WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
embasa

:: abr/2011

O POVO BRASILEIRO E O PT

Por Josias Gomes Josias-gabinete 33

Há um sentimento da população brasileira, com relação ao PT, que a mais recente pesquisa DataFolha conseguiu captar com precisão: em todas as faixas de renda da sociedade o partido é o preferido. Mas, é na nova classe média, que ascendeu a essa condição durante os oito anos do governo Lula onde esse sentimento é ainda mais forte. Justamente a classe que o ex-presidente FHC pretende que os seus colegas tucanos busquem melhorar a imagem. Convenhamos, uma tarefa bastante difícil, como mostram os dados da Folha.

A ascensão de amplas faixas da pobreza à classe média não se deu por acaso, e o brasileiro sabe muito bem disso. Ela aconteceu por conta, principalmente, de dois fatores: o estancamento da corrida neoliberal escancarada do governo do PSDB, que privatizou empresas nacionais a três por quatro, no país; e, também, pelas políticas de distribuição de renda amplamente praticadas pelo governo Lula (mesmo sob ataques furibundos de tucanos e demistas), que garantiu poder de compra a faixas da população antes mergulhadas na pobreza.

Definitivamente, essas políticas significaram uma ruptura clara, e correta, com todo o passado da política brasileira, seja em determinação seja em alcance. Empresas como a Petrobrás, o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal, o BNB, entre outras, melhoraram a gestão, cresceram em importância, e, continuaram aplicando os seus lucros no desenvolvimento do país e de sua gente, o que é mais importante. Quem entre os tucanos e demistas consegue mais esconder o desejo que tinham em privatizar essas empresas, e que continuam tendo?

Ao mesmo tempo, o governo do PT ampliou as políticas de redistribuição de renda beneficiando os mais pobres, e, justamente, promovendo essas faixas da população à classe média. Quem dentre os tucanos e os demistas há de negar as tremendas críticas que, durante os oito anos de Lula, desfecharam contra essa ampliação e esse alcance das políticas de redistribuição de renda, timidamente ensaiadas, e devidamente contidas (algo, assim, para inglês ver!), no governo FHC? Foi a ascensão dos pobres que garantiu o desenvolvimento do país e a superação de uma grave crise internacional que passou pelo Brasil não como uma tsunami, como queriam os adversários do governo petista, mas, como uma marolinha, como previu acertadamente o presidente Lula.

Não adiantam as lamentações tucanas e demistas, nem as referências a uma suposta continuidade do governo Lula, com relação ao governo FHC: desde 2003, com a ascensão do PT e seus aliados, houve uma ruptura clara e insofismável com a política econômica interna anterior, o que garantiu a melhoria de vida a parcelas as mais amplas da população brasileira. E é esse povo, pretendido pelo ex-FHC, que, dotado de perfeita memória, e evidente gratidão, revela sua preferência pelo PT, segundo os dados do DataFolha. O que nos dá a certeza de que essas políticas tereão continuidade, por tão evidente apoio popular, até que o Brasil supere, definitivamente, as péssimas condições de desenvolvimento que herdamos de séculos de dominação de uma política uniformemente dedicada ao bem estar das elites.

BAHIA MINERAÇÃO E SENAI QUALIFICAM CERCA DE 7 MIL PESSOAS NA BAHIA

Será realizada a partir das 9 horas de 26 deste mês, em Ilhéus, no centro de convenções, a aula inaugural do Programa Mina de Talentos, uma parceria da Bahia Mineração, com o Senai.

O objetivo é qualificar profissionalmente 6 mil e 500 pessoas que residem em cidades do sudoeste e do litoral sul da Bahia para atuar nas fases de construção e operação do projeto Pedra de Ferro.

Ainda em fase de implantação, o projeto Pedra de Ferro envolve a construção de mina, que vai produzir 19,5 milhões de toneladas de minério de ferro por ano e de usina de beneficiamento desse minério, ambas em Caetité, além de terminal portuário de uso privativo da empresa, a ser construído em Ilhéus. Para viabilizar o programa Mina de Talentos, foram criados centros de formação em cidades localizadas na área de abrangência do projeto, a exemplo de Caetité, Guanambi, Malhada, Pindaí e Ilhéus.

O vice-presidente executivo da Bahia Mineração, Clóvis Torres, a empresa pretende se tornar uma das mineradoras mais modernas do mundo, podendo transformar a Bahia no terceiro maior produtor de minério de ferro do Brasil.

Torres afirma que o Brasil vive uma fase de crescimento, mas há carência de mão de obra qualificada.“O Mina de Talentos surge para garantir condições de contratar a mão de obra local. Queremos construir uma sociedade economicamente sustentável no interior do estado”.

