WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia


NOVIDADES EM BREVE.

Torre de perfuração

A postagem abaixo, reforça a notícia não confirmada ainda, que a Petrobrás ira perfurar poços em alto mar, na área de Ilhéus.

Estão empurrando a exploração petrolífera para a costa marítima ilheense.

MPF/BA: ANP proibida de licitar blocos de petróleo e gás em Abrolhos (BA)

PostDateIcon 20/mar/2010 . 1:12 | PostAuthorIcon Autor: Israel Nunes

A pedido do Ministério Público Federal na Bahia (MPF/BA), a Justiça Federal em Eunápolis condenou a Agência Nacional de Petróleo (ANP) a não licitar blocos exploratórios de hidrocarboneto (petróleo e gás) que estejam em um raio de 50 Km em torno do Parque Nacional Marinho (Parnam) de Abrolhos e adjacências, no Sul do estado. O parque é considerado a área mais importante para a conservação marinha do Brasil e foi declarado como de Extrema Importância Biológica pelo Ministério do Meio Ambiente. A autarquia também não poderá autorizar a abertura de novos poços na região de exclusão, sob pena de multa de um milhão de reais por oferta, concessão ou autorização realizada. A sentença, de 4 de março, também anula as licitações e concessões já realizadas de blocos pertencentes ao raio de exclusão.

Com a flexibilização do monopólio da exploração de petróleo e gás no Brasil, em 1998, a ANP realizou, entre 1999 e 2002, quatro rodadas de licitações para a concessão de blocos de hidrocarbonetos no Brasil. Na quinta rodada, em 2003, a autarquia pretendia licitar 1070 blocos exploratórios no litoral brasileiro, entre eles, áreas localizadas nas Bacias do Jequitinhonha ao Norte e Espírito Santo-Mucuri ao Sul, região que compreende o Parnam de Abrolhos. Antes da licitação, a própria ANP chegou a retirar 178 blocos para avaliar melhor as condições ambientais na área. No entanto, restaram, ainda, 243 blocos a serem protegidos na região do parque e que foram objeto da ação civil pública proposta pelo MPF em 2003.

No mesmo ano, o MPF chegou a obter liminar determinando que fossem retirados da oferta de licitação os blocos exploratórios inseridos no raio de 50 km na área do Banco de Abrolhos, mas, dois meses depois, o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) suspendeu a liminar. Eu audiência realizada em dezembro do ano passado, a ANP informou que os blocos objetos da ação do MPF foram praticamente todos retirados de licitação.

A ação foi proposta pelo procurador da República Danilo Dias com base em um estudo da ONG Conservação Internacional do Brasil. O documento, elaborado por especialistas de diversas áreas, concluiu pela zona de exclusão de 50 km, além de listar 153 impactos negativos sobre distintos grupos de organismos, ecossistemas e meio sócio-econômico das regiões afetadas nas três fases que compõem a exploração de petróleo.

Na sentença, a Justiça destacou que o risco de uma mancha de óleo atingir Abrolhos é real, conforme demonstrado pelo relatório da Conservação Internacional. “Se isso acontecer, seria um desastre de dimensões bíblicas e irreversíveis para o ecossistema da região e para o Brasi com a possível extinção de várias espécies que existem apenas no local, conforme parecer do ICMBio”, afirmou, na decisão, o juiz Márcio Flávio Mafra Leal.

O Banco de Abrolhos é uma área rasa localizada no sul do estado da Bahia e que compreende uma série de ambientes costeiros margeados por remanescentes da Mata Atlântica, abrangendo recifes de coral, fundos de algas, manguezais, praias e restingas. A área é classificada como de extrema sensibilidade ambiental e é protegida por legislação própria desde a criação do Parque Nacional Marinho dos Abrolhos em abril de 1983.

Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República na Bahia

1 resposta para “NOVIDADES EM BREVE.”

  • Souza Neto says:

    A área mais próxima de Abrolhos autorizada fica entre Canavieiras e Belmonte. Esse poço já foi alvo de prospecção pela Queiroz Galvão no ano passado. Essa eu tenho conhecimento e até participei de uma audiência pública em Canavieiras.

    Vamos analisar uma hipótese: existe muito óleo e gás nas imediações de Abrolhos.

    Aliás isto já está provado por meio de perfurações feitas há alguns anos na Ilha do Cassurubá (entre Caravelas e Nova Viçosa).

    Essa riqueza deixará de ser explorada por obstáculos colocados por “ambientalistas”!?

    E as pessoas miseráveis que vivem em Prado, Alcobaça, Valença, Nova Viçosa e Mucuri!? Não tem direito ao desenvolvimento?

    Por conta desse petróleo da Ilha do Cassurubá, os “eco-atrasados”, forçaram a barra e criaram a Reserva Extrativista do Cassurubá, onde os nativos terão que sobreviver da captura de mariscos e crustáceos.

    Já disse em muitas de minhas palestras por aquelas bandas sobre Unidades de Conservação, que “filho de pescador deve ter oportunidade para ser doutor”. Com ResEx isso fica difícil.

Deixe seu comentário

anuncie aqui

Carregando...

Tabela do Brasileirão

contador free

nao basta

Webtiva.com // webdesign da Bahia
março 2010
D S T Q Q S S
« fev   abr »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia