13/02/2014  03h02 

mônica bergamo

Mais um grupo empresarial de peso abre fogo contra o governo Dilma Rousseff nos bastidores: o Cutrale, maior produtor de suco de laranja do mundo. O conglomerado está prestes a ser “despejado” de um terminal do porto de Santos por onde exporta parte de sua produção. Pediu prorrogação de dois anos no contrato. Não foi atendido.

SOCORRO
A família Cutrale já procurou integrantes do PT e interlocutores de Lula para dizer que está com estoques de sucos abarrotados, prestes a demitir pessoas e a cortar a compra de laranjas. No mercado se fala na possibilidade de prejuízo de até US$ 200 milhões por ano. O governo foi avisado, mas não cedeu.

BOCA FECHADA
O plano da presidente Dilma Rousseff era fazer a licitação para a concessão de portos em 2013, mas o TCU (Tribunal de Contas da União) barrou até agora o processo. A Cutrale propunha ficar no terminal que ocupa até a realização da concorrência, da qual pretendia participar. Procurada, a empresa não se manifesta. A Secretaria dos Portos não deu resposta até a conclusão desta edição.

QUE SUSTO!
E Lula, que sempre foi uma espécie de “ouvidor-geral”, procurado por aqueles que têm queixa do governo Dilma, disse a interlocutores que, ainda assim, ficou surpreso com o grau de descontentamento do setor agrícola e exportador de SP. Ele sentiu a temperatura alta no jantar de Ribeirão Preto com líderes do agronegócio. “Aqui só vamos tomar pau”, chegou a dizer a outros petistas sobre a campanha de reeleição de Dilma.

AMPLIFICADOR
No mesmo jantar, empresários chegaram a dizer que o governo, querendo melhorar, acabou destruindo a gestão dos portos.