O gerente-regional do Senai para o sul e Sudoeste da Bahia, Jurandir Hendler, disse que o Mina de Talentos já pode ser considerado o maior programa de qualificação profissional realizado pela iniciativa privada na Bahia, neste início de década. “Além disso, o programa não chama atenção apenas pela quantidade de pessoas que serão capacitadas, mas principalmente pelo investimento, que será de R$ 16,7 milhões até 2013”.

O EMBATE DO ANO – DILMA VERSUS ‘GUETO DO ATRASO’.

Enquanto Dilma Presidenta, luta para erradicar a pobreza.

O ‘gueto do atraso’ luta para preservá-la.

Quer que as marisqueiras continuem catando conchinhas.

Marisqueira

Os pescadores artesanais, pescando piaba nas suas canoinhas.

Pescador e sua canoinha.

Os pequenos agricultores vendendo jabuticaba, nos tabuleiros nas ruas de Ilhéus.

Os artesões tirando madeira na Mata Atlântica para seus entalhes e esculturas, e a comunidade lenha para seus fogões.

Lenha pra meu fogão.

A juventude coitada, com o olhar perdido, adivinhando qual será o seu futuro.

E assim, os abastados transformando a área em seu playground, podem facilmente manipular a população carente e vulnerável.

A HEROICA PESCA DO BACALHAU.

CLIQUE EM MENU E DEPOIS EM VIEW FULLSCREEN

EDITORIAL DO JORNAL BAHIA ON LINE.

Editorial: o deputado ou o coronel?

Deputado Santana, exemplo de um parlamentar sem noção. Pobre de quem votou nele.

Esperava-se uma postura mais polida do deputado-coronel Gilberto Santana ao falar sobre sua proposta de tomar de Ilhéus para Itabuna o bairro universitário do Salobrinho. E não apostem tanto que o seu real objetivo seja o de ajudar o povo sofrido daquele bairro. Nem o seu repentino interesse pela mudança de poder do centro-pensante da região, a Universidade Estadual de Santa Cruz. O objetivo mira nas cifras em impostos que envolvem os dois supermercados. Além, obviamente, de querer subir no palanque já visando as eleições itabunenses de 2012.

Ao agir de forma truculenta contra o sentimento do povo de Ilhéus que ajudou a elegê-lo, o deputado-coronel apresenta-se mais como coronel do que como deputado. Pensa que ainda exercita o seu poder do comando dos quartéis e vê em cada um dos seus eleitores um soldado-raso que tem por obrigação bater-lhe continência. Não é mais assim. Os tempos mudaram. Tanto que, pelo processo livre e democrático, muitos o escolheram nas urnas. Mas, todos, certamente, lhe deram o poder de debater, ao invés de impor. De ouvir e não só falar.

Que ironia a do nobre coronel. Ele que destaca em suas palavras o fato de os dois supermercados estarem “a 800 metros de Itabuna e a 22 quilômetros de Ilhéus” resolveu escolher a cidade mais distante para avaliar a qualidade da gestão pública. Não viu o que, de fato, está diante dos seus próprios olhos. Não enxergou que, ali, muito mais próximo, talvez antes mesmo que os 800 metros que separam os supermercados das primeiras casas de Itabuna, a incapacidade administrativa do Nilton de lá não se pareça tão diferente da inoperância alardeada por ele próprio sobre o Newton de cá.

Bastava ir aos bairros de Itabuna, cidade que sonha em administrar, ouvir a população a respeito dos serviços essenciais oferecidos pelo governo que ele próprio apóia. Saber como andam a saúde, a educação, os serviços de coleta de lixo, o saneamento básico, por exemplo, e perguntar se os moradores do bairro de Fátima e de tantos outros não gostariam também de mudar de cidade. Ou estaria o abandono do Salobrinho diferente do abandono do Pontalzinho?

Se há algo que hoje ainda aproxima as duas cidades mais importantes da região é a miséria estabelecida ao longo dos anos, desde os tempos da ditadura – que tantos que hoje se apresentam como democráticos defenderam -, até a falta de vontade ou de interesse dos mais recentes personagens eleitos democraticamente para promover a transformação que a sociedade sempre tanto almejou.

O deputado-coronel precisa rever seus conceitos. Se o objetivo era dar um outro rumo a um mandato até então perdido e apagado e trazê-lo para os holofotes com um debate mesquinho da divisão, do preconceito e da discórdia, ele até conseguiu.

Mas é preciso que saiba que não precisava “viajar” 22 quilômetros para encontrar tanto descaso com o povo. Bastava ir ao início da rodovia Itabuna-Ilhéus para ver, com os seus próprios olhos, que a incompetência é generalizada. Mas é uma ferida que não se consegue cicatrizar com um ato imposto, um gesto arrogante ou uma medida intempestiva.

