Fonte: Folha de São Paulo.

Ex-presidente passa manhã posando com aliados que disputam prefeituras em cidades com mais de 150 mil eleitores

Organizados por ordem alfabética, políticos esperaram até três horas para tirar foto sozinhos com o petista

DE SÃO PAULO

Ainda fragilizado pelo tratamento concluído em fevereiro contra um tumor na laringe, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dedicou a manhã de ontem para fortalecer a campanha de uma centena de aliados.

Recebeu em um hotel da zona sul de São Paulo os candidatos a prefeito do PT ou apoiados pelo partido que concorrem em cidades com mais de 150 mil eleitores.

Tirou fotos com todos de uma vez e, depois, recebeu um a um para imagens que serão usadas nas campanhas.

Os candidatos esperaram até três horas para tirar a foto sozinhos com Lula. Organizados por ordem alfabética do nome da cidade, eram chamados para uma fila na porta da sala do ex-presidente.

“Foram seis horas de viagem para 30 segundos que valem um bocado”, disse Daniella Ribeiro (PP), que disputa a Prefeitura de Campina Grande (PB) com vice do PT.

Mesmo candidatos mais próximos de Lula -como Patrus Ananias, que disputa em Belo Horizonte, e o senador Humberto Costa, em Recife- vieram a São Paulo para posar ao lado do ex-presidente.

Lula não gravou declarações para o horário eleitoral, mas passou curtas mensagens de apoio a cada um.

Os candidatos relataram Lula “carinhoso”, “empolgado” e com “bom humor”, mas disseram que ele ainda está com a voz fragilizada.

A dirigentes petistas o ex-presidente se queixou de um inchaço na região do pescoço, que surgiu após o tratamento para combater o tumor. Ele também se incomoda com o efeito estético.

Na segunda, ele passará por novos exames que dirão em que medida ele poderá participar da campanha.

Apesar de muitos candidatos terem dito ontem que esperam uma visita de Lula até outubro, no sábado, o petista disse que deve centrar seus esforços nas candidaturas de Luiz Marinho, em São Bernardo do Campo, e de Fernando Haddad, em São Paulo.

Às vésperas do julgamento do mensalão, o deputado João Paulo Cunha, que concorre em Osasco pelo PT e é réu na ação, não compareceu à sessão de fotos nem explicou sua ausência ao partido.