Charles do Carmo: #DevolveGrampinho

por Charles do Carmo, em O Recôncavosugestão de Carlos

O Deputado ACM Neto apresentou duas emendas ao orçamento da União no ano de 2011 para o município de Cruz das Almas. Depois, alegando que os recursos seriam perdidos, relocou os recursos para outra cidade.

Tudo passaria despercebido. Entretanto, em ofício, o deputado culpou a Prefeitura de Cruz das Almas e afirmou que os gestores do município foram inertes e agiram com desídia, e, por isso, as emendas não foram concretizadas. E este ato mudou os rumos dos acontecimentos.

Ocorre que, ao contrário do que afirmou o deputado, a Prefeitura de Cruz das Almas efetuou o cadastrado dos requerimentos para os convênios relativos às emendas do deputado. Entretanto, as emendas foram relocadas e transferidas para outra cidade, numa iniciativa do próprio deputado ACM Neto, como ele afirma em seu ofício.

O primeiro convênio, de número de proposta 074016/2011, destinado ao Ministério do Esporte, serviria para custear parte da reforma do Estádio Municipal de Cruz das Almas. Com valor global de R$332.610,00, a prefeitura entraria com a contrapartida de R$32.610,00. Este convênio foi devidamente cadastrado no SICONV no dia 13/12/2011, quando o prazo final era o dia 20/12/2011.

O segundo, de número de proposta 075142/2011, destinado ao Ministério das Cidades, serviria para custear parte da pavimentação do Bairro Primavera. Com valor global de R$146.950,00, a prefeitura daria como contrapartida o valor de R$14.950,00. Este segundo convênio foi também cadastrado no SICONV no dia 15/12/2011, portanto, cinco dias antes do prazo final (20/12/2011).

Como a primeira versão de que a prefeitura tinha sido omissa foi amplamente divulgada pelos correligionários do deputado ACM Neto nas redes sociais e nas rádios da cidade, o fato acabou por jogar os holofotes na retirada da emenda do deputado. Além disso, a acusação à prefeitura causou a ira do Secretário Municipal de Infraestrutura, Humberto Brandão, que, de posse dos documentos, não tardou a desmontar a versão apresentada, e acusou o deputado ACM Neto de “dar com uma mão e tirar com a outra”.

Agora, os documentos do SINCONV, que comprovam que a prefeitura deu entrada nos pedidos, circulam de mão em mão na imprensa e ainda nas redes sociais, aonde em tom de galhofa, um internauta lançou a campanha #DevolveGrampinho, numa alusão sarcástica ao episódio dos grampos ilegais de políticos e desafetos do falecido senador Antônio Carlos Magalhães, avô do deputado.

O Recôncavo conferiu os dois documentos e averiguou a autenticidade de ambos. De fato, a Prefeitura de Cruz das Almas deu entrada no sistema, como exige a lei, em tempo hábil, apresentando as planilhas de custo das obras.

ACM Neto, que apresentou a emenda e depois a relocou para outra cidade, agora ficou em uma tremenda “saia justa”.

O que se pergunta é que cidade teria recebido os recursos que iriam para Cruz das Almas, mas foram relocados pelo deputado.