Todo esse caos, deputado – que não é só de Ilhéus e precisa ser combatida com grandeza em todos os cantos desta Nação -, é fruto de uma praga gerada muitas vezes por eleitores que ainda não aprenderam a votar e trocam o respeito por 10 ou 20 reais no dia da eleição. Acham que foram comprados por um dia. Mas a compra vale, no mínimo, por quatro anos.

OPINIÃO E CONSELHO DE LULA.

NOTÍCIA TRISTE – DIRETO DE PORTUGAL.

Irmão de Paulo Paraíso

Luisaldo Barreto

Faleceu Ernesto Paraíso
Por Redacção A BOLA

23:18 – 21-04-2011

Faleceu Ernesto Paraíso, o primeiro futebolista brasileiro a jogar em Portugal  no Vitória de Guimarães.

O antigo avançado chegou em 1955 e vestiu a camisola do clube minhoto durante sete anos, tendo depois desempenhado funções de treinador e dirigente. Gostou tanto de Guimarães que acabou por se radicar na cidade.

Tinha 79 anos e morreu de doença súbita.

MPF CONTRA, DEPUTADOS A FAVOR

Politica Et Cetera.

Pelo menos três deputados – dois federais e um estadual – se manifestaram contra a ação do Ministério Público Federal, que tenta barrar a primeira etapa das obras da Ferrovia Oeste-Leste, sob o argumento de que seria insensato dar andamento a essa obra sem a certeza de que ela terá um ponto final. Ou seja, sem saber se o terminal marítimo da Bahia Mineração e o porto público, ambos em Ilhéus, serão autorizados pelo Ibama.

Tanto os deputados federais Nelson Pelegrino (PT) e Luiz Argôlo (PP), quanto o estadual Augusto Castro (PSDB), usaram o mesmo argumento para criticar o posicionamento do MPF. Segundo eles, com a mudança da área do porto para a região de Aritaguá, é improvável que o Ibama deixe de conceder a licença.

A transferência do projeto para Aritaguá visou reduzir o impacto ambiental, que seria maior na Ponta da Tulha em função da existência de remanecentes da Mata Atlântica em regeneração. Em Aritaguá, área onde grande parte da floresta já deu lugar a pastos e cabrucas, a situação é diferente.

Argôlo defende mais diálogo e lembra a importância do Complexo Intermodal para o desenvolvimento da Bahia e do Nordeste.

Diagnosticado: Síndrome de Napoleão

Brincando de Napoleão.

Mal assessorado ou mal intencionado, sabe-se lá, o coronel, deputado Gilberto Santana, inventou um factoide certo de que isso pode render votos ao seu projeto de prefeito em Itabuna. A ideia mirabolante é tomar grande parte do território de Ilhéus estendendo a fronteira para logo depois da UESC (sentido Itabuna/Ilhéus), da noite para o dia seria de Itabuna não somente os dois hipermercados, como também a CEPLAC, UESC, Salobrinho, seus habitantes, bichos, rios e florestas.

De tão hilário, pode-se até imaginar uma reunião do deputado com sua assessoria como em uma cena do famoso desenho animado dos anos noventa “Pink e Cérebro”, em que um dos personagens fricciona as mãos e diz: “Qual a ideia genial para dominarmos o mundo hoje chefe?”, no que o chefe dana a apresentar suas ideias mirabolantes que nunca dão certo.

O Coronel Deputado faz parte de uma comissão da Assembleia Legislativa do Estado encarregada de resolver exatamente problemas de litígios territoriais entre as cidades baianas, ao inventar esse factoide mirabolante ele abre mão da condição de juiz e torna-se parte, o que o descredencia completamente para permanecer na comissão. Nesse caso, paira sob o deputado uma suspeição, ele já tomou lado antes de concluir os trabalhos.

Não seria necessário lembrar que o Coronel Deputado tem uma longa história de serviços prestados às causas do autoritarismo e da ditadura, essa lembrança me veio à memória quando ouvi a sua entrevista no programa de Gil Gomes, o estilo trator que brinda jornalistas e oponentes com a grossura habitualmente dispensada ao tratamento da tropa, transparece um homem autoritário e grosseiro. Os novos tempos de democracia e diálogo deixam o Coronel assim como um peixe fora d’água.

Como uma lembrança puxa outra… Vamos a um acontecimento que ilustra bem a concepção de democracia do coronel, quando em dois mil, protagonizou uma das páginas mais tristes da história recente, comandando o massacre a milhares de índios em Porto Seguro exatamente durante as festas dos quinhentos anos do descobrimento do Brasil. A repercussão negativa internacional foi avassaladora para a imagem do Brasil. O Coronel entrou para história como algoz.

