Paulo Mourão
JP 3.071 FENAJ
 A retomada de 250 mil postos de trabalho na região cacaueira do Sul da Bahia, no prazo de cinco anos, é o objetivo do Ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro, que chega a Ilhéus em abril próximo. O anúncio partiu do economista, Eduardo Thadeu Dominguez, representante da CEPLAC na Conferência Municipal do Meio Ambiente de Ilhéus. Eduardo Thadeu é coordenador de Desenvolvimento Regional da Ceplac. Aberta na manhã de hoje, no Hotel Barravento, com maciça participação popular, a conferência foi palco para palestras e debates que discutiram desde a produção sustentável até demandas por saneamento básico com a visão principal de preservação, manejo e uso dos recursos hídricos. Promovida pela Secretaria do Meio Ambiente de Ilhéus, a conferência tem cinco eixos principais.

Linhas mestras
O primeiro deles, a preservação e conservação dos recursos naturais. O segundo, o controle e a sustentabilidade ambiental. O terceiro, as melhorias de gestão e acesso aos recursos hídricos. Por fim, a ampliação da oferta dos serviços de saneamento básico e a elevação da capacidade institucional para o estabelecimento de sistemas.  O secretário de Meio Ambiente de Ilhéus, Harildom Ferreira, destacou: “queremos deixar planos e metas que superem nossa presença no governo”. Ressaltou a importancia da participação da sociedade civíl organizada e informou que uma das metas importantes para a Secretaria é a fixação e destinação de 5% do orçamento do município para a pasta de Meio Ambiente.
Novos conceitos
Uma equipe de jornalistas americanos chegou hoje a Ilhéus para produção de documentário sobre o “Sistema Cabruca de Produção”. Segundo o coordenador de Desenvolvimento Regional da CEPLAC, Eduardo Thadeu,  o Ministério da Agricultura reconheceu e conseguiu transformar a CONSERVAÇÃO PRODUTIVA em uma das principais pautas da Conferência Mundial do Meio Ambiente,  Rio+20. O modelo de produção é executado há mais de 200 anos nas regiões cacaueiras do Sul da Bahia. Adiantou também  a chegada da 1ª Missão do Banco Mundial a Bahia, em abril e, na primeira semana de maio, 150 jornalistas internacionais internacionais se reúnem em Ilhéus para conhecer o sistema Cabruca.
Importancia
Hoje, segundo o representante da Ceplac, a Bahia é a quinta economia do País e abriga a 6ª população mais miserável do Brasil. São 2,5 milhões de pessoas que vivem com menos de R$ 70,00 por mês per capta. Investir na divulgação e fortalecimento do Sistema Cabruca de Produção, segundo disse, é agregar valor a produção local. Evidenciar a riqueza ambiental e a preservação. O objetivo é dar valor ao cacau e que ele não esteja submetido, DEIXANDO DE SER COMODITIE,  as cotações do exterior mas sim, oferecido como produto que faça parte da “Economia Verde com a erradicação da pobreza”. Esse será um dos pontos apresentados pelo governo brasileiro durante a Rio + 20.
Selo verde
Estudos apresentados apontam: em apenas um hectare de mata atlântica, dentro do sistema cabruca de produção, foram catalogadas 270 espécies de mamíferos, 372 de anfíbios, 197 espécies de répteis, 849 espécies de aves, 2.120 espéceis de borboletas, 454 espécies de árvores.
Mesa
Representando o prefeito de Ilhéus, o presidente da Fundação Maramata, Antonio Olímpio Rhem, cobrou a participação da Associação dos Municípios da Região Cacaueira AMURC,  na Conferência. Segundo ele, só atraves de uma ação conjunta, envolvendo os 22 municípios da região leste, será possível recuperar as cinco bacias hidrográficas existentes.Hoje a poluição atinge todas elas – reforçou. Em sua avaliação, se o trabalho for realizado com afinco, em 10 anos, os rios e bacias estarão recuperados.
O  presidente da Federação das Associações dos Moradores de Ilhéus – Fami, Cid Póvoas, fortaleceu a importancia da mobilização e conscentização popular: “precisamos ver os problemas, apresentar sugestões e cobrar a soluções. A sociedade civil tem independencia e precisa ficscalizar o Poder Público”.