Projeto visa difusão de histórias e saberes da líder religiosa.

Mãe Ilza de Mukalê.

 O projeto “Mãe Ilza Mukalê” vai promover oito rodas de conversa para registrar e difundir a tradição oral do Candomblé Angola-Congo, a partir das histórias contadas pela líder religiosa do Terreiro de Matamba Tombenci Neto, localizado no Alto da Conquista. Até o dia próximo dia 12, estão abertas as inscrições para o preenchimento de 40 vagas para os interessados em participar dos encontros. Para isso, basta enviar e-mail para:maeilzamukale@gmail.com

Além de Mãe Ilza Mukalê, estarão presentes nas rodas de conversa alguns palestrantes que participarão dos encontros em momentos pontuais. Serão trabalhados, oralmente, diversos elementos da tradição da nação angola do candomblé, como:Histórias e lendas dos inkices; as danças; os ritmos; as músicas; a culinária; a indumentária e os adereços adotados nessa religião; conhecimentos sobre a natureza, plantas e medicina tradicional; história e atuação do Terreiro de Matamba Tombenci Neto; dentre outros temas. 

As datas dos encontros nos meses de novembro são: 17 (tarde), 19 (noite), 20 (tarde), 24 (tarde) e 27 (noite) e, em dezembro, nos dias 01 (tarde), 08 (tarde) e 15 (tarde). À tarde, o horário será das 14h00 às 18h00 e, à noite, das 19h00 às 22h00. Todos ocorrerãono Terreiro de Matamba Tombenci Neto.

O objetivo deste projeto é, além do compartilhamento das histórias e saberes de Mãe Ilza, produzir uma cartilha sobre as temáticas abordadas por ela nas rodas de conversa, a fim de oferecer conteúdo didático e contribuir para a aplicação da Lei 10.639, que visa incluir no currículo oficial da Rede de Ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira”.Também será realizado um registro audiovisual dos encontros, em formato de DVD, que acompanhará a cartilha impressa.

O projeto “Mãe Ilza Mukalê” será integrado à programação do Novembro Negro do terreiro e prevê, ainda, um festejo em memória à Zumbí dos Palmares e em comemoração à consciência negra no Brasil no dia 24 de novembro, no Terreiro. 

Esta é uma realização do Terreiro de Matamba Tombenci Neto e da Organização Gongombira de Cultura e Cidadania. Este projeto foi contemplado pelo Edital nº 07 / 2012 – Culturas Identitárias – da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.