De tão esdrúxula a ideia de tomar de Ilhéus o que a Ilhéus pertence, a tese não tem o menor apoio nem mesmos entre os itabunenses, as pessoas de bem e a sociedade regional repudiam qualquer coisa que signifique usurpar a propriedade alheia. Creio inclusive que essa é a formação do deputado, reconhecidamente um homem honesto (apesar de autoritário), afinal, quando ainda coronel prendeu inúmeros meliantes na condição de usurpadores do alheio.

Todavia, quero deixar claro que se por um acaso inaceitável, repito: inaceitável, a população do Salobrinho for consultada a optar, não tenho a menor dúvida, senhor Coronel, a opção será francamente majoritária a Ilhéus, afinal quem nasce ou vira ilheense não troca isso aqui por nada.

A psicologia explica fácil sua “Síndrome de Napoleão”, é sequela de uma  “invejite aguda”, afinal viver em Ilhéus e poder ser um ilheense é opção somente para escolhidos, o Coronel deu azar de não nascer em Ilhéus, e nem a vida lhe proporcionou a oportunidade de aqui viver ou trabalhar.

Para acabar com a conversa, senhor Coronel, quero te dizer uma coisa de homem para homem: para nós ilheenses não existem fronteiras, é o contrário, Itabuna que nos pertence, Itabuna está em nossos corações, é filha de nosso solo, é gente de nossa gente, é sangue do nosso sangue.

Itabuna e Ilhéus serão em breve uma grande metrópole,  cidades conurbadas, o mesmo povo o mesmo destino e isso não tem Coronel valentão que acabe. No demais, é coisa de político iniciante, logo, logo a ficha cai e a vida segue.

Como diria meu amigo Pedro Matos: “As fronteiras só existem nas cabeças dos egoístas”.

Gerson Marques

FESTIVAL DA TILÁPIA.

Tilápia em Destaque

Peixe é estrela em festival gastronômico da Bahia

De 19 de abril a 9 de maio, a Bahia é anfitriã do Festival da Tilápia. Promovido pela Bahia Pesca, empresa ligada à Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), em parceria com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) com apoio do Sebrae, o festival reúne 28 restaurantes em Salvador, Camaçari e Ilhéus que criaram pratos específicos para o projeto.

Este é o segundo ano do festival. Com carne branca e de sabor suave, restaurantes como Mar Aberto (Ilhéus) Porto Brasil, Ki Mukeka (Salvador e Camaçari), Jerimum, Mercado Bar, Baby Beef, All Saints, Pampas Steak, Sushi Deli, Donana, Deli & Cia, Caranguejo de Sergipe, Oliva Gourmet, Spaguetti Lilás e Gibão de Couro apresentam receitas com o peixe assado, grelhado e cozido.

Participante do festival no ano passado, o Ki Mukeka, que este ano serve o filé de Tilápia ao Chef, colhe os louros do prato apresentado no ano passado. A moqueca de tilápia, ainda hoje é um dos pratos mais pedidos no restaurante.

:: LEIA MAIS »

VOCÊ JÁ BEBEU LEITE DE PORQUETE?

Soltou o leite por todas as tetas. Clique e amplie.

Pois é minha gente, soube a poucos instantes, que uma porquete (mistura de porquinho com piriguete), esteve pelas bandas da Avenida Roberto Santos, e diante da possibilidade de ser ‘premiada’, soltou o leite por todas as tetas.

Soltou tanto leite, que vai dar para fazer coalhada, iogurte, queijo, manteiga e até distribuir nas creches da Secretaria de Assistência Social de Ilhéus.

ESPAÇO DO LEITOR – SOLIDARIEDADE.

ESTA MULHER FOI PRESA POR ROUBAR UM REMÉDIO,
ENTRE NESTA CAMPANHA, DIVULGUE, AJUDE A FAMILIA DE D. MARIA SOLANGE.
Conheça a história, acesse os sites, www.atribunabahia.com.br e no google, veja mais fotos e a real miséria em que vive esta família de Ilhéus,  que até o presente momento NUNCA recebeu a visita da Secretaria Social, nem esta cadastrada em qualquer programa de assitencial. 

ESTAMOS REFORMANDO SUA CASA, PRECISAMOS DE MATERIAL DE CONSTRUÇÃO, MÓVEIS NOVOS OU USADOS, ALIMENTOS E ROUPAS E REMÉDIOS. FAÇA CONTATO COM 73-8868 7107.

Obrigado fica com  Deus.

lucinéa Cerqueira

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
abril 2011
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia