Repovoamento de caranguejos.

 

Manguezal recebe mais 1,5 milhão caranguejos

Estudantes, professores, marisqueiros e vários outros segmentos da comunidade participaram hoje, terça-feira (27), do repovoamento de um milhão e quinhentos mil megalopas (pequenos caranguejos na segunda fase de desenvolvimento, medindo apenas meio centímetro) no manguezal de Porto de Acupe, distrito de Santo Amaro da Purificação.

A iniciativa é da Bahia Pesca, empresa vinculada à Seagri, e faz parte  do projeto Puçá-Programa Integrado de Manejo e Gerenciamento do Caranguejo-uçá. As megalopas são cultivadas no laboratório da Bahia Pesca na Fazenda Oruabo em Santo Amaro, onde a comitiva também visitou e recebeu informações sobre os trabalhos desenvolvidos naquele local.

O principal objetivo do repovoamento é a defesa do meio ambiente já que “eles crescem, se tornam reprodutores, mantendo o ciclo e conseqüentemente o equilíbrio ambiental” explica o presidente da Bahia Pesca Isaac Albagli. Ele lembra que em 1997 a DLC- Doença Letárgica do Caranguejo matou milhões destes crustáceos em vários estados do Brasil.

“Porém  o que mais dizima é o ser humano, que captura sem os critérios determinados pelos órgãos ambientais, desmata e polui os manguezais” , acrescenta o gerente da Fazenda Oruabo, Jerônimo Souza Filho . Ele destaca que a Bahia Pesca promove palestras orientando a população a preservar o meio ambiente, não capturar caranguejos com tamanho inferior a cinco centímetros, fêmeas ovadas ou no período das andadas. A cada ano o crustáceo cresce apenas um centímetro.

O primeiro repovoamento promovido pela Bahia Pesca foi em 2007 no manguezal de Acupe. Os resultados já são visíveis atualmente, é o que relata a marisqueira (catadora de caranguejo) Vera Lúcia Bispo, 30 anos: “Cato caranguejo desde criança. Antes existiam muitos, depois desapareceram. Agora, depois do repovoamento, estão voltando”. Ela diz ainda que os catadores estão se conscientizando com relação à  preservação ambiental.