Estudantes de enfermagem da FMT

O diferencial de sucesso para uma instituição de ensino superior está nos profissionais que nela atuam para a formação dos seus discentes, futuros profissionais. Neste sentido, coordenados pela professora Débora Flores, alunos do curso de Enfermagem, da Faculdade Madre Thaís (FMT), realizaram trabalho de campo na Central de Abastecimento de Ilhéus. O objetivo foi estudar os problemas relacionados à saúde pública e vigilância sanitária do ambiente, teorizar e formar hipótese de solução para aplicar a realidade encontrada.

Os estudantes, com a professora, visitaram todos os setores da Central de Abastecimento e, divididos em três grupos, cada um elegeu um problema para trabalhar teoricamente em sala de aula e laboratórios da FMT. Trata-se de uma experiência cujo objetivo é desenvolver com os estudantes um método ativo de ensino-aprendizagem a fim de capacitá-los a analisar o contexto socioeconômico e sanitário onde possam desenvolver a prática da enfermagem, identificando as necessidades de saúde da população e recursos assistenciais disponíveis da área estudada e aplicar uma tecnologia administrativa como processo de resolução de problema na área da saúde.

Pedagogia libertadora

A professora Débora Flores cita Adriana Lenho Pereira, para quem “tais práticas educativas são amplamente utilizadas na área da saúde, tanto na formação contínua dos profissionais que atuam nesta área quanto no campo da educação em saúde para a população em geral.”

Explica que a interseção destes dois campos de conhecimento humano se dá através do desenvolvimento de práticas educativas norteadas por um conjunto de representações de homem e de sociedade que se quer efetivar. “Essas representações são demonstradas através da discussão dos processos de ensino-aprendizagem utilizados nas tendências pedagógicas mais dominantes em nosso meio: a pedagogia tradicional, renovada, por condicionamento e a libertadora.”

Avalia que “a partir dos princípios, métodos e consequências ao nível individual e social de cada pedagogia apresentada, concluí que a pedagogia libertadora pode produzir melhores resultados que as demais correntes pedagógicas estudadas, por possibilitar a participação ativa do educando no processo da aprendizagem, propiciando o desenvolvimento contínuo das habilidades humanas tanto da clientela quanto dos trabalhadores da área de saúde,” conclui a professora Débora.