar os “reencontros…” com algumas palavras também se prende ao fato de se tratar de uma associação de veteranos, acreditando que nenhum associado tenha mais a pretensão de fazer carreira no futebol, e assim sem haver pretenciosos, a certeza da liberdade dos comentários postados, mesmo que algum desprovido de maior cautela venha acontecer.

Deste modo a ingerência que costumamos fazer aos nomes dos avepianos não possui outra intenção senão a da tentativa de que as Notícias da AVEP fluam de modo jocosa. E tão somente.

Em tempo: O caso do “Troféu Abacaxi” se deu parecido tempo atrás com o do tópico ‘atenção’ acima. Claro –como tudo que postamos-, se tratava de uma brincadeira, mas um dos avepianos que fora agraciado não gostara, alegando que a família havia lido no site e não ficara satisfeita.

Texto do associado Heckel Januário. Fotos dos “babas” de Marcone Almeida, diretor de Divulgação e de Prof. Jorge Reis, diretor Secretário e fotógrafo de momentos etílicos desta entidade.