WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


ESPAÇO DO LEITOR – IGUAÍ

RONY MOITINHO EX-PRESIDENTE DA CÂMARA DE VEREADORES DE IGUAÍ REBAIXOU A CÂMARA A UM BALCÃO DE NEGÓCIOS

O prefeito cassado de Iguaí, Rony Moitinho, “não apenas se apropriou dos recursos municipais, como rebaixou a Câmara Municipal de Iguaí a sede do bando criminoso. Além de ter instalado ali seus comparsas, administrou os bens e funcionários da casa a seu talante”

MAR DE LAMA EM IGUAÍ

Deverá ser julgado no dia 12 de abril

No dia 12 de abril do corrente ano, vai acontecer o julgamento da Ação Civil Pública por Ato de Improbidade Administrativa proposta pelo Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA) em face de Ronaldo Moitinho dos Santos (atual prefeito cassado de Iguaí, governando o município por meio de liminar), Ranulfo José Moreira (atual presidente da Câmara de Vereadores de Iguaí), Magna Roselei Miranda Chaves (esposa de Rony Moitinho, prefeito cassado), entre outros, pela razão do esquema meio de corrupção e fraude montado pelo então presidente da Câmara de Vereadores de Iguaí (o Rony) envolvendo recursos públicos.

Os promotores analisaram todos os processos de pagamentos feito em os anos de 2002 a 2004, desnudando um terrível esquema de corrupção e fraude arraigado na Câmara de Municipal de Iguaí com participação direta de agentes políticos e particulares.

As fraudes ao erário, segundo o Ministério Público, foram nos processos de pagamento da Câmara com empenhos a empresas fantasmas, apresentação de notas fiscais falsas, emissão e depósitos de cheques da Câmara em contas particulares do ex-presidente e de sua companheira e troca de favores entre empresas e agentes políticos. Além dos já citados acimas, os demais acusados são: José Alberto de Lima Filho (advogado), Erick Fabiano Assis (contador), César Rômulo Assis (administrador), Klaus Robert Assis, César Rodrigues Assis (advogado), Lourival Nunes Filho (empresário) e Gesse Maris Moura (esposa de Lourival).

Nem mesmo a denúncia e conseqüente instauração de inquérito civil no ano de 2005 pelo MP-BA, travaram as práticas criminosas de putrefação, lapidação de desvio recursos públicos.

O MP-BA afirma que todos favorecidos com o esquema violaram as regras da probidade administrativa, cometendo ainda crime de peculato, corrupção passiva e ativa, falsificação de documento público, formação de quadrilha e sonegação fiscal.

De acordo com a Ação, “as fraudes nos processos foram de tal modo elaboradas, que passaram despercebidas dos técnicos do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia”. Tudo organizado pelos agentes políticos e os privados, por meio das empresas Assis Consultoria e Assessoria Municipal S/C, que apresentou inúmeras notas fiscais falsas; Resende Souza Santos Consultoria e Planejamento S/C (Resplan), que sempre apresentou notas falsas; Erick Fabiano Resende Assis Me; Ker Rezende Assis, empresa que nunca existiu, mas que, segundo os promotores de Justiça, serviu aos propósitos escusos do ex-presidente da Câmara e atual prefeito cassado de Iguaí; e G. Moura Consultoria e Planejamento S/C, empresa fantasma.

Relata ainda o documento que, dos 60 cheques emitidos pela Câmara entre 2003 e 2004, 53 foram preenchidos nominalmente a ela e endossados no verso pelo ex-presidente e pelo ex-tesoureiro (ação ilegal), sendo pagos em espécie nos caixas bancários.

O grupo criminoso encontrou através do ex-vereador e presidente da Câmara, Ronaldo Moitinho dos Santos, um ambicioso negócio que culminou numa empreitada inescrupulosa à margem da sociedade no valor do desvio de R$ 369.241,00 (trezentos e sessenta e nove mil, duzentos e quarenta e um reais) dos cofres publico municipais.

Neste Município de Iguaí, o grupo Resende Assis, Lourival Nunes Filho, Gesse Maris Vasconcelos Moura , Rogério Dias Santos Júnior, Danielle Fontes Santos Moreira e Luiz Phillippe Suzarte Carneiro de Mello encontraram na falta de escrúpulos do presidente  da Câmara e na cumplicidade de seu procurador jurídico e de seu tesoureiro, o terreno fértil para saquear recursos públicos

Com a quadrilha liderada pelo ex-presidente da Câmara, destacam os membros do MP, “não causa estranheza que tivesse ele próprio, ou alguém a sua ordem, sacado volumosa quantia diretamente no caixa bancário, dela locupletando-se ilicitamente”. Os promotores de Justiça lembram ainda que a atuação do grupo alcançou seu ponto culminante com a realização de depósitos diretos na conta da companheira do presidente da Câmara, Magna Rosilei Chaves, sendo que os valores subtraídos da Câmara transitaram tabém pela conta de Ivani Jesus de Sousa, trabalhador rural de Ronaldo Moitinho, usado como “laranja”.

Na denúncia do MP-BA, mostra que Ronaldo Moitinho dos Santos, “em sua gestão á frente Câmara Municipal de Iguaí, mostrou ser desprovido de qualquer freio moral. Administrou e vem administrando a Câmara Municipal com o espezinhamento de todas as regras legais e éticas esperadas de um gestor e ordenador de despesas públicas. Vilipendiou a legitimidade esteada no voto popular e fez instalar na casa de Leis uma lei paralela — marginal aos princípios públicos, à moralidade administrativa e pessoal”.

“Embora se tenha notícia da corrupção penetrante em todo o país, casos como o noticiado no presente ação causam estupefação, seja pelo alto percentual desviado, seja pelo destemor demonstrado pelos detratores”.

Rony Moitinho, prefeito cassado de Iguaí, sempre aparece nos blog’s da Bahia em destaque por escândalos: compra de votos quando era candidato a vereador, desvio de recursos públicos, como já foi dito, quando era presidente da Câmara de Vereadores de Iguaí, compras de votos na campanha de 2008 para prefeito de Iguaí.

Recentemente ele está mais uma vez em evidência junto com deputado federal José Carlos Araújo em dois vídeos: um tripudiando a justiça baiana, colocando a influência política acima da lei, e, no outro, e não menos importante, Moitinho, prefeito cassado de Iguaí, diz que conseguiu a liminar através de influência de autoridades políticas.

Rony, prefeito cassado de Iguaí, é o exemplo de político que o povo tem que excluir definitivamente da vida pública.

 

1 resposta para “ESPAÇO DO LEITOR – IGUAÍ”

  • João Silva Dias says:

    Aqui em Itapé existe o mesmo escandalo, todos já encaminhados ao Ministerio Publico Estadual,Federal e ao TCM e o povo está aguardando a justiça, que acreditamos adotará as ações adequadas para punir a quadrilha.Já estão todas no email deste blog.

Deixe seu comentário

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
abril 2011
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia