Foto divulgação

Foto divulgação

Com o tema “Meio Século de História da Escola São João Bosco – Dignidade e Educação, Direitos da Criança”, a Associação Brasileira para o Desenvolvimento Comunitário Human Network do Brasil (HNB), realizará no dia 7 de dezembro, homenagem à Escola Dom Bosco, da Associação Ilheense de Assistência a Menores (AIAM), que completa 51 anos de atividades em dezembro, atualmente no atendimento de 92 crianças carentes de Ilhéus. 
 
Um Happy Hour na quarta-feira (7/12), às 15h30, com representantes da sociedade civil organizada de ilhéus, amigos e a imprensa regional convidados, acontecerá na sede da Escola, km 9 da BR 415 (Ilhéus-Itabuna no Banco da Vitória, Ilhéus, para a homenagem.
 
Será apresentado um breve histórico da instituição e dos trabalhos realizados atualmente na Escola São João Bosco, que atualmente conta com a parceria do Rotary Club de Ilhéus Jorge Amado para realização de novas atividades com as crianças. Assistida pela Human Network do Brasil, a Escola funciona com a Educação Infantil, fornecida pela Secretaria de Educação do Município.
 
De acordo com a Presidente da HNB, Maria Rosa Oliveira, “Esta homenagem será um momento especial de reconhecimento pelos relevantes serviços prestados pela Escola São João Bosco, que assumimos em 2001 que, à época, oferecia abrigamento a 56 crianças e adolescentes em situação de risco e mais de 70 famílias chegaram a ser atendidas. De 2012 até hoje, a HNB oferece a manutenção para o importante atendimento às crianças carentes de Ilhéus, desta vez por, meio do convênio como Creche e Escola conveniada com a Secretaria de Educação”.
 
Para a Presidente da AIAM, Jussara Antunes, “É uma instituição privilegiada por contar com a Human Network do Brasil, para uma educação digna à essas crianças de 3 a 5 anos. Depoimentos de mães e pais nos revelam continuamente a importância da Dom Bosco na vida dessas crianças, em passar grande parte do dia delas na Escola. Eles se sentem amparados”.
 
A presidente Jussara destacou ainda o exercício e foco institucional da AIAM de resguardo de direitos das crianças como educação, diversão, convivência familiar e comunitária, pois “a criança vem sempre em primeiro lugar. Ao vermos a sociedade próxima de uma instituição como a nossa, está revelado o dever de cooperação da comunidade, em que há responsabilidade comum de todos na observância aos direitos mínimos da criança, como a liberdade, respeito e a dignidade no brincar, ferramentas para a preservação das integridades física e psíquica desta camada sensível da nossa sociedade”, afirmou
.