Em pronunciamento na Câmara, Josias Gomes defende Porto Sul, em Ilhéus, e sistema intermodal, como fatores de desenvolvimento da Bahia

 

Deputado Federal Josias Gomes

Em pronunciamento na Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira, 02, o deputado federal Josias Gomes voltou a defende a construção de um sistema intermodal composto do Porto Sul, em Ilhéus, do novo Aeroporto Internacional, também, de Ilhéus, da Ferrovia Oeste-Leste, de uma área industrial nas imediações da BR-101, da Zona de Processamento de Exportações (ZPE), e, finalmente, do Gasoduto Sudeste-Nordeste (Gasene). “Esse amplo complexo assumirá, então, importante papel como pólo gerador de riquezas e desenvolvimento não só para a Bahia, mas, para todo o país”, explicou Josias.

Josias informou, em seu discurso, que o governo já desapropriou uma área de 1.771 hectares na Ponta da Tulha, localizada perto de 18 quilômetros ao norte de Ilhéus. O local foi escolhido como o mais propício para a instalação de um novo porto na região, em conformidade com estudos técnicos minuciosos, que levam em conta características topográficas – de modo a favorecer o acesso por terra para a futura integração rodoferroviária -, além de necessidades logísticas e condições ambientais.

O novo porto, de grande calado, que permitirá  a atracação de navios de alta capacidade de carga, vai operar no sistema offshore, ou seja, as operações de carga e descarga serão efetuadas a cerca de três quilômetros da costa, de forma segura e com mínimo impacto visual e ambiental. Estão previstos investimentos para a criação de uma extensa área de preservação ao redor de todo o complexo, compreendendo corredores ecológicos, APAs e parques estaduais integrados e abertos à visitação pública. Também serão requalificadas e valorizadas as unidades de conservação já existentes, como as APAs da Lagoa Encantada e do Rio Almada e o Parque Estadual do Conduru.

Em seu discurso, Josias Gomes chamou a atenção para o favorecimento ao turismo que será patrocinado pelo Porto Sul: “Juntamente com o novo Aeroporto Internacional de Ilhéus, o Porto Sul Bahia irá impulsionar o turismo em todo o litoral sul da Bahia, gerando mais receita e novos postos de trabalho para o setor. Há a possibilidade até da inclusão de Ilhéus nas rotas dos cruzeiros com transatlânticos”. O parlamentar baiano chamou a atenção a outros empreendimentos semelhantes no que diz respeito aos pólos turísticos e ambientais:  “A exemplo do que se verifica no Porto de Suape, em Pernambuco, localizado a apenas três quilômetros do Eco Resort Cabo de Santo Agostinho e a poucos quilômetros de Porto de Galinhas, e no Porto de Itajaí, em Santa Catarina, a seis quilômetros do Balneário Camboriú, o Porto Sul Bahia terá uma convivência harmoniosa e sinérgica com o setor do turismo”.

Josias Gomes considerou também outros efeitos positivos no campo econômico decorrentes da construção do Porto Sul: “Correspondendo a investimentos na ordem de R$ 3 bilhões, o projeto, que tem gestão pública e privada compartilhada entre o Estado da Bahia, a União e a Bahia Mineração (Bamin), deve gerar mais de 10 mil empregos diretos e indiretos.

Estudos indicam também que o Porto Sul deve movimentar inicialmente 40 milhões de toneladas por ano, volume compatível com as exigências das grandes rotas internacionais.

Com a implantação do Terminal Portuário da Ponta da Tulha, a arrecadação de ICMS passará a R$ 50 milhões, cinco vezes mais do que os R$ 10 milhões arrecadados anualmente, hoje, em Ilhéus”.

Para concluir o seu pronunciamento, Josias Gomes ressaltou a importância da construção do Porto Sul, e do complexo intermodal, para o desenvolvimento do Estado da Bahia. E pediu “ampla discussão entre as municipalidades envolvidas, o governo estadual, a sociedade civil e o setor empresarial, buscando, em suma, assegurar unidade e efetividade às políticas da gestão territorial urbana em sua nova dimensão, bem como o aperfeiçoamento e fortalecimento institucional das administrações municipais e seus serviços, da integração dos órgãos estaduais e federais com atuação sobre a região, e do sistema de planejamento e gestão estratégica regional, em conformidade com o macroplanejamento do Estado e do Governo Federal”.