Desde o começo venho pesquisando, calado, só assuntando.

Se vocês não notaram, toda a argumentação do aparato do gueto do atraso, terminavam sempre em assuntos de preço de minério  de ferro, empresa do Cazaquistão, e coisas que tais.

Pois bem, o interesse é que o minério de ferro não seja exportado, pois as empresas da chamada Eurásia, estão fazendo ‘pontes’ e abrindo portas para investimentos, que se chocam diretamente com interesses dos conservadores europeus, dominados pelas ONGs ditas ambientalistas, que são apenas fachadas para a governança mundial pretendida.

A maioria das matérias e ações produzidas aqui, são encomendadas aos seus títeres e propagadores, pra serem reproduzidas lá. Para coroar essa parafernália me aparece um saltitante ‘especialista’, que passa 15 dias em Caitité, segundo eles, e fica disparando extensos relatório estatísticos e opinativos, bem ao gosto do freguês.