Sarrafo,

Para pensarmos um pouco além.

Eu ainda não vi a imprensa baiana questionar o seguinte: Prisco esteve nas greves de outros estados e Daciolo, o bombeiro do Rio, foi à Bahia conversar com ele. Ora, a Segurança Pública do Rio, é improvável que não tenha Daciolo sob observação, visto ter sido ele o líder da greve dos bombeiros carioca no ano passado. Há, também, um outro aspecto, a SSPRJ, através de seu serviço de inteligência, investigações de policiais e bombeiros envolvidos em mílicias. Não estou falando que Daciolo é miliciano, mas o simples fato de ele ter liderado toda aquela situação e, sendo militar, é improvável que ele não tenha os passos vigiados pela própria polícia.

Outro aspecto, Prisco, como bem divulgado, está ligado a partido político contrário ao governador e é visível o envolvimento para de alguns da oposição no episódio. Fica visível, também, a maneira titubeante como o governador reagiu a esta situação. Foi traído pelo comando da PM? O serviço de inteligência da PM baiana é pífio? O governador não levou a sério as ameaças do motim, além da insatisfação como divulgado, da PM por não receber estas tão falados gratificações?

Outra questão: A greve não deflagrou no Rio e o curioso: Para o Rio, o governo federal disponibilizou catorze mil homens e mais a Força Nacional. Na Bahia, não chegaram a cinco mil homens e os homicídios não foram contidos, com mais de cento e cinquenta mortos.

Qual o interesse de grupos de fora do estado que tem o maior carnaval do mundo em prejudicar o estado dentro do período momesmo? Ora, aproveitando da insatisfação por falhas do governo na Segurança Pública, oposição e grupos de fora tentaram derrubar o carnaval baiano que, curiosamente, contraria, os interesses de muita gente no outro estado, sobretudo quem transmite o carnaval carioca.

Ontem, no episódio da greve carioca, era notável o que se falava na CBN, com Lújcia Hipólito e o que se falava na Band News. Não é que Boechat seja isento, ele é tão cri cri quanto a Hipólito, mas o fato é que, a BN divulgava o que os ouvintes diziam. A CBN fazia isto e desconstuía o que os ouvintes diziam e a âncora afirmava que o estado estava na sua normalidade. Foi de nove e trinta ao meio dia neste lenga-lenga.

Não iria e jamais prejudicaria o carnaval carioca, a greve foi deflagrada por grupos de fora do estado que encontram na oposição e idiotas úteis como Prisco e mais a insatisfação da própria PM por não pagamento das gratificações, o mote para fazer a greve. O tempo inteiro tentaram prejudicar não o carnaval apenas, mas a própria economia baiana, pois foram, oposição e grupos de fora, em cima do ponto fraco do governo Wagner, que todos sabem que deixam a desejar.

Chama atenção uma coisa, a imprensa sudestina e o que se divulgava, não deixa de chamar a atenção o seguinte: Qualquer liderança nordestina de esquerda que se levante será derrubada, é só pegar idiotas úteis como Prisco, juntar a oposição, pontos falhos do governo e a coisa está pronta para ser derrubada.

Mas não há dúvida de que isto acontece por conta da falta de ação nestes momentos e isto ficou visível no governo, é como se estivesse acuado. Wagner pagou um preço alto por isto. Imaginei que ele não se elegeria nem mais para síndico, mas depois, por convicção, vi que não era isto. Mas ele precisa agir com mais eficiência na Segurança Pública Baiana, está vergonhosa, pois nesta situação, quase destroem a economia, o carnaval e o estado baiano.

É preciso pensar um pouco mais sobre as informações da Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro, através do seu serviço de inteligência, as intenções políticas cabralinas, as intenções do carnaval para a Globo, as intenções do carlismo, retransmissora do carnaval carioca no estado e do próprio campeonato carioca. Aliás, emissora dos Magalhães nem o Campeonato Baiano transmite, mas o Carioca.

E vai aqui uma observação, nada contra o povo carioca, há muita gente simpática por aqui, mas é preciso olhar além em quem forma os grupos de interesses políticos e comerciais no estado que hoje andam de mãos dadas. Além de interesses de grupos da oposição baiana. A pergunta é: Precisa de tudo isto, ou seja, acuar a população, matar, amedrontar por conta dos interesses de alguns dentro da Bahia e dos interesses de fora?

Governador, sua falha foi não agir e trabalhar com previsão, imaginando que todo mundo tem boa vontade? Você sabe que não é assim, infelizmente. As razões políticas estão sempre por traz destas situações e sua falha ajudaram concomitantemente nisto, infelizmente. Mas os grupos de interesses de fora e os próprios baianos que se levantaram contra a própria Bahia, deveriam pensar um pouco mais nisto.