Empresários conhecem projeto da Secretaria de Comunicação da Bahia.

Robinson Almeida - Secretário de Comunicação.

O  assessor-geral de Comunicação, Robinson Almeida, apresentou a empresários do setor de comunicação da Bahia, os detalhes do projeto de lei, em tramitação na Assembléia Legislativa, que cria a Secretaria de Comunicação do Estado. O encontro foi realizado em Salvador, e reuniu representantes dos segmentos de jornais, sites e blogs, rádio, TV e agências de propaganda.

A nova secretaria tem como objetivo propor, coordenar e executar a política de comunicação social do governo e será formada pela assessoria de imprensa do governador, assessoria de elaboração de políticas públicas de comunicação, uma coordenação integrada que cuidará da publicidade, internet e eventos, uma coordenação de jornalismo, estruturas administrativas e um órgão consultivo, que é o Conselho Estadual de Comunicação Social.

De acordo com Robinson Almeida, as mudanças atendem a uma reivindicação da sociedade baiana apresentada durante as Conferências de Comunicação realizadas na Bahia. “A Comunicação é uma atividade importante que movimenta bilhões de reais, gera milhares de empregos e vai ter nessa nova estrutura do estado um apoio para promoção incentivo e valorização”.

Entre as funções da nova secretaria está a de garantir o direito a informação. “A nova estrutura vai tratar a informação como serviço. A sociedade tem direito de estar bem informada e o governo, a responsabilidade de colaborar para que essa informação de qualidade chegue na ponta. Então, a secretaria vai ser uma indutora na produção de políticas públicas de Comunicação, seja para fortalecer o mercado, seja para ampliar a cidadania levando informação de qualidade para as pessoas”, disse Almeida.

Conselho

Também foi destacado o papel inovador do Conselho Estadual de Comunicação. “Nós vamos fazer política de comunicação de forma democrática, com a participação da sociedade. O Conselho vai ser um órgão auxiliar da secretaria com a representação de todos os segmentos da sociedade, empresarial, social e acadêmica para poder elaborar junto com o governo políticas públicas de Comunicação”, explicou Almeida.