Beleza não põe mesa, todos nós sabemos disso.

As belezas de nossa região, são incontestáveis e admiradas, mas é só isso.

Por que só agora apareceram as cruzadas defensoras das belezas ‘turísticas’?

Claro que não é isso que move esta guerra quase que pessoal, este ‘bispado doentio’ como nas seitas pentecostais.

Não são mil e poucos hectares que vão ser utilizados, e não desmatados e degradados, que estão gerando esta reação contra Porto, contra Ferrovia, contra níquel, contra Aeroporto (pode esperar), contra tudo.

A coisa é assim: Estas modernidades estão empatando meus negócios, me ajudem a salvá-los e depois se explodam.