Geddel diz que terá Wagner como adversário e não inimigo

Em entrevista a uma rádio local, o ministro da Integração Nacional Geddel Vieira Lima (PMDB) não perdeu a oportunidade de reforçar sua munição para a guerra instalada contra o PT baiano, após a Operação Expresso que resultou na prisão do ex-diretor da Agerba e membro do PMDB, Antonio Lomanto Netto. Contudo, o detalhe ficou por conta do discurso mais ameno, no que diz respeito à pessoa do governador Jaques Wagner.
 
Há poucos dias, o ministro disparou que “eu espero que ele (o governador) não me dirija à palavra”. Ontem, entretanto, afirmou que vai ter o governador como um adversário e não como inimigo. Geddel ainda voltou a rechaçar qualquer possibilidade de apoiar possíveis culpados. “Não estou aqui para defender. Cada um tem que dar suas explicações, seja do meu partido, seja próximo a mim. Quem estiver podre que se exploda, porque não é meu dever acobertar quem quer que seja”, disparou.  Leia mais na
Tribuna.